História Bullying Além do Limite - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Agatha, Alexy, Ambre, Armin, Bia, Castiel, Charlotte, Dakota, Debrah, Dimitry, Iris, Jade, Kentin, Kim, Leigh, Li, Lysandre, Melody, Nathaniel, Priya, Rosalya, Violette
Tags Ariana Grande
Visualizações 178
Palavras 1.386
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Festa, Ficção, Hentai, Mistério, Musical (Songfic), Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Então gente, alguém aí já deve ter reparado que eu mudei a capa da fic, eu sei que tá muito bosta mas eu acho que está muito melhor do que a outra mas eu não sei, comentem (Se quiserem) o que acharam.

Dangerous Woman = Mulher Perigosa.

Capítulo 11 - Dangerous Woman


Fanfic / Fanfiction Bullying Além do Limite - Capítulo 11 - Dangerous Woman

31/10


Ele falou com a voz muito mais baixa que o normal.


Leila - AHH e depois você reclama de mim não é?


Castiel - Cala a boca.


Leila - Aff - Eu cruzei os braços e continuei andando ao lado dele.


Não tinha som naquele lugar, não tinha nenhum barulho, nem nada. Aquela parte da cidade parecia que estava deserta, mas não estava. Nós continuamos andando até chegar em algum lugar, é estranho parecia que não tinha ninguém lá. Pelo menos pra pedir uma informação.


Leila - Castiel! - Ele olhou pra mim rápido. - Por que você não quer mais jogar aquele jogo de perguntas e respostas comigo?


Castiel - Porque você faz perguntas muito idiotas. - Ele disse seco.


Leila - Você está falando daquela hora que eu perguntei se você já se apaixonou perdidamente por alguém.


Castiel - E se for?


Leila - Você está querendo dizer que sim?


Castiel - Sim. - Ele disse quase berrando.


Leila - Você... Você quer... Você quer conversar... Você quer conversar comigo sobre isso? - Eu perguntei pra ele com muito medo da resposta que ele iria dar.


Castiel - Por que você ficou assim agora?


Leila - Assim como? - Perguntei.


Castiel - É que antes eu que estava tentando me aproximar de você... E agora parece exatamente o contrário.

Leila - E se for? - Eu falei com um sorriso nos lábios.

Castiel - Não tem nada não. Eu acho até legal isso vindo de você.

Leila - Então?

Castiel - E então o que? - Ele perguntou com uma cara de de desentendido.

Leila - Você quer conversar comigo sobre isso?

Castiel - Não sei.

Leila - Não confia em mim? - Falei fazendo aquela cara da lanchonete.

Castiel - Não... Não é isso. - Ele disse bem rápido.

Leila - Então por que não?

Castiel - Tá bem então se você insiste tanto assim.

Leila - Então conta. - Eu estava muito curiosa. - Qual era o nome dela?

Castiel - Era Debrah, eu era muito apaixonado por ela mas... Um dia ela preferiu a fama do que ficar comigo, e fim da história.

Leila - Nossa... Isso é sério? Você já amou alguém? - Eu disse com humor e ele soltou uma risada baixa e fraca.

Castiel - Fica quieta. - Ele disse segurando o riso. - Espera aí... O que você quis dizer com "Você já amou alguém?"

Leila - Ah, sei lá... É que eu sempre achei que você não fosse capaz de amar ninguém.

Castiel - Eu só não consigo esquecer ela. - Ele disse ainda olhando para o horizonte. - E as vezes eu fico com raiva disso. - Eu me sentei em um banco e ele se sentou ao meu lado.

Leila - Como assim? Por que fica com raiva disso?

Castiel - É que eu sempre penso que ela me deixou porque eu não era o que ela queria, eu não era o suficiente pra ela.

Leila - Ei... Você sabe que não existe só essa Debrah no mundo. - Eu disse revirando os olhos.

Castiel - É eu sei, mas eu nunca mais conheci uma garota que nem ela. - Ele disse me olhando.

Leila - Você pode conhecer uma garota nova... Sabe, uma garota muito melhor que ela. - Ele olhou nos meus olhos.

Castiel - O que você quer dizer com isso? - Ele disse se aproximando de mim com um sorriso malicioso.

Leila - N-nada disso do que v-você está pensando. - Eu disse meio nervosa e me afastando dele. - Haha, você é louco.

Castiel - Foi você quem quis falar sobre isso.

Leila - E você não sabe como eu me arrependo. - Eu disse rindo.

Castiel - E você? Nunca se apaixonou por ninguém?

