História Bubline: os opostos se atraem - Capítulo 31


Escrita por: ~

Postado
Categorias Hora de Aventura
Personagens Brad, Cake, Finn, Fionna, Jake, Lady Íris, Litch, Marceline, Marshall Lee, Mordomo Menta, Personagens Originais, Princesa Caroço, Princesa De Fogo, Princesa Jujuba, Principe Chiclete, Príncipe de Fogo, Rainha Gelada, Rei Gelado
Tags Bubbline
Exibições 166
Palavras 1.524
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Fantasia, Hentai, Magia, Romance e Novela, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Ignorem os erros, Boa leitura!!

Capítulo 31 - A dor precisa ser sentida


Fanfic / Fanfiction Bubline: os opostos se atraem - Capítulo 31 - A dor precisa ser sentida

              Pov's Marcy on
Estava em meu quarto, sorrindo, Bonnie era a melhor coisa que havia acontecido em minha vida, ela tem uma voz tao linda...

Dormi pensando em tudo isso, pensando nela

                         ***

Acordei e fui tomar banho, em seguida fui ver a roupa que eu iria, coloquei uma calça jeans escura rasgada, uma camiseta branca e por cima uma blusa xadrez vermelha, e um All star preto cano alto, peguei minha mochila e sai

                         ***

Cheguei na escola e Bonnie veio ao meu encontro

-oi amor, que saudade -eu disse a segurando pela cintura

-ontem voce nem ficou comigo Marcy, nem dormiu comigo -ela disse fazendo bico

-eu prometo que da próxima eu fico contigo... Agora me da um beijo? -eu disse

-fechado -ela disse e logo me beijou

Ficamos ali nos beijando, aquele beijo dela, aquele que só ela tinha, aquele beijo do...

-Aeeeeeee!!!! Suas Gays!!! -Fionna gritou fazendo eu e Bonnie parar e olhar, Bonnie estava corada

-Fionna, sua puta !! -eu disse

-desculpe meninas, tentamos segurar essa louca -Cake disse vindo de maos dadas com Karla

-vocês também são tao gays neh Karla e Cake -eu disse

-hahaha fica quietinha vai, vocês são mais

Ficamos rindo e conversando, e o pessoal foi chegando, pude reparar que quando estava todo mundo conversando Lord estava meio triste

-eae Lord, que foi?? Acordou com pé esquerdo?? -eu disse e todos o olharam

-estou bem Marcy, só... Cansado, não dormir muito bem -ele disse dando um sorriso amarelo

-entendi... Melhoras ae cara -eu disse e ele sorriu novamente

Ficamos ali conversando e então o sinal bateu e todos fomos pra sala, menos Karla que ao chegar em nossa porta deu um beijo em Cake e foi ate sua sala

O professor entrou e pediu para montarmos dupla, fiquei com Bonnie, ele passou uma prova de matemática, Bonnie me ajudou e então acabamos rápido uma ajudando a outra

                        ***

O sinal bateu pra saída, Bonnie disse que tinha que correr porque iria sair com Gumball

Eu então arrumei minhas coisas e quando fui colocar minha caneta azul no estojo ela estourou em minha mão

-Merda! -eu disse irritada

De uma limpada, com um papel e terminei de guardar as coisas, coloquei minha mochila nas costas e fui ate o banheiro e coloquei minha bolsa em cima da pia, molhei minhas maos e sequei, então olhei no chão e vi algumas gotas de sangue, vindo do terceiro box, abri a porta e me deparei com Betty, desmaiada, sangue, muito sangue em seus pulsos, e uma lamina em sua mão

-Betty! -eu disse me ajoelhando e a chaqualhando -Betty! Acorda!

Ela não acordava, não se mechia, eu estava assustada, ela então se mexeu, dando um suspiro

-eu...eu não to...conseguindo...re-respirar -ela disse e seus olhos fecharam novamente

-Betty! Não! Hoje não, você vai ficar viva! -eu disse

Peguei seu braco e entrelacei em meu pescoço, pegando com a outra não suas pernas, peguei ela no colo, fui ate a pia e consegui colocar minha bolsa em meus ombros, e corri com ela, não tinha ninguém no corredor, fui ate meu carro e a coloquei no banco se trás

-vão dar tudo certo Betty !! -eu disse correndo com o carro

Depois de 10 minutos cheguei no hospital e a peguei novamente no colo entrando no hospital

-ajuda!! Por favor! -eu gritei pro enfermeiros

Vieram três enfermeiros com uma maca e colocaram rapidamente

-o que eu faco?? -eu perguntei

-a senhora vai na recepção pega cartão e aguarda -a enfermeira disse e saiu correndo com a maca

Fui ate a recepção e me registrei, depois sentei no sofá e fiquei esperando, mexendo no celular

-Marceline Abadder -um medico me chamou e eu fui ate ele

-sou eu

-Srt.Abadder, sua amiga Betty estourou uma de suas veias, mas... Por sorte ela sobreviveu, conseguimos cuidar disso, ela esta com a respiração ainda ruim, pois perdeu uma boa quantidade de sangue -ele disse

-eu posso ver ela??

