História BTS dominou a história. Imagine Taehyung. - Capítulo 10


Escrita por: ~

Exibições 101
Palavras 4.302
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Famí­lia, Festa, Poesias, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Nudez
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Nada pra falar

Capítulo 10 - Convite


Fanfic / Fanfiction BTS dominou a história. Imagine Taehyung. - Capítulo 10 - Convite

-Pai.- gritei- cheguei!

Ouvi um resmungo e dei um sorriso, ele estava sentado no sofá da sala e lia um livro concentrado.
Caminhei até ele e dei um beijo na sua bochecha.

Me sentei do seu lado e me toquei que estava toda molhada por causa da chuva e ele me olhou.
Então abriu um sorriso travesso.
Aí vem...

-Querida, você lembra quando você era pequena e eu te levava para ensaios de fotografia de algumas pessoas?

Olhei desconfiada pra ele.
-Lembro pai, mas agora eu preciso subir, eu estou toda molhada, não sei se o senhor notou, mas eu tomei um banho de chuva a caminho pra casa e...

-Eu me lembro que você adorava e se lembra que você chegou até a fazer um catálogo de uma loja de roupas coreana?

Suspirei.
-Pai, eu tinha treze anos e eu preciso tomar banho.- disse indo em direção a escada.

-Eu recebi uma ligação.

Eu parei e me virei dando uns passos em direção ao meu pai.
-De quem?

-Uma agência de modelos.

-Quê? Resolveu virar modelo depois de velho pai?

-Eu não sou velho...e não finja que não entendeu, não é pra mim, é pra você...eles queriam fazer um contrato com você, mas eu disse que quem precisava querer era você e não eu.

-Fez bem, sou eu quem decide minha profissão.

-Já está na hora de você escolher uma profissão você não acha?

-Pai! Eu já disse que quero trabalhar na empresa.

Meu pai se levantou e veio em minha direção.
-Querida, você pode continuar trabalhando na empresa, claro! De qualquer forma se você quiser, um dia você vai cuidar daquilo, já que é herança, mas isso não te impede de querer trabalhar com outras coisas enquanto é jovem.

-Mas eu não quero muito pai! Eu não preciso de muito pra ser feliz, eu...aliás, como eles conseguiram nosso contato?

-Eu não tenho certeza, mas eu acho que é devido a sua proximidade com o Bangtan Boys, eles tem muitas fotos com você nas redes sociais.

-Ah que legal.- disse irônica.- imagina quando descobrirem que sou a nova namorada do Tae.-resmunguei baixo o suficiente para meu pai não ouvir.

Enquanto eu subia as escadas ouvi meu pai me chamar.
-Mina.

-O que foi?- olhei escada abaixo.

-O contrato está emcima da sua cama, caso você queira ler.

Subi e fui direto para o meu quarto, quando olhei pra cama notei um contrato que ao contrário do que eu pensava, era fino. Ao lado dele tinha um potinho de tinta de cabelo.

Curiosa como sou, fui ver o que aquilo estava fazendo ali. Peguei o potinho e li o rótulo.

Tingimento da coloração cinza.
Sorri, nunca pintei meu cabelo, passei a mão por ele e imaginei se a cor cinza iria ficar bonita com a cor dos meus olhos, não é uma cor comum, assim como branco, azul, verde, rosa e muitas outras.

Apaguei o pensamento da minha cabeça e peguei uma toalha e fui para o banheiro.

Quando cheguei no banheiro me olhei no espelho, uma empresa de modelos interessada em mim? Soa quase que como uma brincadeira. Eu nunca imaginei isso, e não pretendia imaginar.

Tirei minhas roupas e entrei no chuveiro.
Não demorei muito afinal, já estava tarde e eu tinha acabado de derrubar shampoo nos meus olhos.

Sequei meu cabelo com o secador e coloquei um pijama quente devido ao frio da chuva.

Quando eu entrei no quarto, vi meu celular vibrar e corri pra atender.
-Alô?

-Oi Mina.

Dei um sorriso.
-Taehyung.

