História Second Grade - Capítulo 41


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Exibições 96
Palavras 4.722
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Demorei? MAS VOLTEI! *U*
Inspiração para o capitulo de hoje: Velozes e Furiosos! <3
Espero que gostem! Sem mais enrolações... Boa Leitura <3

Capítulo 41 - Drifting?


Fanfic / Fanfiction Second Grade - Capítulo 41 - Drifting?

 

 

Dia seguinte...

 

 

 

Estávamos todos tomando café da manhã. Adivinha que horas? Isso mesmo, ao meio dia. Isso é o resultado de ir dormir tarde depois de beber todas. O pior era que todos estavam de ressaca, mas hoje não podíamos ter preguiça. Amanhã é o Baile de Inverno e tínhamos que comprar nossas roupas. Eu não estava com o menor animo, mas as vacas das minhas amigas estavam.

 

— Vamos, vai ser legal!   ~Insistia Solbin~

— Legal? A única coisa legal que eu tenho pra fazer hoje é dormir a tarde inteira.

— Hoje não. Hoje nós vamos comprar os nossos vestidos.   ~Disse Nayeon~

— A gente vê isso amanhã, tem tempo.

— Que tempo? Amanhã nós vamos passar o dia inteiro no salão. Fazendo cabelo, mãos, pés...

— Meu Deus... Eu não sei o que eu fiz pra merecer isso!

— Deixa de drama e vamos logo!   ~Disse Solbin~

 

Eu realmente não tinha escolha. Pelo menos amanhã eu vou poder voltar a minha cor de cabelo natural, já cansei desse azul. Já estou sentindo uma enorme falta do meu cabelo preto. Mas voltando ao assunto: Eu me despedi dos meninos e fui pra casa me arrumar. As meninas foram fazer o mesmo, a gente iria se encontrar daqui á uma hora. Sol iria pegar o carro da mãe dela emprestado para irmos. Cheguei em casa e já fui pro meu quarto tomar um banho e me arrumar. Depois de uma eternidade eu estava pronta, desci as escadas já ouvindo um barulho de buzina.

 

— Amores, eu não sou surda não tá? Muito menos os vizinhos.

— Eu não tenho culpa se você só falta morar naquele quarto se arrumando.   ~Disse Nayeon~

— Antes de falar de mim devia olhar pra si mesma né flor? Eu tenho espelho aqui caso esteja faltando na sua casa.

— Deixem de blá blá blá, temos compras a fazer.   ~Disse Solbin~

 

Entrei no carro e seguimos em direção ao Shopping. Eu não sei o por que e como elas acham uns Shoppings nos cafundós dos ratos, porque estramos em uns lugares que eu nem sabia que existia. Depois de um ano, Nay disse que tínhamos chegado. Foi longe? Pra caralho. Mas eu acho que vai valer a pena. Descemos do carro e... Eu já vim nesse lugar. Não estamos mais em Tokyo.

 

— Com tantos Shoppings em Tokyo vocês preferem o de outra cidade.

— Gatinha entenda, todas as garotas do Colégio vão fazer compras nos Shoppings de lá. ~Disse Solbin~

— E dai? Por causa disso precisamos fazer compras em outra cidade?

— Daí que eu não quero ir com o mesmo vestido que outra garota.   ~Disse Nayeon~

— E não é só isso, os vestidos daqui são os melhores.   ~Disse Solbin~

— Tá né. Então vamos logo! Ou o dia acaba e a gente sai daqui sem comprar nada. Porque do jeito que a gente é, isso é extremamente possível.

 

Deixamos o papo de lado e entramos no Shopping. Ele era enorme e era muito bem frequentado. Posso afirmar que foi o Shopping mais lindo que eu já frequentei. Depois de quase deixar a baba escorrer admirando aquele lugar, eu pisquei os olhos várias vezes procurando o meu foco que era os vestidos para o Baile. Entramos em uma loja que segundo a Nay, era a melhor de todas. Bom mesmo deve ser o valor dos vestidos daqui, vou ter que vender o meu rim pra comprar. Eu achei que seria fácil escolher um vestido, mas era um mais lindo que o outro e acabou ficando complicado.

