História Bruxas e Caçadores - Part II - Capítulo 16


Escrita por: ~

Postado
Categorias Charmed (Jovens Bruxas), Supernatural
Personagens Bobby Singer, Castiel, Dean Winchester, Leo Wyatt, Phoebe Halliwell, Piper Halliwell, Prue Halliwell, Sam Winchester
Tags Charmed, Crossover, Dean Winchester, Ficção, Magia, Sci-fi, Sobrenatural, Supernatural
Exibições 28
Palavras 1.990
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Fantasia, Ficção, Magia, Romance e Novela, Saga, Sci-Fi, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 16 - Desculpe-me pelo meu passado! - parte II


Prue não podia negar que estava apavorada com tudo. E esperava que Christina Larsen pudesse ajudá-la, e que a desculpasse pela boneca. A mais nova das Halliwell tentou mostrar a Christina, que ela não era má. Mas a senhora só falava da boneca, do quanto à bruxa era má.Prue estava se sentindo péssima, provavelmente morreria aquele dia, e talvez ninguém pudesse ajudar.

— Ainda temos tempo de descobrir o que houve. – Sam disse entrando no carro.

— Não muito. O lado bom é que não preciso me preocupar em terminar em um lugar como aquele, na velhice. – Prue apontou para a casa de repouso. – À meia-noite morrerei novamente.

— Como sabe disso? – Dean a olhou pelo retrovisor.

— Meia-noite, Lua cheia, que diferença faz?

— Nós vamos achar um jeito de te salvar. – Dean sorriu pra ela. – Sempre damos um jeito.

De volta à estaca zero, as Halliwell e os Winchesters teriam que evitar que Prue morresse nas próximas horas.

— Eu me envolvi com o pior demônio que pode existir! O mesmo que fez aquilo tudo com você. E eu tentei matar minhas primas para roubar os poderes delas a pedido de Alastair.

— Como assim? – Phoebe perguntou surpresa. – Não tinha nos contado isso.

“São bruxas boas, meu amor. Por isso, lhe dei o amuleto. Protege você contra os feitiços delas. Não podem feri-la. Matá-las é a única forma de receber os poderes delas... Quando eu tiver os poderes, seremos invencíveis juntos”... foi isso que Alastair me disse.

— Você sabe que ele iria te matar depois que conseguisse o que ele queria não sabe? – Dean a abraçou.

— Sei. – Prue suspirou se sentindo protegida. – Mas acho que o meu eu antigo, não sabia. Ela acreditava fielmente nele... E se eu for assim? E se Alastair tentar...

— Você não é assim. – Dean a abraçou mais forte. – Não nesta vida.

Prue se sentiu segura naquele abraço, como não se sentia há muito tempo. E lá estava ela de novo pensando em seu relacionamento louco com o Dean, enquanto sua vida estava literalmente de ponta à cabeça de novo.

— O Dean tem razão. – Leo disse ao entrar na sala. – Você evoluiu, cresceu. Agora, é uma pessoa boa. Uma bruxa boa que quer ajudar aos outros. E nada pode mudar isso.

— Eu não sei. – Prue suspirou. – E se esse for o tal destino do qual o Alastair me disse?Eu tenho que impedir isso, antes que...

— Ninguém vai morrer hoje! Não no meu turno. – Dean disse travando o maxilar e cruzando os braços.

Todos saíram da sala, e foram pesquisar um jeito de impedir que a maldição acabasse com Prue.

— Leo, espere. – impediu que ele saísse da sala. – Quero que venha comigo para o asilo.

— E o Dean, Sam? As suas irmãs?

— Não os quero lá. Se não encontrar o amuleto, vou morrer, Leo. E não quero que eles vejam isso. – suspirou.

— Tem certeza?

— Tenho. Vai ser mais fácil pra mim.

Alguns minutos se passaram, e Dean se deu conta de que a Prue ainda não subido para o sótão. Assim como Piper se deu conta que Leo tinha sumido.

— Aonde estão aqueles dois? – Piper bufou ao voltar da cozinha.

— Christina Larsen. – Sam disse.

— Você não acha que a minha irmã...

— Se tem uma mulher teimosa o suficiente para fazer isso, é a Prue. – Dean disse descendo a escada. – Temos que ir para o asilo.

Enquanto eles estavam a caminho do Asilo. Prue e Leo tentavam fazer com que Cristina se lembrasse do amuleto. Depois de muito custo, Christina se lembrou do colar que a bruxa má usava no dia de sua morte.

— Ele caiu no chão da entrada.  – a senhora disse.

— Nunca o encontraremos. – Leo disse sério.

