História Brincando de Amar 2 (Romance Gay ) - Capítulo 12


Escrita por: ~

Visualizações 42
Palavras 904
Terminada Sim
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi gente desculpa pela demora haha... Eu estava com um bloqueio mas enfim vamos para o próximo capítulo...

Capítulo 12 - Despedida


Fanfic / Fanfiction Brincando de Amar 2 (Romance Gay ) - Capítulo 12 - Despedida

           LUCAS

Tiago levou três tiros no peito, Daniel estava desacordado, eu estou assustado, Amanda não falava nada. E se ele estiver morto? Não acredito que isso aconteceu.

- Levanta logo Tiago. - Amanda falava rindo.

- Oque? - Não entendi nada.

- Ele está com um colete a prova de balas. - Tiago começou a se mexer.

- Eu vou matar vocês, por me darem esse susto. - Falei bravo.

- Calma amor. - Tiago estava tirando o colete.

- Obrigado por me salvar. - Falei, ele veio em minha direção para me beijar. - Não Tiago.

- Porquê? - Ele me olha meio triste.

- Te agradeço por me salvar, mas não muda oque você fez. - Disse.

- Tudo bem, você tem razão. - Tiago baixa a cabeça.

- O casal ai pode brigar depois? Temos que tirar Daniel daqui e levar para a delegacia. - Amanda fala chutando ele com os pés.

- Vamos amarrar ele e colocar no carro. - Tiago falava me olhando.

Nós pegamos Daniel ainda desacordado e jogamos dentro do carro. Levamos a delegacia, o delegado abre uma cela e coloca ele lá dentro. Amanda joga vários documentos e uma gravação da conversa de Daniel com António. Com essas provas Tiago foi absolvido das acusações. Apesar de António ainda estar solto, foi um alívio para nós. Ele não pode fazer nada sozinho, como eu mesmo ja disse os mocinhos da estória sempre se saiem bem no final. Eu saio da delegacia para tomar um pouco de ar, Amanda vem até mim.

- Oi - Ela se senta ao meu lado em um banco frente a delegacia.

- Oi Amanda. - Sorri. - Obrigado.

- Obrigada você Lucas. - Ela disse com lágrimas nos olhos.

- Porquê está chorando? - Me entristeço.

- Eu estava pensando aqui e vou voltar para São Paulo.

- Mas já?

- Eu passei muita coisa aqui no Rio de Janeiro, me apaixonei, me casei com um cara que acabei de entregar a Polícia, vivi muitas aventuras aqui nessa cidade. Apesar de tudo sinto falta de São Paulo. - Ela parecia muito triste.

- Ai amiga, nunca pensei que ia me apegar tanto a você. - Abracei ela e Comecei a chorar também.

- Eu também nunca pensei que ia ter um amigo assim como você, obrigado.

- Acho que irei para São Paulo com você.

- Não, você tem que resolver o seu caso com Tiago. - Ela fala limpando as lágrimas.

- Não sei oque fazer. - Falei.

- Eu sei que Tiago errou, realmente traição não tem perdão, mas de uma última chance ele te ama muito.

- Tá bom, prometo que vou pensar no assunto. Quando você pretende voltar? - Pergunto curioso.

- Ainda hoje, Tiago deixou eu usar o jatinho.

- Boa sorte amiga. - Falo me levantando do banco e dando outro abraço nela.

- Obrigada amigo. - Seu celular começou a tocar.

Ela pegou o celular, olhou era número desconhecido.

- Alô - Ela fala ao atender.

- Então você traiu o meu filho? Vai ter troco, você é meu próximo alvo garota. - E desliga o telefone.

- Oque houve? - Pergunto ao ver ela com o rosto pálido.

- António me ligou me ameaçando, disse que sou o próximo alvo dele. - Ela tremia de medo.

- Não vai acontecer nada - Eu disse a encorajando.

- Eu preciso ir embora logo, Lucas.

- Tá bom.

As horas se passam, cheguei em casa, e fui direto para o quarto, eu estava exausto. Tiago se afastou um pouco, eu disse a ele que queria pensar sobre o assunto de perdoa-lo. William e Júlia ficaram felizes por me ver de volta, eu o agradeci pelo que ele fez por mim. Me deitei na cama e cai no sono. Acordei algumas horas depois com uma mensagem de Amanda me dando tchau. Fiquei muito triste de saber que ela estava indo embora, eu passei a amar muito Amanda como uma grande amiga. Espero que ela seja muito feliz. Me levantei e fui para o banheiro tomar banho, Tiago aparece na porta.

- Que susto Tiago. - Falo meio assustado por ele aparecer de repente.

- Me desculpa amor. - Ele fala ainda triste.

- Você pode sair? Quando eu terminar de tomar banho a gente conversa. - Falei bravo.

- Posso tomar banho com você? - Ele fala tirando a camisa.

- Não, Tiago não. - Olhei para teu corpo.

- Você ainda me deseja eu sei. - Ele fala tirando a cueca.

- Eu vou sair. - Desligo o chuveiro.

- Não vai não. - Ele me segura por trás, seu pênis sarrava em minha bunda, acabei ficando excitado.

- Me solta Tiago. - Tento empurra-lo.

- Eu te amo muito, Lucas!

- Pensou nisso quando estava transando com outro? - O clima fica tenso.

Ele me solta, eu consigo sair do banheiro. Pego a toalha e me enxugo, ele continua lá dentro tomando banho, eu coloco minha roupa e me sento na cama. Tiago sai do banheiro com a toalha amarrada na cintura. Ele me olha e sai do quarto, não demora muito William chega desesperado batendo na porta, algo muito ruim acaba de acontecer. Abri a porta.

- Oque foi? - Falei assustado.

- A Amanda - Ele fala nervoso.

- Oque tem Amanda? - Fiquei desesperado.

- O avião que Amanda estava explodiu no ar. - Ele solta tudo de uma vez.

- Oque? - me sento na cama - Como assim?

- Eu ainda não sei, parece que tinha bombas dentro do jatinho.

- Amanda está morta? - Começo a chorar, Tiago aparece na porta com lágrimas nos olhos também. Eu corro para abraça-lo.



Notas Finais


Será que isso tem a ver com a ameaça de António?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...