História Broken Angel - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Tags Drama, Justin Bieber, Romance, Violencia
Visualizações 12
Palavras 1.719
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 13 - Capitulo 13


Fanfic / Fanfiction Broken Angel - Capítulo 13 - Capitulo 13

 

Estou tao perto de desabar que nem entendo como ainda nao estou no chao, a desordem em minha cabeça me atormenta. Ha milhoes de perguntas que nao saem pela minha boca, eu ordeno para que as pergunte mas ela nao se mexe. Sinto a ferida em meu corpo latejar, mas apenas isso, nao ouço nem falo. Estou muda,com vontade de falar e surda sem acreditar no que ouço. 

Como assim irmao ? Sou filha unica, nunca convivi com mais nenhuma criança que fosse de meu sangue. Entao como meus pais conseguiram esconder uma coisa tao importante como um bebe, um adolescente... adulto ? Percebo que tenho laços de sangue com esta pessoa mas nao sei nada sobre ela. Nem sei se o que ele me diz é a verdade. Observo Justin com a mesma expressao chocada que mantenho por uns minutos, e tento entender no porque do seu interesse em alguem envolvido na minha vida, e depois entendo. Ele me mantem aqui pois sou... era a unica herdeira do que meu pai me deixou. Inclino minha cabeça fazendo todas as perguntas de uma vez na minha cabeça. Justin agarra o encosto de braços e se levanta arregalando os olhos como se fosse um sacrificio grande me contar esta novidade. 

- É apenas filho de seu pai Mia...- Ele responde a pelo menos uma das questoes que me aterrorizam. Aquele monstro mata minha mae e ainda tem um filho com outra ? Pergunto me se o caso tera sido antes, durante ou depois de minha mae. 

- Ele é pequeno ? - Consigo finalmente falar. Rezo para que esta criança tenha sido criada depois da morte de minha mae para que nao desrespeite a memoria que tenho da familia perfeita, amorosa e leal.

- Tem a minha idade.- Dou um passo atras. Este rapaz ainda é mais velho que eu. Ele nasceu primeiro que eu, foi seu primogenito, foi seu filho ilegitimo. Amaldiçoo o nojento do meu pai, como se atreve a desrespeitar a minha pobre mae que o amava com todo o seu coraçao ? A unica coisa que consigo fazer e me sentar no sofa que se encontra no lado da sala. Com cuidado, pois a dor fisica, mesmo nao maior que a dor emocional, ainda perdura. Justin se ajoelha a minha frente e ergue meu queixo fazendo me encarar os seus olhos feitos de caramelo.- Eu sei que é uma coisa nova mas ele vai passar por tudo o que as suas garotas iam passar. Nao quer ter a chance de salvar seu irmao ? - A resposta e obvia. Se a ultima gota de sangue verdadeiro que me pertence esta viva porque nao faria de tudo para a manter dessa maneira ? Mesmo nao o conhecendo, sinto que e meu dever o salvar de um destino horrivel. Pobre rapaz, sem saber que podia ter tudo o que desejasse, como eu agora sei e tenho, entregado aos lobos como um pedaço de carne. 

- Me fale sobre ele...- Sussurro sentindo lagrimas baterem a porta. 

- Bem...- Justin se engasga ao ver que estou prestes a explodir de tristeza.- Ele se chama Jack, tem a mesma idade que eu, sua mae foi morta, assim como a sua, provavelmente sofreu o mesmo destino.- Percebo o que quer dizer, a sua morte foi mais uma vez, obra de meu pai.- Depois suponho que seu pai o tenha levado a ser apanhado pois nao sei como e que ele foi la parar.- Justin fala confuso. Claro, um maior de idade, num leilao especializado em orfanatos. Ele podia ser orfao, pelo menos pensa o ser, mas tinha idade suficiente para poder fugir e ter uma vida sua.

Jack... Jack... seu nome entoa na minha mente, rodopiando, dançando confundindo ainda mais a minha pobre cabeça. Começo a imaginar como seria, teria meus olhos castanhos e seu cabelo da mesma cor ? Sera um lutador valente ? Um sonhador ? Uma alma triste ?
Nao consigo decifrar, sei só que e meu dever liberta lo. 

(...)

- Nao precisamos de rever mais nenhuma vez pois nao ? - Pergunta Justin pela milionesima vez enquanto me ajeita o auricular no ouvido. É preto e pequeno, apenas com uma grande concentraçao conseguiria captar a sua presença. Reviro os olhos e bufo, tanto frustrada como nervosa. Acabara de vestir um vestido vermelho curto, um  vermelho demasiado chamativo para quem tem que se fazer invisivel. É tao lindo que nao paro de me apreciar nele ao espelho. Agora e a vez de Justin revirar os olhos.- Eu vou estar aqui com voce ok ? Noah tambem estara ouvindo e conferindo as camaras. Estaremos dentro do assunto por isso nada de nervosismo. É apenas uma festa.- Sei que ele tenta me confortar mas é impossivel. Estou inquieta com varios tiques na minha mao cada vez que me lembro do que fazer.

Abano a cabeça e me dirigo ao carro preto, com os vidros da mesma cor. Misterioso, tal como eu devo ser, ninguem sabe quem sou, ninguem sabe de onde venho, apenas pensam que sou uma garota riquinha que tem prazer em fazer de outras pessoas criadas. Tomo nota na minha cabeça de controlar meus julgamentos relativamente as pessoas que realmente gostam desta pratica. Estou preparada para entrar mas meu braço é puxado. 