Me deitei na cama afastando o contrato e a tinta.
-Chegou bem em casa?

-Encharcada mas bem.- disse rindo e ouvi alguém gritar no fundo.- quem está gritando?

Tae riu
-É o J-Hope, ele está brincando de karaokê com o Namjoon.

-O quê?! Eu não acredito.- começei a rir.- nossa deve estar super afinado os dois.

-Você nem imagina. - respondeu irônico.- mas você sabe que eu não te liguei pra falar deles.

Revirei os olhos.
-Claro que eu sei, você me ligou pra dizer como eu sou linda e maravilhosa.

Ele riu e eu o acompanhei.
-Convencida.

-Como vai o pulso?

-Vai bem, mas eu vou ter que ficar com ele enfaixado por enquanto.

-Fala a verdade TaeTae, você não caiu da cama né?.

-O quê?! Claro que foi isso. O que mais eu podia estar fazendo?

-Eu posso imaginar muitas coisas.

Ele riu
-Não me diga que você acha que eu estava batendo...-ele estava pensando besteira

-Em alguêm e acabou se machucando.- disse brincando.- você não achou que eu estava pensando besteira né? Porque eu não estava.

-Tá bom, ei Mina, depois de amanhã eu não tenho treino, nem show, nem ensaio, nem nada...então.- senti ele ficar envergonhado.- Se você quiser, a gente podia ir no cinema, ou sei lá.

Acabei rindo de sua tentativa de pedir pra gente se encontrar.

-Meu Deus, eu não faço nada certo não é mesmo?

-Claro que eu quero Tae! E você está muito fofo, engraçado, mas fofo também.

-Ah tudo bem...ok, então até amanhã Mina, e boa noite.

-Boa noite TaeTae. Um beijo.

Quando eu desliguei, pensei em como aquilo estava se desenrolando, cara, nossa, cara. Olhei para meu urso que estava meio molhado emcima da minha cadeira.

Senti meu celular vibrar e vi uma mensagem no grupo.

**Chat on**

Taehyung: A Mina topou sair comigo depois de amanhã!!

Jungkook: Cara, primeiro, vocês se veem todo dia e segundo, a Mina também tá no grupo.

Eu: E aí pessoal. Hehehe

Jin: Tae você é muito idiota.

Taehyung:...Eu sei, desculpa Mina.

Eu: Tudo bem, eu faria o mesmo.

Suga: Por isso que vocês se merecem.

Jimin: alguém viu minha última barra de chocolate?

Namjoon: Uma de embalagem branca?

Jimin: Sim...você pegou?

Namjoon: Eu vi o Jungkook ir pro quarto com ela...

Jungkook: Rap Mon hyung! seu traidor.

Jimin: Jungkook! EU JÁ DISSE PRA VOCÊ NÃO PEGAR MEUS CHOCOLATES!.

Jungkook: Coelho gosta de chocolates...

Jin: Na verdade o alimento símbolo do coelho é a cenoura.

Jungkook: Não sabe ajudar não atrapalha!

Jin: Se eu tiver que ir até o seu quarto Jeon Jungkook, eu juro que eu vou te mostrar quem é o hyung dessa porra aqui!

Jin: Desculpem, me alterei.

Eu: Acho que Jungkook ficou com medo.

Taehyung: Eu tenho certeza.

Jimin: Ele trancou a porta.

Jin: Deixa ele.

Jimin: MAS EU DURMO ALI!!! E EU QUERO MEU CHOCOLATE HYUNG!

Jungkook: É uma pena, porque ele não existe mais.

Fiquei lendo as conversas, mas meus olhos não paravam de ir até aquele contrato.
Resolvi ler, afinal não ia me custar nada.

Algumas folhas depois eu já sabia mais ou menos como funcionava.
Era basicamente assim:

Eu assinaria um contrato de um ano com uma agência de modelos chamada Seul Models que parece que gerencia vários modelos famosos, e meu catálogo ficaria disponível para caso alguma marca de roupa ou seja lá que tipo de indústria queresse me contratar para fazer propaganda para eles, quando eu digo propaganda, eu quero dizer ensaios fotográficos,  propagandas em sí, ou até mesmo em passarelas.

