História Bullying Além do Limite - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Agatha, Alexy, Ambre, Armin, Bia, Castiel, Charlotte, Dakota, Debrah, Dimitry, Iris, Jade, Kentin, Kim, Leigh, Li, Lysandre, Melody, Nathaniel, Priya, Rosalya, Violette
Tags Ariana Grande
Exibições 121
Palavras 1.395
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Festa, Ficção, Hentai, Mistério, Musical (Songfic), Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Então leitoras kawaiis eu estou aqui pra dizer que a fic tá acabando...

TROLLEI ksksksksksksksksksksksks mentirinha genteeeeeeeeeeeeeeeh Brinks rsrsrsrs

GENTEEEEEEEEEEEEEEEH 73 FAVORITOS AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAHHHHHHHHHH EU TÔ MORRENDO AKIIIIII. ( de felicidade)

Capítulo 13 - I Know What Did Last Summer


Fanfic / Fanfiction Bullying Além do Limite - Capítulo 13 - I Know What Did Last Summer

Lysandre - Tenho uma coisa pra te contar. - Deu, ferrou, tô fudida. Que caralhos ele queria em contar? Eu não sei se eu queria ou não saber, mas é que, tipo, uma parte do meu cérebro queria ouvir o que o Lysandre tinha a dizer pra mim mas a outra parte não queria, a outra parte queria é enfiar a cara nos livros da J.K Rowling. - É uma coisa muito importante pra mim, e eu sei que também vai ser muito importante pra você.

Leila - Então... A notícia é boa ou é ruim? Porque eu estou naqueles dias, é como se eu estivesse de TPM mas não, é uma coisa mais forte e... - Eu estava falando com humor mas ele me interrompeu, acho que era um pouquinho necessário porque pra mim eu estava falando muita coisa.

Lysandre - Leila! - Ele disse com um tom de voz mais elevado. - É sério. - Ele estava muito sério, tipo, ele não estava segurando o riso nem nada, não era palhaçada, então eu resolvi na minha cabeça que já estava na minha hora de parar com as palhaçadas.

Leila - Tudo bem, me desculpe. - Eu falei baixo, mais baixo que o normal. - Pode falar o que você ia falar... Antes de eu te interromper.

Lysandre - Tudo bem. - Ele falou mais calmo, não calmo como ele é normalmente, mas estava um pouco mais calmo do que antes. - E se eu te dissesse que a nossa... Mãe, pode estar viva? - Ele disse do mesmo jeito. Mas o que foi isso? Que pergunta foi essa? Então minha mãe tá viva? Esse é o novo capítulo da minha vida? Bom, tecnicamente ele não disse que ela estava viva, ele perguntou o que eu faria se ele dissesse que ela estava viva. Não que isso fosse uma coisa ruim mas... Ah eu não sei.

Leila - O que foi que você disse? - Eu não sei se ele tava zoando com a minha cara mas não custava perguntar. - Esmeralda? A nossa mãe que morreu a anos atrás? Esmeralda a nossa mãe Esmeralda?

Lysandre - Eu tive a mesma reação que você mas... Sim é isso, nossa mãe Esmeralda pode estar viva. - E agora? Isso era bom ou ruim? Mas como assim? Ela foi dada como morta.

Leila - E como? Como isso aconteceu. - Eu falei com a minha voz meio fraca, nem eu sei por que.

Lysandre - Eh... Ela não morreu no acidente... - Tá isso eu já sei o que eu perguntei foi COMO FOI QUE ISSO ACONTECEU? - No acidente ela estava com um anel de esmeralda que ela tinha... Você lembra do anel de esmeralda que o nosso pai tinha dado pra ela?

Leila - Sim, eu lembro muito bem. - Eu falei, ainda com a voz fraca. - O que tem esse anel?

Lysandre - Eu pesquisei esse acidente na internet, quer dizer, no começo eu não sabia que eu iria descobrir o que descobri só estava pesquisando mesmo daí apareceu e eu liguei os pontos. - Eu balancei a cabeça dando sinal de que ele podia continuar contando o que descobriu, eu estava muito atenta no que ele estava falando. - E houve um outro acidente de carro, no mesmo dia, e na mesma hora.

Leila - E o que isso tem haver com a nossa mãe?

Lysandre - Então, eu vi que o acidente, não o da nossa mãe o outro acidente, O homem que estava dirigindo o carro ficou vivo e afirmou que estava com a sua esposa ele disse que ela era uma mulher de 37 anos, mas nunca acharam ela ou o corpo, só acharam o corpo de uma mulher, que foi a suposta mulher que era a nossa mãe, a mulher que estava com o anel de esmeralda. Sabe o que isso significa?

