História Broken - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Alvo Potter, Draco Malfoy, Gina Weasley, Harry Potter, Hermione Granger, Hugo Weasley, Jorge Weasley, Lílian L. Potter, Louis Weasley, Narcissa Black Malfoy, Ronald Weasley, Rose Weasley, Scorpius Malfoy, Ted Lupin, Tiago S. Potter, Victoire Weasley
Tags Broken, Drarry, Hogwarts, Louis, Rose, Scorbus
Exibições 94
Palavras 2.971
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Fantasia, Lemon, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Eu sei, podem me matar.

COMENTEM, vocês não sabem o quanto os comentários aumenta o gás de uma escritora, sai mais rápido, gosto de saber suas teorias.

AVISO: Leiam os capítulos minuciosamente, com os detalhes que vocês tem, já dá para montar duas teorias grandes.

Essa mídia é parte da minha pesquisa para a Fic, é uma amostra do porque demorei.

Capítulo 3 - Pensamentos barulhentos


Fanfic / Fanfiction Broken - Capítulo 3 - Pensamentos barulhentos

  "Um Potter na Sonserina?"

"Ele não é o filho de Harry Potter? O que ele está fazendo na Sonserina?"

"Olhe lá, algo me diz que Alvo Potter e a ovelha negra da família"

Malditos eram os comentário que agora eram vazados como ar pela boca dos alunos da grande escola, logo após que foi anunciada a casa do Potter vários murmúrios surgiram na mesma hora, rapidamente, o de cabelos moreno andou até a mesa da Sonserina, ignorando todo e qualquer olhar de outras pessoas, mal sabendo que James - seu irmão mais velho - o olhava de forma exasperada.

Rose Weasley, essa que havia sido classificada para a Grifinória ficou surpresa, não tanto como o Potter mais velho, James, na verdade ela não entendia o porquê de tanta surpresa, não é de agora que Alvo traz seu nariz empinado, sempre tentando mostrar sua superioridade sobre os outros, não que essas sejam as únicas características da Sonserina, mas seria uma mentira de dizer que fatos como esse não se encaixam na casa.

Ao lado de Scorpius havia um espaço, mas Alvo, mesmo estando em uma casa a qual não queria ser selecionado, se dirigiu a onde os alunos que estavam animados com a entrada dele na casa, isso fez com que ele sorrisse, levando seu corpo até onde as pessoas estavam na mesa, deixando o Malfoy isolado em um dos cantos da mesa.

– Está vendo, Grifinória? Nossa casa também tem um Potter! – um dos alunos da Sonserina gritou em alto e bom tom, provocando a mesa vizinha enquanto levantava o braço de Alvo.

Scorpius apenas abaixou a cabeça lentamente, mantendo seu olhar na louça bem polida, ainda vazia pelo jantar ainda não estar servido, o platinado passou a língua pelos lábios umidecendo os mesmos, para que não cortassem, já que estavam consideravelmente ressecados.

O Malfoy - mesmo que não ligasse muito para isso - sabia o quanto o seu sobrenome estava manchado graças a todo o passado de sua família, mas de certa forma, ele encarava isso de forma boa, seria bom ter a chance de construir sua própria história, sem viver na sombra dos atos de seu pai.

Não demorou muito para que a cerimônia de seleção terminasse, logo em seguida a esse fato, Minerva McGonagall levantou de seu lugar atrás da mesa do corpo docente, andando até a frente do local, suas vestes longas de cor carmim eram simples, mesmo que isso não alterasse sua expressão de certa forma séria.

– Mais um ano se inicia, cada casa ganhando uma supresa, realmente... uma noite cheia de surpresas – a mulher fala calmamente, e todos permanecem em silêncio, logo em seguida ela traz sua varinha em mãos, colocando um sorriso no rosto – mas acho que todos estamos com fome, então, que seja servido o jantar.

Com uma pequena agitação da varinha, o banquete se dividiu entre as quatro mesas do grande salão, Louis, esse que agora é um pertencente da Corvinal, não pôde deixar de sorrir ao ver seu prato preferido sobre a mesma, esse prato que se trata de Pudim, algo que sua avó Molly faz sempre que possível.

Na mesa da Sonserina, Scorpius comia calmamente, a a pouca comida que havia sobre seu prato era degustada de forma lenta, os olhos prateados constantemente virados para o lindo e cuidado material de prata, assim como os talheres, quando ele terminou de levar a última colher da refeição a boca e bebeu o último gole de suco de abóbora, pôde perceber que eram poucos aqueles que ainda comiam, já que a maioria agora se concentrava em conversar.

Vagarosamente os olhos do menor foram levados mesmo que involuntariamente a parte da mesa onde Alvo Potter estava sentado, esse que já dava alguns sorrisos pela aglomeração Sonserina sobre ele, o Malfoy percebeu que ele até mesmo esqueceu um pouco sobre a preocupação de não ter ido para a antiga casa do pai.