O meu caso ao que parece era um pouco diferente, por que não havia sido eu que tinha ido até a agência, e sim eles que tinham uma proposta pra mim. E ao que parece era uma grande proposta já que a _____(imagine uma marca de roupas de sua preferência, porque não sou boa com isso)
estava interessada em fazer um ensaio fotográfico comigo, mesmo eu não tendo experiência nem nada do gênero.

Pulei da minha cama e encarei o contrato.
-_____(marca).-sussurrei.-como assim?

Corri escada abaixo indo em direção ao escritório do meu pai.
Abri e vi meu pai mexendo no computador.
-Pai, por que você não me disse que tinha uma marca interessada em um ensaio fotográfico?

-Eu sabia que você leria. Bom, eu não disse porque sabia que você leria.

-Mas, o senhor não acha isso estranho? Sabe, eu...nem sou famosa, nem...bonita.

Meu pai gargalhou e olhou pra mim.
-Mina, você é linda, e pelo que eu andei descobrindo, parece que eles viram o vídeo de final de ano lembra?

Me lembrei que a cerca de dois anos, a empresa postou um vídeo meu tocando piano, confesso que eu não era maravilhosa tocando, mas eu sabia uma música de Natal, e meu pai implorou pra mim tocar.

-Sei...

-Por quê? Você está pensando em assinar o contrato?- meu pai parecia esperançoso.

-Não sei pai, eu quero pensar antes de tudo.

-Lembre-se que não é algo fixo.

-Obrigada, ah pai, aquela tinta...?

-Ah. Aquilo é uma alternativa, sabe, se você querer pintar o cabelo.- meu pai sorriu.

E eu sorri devolta.

Quando eu voltei para o meu quarto, senti minhas pálpebras pesadas e me joguei na cama.

A última coisa que eu vi foi o úrso que Tae me deu, e a última coisa que eu pensei foi em se seria legal trabalhar em frente as câmeras.

Quando eu acordei, não estava afim de demorar me arrumando, então botei uma calça jeans rasgada, um moletom cinza largo e botei meus óculos redondos, porque não encontrei lentes em lugar nenhum.

Eu estava a cerca de cinco minutos andando em volta da cama, olhando pra aquela tinta cinza.

Sei que pode parecer bobo, mas eu estava um pouco nervosa, nunca na minha vida tinha sequer passado uma tinta no meu cabelo, mas eu estava disposta a pintar, não por causa daquele contrato, era uma coisa minha, aquela cor era tão bonita que era impossível não ficar bonita em alguém era um cinza escuro, não chegava a ser preto, pois tinha uma claridade nele.

Resolvi, peguei o tubo de tinta e coloquei dentro da minha mochila de couro, eu iria pintar o cabelo.

Quando eu cheguei na frente do salão, fiquei incerta de se devia ou não pintar, mas não durou muito tempo.

Logo que eu adentrei o salão, uma moça veio me atender.
-No que posso ajudar?

Sorri pra ela.
-Eu queria pintar meu cabelo.- pesquei a tinta na minha mochila.- dessa cor.

A moça leu o rótulo e mexeu um pouco no meu cabelo.
-É um processo um pouco longo, mas tenha certeza que ficará mais linda ainda.

-Obrigada.

Eu me sentei em frente a um espelho enquanto a moça passava produtos clareadores e fixantes.

Depois de quase três horas, passando produtos, tirando produtos e passando mais, ela finalmente terminou de secar meu cabelo com o secador.

-Pronto, olha só, você está maravilhosa!

Encarei o reflexo de mim mesma no espelho, mas ao mesmo tempo não parecia EU, era eu mas um pouco diferente.
Aquela cor realmente tinha ficado bonita no tom da minha pele e meus cabelos caíam como cascata em meus ombros, meus olhos pareciam ainda mais vibrantes com o tom de cinza e meus pequenos brincos espalhados pelas minhas orelhas pareciam em perfeita sincronia com a nova cor.

