História Bruxa Amaldiçoada - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias A Bruxa de Blair, Harry Potter, Mitologia Grega, Os Instrumentos Mortais, Shadowhunters, The Originals, The Vampire Diaries, X-Men
Personagens Davina Claire, Hayley Marshall, Kol Mikaelson, Marcellus "Marcel" Gerard, Mikael Mikaelson
Tags Bruxas&bruxos, Magia, Maldição, Romance
Exibições 4
Palavras 1.110
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Fantasia, Ficção, Magia, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural
Avisos: Insinuação de sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Me perdoem pela demora. Problemas. 😷😰 Mas fiquem aqui com um capítulo novo. Boa leitura! 😘

Capítulo 10 - Sol, Lua e estrelas.


Fanfic / Fanfiction Bruxa Amaldiçoada - Capítulo 10 - Sol, Lua e estrelas.

Depois de toda a rotina matinal, inclusive a ida para a escola e almoço, lá estava eu, no jardim cuidando das flores.

Já estava de tarde.
Apareceu um garoto no portão. Ele estava descalço e sujo.

Garoto: Moça.

Eu fui atende-lo.

Eu: O que deseja?

Garoto: A costureira pediu para você ir até ela.

Eu: Porque ela não ligou?

Garoto: Eu não sei.

Eu: Okay. Eu vou. Obrigado garoto.

Minha avó me chamou.

Avó: Katherine.

Eu me virei e olhei para ela.

Avó: Está conversando com quem?

Eu: Com esse garotinho aqui.

Avó: Que garoto?

Eu olhei para o portão e ele já não estava mais.

Olhei para todos os lados e não o vi. Apenas encontrei a pulseira que Charles havia me dado no chão.

Eu: Ele estava aqui.

Avó: O que ele queria?

Eu caminhei até ela.

Eu: Dar um recado da costureira. Ela quer que eu vá até ela.

Avó: Estranho. Ela sempre liga.

Eu: Tambem achei, mais vai ver o celular dela está ruim.

Avó: Quer que eu vá com você?

Eu: Não precisa.

Avó: Esqueceu que dei folga para Jeffrey?! Nosso motorista precisa de folga também.

Eu: Shirley também?

Avó: Não.

Eu: Eu pego a bicicleta dela.

Avó: Você precisa de uma para você, ficar pegando de outras pessoas nunca é bom.

Eu: Vou juntar um dinheiro e depois compro.

Avó: Sei. Então você vai agora?

Eu: Sim. Já está ficando tarde.

Minha avó apontou para a minha mão.

Avó: Quebrou?

Eu: Não.

Avó: Ainda bem.

Eu: Porque? É só uma pulseira com uma lua e estrelas.

Avó: Errado. Cada detalhe tem um significado.

Eu: É só uma bijuteria.

Avó: Venha.

Eu segui ela.

Chegamos na sala e sentamos no sofá.

Eu: Vó, eu tenho que ir na costureira.

Avó: Espera.

Eu: Ta.

Ela tocou na pulseira.

Avó: Isso aqui é uma lua.

Eu: Isso está na cara.

Avó: Esse círculo, sabe o que significa?

Eu: Estrelas.

Avó: Não. O círculo, o formato dele. As estrelas, isso está na cara.

Nós rimos.

Eu: O universo?

Avó: Tenha misericórdia. Garota esse formato é o que lembra um sol.

Eu: Um sol? Porque um sol? Nada haver.

Avó: Há uma história.

Eu: Adoro histórias.

Avó: Lembra daquela história da Selene e o Carlos?

Eu: Sim.

Avó: Tem continuações.

Eu: Quero ler todas.

Avó: Não agora.

Eu: Aaah. Você vai me dar um spoiler.

Avó: Ouça. 

Eu: Ta. E a costureira?

Avó: Amanhã você vai.

Eu: Ta certo.

Avó: Então, a Selene teve filha e essas tiveram filhas, que tiveram outras filhas.

Eu: Tem uma linhagem todinha?

Avó: Sim.

Eu: É muita história. Mas e a maldição?

Avó: Todas elas foram e são amaldiçoadas.

Eu: Não entendi. Todas elas foram mulheres? Não tiveram nenhum homem nessa família?

Avó:  Claro que teve.

Eu: Sim e o que isso tem haver com a pulseira?

