História Bullet - Capítulo 2


Escrita por: ~

Exibições 124
Palavras 1.300
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Ecchi, Festa, Harem, Hentai, Lemon, Musical (Songfic), Orange, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Temos aqui a nossa primeira polêmica.
O Sunwoo é cria da(o) LoveKim.
Eu ainda não mandei mensagem para os que foram aceitos, vou mandar agorinha.
As vagas ainda estão abertas.
Acho que é só, vamos para o capítulo.

Capítulo 2 - Choi Sunwoo


Fanfic / Fanfiction Bullet - Capítulo 2 - Choi Sunwoo

Seja franco, o que é ser legal?
Eu acho que fingir ser legal
É coisa de gente baixa

O motor soava cada vez mais alto como música aos meus ouvidos, sentia o vento tocando meu corpo me seduzindo, era quase tão bom quanto sexo. Gostava de ver tudo a minha volta se tornar um borrão, a velocidade não me permitia admirar a vista das árvores ao meu redor. Queria tirar o capacete e sentir meu rosto livre, mas minha segurança me impedia.

Finalmente havia chegado ao meu destino, uma praia pouco visitada e afastada de praticamente toda a civilização. Estacionei minha Harley-Davidson, tirei o capacete e admirei meu próprio rosto pelo retrovisor. Meu cabelo estava levemente bagunçado graças ao capacete, mas isso só me deixava mais sexy. Os olhos estavam marcados, minha boca estava seca pela exposição ao vento, passei a língua pelos lábios e sorri, como se estivesse seduzindo a mim mesmo.

Caminhei em direção a praia que era relativamente pequena, com areia fina e agradável aos pés, o conjunto fazia parecer que o lugar era um paraíso desconhecido. Fui até a beira e tirei as roupas, primeiramente o sapatenis, depois a jaqueta de couro preta, em seguida a camiseta vermelha e por último a calça jeans desgastada.

Entrei com passos lentos na água, estava gostando de sentir os arrepios que meus pelos tinham com o contato do frio. Acho que isso me tornava um pouco masoquista. Mal pude aproveitar o momento pois logo escutei meu celular tocando. Olhei em direção as roupas jogadas na areia e fui desapontado até elas. Procurei meu celular e o encontrei dentro do bolso da calça, a chamada era de Hyuna.

— Alô – disse sorrindo e me sentando na areia.

— Espero que não esteja sorrindo de forma pervertida, pois o que tenho para falar é sério. — O seu tom de voz era assustador.

Meu rosto se fechou. Raramente Hyuna falava assim, ela era geralmente fofa ao contrário do que aparenta ser nas câmeras. Não disse uma palavra, apenas escutei. Pensava que ela havia me visto de novo com uma outra garota qualquer.

— Você já viu as notícias?!

Sorri um pouco pensando que provavelmente estava massageando suas temporãs e comendo qualquer coisa em grande quantidade para afastar a raiva.

— Não. — Respondi erguendo os ombros.

Ainda admirava o mar e ele me interessava mais do que alguma crise da Hyuna.

— Pois veja o que aquela mulher fez de novo. — Ela desligou o telefone.

Estava abismado e assustado, aquela mulher no nosso linguajar significava Hyorin. Verifiquei se meu 4G funcionava suficientemente bem e para minha surpresa ele estava a todo vapor. Digitei um site de fofocas qualquer e a principal notícia era que Hyorin, do Sistar, havia admitido que estava em um relacionamento e que ele era um trainee. Embaixo dessa informação estava que internautas suspeitam que Hyorin está grávida, devido ao formato de sua barriga e as tonturas que anda sentindo durante os shows.

Meu celular voltou a apitar, só que agora era apenas uma mensagem. Abri e o seu conteúdo era “O que achou do meu show?”, a mandatária era Hyorin. Quase joguei meu aparelho celular na areia com espanto, me levantei rapidamente e vesti minhas roupas em uma velocidade fora do comum. Praticamente corri e subi na moto, falar que estava acima do limite de velocidade era um eufemismo.

Logo entrei novamente na cidade e fui obrigado a reduzir a velocidade, não queria por em risco a vida de outras pessoas. Meu destino era Gangnam, que por algum motivo divino, era próximo de onde estava.

Rapidamente cheguei ao apartamento onde Hyorin vivia, era um belo prédio com cerca de quinze andares. Desci da moto e entrei em uma espécie de “portaria”, o homem que lá estava me encarava como se fosse um lixo, esse homem era o porteiro. Ele estava sentado atrás de um balcão e já tinha idade bastante avançada, por volta dos setenta anos, o pouco de cabelo que restava sobre sua cabeça era grisalho e seu rosto era desprovido de qualquer barba.