Quando eu saí do salão, foi que finalmente olhei para o meu celular.
E tinham nove chamadas perdidas.
Sendo elas de vários membros do grupo.

Faziam 20 minutos que a última ligação tinha sido perdida, o que significava que tinha sido as 14:00.

Tentei catar na minha cabeça se tinha algum compromisso importante na agenda deles que eu precisava estar presente.

DROGA!

Saí correndo pelas ruas tentando chegar a tempo na empresa. Que horas eram que o patrocinador ia chegar mesmo? Ah sim, as 14:30.

Eu precisava correr.
Eu realmente tinha me esquecido que um dos patrocinadores do grupo ia ter uma reunião hoje, e eu precisava comparecer para assinar papéis, já que meu pai não estaria presente.

Droga, e eu estou vestida como se estivesse acabado de acordar com esse moletom.

Faltavam 2 minutos quando eu cheguei na empresa, mas como bons empresários, eles provavelmente já estavam ali a tempos.

Virei um corredor e vi os os meninos parados na frente de uma porta.
Diminuí o passo e sorri ao ver que eles ainda não tinham chegado.

-Eu devo ter sido muito boa em outra encarnação.-sussurrei pra mim mesma.

Quando eles me viram, suas expressões aliviaram.
-Onde você estava?!- perguntei Taehyung.

-Desculpem, eu me atrasei um pouco.

-Eles ainda não chegaram.- disse Jungkook.- Será que eles vão querer renovar o contrato?

Sorri.
-Claro, eles com certeza vão renovar, fique tranquilo.

Foi então que Namjoon exclamou:
-Mina! Você pintou o cabelo!- ele disse tocando uma mecha.

Sorri enquanto os outros finalmente notavam.
-Uau, você pintou de cinza!- ouvi Tae dizer.- Você ficou ainda mais bonita.

Juro, corei, corei muito, corei demais.

-Mas por que você pintou?- perguntou Suga.

-Alguns motivos que eu ainda não sei ao certo, e também uma proposta, qie eu ainda não sei se vou aceitar.- disse sorrindo.

-Proposta?- perguntaram J-Hope e Jimin ao mesmo tempo.

Mas quando eu ia responder, os empresários chegaram acompanhados de do Vice-diretor da empresa.

-Mina, nos acompanhe por favor.

Fiz uma reverência pra cada um e entrei, fazendo sinal de positivo para os garotos.

Na verdade ficamos pouco mais de dez minutos na sala, enquando o vice-diretos dizia os prós de patrocinar o BTS.

Quando eu saí, já saí com um sorriso pra não fazer eles pensarem o contrário.

-Eles renovaram o contrato.- disse enfim.

Eles se animaram.
-Isso é muito bom, muito bonito, mas agora vamos que eu quero saber porque deste cabelo pintado.- disse Jin.

Pra falar a verdade, eu não expliquei pra eles o porque de ter pintado o cabelo.
-Eu pintei porque me deu vontade.- eu disse enquanto subia em uma cadeira.- Sabe? Quando você está afim de mudar?

Terminei de colocar a lâmpada e desci da cadeira. Francamente, sete garotos e eles tem que pedir pra mim botar a lâmpada da sala de ensaios.

Arrumei meus óculos sobre os olhos e encarei eles com olhar zombeteiro.

-Vocês devem saber do que eu estou falando, pintam o cabelo toda semana.

-Não...

-Tá, vocês entenderam...alguém viu minha câmera? - perguntei olhando além deles.

-Não vejo esse treco desde...muito tempo.- disse Tae se jogando no sofá.

Soltei uma risada e saí da sala, no corredor ficavam alguns armários dos funcionários. Fui até um que se eu não me engano eu tinha botado minha câmera.

Minha câmera era uma das minhas paixões que eu tinha abandonado, assim como outras coisas. Era uma câmera de mão, mas eu insisti em ganhar de aniversário uma profissional.

A encontrei entre muitos papéis e voltei para a sala ainda mexendo em alguns botões.

-Encontrou?- Jimin perguntou.

