História Broken Crown - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Amigos, Drama, Família, Monarquia, Nobreza, Realeza
Visualizações 7
Palavras 2.198
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 10 - The Traitors


Fanfic / Fanfiction Broken Crown - Capítulo 10 - The Traitors


                                                                         Alguns Dias Depois


Pequena Casa no Condado de Franklin - Reino de Atlantis - 07:43


Bella havia passado praticamente as noites anteriores inteiras com os olhos abertos. Ela não sabia se realmente podia confiar naquelas pessoas, mas o cansaço acabou vencendo e então a garota dormiu por algumas horas após o amanhecer. O colchão de palha não era nada confortável comparado ao seu na corte, mas mesmo assim lhe permitiu descansar um pouco. A casa onde estava sendo presa, era uma casa comum da vila, exceto pelos homens armados do lado de fora a todo momento. Hamilton lhe garantiu que aquilo era para a segurança das duas, mas era praticamente impossível sair dali por livre espontânea vontade. O homem olhou pela brecha da porta se a garota estava acordada, então a levou para o primeiro andar onde Alice já a esperava e o cheiro de mingau tomava conta do ambiente.
- Alice - Bella se sentou ao lado de sua irmã e observou uma garota tímida de cabelos ruivos se aproximando aos poucos.
- Princesas - Ela se curvou segurando nas laterais de seu vestido e sorriu gentilmente colocando dois pratos metálicos na frente delas - Meu nome é Lola...Nós temos mingau de aveia e pão para o café da manhã.
- Está ótimo. Eu agradeço muito, Lola - Bella sorriu para a garota que logo saiu em direção a grande panela no fogo e então pode dar atenção a sua irmã - Eles estão te tratando bem?
- Sim...Mas como você pode ficar tão tranquila em meio a isso tudo? - Alice perguntou achando a postura da irmã inacreditável, ela mal conseguia pensar em comer - Eu rolei na cama a noite toda...
- Eu não estou tranquila, Alice - Bella olhou discretamente ao redor e então respirou fundo - Eu estou procurando uma forma de tirar nós duas daqui.


Mansão Manfred - Reino de Atlantis - 11:29


Uma das criadas da família Manfred contraiu a doença do suor e sem suspeitar que estava doente, acabou indo trabalhar e caiu no chão sentindo uma terrível falta de ar. Para ter certeza que ninguém havia ficado doente, o Sr. Manfred exigiu que todos ficassem em cômodos separados e então dois dias depois Avril amanheceu queimando em febre. Ela já esperava a morte, por isso impedia que alguém de sua família sequer se aproximasse de seu quarto, em sua mente seria pior que eles a vissem daquela forma. Seu médico entrou naquela manhã e lhe trouxe algumas toalhas molhadas em um pequeno caldeirão com água morna, enquanto colocava uma das toalhas sobre sua testa ela observou o sol entrando pela sua janela e sorriu brevemente até ver Sam entrar com um pano sobre o nariz e boca.
- Sam - Avril falou baixo com sua voz fraca - Por favor, não se aproxime...
- Ok, ok - Sam levantou a mão a impedindo de se esforçar para sentar na cama e ficou longe como ela havia pedido - Eu só queria...Te ver.
- Você sabe porque isso está acontecendo comigo - Avril disse assim que ouviu o médico descendo as escadas para o andar inferior - Eu vou morrer pelo o que fiz...Pelo o que eu fiz com a Anne marie.
- Não diga isso - Sam observou a pele pálida da garota e tentou se recordar de suas bochechas coradas - Tem relatos de pessoas que sobreviveram, Avril. Eu sei que você é durona e vai sair disso.
- Sam, não vamos criar falsas esperanças - Ela sorriu mesmo com as lágrimas se formando em seus olhos - Só me prometa que será um bom irmão para a Jane. A ensine a se proteger e ser forte, mas também seja seu guardião assim como você foi para mim por todos esses anos.
- Avril, você será a guardiã da Jane - Sam deu um passo para frente, ele queria abraça-la, mas pensar na possibilidade de seu pai enterrando dois filhos logo após ter enterrado sua amante, o fazia recuar - Ela vai precisar de você, vai ser sua forma de se redimir.
- Chame o papai, por favor - Ela tossiu um pouco e então continuou - Eu preciso confessar o que fiz.