— Espera... Talvez sim. – Prue teve uma idéia.  – Você acha que eu poderia criar um feitiço que me levasse ao passado, e me desse controle sobre minhas ações?

— Eu não sei. Por quê?

— Porque, se eu puder voltar ao passado, encontraria o amuleto e o esconderia em algum lugar seguro para pegar no presente.

— A única forma seria trocar de espírito com a Pery, o seu eu no passado. E você estaria e em 1924 e a “Prue” má estaria aqui, no seu corpo.

— Só o tempo que preciso para pegar o amuleto.

— E se algo sair errado. Teremos uma bruxa má à solta, no presente por quem o Alastair é apaixonado, e perderemos você no passado.

— Se não fizermos nada... – Prue suspirou. – Vocês me perderam de qualquer jeito. Eu tenho que encontrar esse amuleto. É minha única esperança.

— Você entende que não parecerá diferente. Vão pensar que é a Pery e tentarão matá-la.

— Leo, não se preocupe tanto. – Prue riu nervosa. – Você está mais mortal agora. Vai ficar com rugas... – se deitou na cama. E recitou o feitiço que escreveu. – “Neste tempo e neste lugar, leve o espírito que mudei. Traga-o para cá e me leve pra lá.”

***

Vida passada…

— Não! Esperem! – Prue deu um golpe de artes marciais nas primas.

— Onde aprendeu isso? –  Piper do passado perguntou.

— Não sei. Onde está o amuleto? – Prue  se perguntou se afastando delas.

— Porque ela está fugindo? E porque não usa o poder? – Phoebe do passado perguntou.

— Não sou quem pensam que sou. Sou diferente, venho de outra vida. Nós evoluímos para irmãs. Irmãs boas e felizes.

— Deve ter cortado o sangue do cérebro. – Piper do passado riu irônica.

— Chega disso. – Prue encostou-se a parede. –“Neste tempo e neste lugar, leve o espírito que mudei. Traga-me enquanto ela retorna, para seu lugar.” – Não, não, não... Não deu certo?!

***

Dias atuais…

— Prue, você está bem? – Leo perguntou ao ver que ela estava agitada. – Você está aí?

— Aqui, lá, em todo lugar. – a senhora disse se levantando da cadeira de rodas e mostrou o amuleto para Leo.

— O que? – Leo falou se aproximando dela.

— Ela se transformou em Alastair, e o jogou contra a porta do banheiro.

— Se você fosse a única garota do mundo. E eu fosse o único garoto... – Alastair cantarolou colocando o amuleto em Prue, e em seguida a beijou. – Acorde querida.

— Alastair, o que houve? – ela despertou. – Onde eu estou?

— Você reencarnou. Renasceu. Pra mim. – Alastair falou. – Só que aqui você não se chama Pery, e sim Prue.

— Mas eu gosto do meu nome.

— Eu sei querida! Mas por enquanto até que seja seguro, se chamará Prue. – Alastair a ajudou a sair da cama.

— Tudo bem querido! – ela o beijou.

Quando os Winchesters e as Halliwell entram no quarto de Cristina, viram que Leo estava no chão e inconsciente. Depois que conseguiram acordar Leo, ele contou o que tinha acontecido, e Dean ficou irado.

— Prue estava decidida a voltar a sua vida passada, não consegui impedir. – Leo olhou para Dean. – Você sabe como ela pode ser teimosa. .

— Sim, eu sei. – Dean travou o maxilar.

— Acha mesmo que Alastair sabia que Prue viria aqui falar com Christina? – Sam perguntou.

— Christina é o único elo vivo. Era a única esperança. – Leo respondeu.

— Não interessa como ele soube... – Dean disse furioso. – Temos que trazer Prue de volta.

— Precisamos salvar minha irmã. Mas só ela sabe o feitiço. – Piper disse nervosa.

— E com a Prue má usando o amuleto, ela está protegida. Maravilha. – Phoebe bufou.

— Na verdade... Ela não é a Prue, e sim a Pery. – Leo falou.

— Precisamos tirar o amuleto dela. – Sam falou.

— Não é uma boa idéia! – Leo disse.

—  Por quê? – todos perguntaram.

— Porque se vocês tiraram o amuleto da Pery, vão desproteger a Prue.

— Maravilha! – Dean esbravejou. – Tem como isso ficar melhor?!

— E como vamos resolver isso?! – Phoebe perguntou nervosa.

— Deixando que a Pery use o amuleto por tempo suficiente para Prue mudar de vida. – Leo falou. – Ela deve usar o amuleto no presente para protegê-la da maldição.

***

Vida passada…

— Porque o feitiço não está dando certo? – Prue recitava repetidas vezes o mesmo feitiço e nada.