 

[...]

 

Depois de anos, escolhemos nossos vestidos. Fomos para o caixa e passamos no cartão, porque a gente é pobre demais pra comprar á vista. Saímos da loja e como toda boa ida ao Shopping, não podíamos sair de lá sem comer alguma coisa. Fomos ao McDonald’s e pedimos Hambúrguers e Batatas Fritas. E pra completar o lanche, o que não podia faltar? Milk Shake.

Depois do McDonald’s decidimos comprar mais algumas coisas. Eu realmente estava precisando de umas roupinhas novas, mesmo que meu guarda-roupa já não esteja cabendo mais nada. Sabe porque não fui pra Nárnia ainda? Porque minhas roupas taparam a entrada. Nem mosquito vai pra lá. Entramos em várias lojas e compramos roupas e alguns acessórios. Depois de todas essas compras, finalmente podemos ir pra casa. Saímos daquele Shopping carregadas de sacolas, mas valeu a pena. Acho que vou vir mais vezes fazer compras por aqui.

 

[...]

 

Chegamos á casa do Jin, depois de mil anos. O trânsito não colaborou muito. Descemos do carro e Nayeon assoviou bem alto, quase me deixando surda. Não entendi o motivo dela ter feito isso, até ver os meninos saindo e oferecendo ajuda com as sacolas. Eles praticamente levaram tudo e colocaram em algum lugar da sala, parece que hoje vamos dormir aqui de novo.

 

— Foram comprar três vestidos ou o Shopping inteiro?   ~Perguntou Jimin~

— Os vestidos e outras coisinhas básicas.   ~Respondeu Nayeon~

— E tudo isso é coisinhas básicas?   ~Perguntou Jin~

— Entenda: Elas podem comprar toda a loja, ainda vão ser coisinhas básicas.   ~Disse Namjoon~

— Parece que alguém aqui conhece um pouco do mundo feminino.

— Eu sei que sou foda, não precisa falar. Está meio obvio.

— Humildade passou por aqui e te mandou lembranças.   ~Disse Nayeon~

— Já compraram as roupas de vocês?   ~Perguntou Solbin~

— Já sim. E não notou nada de diferente na gente não?   ~Perguntou Hobi~

— Que cega que eu sou!   ~Disse Nayeon~

— Vocês mudaram a cor do cabelo. De novo?

— A cor estava ficando enjoada. Melhor mudar. ~Disse Kookie~

— Ficou muito bonito. Vocês estão lindos!   ~Elogiou Solbin~

— Quem vocês vão levar para o baile?

— Garotas.   ~Eles responderam em coro~

— Haha ¬¬ Engraçadinhos ¬¬

— Vocês não conhecem. Elas são de outras turmas.   ~Disse Yoongi~

— Entendi... Mas mudando de assunto, o que vamos fazer o resto da tarde?

— Agora nada, mas á noite nós vamos sair.   ~Respondeu Jimin, todo animado~

— Pra onde?   ~Perguntou Nayeon~

— Vocês vão ver.   ~Respondeu Namjoon~

— Tudo que posso dizer é que você sempre quis ir Jiy.   ~Disse Jimin~

— Vocês são uns merdas ¬¬

 

Eu fui pra cozinha procurar algo pra comer. Abri a geladeira e vi que tinha um bolo de chocolate, eu peguei sem pensar duas vezes. Me sentei á mesa e fiquei me entupindo de bolo até parecer que estava grávida de seis meses. Depois de encher o bucho, eu fui pra sala e me juntei aos outros. Resolvemos fazer uma batalha de Video Game. Fazia um tempão que eu joguei Video Game, acho que nem sei mais jogar. Perdi o interesse em jogos depois que perdi pro Taehyung. E por falar na praga, só tá faltando ele aqui.

