História Brooklyn Rock - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Foo Fighters, Guns N' Roses, Kurt Cobain, Nirvana, Sky Ferreira, Slash
Personagens Axl Rose, Chris Shiflett, Dave Grohl, Dizzy Reed, Duff Mckagan, Izzy Stradlin, Krist Novoselic, Kurt Cobain, Personagens Originais, Sky Ferreira, Slash, Steven Adler, Taylor Hawkins
Visualizações 23
Palavras 1.270
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Hentai, Romance e Novela, Saga, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 7 - Lady Grinning part II


Fanfic / Fanfiction Brooklyn Rock - Capítulo 7 - Lady Grinning part II

Capítulo sete :

Los Angeles – 1988

Axl.

Eu havia passado de todos os limites e me sentia muito mal,havia machucado Erin fisicamente, assim como soava na minha cabeça meu padrasto agredindo minha mãe, como eu poderia ter me tornado aquilo que eu mais odeio? Mas Erin tinha começado me empurrado e ameaçado me machucar com a garrafa de Whisky, então eu estava apenas me defendendo. Então era isso.

Minha cabeça estava cheia com o ciúmes excessivos da mulher, chegava a ser irritante, como tanto importava para ela aonde eu ia, com quem e que horas voltava, percebi que nosso relacionamento estava se desgastando por meus fantasmas do passado que eu descontava todo na mulher, não ajudava-me apenas críticava,era nesses momentos que eu pensava em Sasha, em contar para ela para que pudéssemos sofrer sozinhos compartilhando cada detalhe do que já passamos.

Bati na testa e levantei do chão do banheiro, saindo do cômodo, peguei uma jaqueta e marchei para fora da casa, observei Erin com o braço roxo gritar por mim.

-Aonde você vai a essa hora Axl? – gritou enquanto eu chamava o motorista e sumia dali para ver Sasha cantar.

***

O local estava tão lotado que o segurança quase não deixava eu entrar, apenas me deu passassem quando viu quem era, adentrei no estabelecimento abarrotado de gente, antes de encarar tudo aquilo fui até o bar e pedi uma cerveja, enquanto pegava um cigarro e acendia-o.

Varri o local com os olhos e achei todo os caras juntamente com Félix fui até lá.

Todos viraram os rostos confusos para mim.

-A ruiva apareceu – disse Duff e Félix virou-se soltando um gritinho.

-Ainda bem que você veio amore meu, o show começa já. Senta ai.

Sentei bebericando a cerveja e dando uma tragada no cigarro.

-Não trouxe a Erin?

-Está vendo ela por aqui? - respondi a Slash.

-Acho cara de pau sua aparecer por aqui depois de tudo o que disse para Sasha – provocou Slash querendo comprar uma briga comigo.

-Falou o cavalheiro que aproveitou-se da garota bêbada.

-Nós não tivemos...Espera está com ciúmes Axl?

-Filho da p...

-Vai começar – berrou Félix tampando minha boca empurrei sua mão e limpando a minha em seguida, fuzilei Slash que virou-se para encarar o palco, a iluminação ficou baixa, todos fizeram silêncio enquanto uma garota subia ao palco com um salto alto, o barulho ouvido era do salto batendo no palco.

NOTA DA AUTORA ( Aconselhável que coloquem a música para tocar agora )

A música começou e logo nos demos conta de qual era, não era nada de rock pesado, de batidas intensas e a galera gritando em plenos pulmões, era Lady Grinning Soul do David Bowie, lembro-me da minha mãe cantando essa música. Os caras da banda pareciam estar a vontade tocando.

Sasha movimentou-se sensualmente levantando os braços e balançando a cintura como uma dança do ventre.

- She'll come, she'll go – começou enquanto jogava sua cabeça lentamente para o lado e para outro.

“Ela acreditará em você, pele doce com odor almiscarado”

Foi agachando de joelhos, apoiou seus cotovelos no palco e ficou de quatro rebolando.

“A dama de outra alma sorridente Colônia, ela usará, prata e americard,ela vai dirigir um fusca, e te derrotará na divertida canastra”

Subiu perfeitamente com uma pluma e rodou todo o pequeno palco, ele era muito pequeno para o seu grande talento.

“E quando as roupas estiverem espalhadas Não tenha medo da sala, toque a plenitude de seu seio. Sinta o amor de sua carícia, ela será o seu fim vivo”

Fixou seus olhos azuis nos meus, arrepiei com o contato visual da loira que estava começando a mexer comigo.