Me sentei no chão de frente para o sofá onde eles estavam, de costas para o espelho.

-Encontrei...- comecei a olhar as fotos, dei um sorriso, aquilo era uma paixão minha, fotografia. Haviam muitas fotos de árvores ou pássaros,  mas haviam muitas fotos de pessoas distraidas que não notavam que eu estava as fotografando. Também tinha fotos dos meninos, tinha uma em que eles estavam comendo quando eu tirei, o que fez com que eles saíssem de boca cheia, tinha uma outra que Hoseok tinha tirado de nós em um restaurante, Suga e Namjoon estávam mostrando o dedo do meio, Jimin fazendo cara de sexy, Hoseok e Tae fazendo careta, Jungkook bebendo sua Coca e Jin estava apenas sorrindo e conseguindo parecer mais fofo do que já é. E tinha eu, que estava no meio de loucos, mas uma mente sã não dá certo com loucos não é mesmo? Então tinha eu, que estava mostrando a língua vestida com uma camisa que dizia:
"Peguei meu canudo e mergulhei no foda-se".

Comecei a rir.
-Eu preciso desta foto em um álbum, mural ou seja lá onde for.- disse enquanto virava a câmera pra mostrar pra eles.

-Eu também preciso desta foto!.- Suga parecia incrédulo.- vocês viram como eu estou lindo aqui?

Namjoon deu um tapinha em sua cabeça e Tae veio se sentar do meu lado no chão, ele pegou a câmera da minha mão e começou a olhar as fotos...mas também tinha fotos minhas ali, fotos que eu nunca mostrei pra ninguém.

-Tae...me devolve.- disse tentando pegar a câmera,  mas ele foi pra longe.

-Por quê?  Eu quero ver suas fotos.

-Não tem f-fotos minhas aí.

Ele me olhou debochado.
-Então quem é essa aqui?- ele virou a tela e eu vi uma foto que eu havia tirado no   terraço de um prédio. Era preto e branco e o céu se estendia atrás de mim e eu olhava para ele de olhos fechados, do ângulo da foto, se via todo o meu corpo como se estivesse flutuando no céu.

-Deixa eu ver, Tae.- pediu Jimin.

Tae ia alcançar a câmera,  mas eu sem saber como proibi-lo, pulei em cima dele fazendo ele deitar no chão, mas ele começou a rir e colocou a câmera acima de sua cabeça.
-Tae me dá isso senão...

-Senão o que Mina?- ele disse provocador.- você vai fazer eu comer todo o algodão-doce do mundo?

Olhei para os meninos que estavam no sofá e riam da situação. Voltei meu rosto para Tae que continuava embaixo de mim.
-Claro que não. Não sobraria nada pra mim!- disse rindo.

-Mina, deixa eu mostrar, a foto está linda.- disse Tae fazendo biquinho.

Como eu vou tirar a câmera das mãos desse garoto?

Dei um sorrisinho e olhei uma última vez para o sofá.

-Tae, você me obrigou a fazer isso...- desci de cima dele e comecei a fazer cócegas nele,  eu era muita boa nisso, ninguém resistia.

Tae começou a se contorcer e rir feito uma criança, com seu sorriso quadrado estampado no seu rosto.

Ele já estava gritando quando eu consegui pegar a câmera, só que os outros também começaram a fazer cócegas nele, de certa forma era uma cena feliz.

Liguei a câmera e tirei uma foto. Olhei pra ver como tinha ficado e vi uma coisa muito bonita: amizade.

Jungkook fazia cócegas no pescoço do Tae enquanto esse tentava segurar seu braço, Jimin estava bagunçando o cabelo do Tae enquanto esse ria olhando pra Jimin. Hoseok tinha levantado a blusa do Tae e fazia alguma coisa que eu acho que era pra ser cócegas enquanto Tae tentava abaixar a blusa.

Acho que eu fiquei ali sentada rindo enquanto eles mexiam com Tae por quase cinco minutos. Até que eles finalmente pararam e se jogaram no chão.

Eu estava escorada no espelho quando vi Taehyung se escorar em um cotovelo e olhar pra mim ainda arfando.

