História Broken - Capítulo 17


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Tags Belieber, Justin Bieber, Turne
Exibições 315
Palavras 1.324
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Helloooooo
Capitulo cheio de fofura!
Espero que gostem ❤️

Capítulo 17 - Senhor segredos.


Fanfic / Fanfiction Broken - Capítulo 17 - Senhor segredos.

 

— Katt — sinto beijos em minha bochecha. 

— Humm? — abro um olho com dificuldade, eu dormi tão bem que estava quase babando. 

— Vamos tomar café da manhã? Estou com fome. — pisco, tentando abrir os dois olhos, suspiro. 

— Uhum. — fico o encarando, seu rosto estava marcado e seu cabelo espetado. 

— Então vamos. — ele ri. 

— Ai, Justin. Que saco, me deixa acordar! — desço da cama, cambaleando para o lado. 

— Com todo o prazer. — reviro os olhos mesmo de costas para ele, bato sua porta e vou para o meu quarto. 

Escolho uma roupa fresca, o dia estava quente e o sol iluminava qualquer parte possível da casa. Me troco, prendo o cabelo em um coque que eu sabia que se desmancharia minutos depois e vou para o banheiro. Lavo meu rosto, principalmente os olhos, eu estava praticamente dormindo em pé. Depois de escovar os dentes calço meus chinelos e desço, puxo o ar e sinto cheiro de panquecas, acho que alguém estava tentando fazer o café da manhã...

— Olha só se não é Justin Bieber fazendo panquecas! — brinco me apoiando no balcão, ele se vira e passa as costas da mão na testa. 

— Espero que fiquem boas pelo trabalho que estão me dando. — gargalho. — E eu estou falando sério, mesmo que elas não fiquem boas, você vai elogiar e dizer o quanto minhas panquecas são magníficas — ele semicerra os olhos. — e que nunca comeu melhores. 

— Tudo bem. — arqueio as sobrancelhas e me rendo com as mãos. 

Depois de alguns minutos Justin colocou as panquecas sobre a mesa e derramou quase todo o frasco de calda sobre elas. Não vou negar, pareciam estar deliciosas. 

— Pode comer. — ele diz despejando suco no meu copo. 

— Ok. — sorrio e como o primeiro pedaço. 

Realmente estavam boas, e se não fosse pelas panquecas que minha avó fazia seriam as melhores que eu já comi. 

— Justin, tá muito bom! — como mais um pedaço franzindo a testa. — Nem as minhas panquecas são boas assim. 

— Eu sei, não posso negar até experimentar. — sorriu. 

— Eu posso fazer o almoço se quiser, papai e Pattie conversaram comigo e eu achei melhor dispensar a cozinheira enquanto estiverem na lua de mel. 

— Acho uma boa ideia. — sorriu. —O que teremos para o almoço? 

— Humm, que tal strogonoff? 

*•*•*•*•*•*

— Isso tá demorando, eu tô com fome. — reviro os olhos. 

— Justin, para de reclamar e pega a lata de milho pra mim por favor. — ele bufa e vai até o armário pegando a lata e em seguida me entregando. 

— O que vai querer fazer hoje à tarde? 

— Não sei, tem alguma ideia? 

— Na verdade eu poderia fazer um roteiro para o nosso dia. 

— Ah, que bom, porque eu não quero ficar no tédio. — peguei a batata palha e coloquei em uma travessa pequena. 

— E não vai, eu te garanto. — ele abre o freezer. — Tem sorvete? 

— Acho que sim. 

— Depois do almoço podemos tomar sorvete vendo algum filme na netflix e depooooois... — desligo todas as chamas do fogão. — faremos outra coisa, que eu não vou contar agora. 

— Ok, senhor segredos. — tiro o avental que estava usando. — O almoço está pronto. 

— O cheiro está bom. — sorrio, pego duas latas de coca-cola na geladeira e entrego uma para Justin. 

O almoço foi ótimo, por todo o tempo Justin elogiava a comida, dizendo que queria comer meu strogonoff mais vezes. Aliás, ele repetiu duas vezes. Eu fiquei feliz por ele ter gostado. Depois disso, Justin pegou o pote de sorvete, a calda de morango e duas colheres, enquanto isso eu escolhia algum filme. Eu não estava afim de terror, e imaginei que Justin não gostaria de ver um filme romântico e clichê, então optei por uma comédia, Gente Grande. Esperei Justin se ajeitar no sofá para dar play no filme. 

— Eu adoro esse cara! — ele dizia rindo. 

— Eu gosto de todos os filmes em que ele atua. — coloquei mais calda no sorvete e lambi meus dedos. 

— Coloca mais. 

— Justin, olha o tanto de calda que tem nesse sorvete, e você quer colocar mais? 