-claro que sim, segundo andar, quarto 5 -ele disse

-obrigado

Subi o elevador e fui ate o segundo andar no quarto 5

Abri a porta e Betty estava deitada, tomando soro na veia, estava com um inalador ema seu rosto, pra poder respirar, eue então fui ate ela

-Betty?

-Marceline -ela disse com certa dificuldade -eu me pergunto porque não me deixou morrer -ela disse

-porque agora não é sua hora

-você me odeia, eu quase destruí seu relacionamento, eu te persegui, eu causei um acidente a Karla, eu te sacaneei -ela disse me olhando

-sim, você fez isso, mas...eu não te odeio tanto, e você é um ser humano, eu tenho coração, já tivemos un passado juntas -eu disse

-Eu não quero sentir dor, eu quero morrer pra não senti-la -Betty disse e pude ver uma lagrima escorrendo pelo seu rosto

-a dor precisa ser sentida Betty -eu disse e ela me fitou

-Eu amo Karla -ela disse

-eu sei, e supus isso, pena que descobriu tarde demais neh Betty -eu disse e me levantei

-bom... Eu tenho que ir, quer que eu fale pra Karla?? -eu perguntei

-não -ela disse e eu assento

-okay, pelo que eu soube, você sai daqui em 2 duas, depois de amanha, tenha uma boa tarde Betty

Sai de lá e peguei meu celular, Liguei pra Karla, não podia deixar assim, ela tinha que saber

                  Ligação on

-alo?

-oi Karla, sou eu Marceline

-ah oi Marcinha, ta tudo bem?? -ela perguntou

-comigo sim, Betty que não esta

-como assim? O que houve?

-Betty se cortou, perdeu sangue e chegou a corta uma veia, mas os médicos arrumaram isso, ela ta numa cama de hospital tomando soro e sangue nas veias e sendo inalada -eu disse

-estou indo prai ta

-ta bem, beijos
  
                  Ligação off

Desligue o celular e fui ate meu carro, liguei ele e fui ate em casa, cheguei em casa e meu irmão me encarando

-o que foi?? -eu perguntei

-nada é que... Tem sangue em você -ele disse e quando olhei pra minha camisa e maos, tinha sangue

-ah isso, relaxa não é meu, e de uma garota -eu falei

-ata, que susto Marcy

-hahahaha besta -eu disse

-ae, adivinha só, Finn nos convidou pra uma festa no final de semana, ta afim? -ele perguntou

Finn e seus irmãos davam festas fodas, chamavam mow galera, e eu amava a festa deles, me divertia abeca

-claro!! -eu disse e eu e meu irmão demos um toque de mao

                Pov's Castiel on
Estava em meu quarto vendo mais documentos de mais garotas, e não achava nenhum endereços que fosse importante, então resolvi pegar um copo da agua

-...tem que a manter quieta! Você sabe que perto dessa floresta tem um vilarejo -eu ouvi meu pai dizendo

Então me encostei perto da porta ouvindo ele falar

-okay, faca isso -ele disse e desligou, em seguida discou outro numero

-alo, ash, preciso te mandar o endereço de onde a garota esta, os capangas não estão dando conta daquela vadia -ouvi meu pai dizendo

-ta bem, é uma casa, que fica no meio de uma floresta, uma casa feita de madeira, eu não me recordo agr o nome do vilarejo que fica perto, mas enfim, numero da casa é 67 

-okay tchau

Sai de lá correndo e fui pro quarto, coloquei o meu tênis, minha jaqueta e peguei uma mochila colocando roupas pra Lina caso precisasse fui ate o carro, peguei meu carro e sai de lá

Fui ate a estrada, vendo e então entrei na entrada que dava pra uma floresta onde eu e meu pai sempre iamos pra acampar, estacionei meu carro, peguei minha mochila coloquei nas costas e fui andando, então achei uma casa, com capangas em volta

Fui andando pelas arvores e cheguei na janela onde não tinha nenhum capanga, então pude ver Lina nua, sentada chorando

Abri a janela com muito sacrifício e entrei, ela estava machucada, sangrando, aquela cena me partiu, ao me ver ela foi pra trás, com medo e assustada

-Lina, não vou machucar você -eu disse segurando levemente em seus pulsos

-eu não confio em você castiel -ela disse

-eu te amo e agora entendos por que me chamou de monstro, foi pelo meu pai, eu não sabia, eu juro, eu nunca iria fazer mal a você minha Lina -eu disse com os olhos marejadoa

Ela então começou a chorar e me abraçou

-estou com medo Castiel -ela disse -estou sangrando, estou sem roupas, estou com dor -ela disse e meu coração doeu

-calma, vai ficar tudo bem, eu trouxe roupas pra você -eu disse tirando minha bolsa das costas -aqui tem uma calca jeans, uma camiseta branca e um all star

-okay, tem roupa intima?? -ela perguntou

-tem sim

Ela então começou a colocar a roupa e eu a ajudando, pois ela estava com muita dor, então ouvimos alguém subindo a escada

-oh meu deus -ela disse

-relaxa, vem, segura nas minhas costas

Ela então colocou seus braços em meu pescoço e as pernas em minha cintura, e então sai correndo dali

-FUGIRAM!!! -eu ouvi os capangas dizendo

-Corre Castiel, vamos!!


Notas Finais


Espero que tenham gostado, comentem o que acharam que me anima, beijuuus


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...