— Licença, vim visitar Kim Hyo Jung, mais conhecida como Hyorin. — Disse me aproximando do balcão.

— Que bom, você não é o primeiro a aparecer aqui hoje e provavelmente não vai ser o último que não vou deixar subir. — O senhor sorriu com escarnio para mim.

Meus nervos já estavam a flor da pele, aquele senhor só estava agravando a situação.

— Fale com ela, eu não sou um fã.

— Não é o primeiro a me dizer isso também.

Encostei meus cotovelos no balcão e encarei bem o senhor. Peguei meu celular e liguei para Hyorin.

— Oi, tem como descer aqui? — Esperei sua resposta e desliguei o telefone, logo após isso sorri para o porteiro.

Quando o elevador abriu, Hyorin apareceu e estava extremamente sexy. A mulher só podia estar louca, usava uma camisola muito curta preta, seus cabelos estavam bagunçados como se tivesse acabado de acordar, sua naturalidade a deixava mais bonita do que qualquer trabalho pesado com maquiagem. A expressão do porteiro era semelhante a minha, ambos estávamos impressionados. Mesmo repugnando a mulher, teria que admitir, se teve a intenção de me seduzir pelo menos um pouquinho ela havia conseguido.

Veio em minha direção, segurou minha mão e eu apenas a segui para dentro do elevador. Passamos todo o tempo de chegada do térreo até o décimo andar em silêncio. Quando a porta se abriu fui puxado até seu apartamento e só consegui falar algo após a porta ter sido fechada.

— Que ideia foi aquela de namoro?

Enquanto aguardava a resposta vi que o apartamento mudou desde a última vez que tinha vindo aqui. Ele estava muito mais luxuoso, provavelmente seus bens dobraram de valor. Para qualquer lugar que você olhasse havia uma escultura ou um quadro caro. Chegava a ser brega. Existem pessoas que nem dinheiro salva.

Ela trancou a porta e se virou para mim sorrindo, como se não houvesse algo importante acontecendo.

— Fiquei sabendo que você vai debutar — ela vinha cada vez mais em minha direção — Parabéns, isso merece comemoração.

Estava dando passos para trás até encostar em uma parede com janela. Já cogitava pular do décimo andar, provavelmente morreria, mas, mesmo assim, me aproximei da janela. Quando tínhamos uma distância de cerca de oito palmos, ela pegou a barra da sua camisola e a tirou pelos braços, ficando apenas de lingerie.

Um som de alerta soava alto em minha mente. Ela já deveria ter esquecido, já deveria ter desistido. Orava mentalmente para que se afastasse, mas acho que deus não ouvia minhas preces já que ela se aproximava cada vez mais. Queria pedi-la para parar, mas meu corpo não estava mais sobre meu domínio. Digamos que eu não era dos mais santos.

Me beijou ferozmente e eu não conseguia resistir, a cada momento queria aprofundar mais esse beijo, mesmo sendo humanamente impossível. Palpava suas costas em procura da abertura de seu sutiã, quando de repente ela parou. Terminou o beijo e se afastou, retirando bruscamente minhas mãos de seu corpo. O que mais me causava estranheza era o enorme sorriso que cobria boa parte de seu rosto, semelhante ao Cheshire. Levantou sua mão e seu dedo indicador apontava para a janela. Olhei em direção onde ela apontava e vi através da janela dois homens com câmeras tirando fotos de nós. Paparazzis… PAPARAZZIS!

Não era possível que ela planejou isso. Quando olhei novamente para Hyorin ela já havia aberto a porta indicando que eu deveria sair. Fui até a saída pensando em como resolveria o problema, mas outro beijo me impediu de continuar. Era algo carinhoso e quase inocente, ela nos separou, sorriu e disse:

— Feliz debut. — Me empurrou com uma de suas mãos para fora. — Diga a Hyuna que eu mandei um abraço para ela.

Após isso só escutei o barulho da porta se fechando.


Notas Finais


Foi muito divertido escrever isso.
Para quem não sabe, essa é a Hyorin: https://66.media.tumblr.com/952f8c0c6a736150f0a3f25c60c1d737/tumblr_n8sddqSP3e1rm7fruo1_r1_500.jpg
Pelo que eu peguei sobre esse personagem meio que ele pensa com duas cabeças.
Achei puro pornô, adoro.
Fichas: https://form.jotformz.com/51797316979677


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...