– Primeiranistas da Sonserina, sigam-me! – o menor, esse que antes ficava o Potter virou seu olhar rapidamente ao maior, ele reconheceu o mesmo, já que ele já havia sido citado no discurso de Minerva McGonagall.

O monitor da Sonserina, Aiden Lightwood, um adolescente de lindos e arrumados cabelos ruivos vinho, seus olhos castanhos claros lembravam muito mel, e suas pequenas sardas ao rosto não o faziam parecer criança, como na maioria das vezes faz com alguns ruivos.

Scorpius foi o primeiro a levantar, ficando bem na frente de Aiden, claro que não foi uma ação rápida, mas ele chegou consideravelmente mais rápido do que todos os outros alí na frente, já que não estava ocupando conversando com ninguém, isso fez com que um sorriso do Lightwood chegasse até o menino, fazendo ele sorrir também.

– Scorpius, não é? – o maior perguntou baixo, qualquer pessoa era maior que Scorpius a essa altura, mas o ruivo realmente era bastante.

O ruivo pertencente ao quinto ano da Sonserina havia acabado de perguntar o nome do menor, o que fazia o mesmo pensar se o monitor seria seu primeiro "amigo", claro que não contando com Rose e Louis, que foram levados a outras casas de Hogwarts.

– Sim! Aiden, não é? – o menino também perguntou, um pouco envergonhado, e isso fez com que sua voz saísse mais baixa.

– Pode ter certeza que sim, pequeno! – Scorpius sorrio, pelo apelido que lhe foi dado, para um Sonserino, e ainda mais monitor, Aiden era uma pessoa legal.

Não demorou muito para que todos os outros Sonserinos chegassem até ali, incluindo Alvo Potter, essa foi a hora em que o ruivo começou a falar, dando as primeiras informações logo agora, antes mesmo de que todos saíssem do grande salão.

– Nós vamos agora até o salão comunal da Sonserina, que é nas masmorras da escola, lá será entregue os horários de aula de amanhã e uma pequena coisa que foi deixada por um antigo Sonserino para todos os primeiranistas desse ano, Okay? – não demorou muitos segundos para que todos concordassem e começassem a seguir o monitor assim que ele girou os calcanhares e começou a andar em direção a saída do grande salão.

Scorpius não sabia para onde olhava primeiro enquanto eles andavam em direção as masmorras, tinham tantas coisas para olhar, desde alguns detalhes nas paredes de pedra como também a luminosidade produzida pelas chamas, mas ele decidiu apenas se concentrar no caminho que estava seguindo, já que como ele estava na frente, é muito provável de que ele leve uma bela queda.

[...]

O Malfoy não poderia estar menos encantado com o seu próprio salão comunal, os ricos detalhes no lugar faziam os boatos de que a casa das cobras é luxuosa se tornarem mais que reais. Os grandes sofás tem seu couro preto, claro que algumas poltronas espalhadas pelo lugar também tem outras cores, mas sempre variando entre o verde, preto, prata e branco.

O platinado junta suas mãos na parte de trás do seu corpo arrumando sua posição e se preparando para escutar exatamente o que o monitor vai dizer, esse que traz algumas "sacolinha", se é que podem ser chamadas assim graças a seu material que é de um veludo verde esmeralda.

As "sacolinhas" foram entregadas pela menina que Scorpius julga ser a outra monitora da casa Sonserina, dentro havia uma gravata com temática da Sonserina e também um pequeno broche em formato de cobra, o Malfoy tinha certeza de que era banhada a prata, afinal... Lhe parecia muito brilhante, era com toda certeza algo digno de um sonserino e algo que o loiro iria guardar com cuidado, afinal... não é todos os dias que se recebe um presente que não seja de seu pai ou até mesmo de sua vó, Narcisa Malfoy, nascida Black.

– Bom, Sonserinos, essa é nossa casa, nosso lugar de convivência, e eu realmente espero muito que tenham respeito, eu tenho alguns primeiros avisos para dar – todos aquela altura já tinham os olhos voltados para o ruivo – cada quarto será dividido entre duas pessoas, vai ser um sorteio, isso separadamente as meninas dos meninos é claro.

Quando alguns papéis foram dobrados por Aiden com ajuda de uma menina mais valha morena, Scorpius já sentiu seu coração afundar completamente, ele não conhecia exatamente ninguém daquele lugar e não é como se fosse a coisa mais normal do mundo saber que você vai passar sete anos com a mesma pessoa dormindo na cama ao lado.