Leila - Talvez mais tarde você saiba. - Eu disse com um sorriso no rosto. - Ei olha ali.

Castiel - Nossa. Ainda tem orelhão aqui.

Leila - Será que ainda funciona? - Eu disse me levantando e indo em direção ao orelhão, fiz sinal pra ele se levantar, e ele fez. Quando eu cheguei no orelhão, eu não sabia usar muito bem, mas eu tentei. - Pra quem eu ligo?

Castiel - Liga pro Lysandre.

Leila - Tá bem. - Eu disquei o número do Lysandre, e adivinha? Deu certo ele atendeu.

Ligação ON

Leila - ALÔ LYSANDRE? - Eu quase berrei.

Lysandre - Calma o que foi isso? Onde você tá? Eu cheguei em casa e não encontrei nem você nem o Castiel.

Leila - É que nós estamos perto do hospital.

Lysandre - Que hospital? Aquele que você ficou quando se jogou da ponte?

Leila - Sim

Lysandre - Olha eu não posso ir te buscar.

Leila - O que? Por que? - Eu perguntei desesperada.

Lysandre - É que o meu carro foi rebocado.

Leila - Ah fala sério. E não tem nada que você possa fazer pra nos ajudar?

Lysandre - Não tem táxi aí não?

Leila - Não, e nem um ponto de ônibus.

Lysandre - Eu não sei como ajudar.

Leila - Pode me dizer pelo menos que horas são.

Lysandre - São 15:43, olha eu vou ver o que eu posso fazer. Tudo bem?

Leila - Tudo bem. - Eu falei desanimada. - Tchau.

Lysandre - Tchau.

Ligação OFF

Castiel - E então o que ele disse?

Leila - Disse que não sabia o que fazer pra ajudar, e falou que ia ver o que ele poderia fazer.

Castiel - E isso adianta alguma coisa?

Leila - Não muito.

Nós voltamos para o banco e esperamos, até algum milagre acontecer, até que aparece um táxi, é isso aí um táxi o cara do táxi disse que um garoto com cabelos brancos mandou ele ir nos buscar e já tinha pagado. O caminho foi chato até chegarmos na casa de adivinha quem? Castiel, eu não sei por que diabos o Lysandre mandou pra cá, mas fazer o que? Pelo menos era alguem que eu conhecia. Quando nós chegamos lá, nos saimos do carro.

Leila - Vocês combinaram isso não foi?

Castiel - Não, mas já que você já está aqui... Você quer entrar?

Leila - Quero. - Eu disse com um sorriso sincero. Ele abriu a porta e como eu já tinha visto e já sabia, aquela casa era ENORME. Agora neste momento nós dois estávamos no quarto dele sentados no chão, conversando sobre coisas aleatórias.

Leila - Castiel...

Castiel - O que foi? - Ele estava realmente interessado.

Leila - Sabe aquela raiva que você sente, relacionado aquela garota? A Debrah?

Castiel - O que tem? - Ele já falou um pouco seco.

Leila - Você descontava essa raiva em mim?

Castiel - Eu acho que sim...

Leila - ... - Nossa, ele descontava em mim a raiva de uma coisa que eu não tenho nada haver.

Castiel - Me desculpa por tudo que eu fiz pra você, sério.

Leila - Tá tudo bem, é sério.

Castiel - E... Você quer... Jogar... Aquele jogo de... Perguntas e respostas? - Ele disse meio sem graça.

Leila - Então agora você quer jogar? - Eu disse segurando o riso.

Castiel - Sim...

Leila - Tudo bem então. - Eu disse me levantando e sentando na frente dele. - Mas... Dessa vez você começa.

Castiel - Tudo bem. - Ele olhou pra cima e depois disse. - O que você mais gosta de fazer?

Leila - Cantar... - Eu disse sem graça. - Eu nunca falei isso pra alguém antes, pra ninguém além do Lysandre, mas esquece o que eu falei. Agora é minha vez... E você? O que gosta de fazer?

Castiel - Eu também gosto muito de cantar. Mas eu prefiro fazer outras coisas...

Leila - Que tipo de coisas? - Eu perguntei rindo.

Castiel - Talvez depois você descubra... - Quando ele disse isso foi que eu percebi o quanto nos estávamos próximos, muito próximos, tão próximos que eu podia sentir a sua respiração contra o meu rosto, o hálito dele tinha cheiro de menta, era muito bom, eu não sei por que mas eu não queria me afastar.

Leila - Me desculpa... - Eu ia me afastar dele mas ele não deixou, eu só percebi isso quando senti as mãos dele na minha cintura...


Notas Finais


😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...