“Ela será o seu fim vivo”

Cantou a última parte fechando a cara e percebi que minha presença a havia tocado ela de alguma forma, jogou o microfone contra a parede e saiu do palco, todos ficaram se perguntando o que havia acontecido ali e começaram a vaiar.

Félix correu para o palco e tomou posse do microfone.

-Esses foram a “Meyota” telefone de contato falem comigo lá fora – disse e chamou os garotos da banda que tinham ficado no palco.

-Essa garota puta merda... – começou Steven – Alguns caras de gravadora estão ai sabiam?

-Ela já nasceu com o sucesso – disse Duff – Então qual os planos para agora? Festa aonde?

Sai da mesa atrás de achar Sasha.

***

Sasha.

Não acredito que Axl tinha a coragem de dar as caras depois do acontecido no apartamento,eu espumava de raiva, como ele poderia ser tão imbecil e filho da puta?

Sentei na calçada pegando um cigarro e acendendo-o, até que alguém sentou-se ao meu lado.

-Ei aquilo foi bem agressivo – disse uma voz que eu conhecia de algum lugar, levantei a cabeça para encarar quem havia dito aquilo.

-Dave – meus olhos brilharam -Você realmente veio.

-Eu disse que iria vir.

-Não, você disse que não tinha certeza.

-Eu sou um cara cheio de mistérios – disse sério.

Não aguentei e gargalhei, era engraçado como a gente mal se conhecia e conversávamos como se fôssemos amigos de longa data.

-Você foi...surpreendente, não consegui nem piscar – elogiou.

-Eu queria fazer algo diferente e que todos ficassem de queixos caídos.

Ele riu.

-Conseguiu anjo do Brooklyn

-Hey e como está sua banda? – perguntei lembrando-me.

-Está indo muito bem.

-E você toca o quê?

-Bateria, as vezes canto...

-Deveríamos tirar um dia para cantarmos juntos não acha?

-Isso me faz lembrar que alguém me deve um certo número.

-Haha me arranje um papel e uma caneta – falei e ele foi até uma Van e saiu de lá com o que eu havia pedido, escrevi o número no papel higiênico que ele havia me dado.

-Sasha já está dando autógrafos? – perguntou Félix aproximando-se dando pulinhos.

Dave fez uma careta engraçada.

-Não,Félix esse é o Dave, Dave esse é Félix produtor musical e...

-Seu empresário.

-O quê? – perguntei boquiaberta.

-Depois do seu sucesso de hoje minha Lady do Brooklyn,alguém precisa organizar essa droga de banda e botar vocês para estourarem, agora coloca esse seu amigo grunge para correr que temos que relaxar essa noite.

-Então – falamos na mesma hora e sorrimos juntos.

-Isso é tão – comecei.

-Adolescência, é eu sei – terminou Dave colocando o cabelo atrás da orelha – Eu vou indo.

Me deu um abraço.

-Você vai me ligar?

-Claro que sim anjo.

E saiu com a van, suspirei e virei para encarar Félix.

-Ele me parece alguém que eu conheço – começou e balançou a cabeça – Axl vai levar você para a casa que vai ter a festinha.

-Não começa Fê,eu só quero ir para casa e dormir.

-A festa é para você imbecil.

-Não tem mais outro alguém para ir de carona?

-Ihhh tem não amor, o ruivo insistiu que você fosse com ele.

-Ah não EU vou para casa.

-E arruinar a noite? Presta atenção você vai com ele,pensa,sua banda é ótima, você é linda e o Guns N Roses vai lançar um álbum novo que vai bombar,um romance com o frontman da banda mais perigosa do mundo,vai te levar ao topo.

-Não vou fazer sucesso nas costas dos outros, senão concordar pula fora do barco Félix.

-Então ta,mas você vai com ele,porque ele ameaçou me matar se eu não conseguisse te convencer.

-Vou cortar toda relação com esse cara ainda hoje.

-A vida é sua amor – disse Félix, ficamos um bom tempo conversando e eu recebia elogios pela a performance e bebia uma cerveja, até que Axl e Duff apareceram.

-Vamos? – perguntou Axl com um sorriso no rosto.

Eu passei na sua frente e entrei no banco do passageiro, enquanto observava o ruivo piscar para Duff e Félix.


Notas Finais


Alguém ai?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...