História Broken promise - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Seventeen
Personagens Hong Jisoo "Joshua", Junghan "Jeonghan", Seungcheol "S.Coups"
Tags Alfa, Boygroup, Bts, Exo, Jeongcheol, Jeonghan, Jihan, Jisoo, Joshua, Kpop, Lemon, Meanie, Scoups, Seungcheol, Seventeen, Svt, Yaoi
Exibições 169
Palavras 1.743
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Escolar, Famí­lia, Ficção, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Yaoi
Avisos: Álcool, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Espero que gostem!!!
<3 <3
Muito amor desde já.

Capítulo 10 - Desfeito


Mingyu

 

Olhei incrédulo para o garoto. Ele havia acabado de mentir para todos e pior, havia acabado de me negar. Sorri amargamente. Aparentemente ele não queria estar envolvido comigo. Havia tido expectativas muito altas em relação a ele.

Wonwoo se aproximou de Jeonghan que o abraçou sorridente. Parece que ele conhecia Jeonghan e assumia a relação deles.

– Se me derem licença. Estou me sentindo um pouco sufocado – forcei um sorriso e sai da sala.

Não conseguia parar de pensar em como ele pode ter feito aquilo depois do dia em que nos conhecemos. Havíamos feito compras juntos e até almoçado juntos. Parei de andar e percebi que estava no meio de uma área verde. Pelo menos estava sozinho.

Olhei para cima e respirei fundo. Não havia tanto motivo para eu estar agindo daquela forma na verdade. Realmente não havia sido nada demais. Ele estava certo em não dar muita importância para aquilo. Suspirei e me forcei a sorrir. Tinha que voltar para a sala.

Caminhei novamente até a sala e quando entrei meu olhar foi direto para Wonwoo. Ele estava conversando com Jeonghan e os dois riam. Respirei fundo novamente e andei até eles.

- Mingyu – Jeonghan disse sorrindo. – Olha que grande coincidência. – Eu e Wonwoo estudamos juntos.

Olhei para Wonwoo e forcei um sorriso. – Nossa que coincidência.

O garoto evitou me olhar nos olhos. Era difícil fingir. – Vou me sentar com o Chan. – caminhei até onde Chan estava e me sentei do seu lado.

- Hyung o que foi aquele clima estranho antes? - ele me olhou.

- Confundi ele com uma pessoa que eu conheço. Nada de mais – repeti em minha cabeça. Nada de mais.

Logo um empregado avisou que o jantar estava servido. Todos seguimos até a sala de jantar no cômodo ao lado e sentamos. Os reis pareciam se divertir com a conversa de minha família e Jeonghan estava entretido com Wonwoo. O primeiro herdeiro estava no canto conversando com seu segundo irmão.

Olhei para o prato e apenas comecei a comer. Não me importava se era falta de respeito. Queria que aquele jantar terminasse o mais rápido possível, mas claramente ninguém pensava como eu já que estavam conversando calmamente.

Me aproximei de Jeonghan um pouco relutante. – Hyung eu não estou me sentindo muito bem. Posso ir para casa mais cedo?

Ele me olhou preocupado e se levantou. – Vamos todos então. O que você está sentindo? – Não era isso que eu queria, pensei.

Seungcheol se aproximou de nós e sua presença realmente era forte. Mesmo para mim que era um alfa. – Ainda temos que conversar com meus pais. – ele disse olhando para Jeonghan.

- Isso Hyung. Eu que vou, não se preocupa. – fiz uma menção respeitosa e comecei a me virar para ir embora.

- Eu levo ele – me virei imediatamente e vi Wonwoo pegando suas coisas. – Vou dormir no meu apartamento hoje mesmo – ele disse se justificando para os mais velhos.

- Se estiver tudo bem para você mesmo – Jeonghan disse.

- Claro – Wonwoo começou a andar e o segui relutante. Quando saíssemos de perto de todos eu diria a ele que não havia necessidade. Não gostava de duplos sentidos. Ou ele me ignorava ou não.