 

— Cadê o meu namorado?

— Falou certo. “Seu” namorado. Você que deveria saber.   ~Disse Jimin~

— Mas eu passei o dia fora, idiota.

— Ele foi o único que não tinha comprado á roupa. Então, ele ficou por lá.   ~Disse Namjoon~

— Obrigada Namjoon. Pelo menos alguém aqui tem educação.

— Indireta recebida com sucesso.   ~Disse Jimin~

 

Depois de vencer da maioria e perder pro Namjoon, eu desisti de jogar Video Game e fui para o lado de fora da casa. Me sentei em um dos degraus e fiquei olhando o movimento e viajando nos meus pensamentos. Só fui despertada por um barulho de moto. Estacionou bem na minha frente. Aquele sorriso idiota já se formou nos meus lábios, eu não tenho controle sobre isso. Ele tirou o capacete e meus olhos brilharam. Ele pintou o cabelo de preto? *-* Ele com aquele cabelo laranja já era um perigo, com cabelo preto então... Preciso da ajuda de todos os tipos de Deuses pra lidar com esse homem com essa cor de cabelo. Eu nem esperei ele descer da moto direto, praticamente voei em cima dele e o beijei.

 

— Passarinho verde me contou que você tem uma queda por morenos.

— Pode até ser. Mas eu tenho uma queda muito maior por você. Idependentemente da cor do seu cabelo.

— Então, eu já supero aquele seu professorzinho de Artes?

— Que professor? O Kai? _Soltei uma risada_ Ele não é professor é aluno. E como sabe sobre ele?

— Eu sei de tudo. Eu sou homem. Mas ainda não respondeu a minha pergunta.

— Podem aparecer todos os homens da terra na minha frente, nenhum deles vai te superar.

— Acho bom mesmo.

— Te vendo assim moreno, só pensei em uma coisa...

— O que?

— Nós dois transando em cima dessa moto até o mundo explodir.

— Seria o maior espetáculo que esse bairro já viu.

— Idiota!  ~Ri~

— Mas aproveitando que você está aqui fora. Vamos dar uma volta?

— Pra onde você vai me levar?

— Sobe aí.   ~Ele disse me entregando o capacete~

 

Eu peguei o capacete e o coloquei. Subi na moto, não deixando de agarrar aquele corpo e fomos embora. Eu nunca faço ideia de pra onde ele vai me levar, é sempre uma surpresa. Mas eu sei que vou amar, como todos os outros lugares que ele me levou. Não sei se foi impressão minha, mas a cidade estava tão linda hoje. Ou talvez ela sempre fosse bonita, mas eu só tenha notado agora porque estou apaixonada. Não costumam dizer que quando a gente se apaixona o mundo fica diferente? Talvez seja isso. Perdi tanto tempo pensando em bostas que nem me dei conta que já tínhamos chegado. Pelo menos é o que eu achei. Descemos da moto e o Tae segurou na minha mão, entrelaçamos nossos dedos e ele foi me levando até o tal lugar. A única coisa que eu percebi era que estávamos em uma... Floresta? Ela me lembrava daquela Floresta da Saga Crepúsculo. Era bem escura no começo, mas conforme andávamos o sol ia dando as caras. Paramos em um lugar que tinha uma enorme Cachoeira. Eu não conseguia não brilhar os olhos admirando aquele lugar. Além de lindo, tinha muitas rochas, a água era Cristalina e também não era funda.

 

— Lindo né?

— Perfeito! Nem consigo descrever o quanto.  ~Falei abobada~

— Eu sabia que você iria gostar.

— Parece que você realmente me conhece.

— Vamos cair na água?

— De roupa? '-'

— Só se você quiser.  ~Ele disse em um tom malicioso~

— Safado! Você deveria ter dito, eu colocava um biquíni.

— Pra você demorar mil anos se trocando? Nem pensar! E é só cair na água de roupas intimas. E não se preocupe ninguém vem aqui.

— Então tá né.