— Te peguei. – Phoebe do passado fez um feitiço a amarrando com uma corda.

— Não é ela! – Dean do passado gritou. – Alastair está a manipulando.

— Você está apaixonado por ela, por isso não enxerga a verdade! – Piper do passado gritou. – Ela é má!

— Ela está sob um feitiço! – Dean do passado gritou!

— Ela nunca será sua! – Alastair o jogou contra a  parede.

— Acho que você não percebeu que ela só está com você, porque está a manipulando. –  Dean do passado gritou. –  Você a enfeitiçou, não sei como, mas a enfeitiçou. Se não fosse por isso, ela nunca estaria com você!

— Blá blá blá. –  Alastair riu. –  Sofra por ela ter te trocado, ela minha agora!

***

Dias atuais…

Quando voltaram para o casarão, tiveram uma surpresa, Alastair estava com Pery ao seu lado. Eles andavam pela casa, como se fosse deles.

— Alastair! – Dean falou nervoso.

— Bom te ver de novo, Dean! Lembra do que eu te falei no inferno?! Então... O que acha sua querida bruxinha estar comigo agora... – Alastair a puxou pela cintura. – E devo dizer... Ela é bem apetitosa... – riu.

— Filho da mãe... – Dean disse entre os dentes.

— Oi primas. – Pery foi irônica. – Ou devo dizer manas?

— O amuleto está protegendo os dois. – Sam apontou para o casal demoníaco.

— Vocês vão morrer desta vez. – Pery jogou uma bola de fogo

— Precisamos tirar o amuleto dela. – Phoebe gritou se escondendo atrás do sofá.

— Alguma ideia? – Dean perguntou.

***

Vida passada…

— Pare com isso! – Prue conseguiu se soltar, e jogou Alastair para longe. – Você está bem?

— Acho que sim. – Dean a olhou.

— Não querendo atrapalhar o momento do casal, mas… – Alastair novamente o atacou. – Você sabe que nunca ficará com ele. Você me pertence!

— Acho que está confundindo as pessoas! Sabe qual é a vantagem de estar na minha vida passada? Que aqui não sinto as dores horríveis e posso te atacar. – usou seus poderes.

— Você não é a Pery, se parece muito com ela, mas não é ela. – Dean se aproximou.

— E nem você é o Dean. – Prue riu.

— Dean?! Não, sou Dereck.

— Claro. – Então vamos arrumar a bagunça?

— Como?

— Bom, se eu sou a Pery do passado. Ela tem que morrer para que eu possa nascer no futuro, não podemos alterar a linha do tempo.

— Sugere o que? – Dereck a olhou.

— Que quando Alastair voltar, você o mande para longe novamente e deixe que elas me matem.

— Mas se você morrer...

— Sei o que pensa, mas é um risco que tenho que correr. E depois eu sei que tem pessoas na minha época que vão me ajudar. – Prue sorriu. – Só espero que isso funcione.

— Só mais uma pergunta, no futuro você está comigo? Digo com o…

— Dean? Pode se dizer que sim. – Prue riu. – Pronto?

Dereck acenou com a cabeça e então desceram a escada. Alastair já tinha voltado, e usou o mesmo feitiço nas primas de Pery. Enquanto Dereck se encarregava de Alastair, Prue estava sob o poder das primas de Pery.

***

Dias atuais…

Piper conseguiu tirar o amuleto do pescoço de Pery. Ela começou a sentir falta de ar como se alguém tivesse a enforcando.

— O que estão fazendo com ela? – Aleister gritou.

— Acho que alguém deu um jeito no passado. – Piper riu mandando uma bola de fogo em direção a Alastair.

— Como ousa mandá-lo de volta?! – Pery disse quase se sufocando.

— Desculpa maninha. O quer dizer priminha. – Phoebe riu. – Mas o seu eu do futuro é mais esperta que você.

Pery caiu no chão, e então uma intensa luz vermelha apareceu e então Prue despertou sem conseguir respirar direito, olhando todos a sua volta. E só então percebeu que estava em sua casa, com suas irmãs.

— É ela. – Sam falou. – Coloque o amuleto de volta

— Dean colocou o amuleto de volta no pescoço de Prue e sorriu...

— Está tudo bem. – Piper se aproximou da irmã. – Você está salva.

— Obrigada por salvarem minha vida. – Prue sorriu, se levantando com a ajuda de Dean.

Prue destruiu o amuleto, não queria pensar na possibilidade de Alastair tentar reviver o passado de novo.

— Agora que estão todos bem e tudo que podia acontecer, aconteceu. – Piper abraçou sua irmã. – Temos um casamento pra terminar até sábado.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...