História Bubbline: uma historia de Amor - Capítulo 134


Escrita por: ~

Postado
Categorias Hora de Aventura
Personagens Marceline, Princesa Jujuba
Tags Bubbline
Exibições 68
Palavras 1.233
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Fantasia, Magia, Romance e Novela, Shoujo-Ai
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


espero que gostem <333

Capítulo 134 - 2 temp: eu sei...


POV: Luana

                Cheguei na casa da Isa, bati da porta e esperei, depois de um tempo alguém a abri.

                -Luana – Isa quase pulou em cima de mim tentando me dar um abraço – você demorou, já estava achando que você não vinha.

                -eu demorei porque passei em uma loja e comprei isso – falei mostrando uma sacola de doces e outras comidas – fiquei com um pouco de fome, espero que não se importe.

                -eu, me importar? Nunca, não sou doida de rejeitar comida – falou pegando a sacola e entrando na casa, segui ela e fechei a porta, Isa foi ate a cozinha e depois voltou com um prato um pouco fundo, tipo prato pra comer sopa.

                -você vai usar isso pra que? – perguntei me referindo ao prato.

                -vou colocar os doces aqui dentro – ela falou abrindo a sacola e tirando todos os doces, colocando do os no prato – agora a gente pode comer enquanto assisti algo.

                -e vamos assistir o que? – perguntei me sentando no sofá.

                -se levanta daí – Isa falou e eu me levantei do sofá – a gente vai assistir lá no meu quarto.

                -ok – disse seguindo ela.

 

POV: Stefanny

                -cheguei – Alex disse entrando no meu quarto, me levantei da cama onde eu estava sentada conversando com a Dreamy.

                -oi bebê – falei apertando as bochechas da Alex.

                -oi amor – ela disse me dando um beijo.

                -ei vocês duas, eu ainda estou aqui – Dreamy reclamou, ela estava deitada bagunçando a minha cama.

                -então sai – falei e me virei para minha irmã que fez uma cara de ofendida – Dreamy quando você vai pedir a Rachel em namoro – falei mudando de assunto.

                -eu não sei, e complicado, eu meio que tenho medo, e se ela não aceitar que nem a Sofi fez com a Lis? – Dreamy falou e eu neguei com a cabeça.

                -mas depois tudo foi resolvido, ate porque a Lis não tinha nada com a Sofi, mas você e a Rachel então em um namoro não oficial – falei e Alex deu risada do “namoro não oficial”.

                -sim, mas e se ela não quiser isso agora? – perguntou insegura – e se ela se apaixonar por outra pessoa?

                -Dreamy você esta inventando desculpas para o seu nervosismo – Alex disse – eu pensava a mesma coisa quando fui pedir a Stefanny em namoro – falou me dando um beijo – e acabou que era só minha imaginação, porque a Stefanny aceitou, não e amor? – perguntou se virando para mim e eu concordei com a cabeça.

                -então o que eu faço – Dreamy perguntou – você, Alex, já tinha uma ideia em mente, mas eu não sei nem o que fazer para pedi-la em namoro.

                -pensa no que ela gosta – falei – ela pode gostar de algo simples, como também gostar de algo gigantesco, mas isso e com você, você que sabe o que a Rachel gosta.

                -Rachel e uma pessoa animada, mas também simples, pra ela tudo esta bom – Dreamy disse.

                -então faça algo simples para ela – Alex disse – mas agora vamos parar de falar sobre isso que eu quero aproveitar o tempo com a minha namorada – falou iniciando um beijo, segurei sua nuca, enquanto ela passou seus braços pela minha cintura.

                -e eu – Dreamy falou – vou dar um fora daqui, porque não quero ter pesadelos a noite – falou e depois saiu da quarto, me separei da Alex dando risadas da Dreamy.

                -então amor, o que a gente vai fazer? – perguntou para mim.

                -eu to cansada – falei dando um bochecho.

                -então vai descansar, eu vou ficar do seu lado – falou e eu concordei me deitando na cama e Alex se deitando do meu lado – boa noite bebê.