 

Eu fiquei apenas de roupas intimas e o Tae só tirou a camiseta. Eu entrei na água que não estava nem gelada nem quente. Estava em uma temperatura normal. Taehyung me puxou pra perto dele, deixando nossos corpos grudados e me beijou, um beijo calmo... Mas conforme o tempo ele foi ficando mais intenso. Quando dei por mim já estávamos nos beijando em baixo d’água. Eu nunca tinha tido essa experiência antes. Achava que seria ruim, mas eu me enganei feio, é muito bom. Subimos para a superfície e eu estava com as pernas em volta da cintura dele.

 

— Você não me trouxe aqui pra apreciar a paisagem né?

— Certa resposta. Eu te trouxe aqui porque eu queria ficar com você. Só nós dois, mais ninguém.

— E porque?

— Pode ser coisa da minha cabeça. Mas eu acho que o nosso tempo juntos está se esgotando...

— Não é coisa da sua cabeça... Mas para de falar nisso. Não consigo nem imaginar, vivendo o resto dos meus dias sem você. Você se tornou o meu tudo.  Você consegue me fazer feliz só de te ver, só de olhar pra você. E quando você sorri... Tudo fica completo.

— Você é a principal razão da minha felicidade, dos meus sorrisos diários. Me fez mais feliz do que eu tenho sido a minha vida toda. E não importa o que aconteça, nós fomos feitos um pro outro.  Estaremos sempre ligados. E ninguém no mundo vai ser capaz de substituir você.

— Nós ainda temos tempo juntos. A competição é mês que vem.

— E ele está chegando muito rápido.

— Só está rápido porque não estamos o aproveitando.

— Tem razão. E eu acabei de pensar em uma coisa muito boa pra gente fazer. Já que estamos aqui sozinhos... Não vamos correr o risco de sermos vistos... ~Ele dizia enquanto beijava o meu pescoço~

— Taehyung... ~Eu já estava com os olhos fechados, só sentido os lábios dele tocando a minha pele molhada por aquela água~

— Shhh... _Ele calou a minha boca com um selinho_ Você vai até pedir um segundo round.

 

 

[...]

 

 

Depois de recebermos milhões de mensagens do resto da Carreta Furacão, decidimos ir embora. Eu não queria, mas já estava anoitecendo. E eu lembrei que iriamos sair pra outro lugar, que segundo o Jimin, eu sempre quis conhecer. Taehyung me deixou em casa e eu fui logo me arrumar. Dei um oi pro meu irmão e subi pro meu quarto, voando para o banheiro e passando uma década lá. Saí do banho depois de 84 anos e fui procurar o que vestir. Escolhi um vestido branco que ficava bem justo ao meu corpo, ele tinha um decote em V, que exibia um pouco dos meus seios. Não estou me importando com os ciúmes do Tae, hoje não. Acrescentei uma jaqueta de couro preta e calcei um salto preto, não muito alto. Fiz uma maquiagem simples e leve, eu já estava biscate demais hoje. Passei a chapinha no cabelo e de acessórios eu usei apenas um pequeno colar que o pingente dele era uma arma. Me lembrei dos meninos na mesma hora. Me perfumei e saí do quarto já ouvindo duas vacas mugindo na minha porta. Abri a porteira pra elas passarem.

 

— Que roupa de biscate!  ~Disse Nayeon, me olhando dos pés a cabeça~

— Olha só quem fala!  ~A roupa dela era pior que a minha~

— Que biscate que nada, ela tá é muito gata isso sim!  ~Disse Solbin~

— Obrigada. Tá muito vulgar?

— Tá nada! E o vestido é mais comportado na parte de baixo.  ~Disse Nayeon~

— E você precisa usar roupa curta mais vezes. Você fica linda!  ~Disse Solbin~

— Obrigada gente. Mas eu nunca vou conseguir ser mais diva que vocês, realmente não dá.