- Voce nao vai ! - Vejo Nathan, de faces rosadas de raiva, apertando meu braço como se o quisesse arrancar. 

- Eu vou Nathan. E muito obrigada pela ajuda hoje, estou muito grata.- Abano o braço com força para que sua mao me largasse. Nathan me olha cabisbaixo.

- Eu nao podia arriscar...- Arrasta sua fala.

- Ainda bem que sabemos o que e mais importante. O seu trabalho.- E é a ultima coisa que digo antes de entrar no carro e fechar a porta com uma força bem exagerada so para sublinhar meu argumento com mais vigor. 

- Disse lhe das boas.- Ouço no meu auricular, por momentos me esqueci que eles estavam ouvindo. Ouço ciume na voz de Justin, mas ignoro pois nem ele me quer. Mantenho me calada pelo caminho ate avistar uma enorme mansao, tao morderna, de cores cinzentas, pretas e brancas. Deixo um assobio de admiraçao escapar por meus labios. Vejo varias pessoas entrando, rindo as gargalhadas histericas, vejo homens conversando bem entretidos, parecem falar em negocios. O condutor do carro em que me encontro, que desconheço, abre a porta me deixando sair. Saio com calma para que a barriga nao me doa, estou muito receosa com o facto do nervosismo faça minha ferida abrir de novo.

Noto muitos olhares curiosos cair sobre mim, talvez se perguntando o que faz uma riquinha nova numa festa destas. Mas parecem me aceitar por parecer que partilho o mesmo hobbie que eles. Entro na casa gigante sem ser parada por a dupla de seguranças encostados á entrada, eles param alguem de vez em quanto, maioritariamente homens, por isso presumo que mulheres devem ter passe livre de modo a atrair mais homens para a festa. No centro de tudo, esta um salao super espaçoso onde, de um lado esta uma orquestra tocando musica classica, e do outro lado, o esperado numa festa destas, o palco onde o gado é centrado e escolhido. Ando confiante, um garoto vestido de preto me oferece uma bebida que aceito e beberico de vez em quando, nao o suficiente para deturpar meus sentidos aguçados. 

Mais olhares caem em mim, pareço estar dando um espetaculo pois sou o centro das atençoes, talvez por ser nova ou por estar sozinha. Quando percebo estou em frente ao palco, apreciando as luzes coloridas iluminando o veludo que cobre o palco. Tanto luxo para um gado. 

- Penso que nunca vi você por aqui.- Ouço uma voz atras de mim. A figura apresenta se a minha frente demonstrando um homem, de cabelo curto, e mais velho. Talvez com a idade de meu pai. Veste um belo fato com um pequeno laço pregado no seu pescoço, na sua camisa branca tao bem engomada. Tem um certo charme, um andar elegante, um sorriso intimidante mas convidativo ao mesmo tempo. Aí me pergunto o porque de Justin estar tao calado.

- É ele.- Ele responde a minha pergunta se pronunciando. É este homem que organizou tudo isto, esta casa, esta gente pertence lhe. É este o rival de Justin, a pessoa que ele tanto odeia. Concluo que mais vale ser amiga que inimiga deste homem e por medo que ele desconfie sobre as minhas verdadeiras intençoes decido manter a personagem e dou o meu maior sorriso.

- Que faz aqui uma mulher tao bonita como voce ? Veio com seu marido ? - Ele pergunta claramente interessado, olhando em volta.

- Sem marido.- Sorrio me aproximando, tocando gentilmente no seu braço.

- Vamos levar nossa conversa para o andar de cima.- Pega em minha mao e começa me encaminhando para fora do salao, para um andar acima. Paro a meio do caminho o fazendo me olhar desconfiado. 

- Como se atreve !? - Ouço Justin gritar ao meu ouvido. Me aproximo do homem e toco em seu peito fingindo brincar com o seu laço preto. 

- E como veriamos o espetaculo se estamos longe dele ? - Falo perto de sua face. 

- Eu dou outro espetaculo para voce.- Fala sorrindo malicioso. Ouço Justin gritar de novo mas desta vez, o ignoro. Ri um pouco e continua andando.- Eu prometo que estaremos prontos antes do espetaculo.- Ele pisca o olho para mim e me conduz ate um quarto. Anda ate um pequeno armario de madeira e tira de la uma garrafa de um álcool qualquer, serve em dois copos e de aproxima de novo. Troca meu copo de champagne por outro liquido castanho com um cheiro demasiado forte, ele da um gole e esboça um sorriso de segundas intençoes. Faço de tudo para esconder o desespero que me percorre. Nao posso deixar que me toque, tenho um trabalho fazer, preciso de me livrar dele imediatamente, mas sendo subtil. Parece se lembrar de algo e ri.- Nem tinha perguntado seu nome, que indelicado da minha parte.- Fala dando outro gole. 

- Rose.- Digo me lembrando de um nome aleatorio na minha cabeça. 

- Prazer Rose.- Enlaça seu braço na minha cintura e sorri malicioso.- Sou Jeremy, Jeremy Bieber. 


Notas Finais


oiiii :) mais uma vez com um capitulo !
Espero que tenham gostado.
Hoje vi Titanic e me senti inspirada kkk Jack... Rose... get it ? ahahah

Bem... por favor comentem minhas lindas! que acharam ?
Beijos enormes sim ?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...