Aposentos da Rainha - Reino de Atlantis - 12:31


Ashley gostava de seus aposentos, mas como futura rainha, ela tinha que seguir tradições que considerava caretas e sem sentido. Uma delas é o fato de ter que se mudar para os aposentos onde várias rainhas viveram antes dela. A garota pediu para mudarem poucas coisas, as cortinas cor de pêssego escolhidas antes por Eleanor, agora foram substituídas por cortinas em tom marfim combinando com o dossel em sua cama. Ela tinha mais damas agora, todas pareciam gentis e atenciosas, assim como Margot, mas não era possível confiar em nenhuma delas. Seu pai se juntaria a ela no almoço naquele dia, então com a ajuda de suas damas, ela colocou um vestido de cor damasco e ficou a sua espera. Depois de ter a sobremesa servida, Ashley dispensou suas damas e então os dois ficaram a sós.
- Então - Thomas cortou um pedaço da torta de blueberries em seu prato e olhou para sua filha - Me atualize como estão sendo as coisas com o rei.
- Mesmo preocupado com as filhas ele foi capaz de consumar o casamento - Ashley provou um pedaço da torta e respirou fundo - Mas ele estava tenso o tempo todo, não foi exatamente o que eu desejava ou esperava. Se eu estou casada mesmo contra minha vontade eu não quero algo tão...Frio.
- Você deve consolar seu marido nesse momento, é muito difícil passar pelo o que ele está passando, mas talvez não seria tão ruim se as princesas acabassem mortas...Assim seu futuro filho não se preocuparia em dividir um trono com elas - Thomas limpou sua boca com o guardanapo e notou sua filha sem reação com o que ele havia falado - Eu só estou analisando os possíveis acontecimentos e não se esqueça do seu dever.
- Como eu poderia esquecer? - Ela jogou o guardanapo sobre a mesa e tomou um gole de vinho - Você me lembra o tempo todo.
- Ei - Thomas observou o mal comportamento da garota e levantou seu dedo - Você pode ser a esposa do rei, mas continua sendo minha filha e não se esqueça como você chegou aqui.
- Eu sei como eu cheguei aqui e não foi tudo por sua conta. O rei me escolheu, ele me escolheu por quem eu sou e não por quem você queria que eu fosse. Agora lembre-se do que pode acontecer com o inimigo de uma rainha, papai - Ela se levantou e sorriu de forma irônica enquanto se retirava - Nossa conversa termina aqui. 


Condado de Franklin - Reino de Atlantis - 14:23


Guilherme havia passado em alguns condados do reino, mas nenhum aparentava estar mantendo duas princesas presas. Alguns contatos importantes tentaram lhe ajudar, mas nenhuma pista levou a lugar algum. Ele estava dormindo em algumas pensões simples que encontrava pelas vilas, e então quando acordou pela manhã sua irmã estava lá para lhe dar péssimas noticias. A epidemia da doença do suor era preocupante, mas ele estava abalado em saber que a filha dos Manfred havia contraído a doença. Como Belly o encontrou ainda era um mistério, mas sua companhia seria útil e duas cabeças pensam melhor do que uma. Eles chegaram cedo no condado de Franklin e com uma luneta ficaram observando uma casa onde homens aparentavam estar guardando algo e trocavam de turno a cada duas horas, mas um estava sozinho na porta dos fundos. Belly e ele se aproximaram usando roupas simples.
- Bom dia - Belly sorriu gentilmente para o homem próximo a porta - Meu irmão e eu viemos de Albany a procura de emprego, nós estamos com frio e fome. Posso fazer algum serviço na casa em troca de algo para comer?
- Eu não sei se posso te ajudar...- O rapaz era jovem, então não demorou muito para cair nos encantos da garota - Na verdade minha irmã saiu para comprar algumas coisas na pequena feira da vila, você poderia limpar a cozinha para ela.
- Para mim parece uma ótima ideia - Belly sorriu de forma doce e então quando o rapaz se virou para abrir a porta, Guilherme bateu sua cabeça contra a parede - Essa doeu até em mim...
- Vamos amarrar os pés e mãos dele - Guilherme entregou a corda para Belly e então amarrou os pés do rapaz inconsciente - É melhor nós tamparmos a boca também.
- Concordo - Belly usou o cinto de pano em sua cintura para tampar a boca dele e os dois o carregaram para trás de algumas caixas de madeira - E agora?
- Agora nós salvamos as princesas!