— Quanto mais melhor. — reviro os olhos. 

— O que vamos fazer depois? — pergunto fazendo o que ele pediu. 

— Que tal um passeio ao shopping? — o encaro. 

— Ninguém vai te incomodar? 

— Eu dou um jeito. — pisca. 

•*•*•*•*•*•

— Dessa vez espero que não ouse querer, até mesmo pensar, em pagar algo, porque você não vai. 

— Mas, Justin... 

— Mas nada. 

Reviro os olhos e desprendo meu cinto de segurança. Já havíamos chegado ao shopping, e pelo visto não havia tanto movimento. Justin me puxou até a entrada e disse que  queria mais sorvete, de máquinas. 

— Depois reclama quando eu digo que está gordinho... — provoco. 

— Olha, eu não vou nem ligar para o que você falou porque sei que é inveja. 

— Claro! — assinto e pego a casquinha que ele me entregava. — Obrigada. 

Caminhamos pelos corredores do shopping até acharmos um banquinho perto de algumas plantas. 

— Quem é aquele? — Justin pergunta apontando algo do meu lado. 

— Quem? — quando me viro de volta pois não vi ninguém de diferente sinto seu sorvete indo contra o meu rosto. — Não acredito que você fez isso! — fecho os meus olhos e ouço sua gargalhada gostosa. 

— Pode deixar que eu limpo. — e então eu sinto sua língua passando por meu rosto. 

— Eu, realmente, sinceramente e verdadeiramente não estou acreditando nisso. — falo ainda de olhos fechados. 

— Por nada. 

— Ah, claro, obrigada. 

— Vamos assistir algum filme novo? O cinema a essas horas não é tão cheio. 

— Pode ser. — falei com raiva. 

— Não fica brava por causa disso, baby. — me abraça e beija minha bochecha, me apertando. 

— Tá desculpado, mas só dessa vez. 

— Obrigado. — me deu outro beijo estalado e me puxou para o segundo andar. 

— Eu compro os ingressos e você pega a pipoca e os refrigerantes, pode ser? 

— Sim, claro. — respondo rápido e vou para a pequena fila. 

Assim que termino de comprar, Justin aparece e me ajuda a levar os refrigerantes. 

— Espero que não seja de terror. 

— Não é. — riu. 

— Humm. 

Entramos na sala e o filme já estava começando, fomos em silêncio para as cadeiras de cima, evitando fazer barulho para que as pessoas que já nos encaravam com raiva, não reclamassem. 

— Nossa, como eles são ignorantes. — Justin resmunga e joga pipoca nas cadeiras da frente. 

— Justin! — abro a boca e me seguro para não rir alto. 

— Ei! — uma mulher reclama. 

— Desculpe, foi sem querer. — assim que ela se vira para frente novamente nós dois rimos. 

— Shiiii! — outras pessoas se viraram para trás. 

— Desculpa. — sussurrei segurando a risada. 

No meio do filme Justin jogou pipoca nos outros, de novo, e depois disso o cinema inteiro queria nos matar e eu achei melhor sairmos de lá. 

— Justin — gargalhei — você não presta. — ele estava vermelho de tanto rir. 

— Vem, vamos descer. 

Passamos em frente a uma loja de ursos de pelúcia. 

— Uau, que urso lindo. — quase me derreti vendo um daqueles ursos gigantes. 

— Aquele ali? — Justin aponta pra ele.

— Sim. — sorri e Justin olha para os lados. 

— Joga isso no lixo pra mim? — assinto e procuro por uma lixeira, demorou um pouco, mas achei. 

Assim que voltei Justin estava em cima de um daqueles ursos de shopping que andam sozinhos. 

— Justin! — gargalho indo atrás dele. 

Ele acelera e dá tchauzinho, vou atrás e percebo que um segurança estava vindo em nossa direção. 

— Justin, tem um segurança vindo atrás de você. — grito e ele se vira, indo até o segurança. 

Eu pensei que ele entregaria o brinquedo, mas não... ele ficou fazendo zigue-zague, fugindo do segurança que corria atrás dele. 

— Justin, outro segurança. — apontei pro cara que vinha correndo. — Vamos embora! 

Justin desce do urso e corre me puxando junto com ele, os seguranças não desistiram e corriam também. Corremos pela saída e Justin destravou o carro, entramos rapidamente e ele arranca cantando pneu. 

Os seguranças insistiram em correr atrás do carro, mas como a velocidade de Justin só aumentava, nunca conseguiriam. 

Nossas respirações estavam ofegantes e só nos acalmamos quando estávamos bem longe. 

— Você é louco? — nos encaramos e começamos a rir alto, bem alto. 


Notas Finais


Continuo?
Comentem se estão gostando ❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...