Primeiro as meninas foram selecionadas, deixando o loirinho que estava meio encolhido ainda mais pretensioso, ele não via a hora de que isso acabasse, essa pressão é muita para ele, o Malfoy nunca teve amigos, talvez um ou dois quando era bem menor, mas só isso, sem mais prováveis interações.

O menor já tinha parado de dar atenção as palavras a algum tempo, já que apenas observava a lula que passava sendo visível pela janela submersa, era algo bonito de se ver, Scorpius ficava encantado em poder ter a vista do fundo do lago de Hogwarts dessa forma, era encantador...

– Scorpius Malfoy e Alvo Potter – os pensamentos do platinado foram cortados com uma forca anormal, a partir do momento em que aquelas palavras foram pronunciadas, o Potter, que antes conversava com outras pessoas olhou para o Malfoy, não disse uma palavra, mas pior que isso, apenas o olhou com nojo, e virou a cara, andando em direção ao dormitório que logo em seguida foi anunciado pelo monitor.

O de olhos platinados apenas andou um pouco rápido até o seu malão, que estava no canto da sala da Sonserina, e pegou o mesmo, sendo acompanhado por seu gatinho Newt, e começado a andar de cabeça baixa até o quarto enquanto puxava o malão consigo, Alvo Potter ainda não havia acompanho ele, então o Malfoy apenas sorriu consigo mesmo, ele tem alguns minutos antes de ser engolido por agressão verbal, o menor riu de sí mesmo pelo que acabou de pensar, mas ignorou assim que abriu a porta do dormitório, ele sorriu enormemente ao ver o tamanho de quarto e também todos os detalhes que o mesmo tinha, as camas dossel era incríveis, essas que tinham seus colchões cobertos por lindos lençóis esmeralda.

Haviam janelas vitrais que também davam visão ao fundo do lago, e aquilo deixava Scorpius muito feliz, já que seria interessante para ele ver as criaturas mágicas que provavelmente habitam o lago, é algo que não deveria ser interessante somente para ele, e sim para todos, isso de acordo com a mente do menor.

Ele se aproximou da cama mais próxima a janela, colocando seu malão sobre a cama, abrindo o mesmo e começamos a tirar algumas das coisas de dentro, já que ele não queria perder o tempo que podia estar organizando sua roupa, ele colocou as duas mochilas extras sobre um lado da cama, a "sacolinha" que ele havia ganhado a pouco foi tirada de onde ele tinha guardado antes, ou seja, suas vestes, e logo em seguida o pequeno coloca sobre a cama também, antes que possa terminar de colocar tudo sobre a cama, ele escuta a porta se abrir novamente e também não deixa de escutar o mais novo dos Potter, que nem entrou direto e já começou a reclamar.

– Não acredito que vou passar sete anos da minha vida dividindo quarto com um Malfoy! – era impossível que o Malfoy não reconhecesse a voz do menino que só fala com ele para brigar.

O Malfoy menor apenas sorriu, claro que como ele estava de costas para o Potter, o mesmo não viu, Scorpius não conseguia controlar, porque sua vó contou que na escola Draco era arrogante, ego inflado e tudo isso graças a "fama" do pai no mundo bruxo, hoje em dia, o próprio filho do Potter está agindo assim, enquanto acusa um Malfoy sem ele fazer nada.

– Você com certeza deve me odiar, Alvo! – o menor fala, ainda de costas, colocando algumas peças sobre a cama.

O Malfoy não podia ver a reação deslocada do Potter, o mesmo que estava confuso por toda a calmaria vinda do Malfoy, o de olhos esmeralda não conseguia entender em que parte do xingamento estava errando, nas histórias de seu pai os Malfoy's sempre pareciam se assustar rápido, ou também procurarem briga com a mesma rapidez.

– É, talvez eu não goste de você...

[...]

O loiro platinado rolava de um lado para o outro na cama durante o seu sono algumas vezes, sua respiração era tão lenta que o Potter ali em alguns momentos pensou que o Malfoy estivesse morto, por não considerar normal uma respiração calma como essa, não que o moreno esteja olhando para o de olhos prateados brilhantes, longe dele, esses são os pensamentos que passam pela cabeça do Potter naquele momento, ele não consegue dormir, mesmo sabendo que já se passam da uma da manhã, ele sabe que as palavras que seu pai lhe disse na estação podiam ou não ser verdadeiras, mas no fim de tudo, James estava certo, desde o princípio o mais velho insistia em dizer que Alvo iria para a Sonserina, e o menor com uma risada ou até mesmo raiva negava, lhe dando um tapa um pouco fraco na parte de trás da cabeça, onde era considerado o ponto fraco do moreno de olhos castanhos, sendo que os de Alvo são de um verde brilhantes comparável a esmeraldas, que ele nunca pensou na possibilidade de também combinar para a Sonserina, coisa citada por Jason Nott, um Sonserino que a essa altura já cursa o terceiro ano em Hogwarts, sendo também da Sonserina.