Floresta Próxima ao Castelo - Reino de Atlantis - 16:07


Damon já havia andado a cavalo por boa parte do reino. Todos pareciam inconsoláveis imaginando que talvez as princesas poderiam estar mortas, mas ao invés de lamentar o que tinha chances de ter acontecido, ele resolveu procura-las novamente. Stefan se juntou a ele naquela tarde, o clima frio deixava suas peles vermelhas e lábios arroxeados, mas uma garrafa de bebida os ajudava a se manterem aquecidos. Eles deixaram seus cavalos na entrada da floresta e resolveram caminhar um pouco. O rio ainda corria fortemente entre as pedras, alguns animais se aproximavam para beber água e depois corriam ao notar a presença humana. Stefan estava caminhando a frente procurando por algo que levasse até as princesas, então gritou pelo nome de Damon.
- Um corpo - Stefan colocou um lenço na frente de seu nariz devido ao cheiro do corpo em decomposição - Ainda está bem conservado por causa da neve e talvez esse seja o motivo do corpo estar aqui. Provavelmente o chão estava muito duro para se cavar uma cova decente.
- É um homem - Damon fez uma careta o observando de costas e então respirou fundo ao pegar um medalhão em seu bolso esquerdo, e para sua surpresa havia as iniciais "H.L" E um retrato de Isabella dentro - Você estava certo...
- Sobre o que? - Stefan perguntou confuso e então notou o retrato - Henry Leroy...
- O rei o matou - Damon fechou o medalhão e fechou os olhos pensando no que deveria fazer - Eu acho que vou ter que manter segredo quando encontrar a Bella, Stefan.
- Porque? - Ele franziu sua testa, por um tempo o único ruído era o da correnteza do rio. Damon ficou em silêncio perdido em seus pensamentos.
- As coisas estão difíceis para ela...Mas eu prometo que ela terá o medalhão de volta. É o certo a fazer.


                                                                         Alguns Dias Depois


Torre Dos Prisioneiros - Reino de Atlantis - 09:10


Alice passou a noite inteira em claro encolhida em sua cama. Ela queria falar sobre o que havia acontecido nos últimos dias, mas na realidade, ela mal conseguia comer. Ao ver o homem que entrou para salva-la, Alice teve esperanças de que iria para casa e tudo ficaria em paz, mas tudo ocorreu ao contrário. Sua irmã teve pena das pessoas que as sequestraram, porque aquele povo estava lutando por justiça. Seu pai furioso resolveu lhe dar uma lição, a obrigando assistir a execução dos traidores para que ela aprendesse como se comportar perante situações como aquela. Alice arrastou um de seus grandes baús até a comprida janela da torre, dali era possível ver claramente sua irmã subindo no patíbulo, o mesmo onde sua mãe havia sido executada. Havia um círculo com grandes troncos de madeira e as pessoas estavam amarradas a eles. Ela não queria olhar, mas ficou paralisada vendo o fogo queimando suas carnes e os gritos de agonia. Sua irmã ao observar aquilo acabou desmaiando minutos depois.
- Vossa alteza - A dama Anne se aproximou para ajuda-la descer do baú, naquele ponto a menina estava tremendo e chorando - O que aconteceu?
- Eu vi...- Alice estava soluçando e acabou se sentando no chão - Minha irmã assistiu tudo de perto...Como ele pode ser tão cruel? Eu não o reconheço mais.
- Ele está fazendo isso porque ficou com medo de perder vocês duas, vossa alteza - Anne a abraçou de forma carinhosa e acariciou suas costas - Respire fundo, querida. Eu vou pegar um copo de água para você, tudo bem?
- Não - Alice segurou nos braços de sua criada de forma delicada e limpou suas lágrimas com as mangas de seu vestido - Por favor, fique aqui comigo...
- Está tudo bem - Anne segurou as mãos da garota e a ajudou a se levantar - Sente aqui na sua cama, vou te fazer companhia.
- Eu não consigo mais lidar com isso...Me faça um favor, Anne - Alice se levantou colocando a mão sobre sua testa, seus longos cabelos castanhos estavam presos e bem arrumados - Diga que eu preciso ver o rei...Agora.
- Mas...Vossa alteza...
- Agora, Anne - Ela falou com o ódio se formando em seus olhos - Ele vai ter que me ouvir.
 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...