Ele continuou a andar até o lado de fora da casa e entregou sua chave para o motorista. Ficamos em silêncio até seu carro chegar. Estava tentando encontrar a oportunidade para falar algo, mas aquele silêncio estava me intimidando.

O carro chegou e ele pegou em minha mão me levando até a porta do carro. – Entra.

- Não precisa me levar em casa. Eu vou apenas dizer que você o fez.

- Eu disse para entrar. – ele pegou em minha mão tentando me forçar a entrar no carro.

- Não vou entrar. Não nos conhecemos. – Estava sendo infantil. Eu sabia. Wonwoo suspirou e colocou as mãos na cintura.

- Se você entrar eu explico o porquê eu fiz aquilo. Agora por favor – ele segurou a porta me esperando.

Entrei no carro relutante e esperei Wonwoo fechar a porta e dar a volta entrando no carro. Ele ligou o carro e começou a dirigir. Ficamos em silêncio por 10 minutos e ele finalmente começou a falar.

- É melhor que meus pais não saibam sobre meus relacionamentos. – ele disse somente.

Olhei para ele. – Porque?

- Eles se intrometem e meus irmãos se intrometem, e no final sempre estraga tudo. Existe a pressão de casamento na nossa família e isso obviamente assusta um pouco os lobisomens que tenho interesse.

Ele tinha falado que tinha interesse em mim. Indiretamente mas ele havia dito. – Olhei para baixo – É por eu ser um alfa?

Ouvi ele suspirar. Com certeza seria um dos motivos. Como o terceiro herdeiro poderia ter uma relação com um alfa sendo que ele era um beta? Se fosse o caso contrário até poderia ser mais fácil.

Mesmo Wonwoo sendo mais velho que eu um ano, tendo 19 anos, e mais poderoso em relação a sua posição social, ainda assim tinha a fisionomia de um beta. Era um pouco mais baixo que eu e parecia um pouco mais frágil.

- Para mim esse não é um problema. – ele virou na minha rua. E olhei pela janela.

- Não consegui parar de pensar em você desde de que nos conhecemos – disse baixo e ele me olhou demonstrando que havia escutado.

Ele parou o carro e olhou para frente. – Não tenho intenção de continuar nada Mingyu. – suas palavras doíam mais do que eu imaginava.

- E se eu tiver? – disse quase desesperadamente.

- Não vai chegar a lugar nenhum sozinho.

O olhei firme e senti meus olhos queimarem. Queria entrar logo em casa. Não sei se conseguiria segurar mais. – Obrigada por ter me trazido – sai do carro fechando a porta.

Ele não havia saído do carro. Não tinha intenção realmente de continuar nada. Forcei um sorriso e senti as lágrimas escorrendo pela minha bochecha. Abri o portão e me apressei para dentro de casa, fechando a porta atrás de mim. Se fosse para eu me sentir assim péssimo não queria ver ele novamente. Talvez fosse melhor não tentar nada com uma pessoa como aquelas. Ele tinha razão. Tentava me convencer de que era o certo desistir.

Ouvi o carro dando partida e um silêncio após. Aparentemente tudo iria acabar assim.

 

Jisoo

 

Estava na sala com meus pais esperando Seungcheol e Jeonghan. Observava a relação de companheirismo que os dois reis tinham, além de serem um casal. Sempre havia admirado a relação deles, e quando soube do contrato me senti desolado por saber que algo assim talvez não fosse possível. Mas após conhecer Jeonghan, percebi que não tinha que me preocupar com nada. Nós seríamos bons um para o outro.

Jeonghan e Seungcheol finalmente chegaram após algum tempo e os observei juntos. Não conseguia aceitar Seungcheol com meu noivo.

- Jeonghan – Namjoon disse e sorriu indicando para que o menino se sentasse. Jeonghan fez o indicado e vi suas mãos tremerem, ele estava nervoso.