O moreno recordou na mesma hora a grosseria que usou para com o Malfoy nessa noite, todas as palavras que saíram de sua boca em direção ao de cabelos platinados tinham certa porcentagem de ódio empregado, ele pensou se era isso que tornava ele mais sonserino, rondava sua cabeça o que fazia ele diferente do pai, por mais que esse dissesse frequentemente que a cada das serpentes também é uma boa casa. 

Para Harry Potter é fácil dizer, o herói da profecia, o eleito, aquele que venceu Lord Voldemort, mas para o moreno que agora se encontrava na casa não parecia nada fácil, ele sentia o frio da Sonserina penetrar sua pele, o bicho de Scorpius que deitou ao lado do mesmo nesse instante chamou atenção do menino, sua pelugem era de uma cor a qual nunca havia visto na vida, pelo meno não em um gato, mas o moreno apenas ignorou o fato de estar olhando para algo que fosse do Malfoy, apenas virando em sua própria cama tentando dormir, essa atividade não é realizada com sucesso por ele, que apenas continua com seus olhos abertos, focados no teto da cama dossel.

– Porque não dorme? Amanhã teremos aula cedo! – Alvo toma um grande susto ao escutar a voz do menor, o loirinho que agora está sentado na cama, com aquele pijama de seda frouxo ele parece ainda menor.

– Se metendo na vida dos outros Malfoy? Porque não continua dormindo, Hm? Você é irritante! – fala o Potter com toda a crueldade do mundo, e com todo esse tratamento especial, apenas recebe um sorriso do menor, esse que tem uma feição calma no rosto.

– Você pensa alto demais...

E foi com isso, com simples palavras sem sentindo que o platinado de olho prateados deitou sobre sua cama, sentindo novamente as costas afundarem sobre o colchão e mais uma vez foi puxado em direção ao mundo dos sonhos, com os braços ao redor de seu gato, esse que estava completamente animado ao pequeno menino loiro.

Alvo não consegue entender o que o Malfoy quer dizer com aquilo, como assim "você pensa alto demais?" e mais uma vez ele tira uma conclusão:

Malfoy além de asquerosos são loucos.

[...]

– Sr. Potter, o que seria a teoria aplicada da Transfiguração? – a pergunta feita diretamente e somente ao Potter, fez com que o estômago dele revisasse, ele não sabia de certeza – é uma pergunta difícil, vou lhe dar até o fim da aula para responder, se acertar, 25 pontos para a Sonserina.

Até mesmo Rose parecia assustada com tal pergunta, talvez ela não lembrasse se já havia posto os olhos sobre tal informação em algum livro sobre isso, e pela infelicidade da Sonserina, Alvo Severo Potter não tinha noção do que era Transfiguração Aplicada, o que fazia seu corpo é mente temerem.

A nova professora de Transfiguração se trata de uma antiga aluna da casa de Lufa-Lufa e seu nome é Suzana Bones, a mesma tem um talento excepcional para tal matéria, sendo ela uma aluna mais velha que Hermione Granger quatro anos, mas não muito mais que isso, Rose tinha que admitir.

"Transfiguração Aplicada se trata da Transfiguração de objetos em outras matérias que sejam independentes do material antigo, ou seja, uma caixa de madeira pode se transformar em uma pena, coisa que não utiliza da mesma base, então é chamada dessa forma por isso.

De seu mais odiado Malfoy, Scorpius.

Vale 25 pontos."

A letra caprichada mostrava o quanto era verdadeiro que a informação vinha do Malfoy mais jovem, esse que agora tinha a cabeça abaixada, Alvo entendeu como o bilhete chegou apenas alguns segundos depois, quando ele viu a varinha nas mãos do loiro e logo em seguida o mesmo guardado-a com cuidado.

O moreno leu a caligrafia caprichada do loiro até decorar o que aquilo significava, e em apenas um minuto começou a falar lentamente o que a professora tinha perguntado ganhando um sorriso da mesma e fazendo Rose abrir a boca surpresa por Alvo ter entendido e ela não saber.

Scorpius apenas continuou com sua cabeça baixa, mas agora tinha um sorriso feliz no rosto em saber que ele tinha acertado a pergunta, e esse sorriso parecia habitar no rosto dele, naquele momento mesmo Grifinória e Sonserina estando dividindo uma aula do primeiro ano onde as crianças - pré adolescentes - não sabem de nada era uma boa coisa saber de algo.

"De seu Malfoy mais odiado, Scorpius."

Talvez ele não se importasse com os 25 pontos, talvez o de cabelos platinados e olhos prateados só não queria que o Potter ficasse desapontado com seu primeiro dia, logo após ter entrado na Sonserina.


Notas Finais


Beijão e COMENTEM MUITO.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...