História Bsb. - Capítulo 6


Escrita por: ~

Visualizações 3
Palavras 1.027
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Escolar, Famí­lia, Festa, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Pansexualidade, Suicídio, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 6 - Alice


Fanfic / Fanfiction Bsb. - Capítulo 6 - Alice

28 de maio, 11:00

Era manhã, eu estava na frente de meu espelho grande, parei por um tempo para encarar meu corpo. Eu não conseguia me olhar, pois sentia vergonha, incômodo e raiva do que via. Eu sabia que o Vini olhava para as meninas, mas eu entendia que era pelo fato de não estar sendo suficiente para ele, sinto que se eu perdê-lo, eu não conseguirei ninguém melhor. Mas eu não era tão gorda assim... Minha saúde é boa, o meu peso não está prejudicando em nada, fiz exames há 6 meses, e não tinha problema de coração, nem de pressão. De frente para o espelho, eu só conseguia analisar meus defeitos, as estrias, algumas gordurinhas abaixo das escápulas, quanto mais eu analisava, mais sentia vontade de chorar, se eu pudesse cortar com uma tesoura... 

-Alice! Já está pronta? O Vinicius vai vir mesmo almoçar aqui? -Minha tia me tirou de meus pensamentos por um segundo, lembrei que ele viria hoje almoçar aqui! 

Minha tia estava cuidando de mim enquanto minha mãe estava internada em uma clinica de reabilitação para dependentes químicos, meu pai passou muito tempo ao lado de minha mãe, mas não aguentou o inferno do vício, e foi em bora, minha mãe se afundou mais ainda nas drogas, e eu consegui ser a esperança dela de ter alguém a apoiando, e então ela foi por vontade própria, minha tia está comigo até ela voltar, eu sou muito apegada a ela. Me vesti, e me arrumei como de costume, passei base, corretivo, rímel blush, fiz a sobrancelha, tudo que tinha direito para deixá-lo feliz!

12:45h

Estávamos nós três comendo, minha tia e ele conversavam sobre faculdade e trabalho, eu comi só a salada, e ainda assim estava com muita fome.

-Vou pegar a sobremesa! -Minha tia disse se levantando. Quando ela retornou, trazia um belo pudim na forma, estava tão bonito, com certeza eu devo ter feito uma cara muito engraçada, pois minha tia sorriu, Vini pigarreou e fez um rosto em desaprovação, mas minha tia já tinha servido em nossos pratos.

-Vou buscar o sorvete! -E assim ela saiu.

-É sério que você vai comer sobremesa? -Ele perguntou sério; fiquei sem jeito, abaixei o olhar para o pudim. -Você vai engordar mais uns 10kg se você comer isso.

-Mas... eu queria comer o pudim.

-Você tá me ouvindo? Vai ficar mais gorda do que já é, se me amasse você me escutaria. Não é justo comigo, eu nem consigo sentir as curvas da sua cintura! -Abaixei a cabeça, e me segurei para não chorar. -Agora me passa o seu pudim, eu como ele, e não come aquele sorvete de jeito nenhum

-Tá... 

-Sei que vai se esforçar por nós dois. -Ele disse comendo as minhas duas fatias de pudim. Quando minha tia voltou, tentei disfarçar o máximo que eu pudia, mas ela pareceu ter percebido. Depois que comemos a sobremesa, ele ficou um pouco comigo no sofá, ele não parava de mexer no celular, e ficar sorrindo, eu estava parada, olhando para ele, e mexendo em meus cabelos, ele era muito bonito, como ele ainda estava comigo? Eu iria me esforçar para não perdê-lo. De repente ele recebeu uma ligação mas pareceu rejeitar.

-Quem era?

-Minha mãe, acho que já tenho que voltar pra casa. -Ele se levantou, me deu um selinho, e foi em bora. Suspirei decepcionada. 

 

22:00h

Fiquei o dia inteiro de bobeira em casa, mandei mensagens para a Duda mas ela não me respondia, parece que a história com o Nícolas vai dar certo, eu queria conversar mais com ela, a Duda é a minha melhor amiga, eu não sei mais pra quem recorrer. Aquilo estava me dando desespero, eu estava me sentindo sufocada, pressionada, insuficiente como namorada, incapaz, e feia, como se ser gorda fosse a pior coisa que podia ter me acontecido, eu precisava de algo para esquecer, para saciar essa angústia que apertava meu peito, fui direto para cozinha em passos lentos, e abri a geladeira, e lá estava o pudim, ele parecia me chamar para ser comido, eu não pensei duas vezes, coloquei a forma sobre a mesa, e comi, mas não apenas uma colher, aquilo não me aliviaria, comi inúmeras colheradas, e no fim, quando percebi que metade do pudim já tinha ido em bora, lembrei das palavras do Vini, e me senti mais inchada do que o normal, era psicológico? Impossível! Lembrei dele ter me dito que me abandonaria caso eu engordasse mais, isso seria a morte pra mim! Guardei o pudim na geladeira e quis me manter longe, correndo para o meu quarto, eu só conseguia chorar, não queria mais me olhar, eu havia engordado mais, minha mente estava a mil, eu estava tão arrependida e tão raivosa por pertencer a esse corpo! Que eu faria de tudo para retirar essas gorduras de mim!! Ao olhar para  o lado, vi uma tesoura, que antes eu havia pensado em usar em mim, levantei-me da cama, peguei a tesoura, fui em frente ao espelho, peguei uma grande quantidade de pele.... então eu hesitei por alguns segundos, fechei os olhos.... e o telefone toca. Eu havia desistido.

Fui olhar o telefone, agora mais calma do que antes, o garoto Bruno havia me ligado.

 

"Desculpe, fui salvar seu contato, e acabei te ligando."

 

Graças a essa ligação por acidente, eu fui impedida de fazer uma burrada...

 

09:40h

Era intervalo, e vi ao longe, o garoto Bruno sentado no chão com alguns amigos, eu conhecia apenas ele e Lucas que estavam ali, me aproximei e sentei junto deles.

-Olá.. -Eu disse sem jeito

-Oi... Alice certo? -Lucas me perguntou.

-Isso mesmo.. -O restante do pessoal que estava lá, se apresentaram, eram Larissa, Carlos, Heloísa, e Luís. Larissa e Luís eram falantes, Heloísa era a que ficava com fones de ouvido revesando entre a conversa, e a música, Carlos era mais quieto, só falava o básico, e também mexia no celular, Lucas olhava o que Carlos mexia no celular com bastante atenção, e Bruno tentava puxar algum assunto comigo. Ninguém pareceu ter percebido meu peso.

 

Não vou durar muito se continuar comendo assim. Irei tomar uma atitude sobre isso,

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...