— A gente sabe disso. Mas vamos deixar de papo cats? Temos que ir.  ~Disse Nayeon~

— Quem vai vir nos buscar?

— O meu boy magia.  ~Nay respondeu toda apaixonada~

— Sem melação no carro, por favor.

— Não somos você e o Taehyung, tá fofa?

 

Esperamos a princesa que era o meu irmão descer, depois de mil anos ele deu as caras. Ele e Solbin trocaram olhares e eu fiquei com aquela carinha da lua do Wpp. Saímos de casa e eu tranquei tudo. Esperamos mais uns minutos até o Jin chegar. Nayeon já foi agarrando o homem dela e eu como sou muito boa amiga, eu passei no meio dos dois atrapalhando o beijo deles, de resposta apenas disse: “Foi mal aí gente”. Entramos todos no carro e seguimos o nosso rumo. No caminho, passamos pela escola e outros lugares que frequentamos. Eu pensei que iriamos parar em um deles, mas não. Depois de algum tempo estávamos entrando em um lugar que estava tocando uma música muito alta. Tinha uma carinha que liberava a entrada dos carros, Jin falou alguma coisa pra ele e o carinha fez sinal de positivo com a cabeça e deixou a gente entrar. Assim que entramos, eu vi várias garotas dançando e elas estavam parecendo prostitutas, sem querer ofender. E eu aqui me achando vulgar, que idiotice. Várias delas eram da escola, mas elas nem precisavam estar vestidas daquele jeito pra saber que elas não valem nem um pão sem miolo. Mas o que realmente chamou a atenção foi a quantidade de carros que tinham naquele lugar. Eram vários, um melhor e mais bonito que o outro. e todos eram carros que são muito usados em... Racha?

 

— Que lugar é esse?  ~Perguntei saindo do carro~

— É uma disputa de racha.   ~Respondeu Jin~

— Que tipo de racha?

— Drifting.

— TÁ ZOANDO NÉ?

— Amiga calma!   ~Disse Solbin~

— É igual Velozes e Furiosos 3?   ~Perguntou Nayeon~

— Única coisa que muda são as pessoas.   ~Respondeu Jin~

— Eu não acredito que isso está acontecendo. _Eu falava entre pulos_ E quando vai ser a corrida?

— Daqui a pouco. Faltam apenas os meninos chega... _Ele foi interrompido por uns barulhos de pneus rachando no asfalto_ Foi só falar!

 

Eles vieram no carro do Yoongi e do Namjoon. Eu dei um abraço de urso panda em todos eles. Já que a corrida ia demorar um pouco pra acontecer, fomos comprar algumas besteiras pra ficar comendo. Eu comprei um pequeno pote de batata frita e fui olhar os carros enquanto comia. Eu não sabia de onde eles arrumavam aquelas máquinas, eram todos lindos e com motores de ultima geração. Assim eu ouvi um menino dizendo, eu não entendo nada de carros. Mas um que estava naquele meio me chamou atenção. Era um carro preto com alguns detalhes em Azul, PERFEITO! Nem percebi que estava quase babando.

 

— Olha só quem está aqui.  ~Disse uma voz familiar, vindo atrás de mim~

— Kai?  ~Disse assim que me virei pra ver quem era~

— O próprio.

— Que surpresa! Não esperava te encontrar por aqui.

— Eu também não imaginava que você curtia lugares assim.

— É a minha primeira vez. Eu vim ver a corrida, você veio fazer o mesmo?

— Eu vim participar dela.

— Sério? Por essa eu não esperava.

— Aparências podem enganar.

— E agora eu tenho total certeza disso.

— Mas eu não acho que você veio aqui sozinha, veio?

— Eu vim com o meus amigos, se não fosse por eles eu não estaria aqui.

— Tenho que agradecer a eles por isso.

— Não vejo motivos para agradecer.

— Você está aqui para me ver ganhar.

— Agora eu entendi. Mas e se você perder?

— Isso não vai rolar.

— Tudo pode acontecer.

— Sabe como eles me chamam aqui?