Ele veio se "arrastando" até o meu lado e se sentou com a cabeça escorada no meu ombro.
-Aquela foto estava linda, você é linda.- ele sussurrou só pra mim ouvir, meus sentimentos se enrolando dentro de mim e fazendo meu rosto ficar quente.

Tae se virou para os outros e disse:
-Pessoal, a gente já volta.- ele começou a me puxar pra cima e eu o encarei curiosa.

Olhei para os outros e eles só deram de ombros.

-Vejo vocês mais tarde...eu acho.- eu disse.

Tae me levou para fora da sala e me olhou sorrindo.
-Relaxa, eu não vou te sequestrar ou seja lá o que você está pensando.

-Quer ir numa sorveteria? Tem uma aqui perto e eu pensei...

-Estou morrendo de fome, você é bom em ler pensamentos hein.- disse dando um soquinho no seu ombro.

Ele sorriu devolta e segurou minha mão. Olhei para nossas mãos, sua mão grande comparada com a minha fina.

Ele parece ter notado o que eu estava olhando.
-Se você quiser eu solto, sem problemas.

-Não. Quer dizer, não precisa, é que da última vez que eu estava assim, indo pra sorveteria ou andando de mãos dadas...bom, foi a muito tempo.

-Parece que nossas últimas relações não foram muito bem sucedidas, não é mesmo?

-Sim...-Tae beijou o topo da minha cabeça e com sua proximidade eu consegui sentir seu perfume.

Olhei curiosa pra ele.
-Tae...?

-Se você ainda não descobriu a fragrância, eu também não vou dizer.- ele respondeu como se lesse meus pensamentos.

Fiz careta enquanto seguíamos pela rua.
Chegamos a sorveteria e ela estava sem muita gente. Seguimos até uma mesa e eu me sentei de frente para Tae.

Ele escorou o rosto nas mãos e ficou me olhando, piscando os olhos rápidamente.

O imitei pra mostrar que eu também era angelical.
-Viu? Eu também sei ser fofa Kim Taehyung.

Ele bufou pra mim.
-Não bufa pra mim.- eu disse.
-Eu bufo pra quem eu quiser.

Bufei pra ele.
-Mina, se você bufar pra mim denovo, você vai se arrepender.

-O quê? Você está me ameaçando Kim Taehyung?
Ele me olhou desafiador e se aproximou de mim sobre a mesa.
Um beijo. Foi esse o motivo de eu ter ficado meio tonta.
Ele me deu um beijo demorado, mas simples e eu não fiz nada, só fiquei ali, de olhos abertos, enquanto ele tinha seus lábios colados nos meus. Não esperava que ele me desse um beijo em público, não tão depressa.
Quando ele se afastou, me olhou ainda com olhos desafiadores.

-Sim, eu te ameacei, mas saiba que normalmente as pessoas gostam de ser ameaçadas por mim.

Oooooooooooi? COMASSIM, QUE GAROTO ABUSADO!

Olhei pra ele sem expressão, e ele voltou pra trás se sentando denovo.

-Se você está dizendo...

Chegou um menino pra atender nosso pedido.
Eu pedi de morango com chocolate, o sorvete, mas...

Tae pediu de banana, café e ganache.

Coloquei minhas mãos na cabeça e fingi apavoramento.
-Que gosto pra sorvete é esse? Tae, que tipo de pessoa gosta de ganache, amigo?

V riu achando graça e revirou os olhos.
-O tipo de pessoa como eu.

-Estranha?

-Não, maravilhosa.

Ri de seu convencimento.
-Sabia que eu queria estar sentado aí do seu lado...

-Então senta.

Ele me olhou por algum tempo, antes de vir se sentar no meu lado no banco. Ele passou uma mão por trás da minha cintura e escorou o queixo no meu ombro, e assim ficou.

-Sério, Tae, eu realmente te adoro e você é o maximo e tals, canta bem, dança bem, é um bom amigo e tudo mais, mas, pelo amor de tudo que é mais sagrado, você não deve ficar encarando uma pessoa desse jeito, ela vai achar que você, quer sequestrá-la ou tem segundas intenções.