Leila - Não. - Falei mais baixo. - O que... Significa?

Lysandre - Olha só, a mulher que eles disseram que era a nossa mãe estava com o corpo inteiro queimado, ela estava irreconhecível. Então, você está entendendo o que eu estou explicando?

Leila - Ainda não.

Lysandre - A nossa mãe pode ter sobrevivido ao acidente. - Já entendi o que ele está querendo dizer.

Leila - Estou entendendo. - Ele me olhou fixamente. - Você está querendo me dizer que a nossa mãe pode ter sobrevivido ao acidente, só que pegado o anel de esmeralda que ela tinha consigo e ter colocado no cadáver da mulher. Assim ela pode ter saido viva? - Nossa, eu estou me sentindo uma detetive.

Lysandre - Exatamente. A nossa mãe pode estar viva. - Ele disse com um meio sorriso no rosto.

Leila - Isso é bom ou ruim?

Lysandre - Claro que é bom Leila. - Ele falou como se fosse a coisa mais óbvia do mundo.

Leila - Não, não, eu não estou falando desse jeito que você está falando, é que assim, se ela ficou viva... Por que ela foi embora?

Lysandre - Olha, isso eu não sei. - ele disse me olhando nos olhos.

Leila - Olha... Lysandre, eu não estou muito bem hoje, eu preciso descansar um pouco... Esfriar a cabeça. - Eu falei desanimada, MUITO desanimada, tipo, quase morrendo.

Lysandre - Tudo bem, amanhã nos conversamos direito sobre isso. - Ele falou que nem eu.

Leila - Está bem, boa noite Lysandre.

Eu falei indiferente subindo as escadas rumo ao meu quarto, a última coisa que eu ouvi antes de subir todos os degraus da escada foi um "Boa noite" vindo do Lysandre. Eu nem liguei, fiz ele pensar que eu não ouvi, eu acho que ele acreditou. Entrei no meu quarto e me joguei de cara na cama. Eu estava muito abalada. Primeiro, eu beijo o Castiel, e o pior é que eu não me arrependo de ter feito aquilo com ele, segundo, eu conheço o irmão do cara que o Castiel espancou quase até a morte, e terceiro, Lysandre vem me falando que a nossa mãe pode estar viva. Isso é muita pressão, eu tenho 17 anos, eu sou uma adolescente, eu tenho problemas normais de adolescentes, eu tenho né? Aff eu nem sei mais o que está acontecendo. Eu fiquei a noite toda pensando nessas coisas, Lysandre apareceu na porta do meu quarto me perguntando se eh queria pizza, mas eu disse que não, da pra ver que eu não estou bem, eu recusei comer pizza, logo pizza, minha comida preferida no MUNDO inteiro, mas eu não recusei por nada, eu não estava com fome. Eu estava pronta pra dormir, com o cobertor até o pescoço, fiquei pensando no beijo do Castiel, porra como ele beija bem, tipo MUITO bem, eu ainda me lembrava de como era ter os lábios dele junto aos meus. Os lábios dele eram tão macios e tão quentes. Eu nem reparei que eu estava passando as pontas dos meus dedos levemente sobre os meus lábios. Mas que porra que eu estava fazendo? Estaria eu me apaixonando por ele? Não isso seria impossível. Eu fiquei pensando nisso até que adormeci.

POV Castiel ON

A Leila tinha saído correndo da minha casa, eu nem sei porque. E também não sei por que eu beijei ela, será que foi por causa do beijo que ela saiu correndo? Eu sei que fui eu quem beijou ela mas ela podia ter quebrado o beijo, mas não fez ela correspondeu, mas o que eu queria perguntar pra ela era se ela tinha gostado do beijo. Eu... Eu gostei de ter sentido o gosto da boca dela, e eu queria fazer o que eu fiz hoje mais vezes, eu queria tê-la pra mim, eu estou me apaixonando por ela? Não... Não sei, eu preciso ter certeza disso.

POV Castiel OFF

POV Leila ON

Acordo as 06:00 Em ponto, não acredito que eu teria que ir naquela bosta de escola. Eu me levantei e fui direto pro banheiro, tomei um banho bem quente de meia hora, quando eu saí do box eu vesti um casaco de moletom preto, uma calça jeans azul e um tênis preto, desci e sai de casa, sem falar com o Lysandre e sem tomar café da manhã, eu não estava com disposição pra fazer nada, muito menos pra ir a escola, mas eu não tive escolha...


Notas Finais


Genteeeeeeeeeeeeeeeh eu nunca falei isso mas eu amoooooooooooooooooooooo vcs ❤😗😘😍😝 até o próximo cap


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...