— Deixa eu adivinhar... D.K?

— D.K é o meu amigo. Eu sou o segundo melhor.

— E porque não é o primeiro?

— Perdi pra esse meu amigo.

— Comovente.

— Você vai correr?

— Ficou doido? Eu não dirigir nem carrinho de supermercado.

— Comovente. _Ele me imitou_ É muito triste saber que não vai poder ganhar esse carro?

— Como sabe se eu quero esse carro?

— Porque está escrito na sua testa.

— AÍ KAI! KAI!  ~Um menino apareceu do nada, o chamando~

— O que foi?

— Chega mais! Tá na hora da corrida!

— Já estou indo.

— Boa sorte Cowboy.

— Torce por mim.

 

Ele piscou o olho pra mim, segurou a minha mão e a beijou e depois saiu. Eu sorri com tamanha fofura. Hobi também veio me chamar e nós fomos até o local da corrida. Eu fiquei na frente, pois não queria perder nenhum detalhe daquele momento. E se eu ficasse atrás dos meus amigos eu não iria enxergar absolutamente nada. Um dos competidores já estava em posição, o Kai estava chegando á posição dele e várias pessoas gritaram, a maioria. Até eu gritei.

 

— Aquele é o Kai?  ~Perguntou Nayeon~

— O próprio.

 

Nayeon ficou chocada e eu ri da cara dela. Kai abaixou o vidro e falou alguma coisa pra um homem que tinha lá. Eu não entendi nada por conta do barulho e eu estava focada na corrida. Porque não começa logo? Eu já estou começado a ficar sem paciência. Até que o homem que estava falando com o Kai a poucos segundos atrás estava vindo na minha direção.

 

— Pode dar a largada?

— Mas porque eu?

— Foi a pedido da casa.

 

Olhei pro Kai e ele estava com um sorriso sapeca no rosto, mesmo não estando olhando pra mim. Eu aceitei o pedido, por vontade própria e porque a Nay e a Sol me obrigaram. Eu fui até o lugar de anunciar a largada. Eu admito que sempre quis fazer isso. Eu fiz aquela pergunta que não pode faltar: “Estão prontos?” e eles responderam acelerando os carros. Apontei para a garota do lado e ela disse: “Atenção!”, fiz o mesmo com a outra e ela completou com: “Preparar”. Andei até o meio dos carros e falei em bom som: “JÁ!”. Já senti aquele vento causado pela velocidade que eles saíram. Eu corri e me juntei aos outros para acompanhar. E caramba! Ele manda muito bem no Drifiting. E admito que é muito mais foda do que eu pensava. Por filme é legal, mas pessoalmente é muito melhor. Eles tinham feito quase todo o percurso no andar de baixo, então todos correram para pegar o elevador e ir para a linha de chegada. Por sorte nós conseguimos ser os primeiros. Chegamos ao lugar que seria a chegada do vencedor e escolhemos um lugar para ficarmos. Não dei uns 30 segundos e já tinha bastante gente esperando. Ouvimos sons de pneus e logo o Kai aparece. Geral foi pra cima do carro, incluindo o Jimin, Hobi, Jin e Kookie. Eu tive que aplaudir, foi uma bela corrida. Eu nem sei como ele conseguiu sair do carro com toda aquela gente. Ele entregou a chave para um menino, acho que era amigo dele e o dono do carro. Que confiança hein! Kai falou e cumprimentou várias pessoas e depois veio até a mim.

 

— Correu bem Cowboy.

— Eu tive um incentivo na hora da largada.

— Kai...  ~Eu falei o repreendendo por causa que o Tae estava do lado. E obviamente ele escutou~

— E eu também estou tendo um enorme incentivo de arrebentar a tua cara.   ~Disse Tae, ficando frente a frente com o Kai. Ele tinha um olhar de raiva~

— Quanta agressividade.   ~Kai disse na maior calma do mundo abriu um sorriso sínico. Vi o Tae fechar o punho e eu temi pelo pior~

— Acho melhor a gente ir né? A corrida já acabou. Vamos Tae!