-Mas eu tenho segundas intenções com você.

-Tae!

-O quê?- ele disse entre risos- Eu estou falando sério.

Escorei minha cabeça nas mãos e balancei a cabeça negativamente.

Tae tirou o braço da minha cintura e ajeitou o boné.

-Mina, a gente está namorando, certo?

Olhei pra minha frente.
-S-sim, eu acho que sim.

Tae voltou a colocar a mão na mina cintura.
-Então se alguém perguntar o que você é minha...eu posso dizer que você é minha namorada certo?

-...sim.

Tae virou meu rosto fazendo eu olhar pra ele e abriu um sorriso que fez com que seus olhos se transformassem em fendas.
-Ótimo, eu me sinto muito melhor agora.

Eu abri a boca pra dizer algo mas ele me deu um beijo na boca que fez eu ficar quieta. Depois outro na bochecha, e depois na outra. Ele começou a dar beijinhos em meu rosto todo e eu não conseguia parar de rir.

Depois da seção de beijos, o sorvete chegou e Tae começou a comer o seu.

Eu comi o meu, mas eu não conseguia parar de pensar em como ele gostava de ganache!

-Prova.- ele colocou a colher na minha frente cheia de sorvete de ganache.

Olhei pra ele, depois receosa, provei.

Nossa, que negócio horrível.
-Tae, nunca mais me ofereça sorvete de ganache.- peguei a minha colher e afundei no dele de café.- de café eu até gosto.

-Então pega, eu enjoo fácil desse sabor.

-Você é o melhor, bate aqui.- fechei meu punho e ele bateu com o dele.- porque café, meu caro, é uma das maravilhas do mundo.

Eu tinha deixado V sem nenhum sorvete, roubei o dele depois que terminei o meu, mas deixei ele comer o de ganache, porque ninguém merece.

Não notei que V estava mexendo no celular até que lele estendeu seu celular e mostrou uma foto que tinha acabado de tirar. Minha.

Na foto, eu estava com uma colher na boca enquanto com a outra tentava colocar o sorvete do mal pro lado.

Eu ri da foto, porque eu estavatão concentrada em colocar o sorvete pro lado, que a foto ficou natural.

-Está vendo, você fica muito bonita quando está ao natural.- disse V rindo.

-Eu vou começar a tirar fotos estranhas de você também, daí a gente vai ver quem é o natural daqui.- disse sorrindo também.

A gente ficou muito tempo na sorveteria, eu tirando fotos do V e ele minhas, mas em nenhum momento, tiramos alguma juntos.

Eu tinha várias fotos com ele na verdade, assim como ele tinha minhas, porque eles gostam bastante de tirar fotos ( você nem imagina). E eles acabam fazendo um acervo de fotos estranhas, porque são muitas, MUITAS. O rei de poses estranhas sempre é o Hoseok pra falar a verdade.

Tae recebeu uma mensagem e se levantou.

-Que foi?

-Eu tenho que ir...a gente tá planejando umas coisinhas e os garotos pedirão pra eu ir ajudar.

Me levantei também, sabia do que ele estava falando.

-Ah, eu estou sabendo.

Tae me olhou e ergueu uma sombrancelha.
-Sabendo do quê?

Corei.
-Ah, nada deixa pra lá.

-Bom, eu tenho que ir, mas amanhã a gente se vê, cinema não é mesmo?

Sorri com a lembrança desajeitada dele de pedir um encontro.
-Aham, cinema.

Tae sorriu e caminhou comigo até a empresa.

-Tae.- o chamei, caminhei até estar perto dele e dei um beijo no seu rosto, mas ele virou o rosto, então o beijo não era mais no seu rosto. Ele passou os dedos pelo meu cabelo enquanto eu passava os braços por seus ombros.
Um beijo longo e demorado, que parecia ser capaz de tirar todas as estrelas do céu e as redirecionarem para dentro de mim, onde brilhavam a cada novo toque.


Notas Finais


Nada pra falar


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...