História Broken Dolls - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Exibições 3
Palavras 1.003
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Festa, Ficção, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Mais um capítulo pra vocês gente.
Espero que gostem <3

Capítulo 2 - 1. back and forth


Sienna Oberlin suspirou quando a van de sua família passou pela placa dizendo "Bem-vindos a Ashland". Ela não sabia o que sentir sobre estar de volta.

Quer dizer, os três anos na Itália haviam sido ótimos e ela não queria exatamente voltar para os Estados Unidos, mas ao mesmo tempo ela estava ansiosa. Ela queria rever suas antigas amigas.

- Ei, aquela é a casa do Ethan! - Seu irmão gêmeo, Mike, exclamou. - Ele já me disse que vai dar uma festa hoje à noite. Podemos ir?

Ele inclinou-se para frente no banco do meio, fazendo cara de cachorrinho pidão.

- Oh, sim! - Sienna exclamou. - Podemos ir?

Apesar de definitivamente não parecer uma garota festeira, Sienna era. Ela adorava a sensação de estar cercada de gente e, óbvio, de garotos bonitos, que não faltavam em Ashland.

O pai e a mãe dos dois se entreolharam e por fim, disseram:

- Sim, podem ir. - Mike e Sienna comemoraram.

Eles adoravam que sua família fosse "excêntrica", pois os seus pais eram totalmente o contrário de qualquer pai ou mãe normais. Eles eram mais liberais e, apesar de se importarem muito com os filhos, deixavam-nos fazer o que quissessem, como se não se importassem.  

Depois de alguns minutos, eles entraram em uma rua estreita e cheia de casas. Pararam na frente de uma casa de estilo Italiano, com um pátio da frente pequeno cercado com uma cerca de metal preto. O telhado era laranja e as paredes eram em um tom de salmão, as portas e janelas eram circundadas por arcos brancos. A casa estava exatamente como Sienna se lembrava. 

Enquanto seus pais largavam as caixas na sala de estar, Sienna correu com as suas coisas para o seu quarto, que ficava no "sótão". Assim que ela largou tudo no chão, as lembranças voltaram à sua mente. Todas as vezes que ela e suas outras amigas se reuniram ali para escutar os discos velhos de seus pais, ou para fazer os trabalhos da escola ou para conversar. Tudo.

- Você está bem, querida? - Sua mãe surgiu atrás dela.

- Sim, estou. - Ela secou uma lágrima teimosa que caiu de seus olhos. - Estou feliz por estar de volta.

Não era uma completa verdade, mas também não era mentira.

- Que bom. - Sua mãe sorriu. - Eu também estou feliz por estar de volta. Agora, por que você e o seu irmão não vão dar uma volta pela cidade?

- Boa ideia. - Ela disse, prendendo seus cabelos negros em um rabo de cavalo, deixando apenas a franja solta.

Quando ela chegou na soleira da porta, seu irmão já estava lá e não parava de se mexer. Os dois sempre sofreram de transtorno de ansiedade, mas ele era muito mais hiperativo do que ela.

- Onde você quer ir? - Ela indagou.

- Eu queria ver como está o time de Lacrosse. Eu quero voltar a jogar.

- Tudo bem, vamos para lá então.

. . .

 

- E então? Nós vamos ou não? - Sadie Huston indagou à Brooke Sanders, que estava especialmente fora do ar naquela tarde do dia 2º de Setembro. - Brooke?

A ruiva estalou os dedos na frente de Brooke, que sacudiu levemente a cabeça e a encarou.

- O que você disse?

- Ai meu deus, Brooke! O que deu em você hoje? - Sadie implicou, piscando os olhos verde-esmeralda muitas vezes. Brooke sabia que era porque ela estava com alergia à nova máscara para cílios da MAC, mas não queria deixar de usar porque as duas quase tinham sido pegas quando a roubaram. - Eu estou falando da festa dos irmãos Maddox. Que é hoje à noite, por falar nisso. Nós vamos ou não?

- Claro. Quer dizer, eu tenho que ver se o Kyle vai.

- Ah, não. Desde que o namoro de vocês ficou "sério" você está deixando de fazer as coisas legais. - Sadie fez beicinho. - Vá à festa. Por mim.

Brooke suspirou e olhou ao redor. As duas estavam no restaurante no segundo piso do Kavanagh Country Club e a vista era linda. O rio Hutchinson corria mais atrás da propriedade, os lagos eram coloridos artificialmente em um tom de azul-esverdeado e, da onde elas estavam, elas tinham uma visão perfeita dos campos de esportes e das piscinas.

- Eu realmente não sei se eu devo, Sad. - Ela suspirou. - Você sabe que dia é hoje, não sabe?

- Sim, claro que eu sei. A cidade não para de falar nisso. - Sadie revirou os olhos, mesmo sabendo que aquilo magoaria Brooke. Fazia três anos desde o desaparecimento misterioso de Abby DiAngelis, a antiga abelha rainha de Ashland. - Mas já faz três anos, Brooke. Quer dizer, as pessoas têm que superar em algum momento. Especialmente você.

Brooke suspirou. Ela entendia porque Sadie falava daquele jeito. Ela havia sido humilhada por Abby durante anos, assim como Brooke também havia sido, mas de um jeito menos óbvio. Às vezes ela desejava que Abby voltasse e visse no que ela havia se transformado. Nem de longe ela se parecia com a perdedora gorda, de aparelhos e óculos fundo de garrafa. Seus cabelos que antes eram sem forma e enrolados haviam ganhado mechas em tons de mel e estavam lisos, ela havia emagrecido e sua cinturinha causaria inveja até mesmo em supermodelos. Os óculos tinham sido trocados por lentes, o aparelho deixou seus dentes lindos e ela trocou suas roupas de perdedora por roupas de abelha rainha, porque era o que ela era agora.

- Desculpe. - Sadie murmurou, ao perceber a expressão triste que cruzou o rosto de Brooke, mas que imediatamente foi substituída por um sorriso quase maldoso.

- Não, tudo bem. Abby era uma vadia, mesmo.

Sadie sorriu e tirou a sua carteira cor-de-ameixa Gucci da bolsa, largando alguns dólares sobre a mesa. Brooke fez o mesmo.

- Então você vai à festa? - Sadie indagou, enquanto as duas entravam na BMW azul-escura da ruiva.

- Definitivamente.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...