 

Eu arrastei ele de lá e Sol, Nay, Yoongi e Namjoon me seguiram. Ele não falou nada depois disso. Esperamos Jimin, Hobi, Jin e Kookie voltarem. Eles voltaram e eu pensava que a gente iria embora, mas não. Tinha outra corrida. E quem iria correr? O Jimin.

 

— Você piorou de vez garoto?   ~Falei balançando ele~

— Calma baixinha, eu sei o que eu estou fazendo.   ~Disse Jimin~

— Não Jimin! Você não sabe o que está fazendo.

— Ele corria antes Docinho, não se preocupe.   ~Disse Hobi~

— Verdade?   ~Perguntei para o Jimin~

— Sim, é verdade. Fica tranquila tá? Eu sei que sou a razão do seu viver e que você não é nada sem a minha existência.   ~Ele me respondeu se gabando~

— Quando você estiver correndo, vê se você encontra a sua humildade no percurso.

— Pode deixar.   ~Ele sorriu sapeca e me deu um beijo na testa~

— Mesmo assim eu estou com medo.

— Sua falta de confiança em mim é um pouco ofensiva.

— Quem deveria estar com medo era eu. Ele vai correr com o meu carro.   ~Disse Namjoon~

— E eu aqui achando que o Jimin não está batendo muito bem da cabeça, mas Namjoon você o superou.

— Chega de papo galera, a corrida vai começar.   ~Disse Yoongi~

— E depois daqui vamos comer alguma coisa.   ~Disse Kookie~

— Bem lembrado, estou morrendo de fome.   ~Disse Jin~

— Vocês sempre estão morrendo de fome.   ~Disse Hobi~

— Isso é verdade.   ~Kookie afirmou, fazendo sinal de positivo com a cabeça~

— Fico mais feliz quando como.   ~Disse Jin~

 

Voltamos para o local da largada e eu não estava nada segura. Talvez porque ele fosse importante pra mim e eu estava com medo de acontecer um acidente. Ele me entregou a jaqueta preta que ele estava usando, eu peguei a jaqueta e eu o abracei. Um abraço de urso panda. Ele riu de mim e eu ouvi ele dizer: “Bobona”. Mas acho que ele achou fofo eu estar toda preocupada com ele e por esse motivo me deu um beijo na testa. Eu o soltei e ele entrou no carro do Namjoon. Eu fiz um bico enorme, mas tentei me convencer de que ele tinha algum juízo sobrando. Ele estava na posição e outro garoto também. Uma menina foi anunciar a largada e quando eu pisquei os olhos eles tinham saído em disparada. Vou falar pra tu: O meu cu trancou direitinho. Mas o cu que estava trancado mesmo era o do Namjoon. A cara dele de pânico estava muito engraçada, não consegui conter a minha risada de hiena parindo um dinossauro. Eu me acalmei quando percebi que ele mandava muito bem no Drifiting. Eu nem acreditei. Jimin, é você mesmo? Alguém me Helpa!

Fizemos aquela mesma maratona para pegar o elevador. Só que dessa vez não conseguimos ser os primeiros. Assim que o elevador voltou entramos na maior pressa e sendo esmagados por outras pessoas. Subimos e fomos aguardar a chegada. Tomara que seja do Jimin e que o carro do Namjoon esteja inteiro. Estava demorando um pouco e eu estava suando. Os meninos riram da minha situação, eu não estava achando graça nenhuma. Ouvi sons de pneus novamente e....

 

— Filho da mãe!   ~Falei abrindo um enorme sorriso~

 

E não é que aquele merdinha conseguiu vencer? Haha. Corremos até ele, assim como todas as outras pessoas. Ele saiu de dentro do carro e esmagamos ele em um abraço de ursos. Taehyung, Hobi e Yoongi pediram para todo aquele povo gritar o nome do Jimin e todo mundo atendeu ao pedido. Eu abracei o Jimin novamente e ele retribuiu.