                -não e noite ainda – Alex falou dando uma pequena risada – então, boa sonhos – deu um beijo na minha testa e depois eu fechei meus olhos, me aconchegando em seus braços e dormindo.

 

POV: Violet

                -esse e meu quarto, tia? – perguntei para minha tia quando ela abriu um dos quartos de hospedes.

                -sim, pode colocar suas malas onde quiser, depois as serviçais viram para dar uma limpada – tia Café da Manhã falou e saiu do quarto me deixando sozinha nele.

                O quarto não era pequeno, era bem espaçoso na verdade, ela tinha uma cama gigante que cabia umas quatro pessoas, um armário gigante, fui ate o mesmo o abrindo, tinha algumas roupas antigas minhas, mas elas não me parecem comigo agora, tirei todos aquelas antigas roupas e comecei a colocar minhas roupas novas.

                -senhora Violet? – alguém me chamou do lado de fora do quarto, fui ate a porta a abrindo e vendo uma senhora que aparentava ter uns 35 anos parada na frente do meu quarto – a Rainha Café da Manhã me pediu para limpar seu quarto, a senhora ainda ficara nele ou eu posse limpar agora?

                -pode limpar agora, eu vou sair – falei saindo do quarto e deixando a porta aberta.

                Acho que vou dar uma caminhada, faz tempo que eu não venho aqui.

 

POV: Lis

                -então, qual poder você quer ver? – perguntei, Sofi me chamou para caminhar e acabamos vindo na montanha onde foi nosso encontro, ela me pediu para ver meus poderes e agora eu vou mostrar um pouco para ela.

                -você disse que pode usar todos os elementos – Sofi falou pensativa – você pode usar o fogo?

                -claro – falei, movi minha mão para frente, fazendo com que fogo aparecesse na palma da mão e mirando para arvore – fogo vermelho – expliquei mostrando e atirando o fogo na arvore – fogo azul – disse fazendo um fogo azulado aparecer na palma da minha mão e depois atirando na arvora novamente – e fogo verde – iniciei o fogo mais forte, um fogo verde claro, esse era um dos poderes mais usado do meu pai biológico, mirei para arvora e atirei fazendo a arvora explodir e começar a pegar fogo na grama.

                -você consegue apagar isso – Sofi perguntou apontando para o fogo que estava se alastrando no chão.

                -claro – falei fazendo água surgir na minha mão e mirando no fogo, depois de um tempo tudo estava apagado – eu não sei se os poderes dos elementos são do meu pai, mas eu descobrir eles a muito tempo – falei para Sofi, e me agachei colocando minha mão na grama queimada – plantas – falei e as plantas queimadas foram substituídas por plantas verdes e lindas.

                -e difícil fazer isso – perguntou para mim – tipo a complicado fazer a fogo surgir na sua mão, não queima ou arde?

                -não, não dói e não e complicado – falei – no começo era um pouco difícil, mas depois eu peguei a pratica, de resto nunca doeu.

                -mas o fogo dói se bater em alguém – perguntou, me sentei na grama e Sofi se sentou do meu lado.

                -depende, se eu quiser machucar a pessoa e claro que vai doer, mas se eu fizer isso por acidente em alguém que eu goste, a pessoa não vai sentir nada – falei – talvez pinique, mas doer de chorar, não.

                -então seu poder e mais contralado pela mente? – Sofi perguntou.

                -sim, eu não consigo mentir através dos meus poderes, se eu odeio a pessoa, ela va sentir dor mesmo que eu não queira – expliquei.

                -entendi, isso parece ser legal – falou e eu encarei ela, me aproximei e lhe dei um beijo.

                -pode ser legal, mas nem sempre – falei – porque eu não posso usar isso na frente de todos, eles ainda não sabem quem e meu pai.

                -você precisa contar para suas irmãs – Sofi disse.

                -eu sei – concordei – eu sei – respirei fundo e me deitei na grama fechando meus olhos.


Notas Finais


gostaram? comentem que me anima <333


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...