- Na verdade não vamos participar exatamente dessa discussão. Apenas iremos acatar a decisão de vocês. Para que fique mais confortável para todos vamos esperar no piso superior com a família de Jeonghan. – Seokjin disse se levantando.

- Não vamos? – Namjoon olhou para o companheiro surpreso.

- Não – Seokjin indicou a Namjoon para se levantar. O outro se levantou relutante.

- Tudo bem, não vamos. – se encaminhou até a porta com Seokjin e esperamos eles saírem.

Sorri e me levantei caminhando até Jeonghan. – Não precisa ficar nervoso – percebi que ele estava inquieto e segurei em suas mãos.

Seungcheol se aproximou como eu previ e fez com que Jeonghan se levantasse o puxando para o seu lado. Aquilo estava me irritando.

- O que você está fazendo? – forcei um sorriso para não demonstrar que estava com raiva.

- Nada – ele disse e sorriu de volta. – Só falta você cancelar o acordo. Só isso.

- Tem uma condição – disse sorrindo provocadoramente.

- Já foi cumprida. – Ele disse me olhando firme e quase senti uma vontade de resolver aquilo tudo com a força física. Respirei fundo para me acalmar.

- Quero conversar a sós com o Jeonghan – Olhei para Seungcheol e vi seu maxilar firme pela raiva provavelmente.

- Tudo bem – Seungcheol se afastou tenso e se dirigiu até a porta me deixando a sós com Jeonghan.

Olhei para o ômega e me aproximei dele. – O que você quer? Vou seguir o que você decidir. – disse olhando diretamente para seus olhos. Da proximidade em que eu estava pude sentir seu cheiro doce, era inebriante. Teria que me forçar a acatar sua decisão.

Jeonghan olhou para baixo desviando do meu olhar. Acho que percebi qual seria a resposta. – Me desculpe Jisoo. Não acho que conseguiria ter nada com você além de amizade. Mesmo com o passar dos anos. Uma relação não deveria ser construída assim.

Sorri amargamente e naquele momento não sabia como ia cumprir minha palavra. Não conseguia aceitar o fato de ter sido rejeitado. Eu estava pronto a aceitar ele como único na minha vida, a amar ele.

Mas parece que não seria assim. Senti as mãos de Jeonghan nos meus ombros e o olhei pensando em como eu arranjaria a coragem para entregar ele á meu irmão.

- Por favor. Não me interprete mal certo? – ele sorriu me fazendo sentir pior. – Seria ruim para você, ter uma pessoa ao seu lado que só queira você como amigo.

- Posso te pedir uma coisa? – segurei seus ombros de volta e olhei para seus lábios. Ainda queria uma chance de demonstrar o que poderíamos ter se ele me desse uma chance. – Posso te beijar? Apenas uma vez.

Jeonghan me olhou durante algum tempo e assentiu. Me aproximei de sua boca e o encostei nossos lábios. Seus lábios eram macios e tinham um gosto bom. Segurei sua cintura o puxando para mim e passei minha mão pela sua nuca. Isso era bom. Incrivelmente bom.

Jeonghan se afastou de mim e o encarei um pouco ofegante. – Você tem certeza? Nós poderíamos ter isso. Daria tudo de mim para que não fosse apenas amizade. – Disse enquanto o olhava firmemente.

- Me desculpe Jisoo – Ele disse e saiu com a cabeça baixa da sala me deixando sozinho.

Estava começando a odiar o meu jeito de ser. Se fosse qualquer outro alfa ainda tentaria insistir com ele até conseguir o queria. Eu não conseguia fazer isso. Mesmo odiando essa situação ainda iria fazer o que ele queria. Iria cancelar o noivado.


Notas Finais


Obrigada por terem lido!!
Acho deve demorar um pouco para eu postar o próximo capítulo. Então só avisando antes kkkk
Muito obrigada pelos favoritos pelos comentários. <3 <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...