Avó: Selene era representante da Lua. Carlos era representante do Sol.

Eu: E as estrelas?

Avó: Descendentes da Lua e o Sol.

Eu: E o que isso tem haver?

Avó: Em uma das história diz que uma das descendentes da Selene fez um feitiço fortíssimo junto com o amor de sua vida.

Eu: Que feitiço?

Avó: Para quebrar a maldição.

Eu: E quebrou?

Avó: Não.

Eu: E o que aconteceu?

Avó: Ela e seu amor morreram.

Eu: Que spoiler.

Avó: Você que pediu.

Eu: E o feitiço não adiantou de nada.

Avó: Na verdade aconteceu algo. Os descendentes sempre tiveram contato com os ancestrais e lá no inferno onde estão, os casais não podiam viver esse amor.

Eu: Que história triste.

Avó: Essa feitiço super errado de uma das descendentes e do seu amor fez  com que todos os ancestrais se reencontrassem em todos os eclipses que houvessem.

Eu: Todos os casais amaldiçoados?

Avó: Sim.

Eu: No inferno?

Avó: É.

Eu: Não deu muito errado. Tem outras tentativas?

Avó: Muitas. Há uma mesmo, que uma garota era fortíssima porque sua bisavô havia deixado vários amuletos e talismãs repletos de magia.

Eu: Bem poderosa ela em.

Avó: E bem procurada.

Eu: Porque?

Avó: Às pessoas queriam seu poder. Ganância, entende?

Eu: E  o que ela fez?

Avó: Ela tinha que lutar com todos que estavam contra ela e queria pegar seu poder.

Eu: E a maldição? O que ela fez?

Avó: Ela, assim como todas, se  apaixonou e ela, assim como todas tentou se livrar da maldição.

Eu: E?

Avó: Ela quase conseguiu.

Eu: Quase? Deixe-me adivinhar... morreu?!

Avó: Sim. Mas ela conseguiu fazer algo que muitas bruxas não conseguem.

Eu: O que?

Avó: Um plano B. Caso o feitiço der errado, outro se encaixaria no seu lugar antes de sua morte.

Eu: E qual foi esse plano B?

Avó: Ela transferiu todo o seu poder para um talismã. O poder de sua bisavô e o dela estava em apenas um objeto. E esse só poderia ser encontrado e tocado pelo casal que realmente estivessem apaixonados. Não apaixonados como o de todos os casais da maldição. Mas um casal que morreria um pelo outro, que o fogo do amor ardesse em seus corações, um casal que jamais deixariam uma maldição atrapalhar seu amor, um casal que acabaria com ela de uma vez para poder viver felizes.

Eu: Alguém encontrou?

Avó: Até hoje, não. 

Eu: Mas sabe como é esse objeto?

Avó: O casal que o visse saberia, assim dizem as histórias. Mas vamos deixar isso para outro dia.

Eu: Você fala como se fosse tudo real.

Avó: Quem sabe?! 

Ela riu.


Eu: Ainda não entendi o porque da pulseira.

Avó: O sol, a lua, e as estrelas juntas.

Eu: Um eclipse. A união dos casais em um eclipse.

Avó: Quem recebe uma pulseira dessa, é porque a pessoa que te deu quer fazer parte de sua vida, quer te proteger ou quer que você seja consumida pelo amor. São 3 significados, cabe saber qual deles, foi o que ele usou para te dar. Talvez foi os 3, ou talvez ele só deu por dar, o que é bem difícil.

Eu ri.

Eu: Nada haver. Você tá dizendo que um garoto que eu nunca vi esta apaixonado por mim.

Avó: Não Katherine. Estou dizendo que tem um apreço por você. 

Eu: Apreço? Haha, a gente mal se conhece.

Avó: Mas já se viram e isso já é o bastante. Difícil alguém dar uma pulseira dessa assim.

Eu: Como sabe que já nos vimos antes? Ah, tambem nem estamos nos falando.

Avó: Estava estampado na sua cara. Mas porque não  estão se falando?


Eu: Um negocio aí.

Avó: Adolescentes.

Eu: Que confusão.

Avó: Você é muito lerda.

Eu: Vó.

Avó: Vou me repousar. Histórias me cansam.

Eu: Boa noite. Até amanhã. 

Dormimos. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...