 

— Eu te falei que era foda.   ~Ele disse se gabando~

— Eu não achava que fosse tanto. FOI TÃO LINDO!   ~Falei entre pulos~

— Cuidado, não pula muito ou isso ai vai saltar pra fora.   ~Ele disse olhando para o meu decote~

— PARA! ~Virei um tomate e cobri meu seios com a jaqueta~

 

Ele riu da minha cara e me puxou pra um abraço. Eu nunca falei isso, mas eu amo a risada do Jimin. É tão gostosa de ouvir! *-* Enfim, depois de todo aquele show de corridas, fomos encher a pança. Fomos de carro até a Pizzaria mais próxima, encontramos uma. Escolhemos a maior mesa. Na verdade, a gente juntou várias mesas e formamos uma só. Pedimos umas cinco pizzas grandes. Enquanto não chegava, conversávamos sobre coisas aleatórias. Mas como nós somos um bando de Gordos em corpos de Anoréxicos, sentimos o cheiro das Pizzas chegando e comemoramos em coro.

 

[...]

 

Depois de ficar grávidos de Pizzas, finalmente decidimos que era hora de irmos embora. Amanhã vai ser uma correriam, pelo menos pra mim, Nay e Sol. Namjoon deixou meu irmão e eu em casa. Me despedi da Nay e da Sol e entrei em casa. Minha mãe estava na sala, ela estava assistindo alguma série. Acho que era Game Of Thrones.

 

— Se divertiram?   ~Mamãe perguntou~

— Bastante. ~Eu respondi~

— Foi muito legal.   ~Disse Kookie~

— Que bom. Ainda tem tempo pra mim?

— É claro, todo tempo do mundo.

— Que série?   ~Kookie perguntou~

— Game Of Thrones.   ~Mamãe respondeu~

— Como você ainda pergunta?

— Eu não conheço. Sua sabe tudo ¬¬   ~Ele disse irritado~

— Sem discursão.   ~Ordenou a coroa~

 

Ficamos assistindo GOT com ela até o sono dizer que eu precisava mesmo ir dormir. Me despedi do meu irmão chato e da minha mãe e subi pro meu quarto. Fechei a porta e me joguei na cama. Fiquei encarando o teto por um tempo. É incrível né? Quando você deita pra dormir o sono evapora. Fiquei pensando na vida enquanto ele decidisse voltar, até ser despertada por um batido na janela. Eu levei um pequeno susto. Quem seria? Tomara que seja coisa da minha cabeça. Eu fui com um certo receio até a Janela e quando eu estava chegando perto bateram de novo. Eu estava com um pouco de medo, mas mesmo assim eu abri a cortina da Janela. No mesmo instante, meu medo se foi. Deu lugar para um alívio enorme no peito.

 

— Você quase me matou de susto!   ~Falei com a mão no peito~

— Desculpa por isso.

— Como você subiu até aqui?

— Com ajuda de uma escada.

— E porque você fez isso?

— Eu queria dormir com você hoje.   ~Ele disse fofamente~

— Você é maluco Taehyung!

— Maluco por você.   ~Abriu aquele sorriso quadrado~

 

Eu abri a janela pra ele entrar e ele fez isso. Ele só me esperou fechar ela novamente para me puxar pela cintura e me dar um daqueles beijos que só ele tem. Ele foi andando de costas até cair na minha cama, me deixando por cima dele. Continuamos nos beijando até não ter mais fôlego. Ficamos nos olhando sem falar nada. Eu mexia no cabelo dele e ele fazia carinho em uma das minhas bochechas. E por um milagre, eu não fiquei corada com ele me olhando. Nos beijamos novamente e nos ajeitamos para dormir. Eu me aconcheguei no peito dele e ele me abraçou. Só isso bastou para meu sono chegar e eu adormecer.


Notas Finais


Desculpem qualquer erro! </3
AMO VOCÊS!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...