História Bullying Além do Limite - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Agatha, Alexy, Ambre, Armin, Bia, Castiel, Charlotte, Dakota, Debrah, Dimitry, Iris, Jade, Kentin, Kim, Leigh, Li, Lysandre, Melody, Nathaniel, Priya, Rosalya, Violette
Tags Ariana Grande
Exibições 114
Palavras 1.055
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Festa, Ficção, Hentai, Mistério, Musical (Songfic), Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Maiiiiis um huehuehue

Capítulo 14 - Whenever, wherever


Fanfic / Fanfiction Bullying Além do Limite - Capítulo 14 - Whenever, wherever

                 Eu estava andando pela rua e não encontrei ninguém agradeci     mentalmente por isso, mas parece que eu agradeci cedo demais. No mesmo momento que eu estava rezando pra que ninguém que eu conhecesse aparecesse no caminho, adivinha quem aparece? Um cara com cabelos castanhos escuros, eu não reconhecia mais sem o cabelo vermelho mas eu pedi isso à ele então não tenho do que reclamar.

Castiel - Oi. - Ele disse um pouco sem graça, deve ser por causa do beijo.

Leila - Oi. - Eu também tinha dito um pouco sem graça. - Então... Como vai a vida?

Castiel - Leila nós nos vimos ontem. - Ele disse.

Leila - Éh você parece se lembrar muito bem do que aconteceu ontem não é. - Que porrinha foi essa que eu falei?

Castiel - Eu não me esqueci de nenhum detalhe. - Ele disse muito mais baixo que o normal, acho que ele falou mais pra ele mesmo do que pra mim.

Leila - O que? - Eu tinha ouvido muito bem o que ele tinha dito só não acreditei muito bem. - Eh... Castiel...

Castiel - O que foi?

Leila - Acho melhor esquecer o que aconteceu na sua casa.

Castiel - O beijo?

Leila - Sim. - Ele assentiu com a cabeça.

Quando nós chegamos na escola, agradeci mentalmente pelo Dake não ter vindo hoje.

[...]

Quando entrei nessa porrinha dessa escola, eu tinha que escolher um clube, o clube do livro ou o clube de música, eu fiquei meio indecisa entre qual clube escolher porque, tipo, ler era o que eu mais adorava, ainda adoro, mas cantar, cantar é totalmente diferente, quando eu canto eu começo a sentir uma sensação inexplicável, e sem falar que era o que a minha mãe queria que eu fizesse. Então eu decidi escolher o clube de música, mas eu não sabia que Castiel iria estar nesse clube, mas eu não poderia mudar a minha decisão. Agora nesse momento eu estava no clube de música, com todos os alunos que fingem que eu não existo, incluindo a Ambre e o Castiel, mas a diferença é que o Castiel falava comigo, a Ambre ficava dando em cima do Castiel e fingindo que eu não estava lá. Sabe o que era pior? Eu estava entre os dois, tipo, tinham três cadeiras eu sentei no meio então Castiel e Ambre se sentaram nas cadeiras que sobravam que era nos meus dois lados. O professor mandou o Castiel buscar sei lá o que é então ele saiu da sala. Estava tudo normal, mas até que tudo piorou depois que a Ambre levantou a mão.

Ambre - PROFESSOR! - Ela gritou com aquela voz estridente dela, nem sei como ela cantava bem com aquela voz. O professor olhou pra ela. - A Leila me chamou... De vadia... - Ela disse com uma voz de choro. Ela era mesmo uma vadia, mas eu não era tão barraqueira a ponto de falar isso na cara dela. Eu sabia que eu iria acabar me dando mal, então eu resolvi não falar nada.

Professor - Isso é verdade Leila? - Ele iria acabar acreditando na Ambre. Eu fiquei calada até ele ou ela falar mais alguma coisa. - Pois bem, como castigo, você terá que limpar a sala do clube de música hoje após as aulas. Assenti devagar com a cabeça e me sentei de volta na cadeira.

Eu não sei como isso acontece, eu sei que eu sou meio trouxa por nem tentar me defender, mas é inútil, eu já tentei fazer isso várias e várias vezes mas nunca dava certo, e os professores só acreditam neles por que eles tem dinheiro, eu não sei até onde isso vai. Agora neste momento eu estava conversando com o Castiel porque era hora do intervalo, nos estavamos andando pelo clube de jardinagem.

Leila - Eu não entendo... Por que se chama "oba oba"? - Nós estavamos conversando. - E... Não pode ser só depois do casamento?

Castiel - Olha... Chamam de "oba oba" poque é bom... - Ele disse enquanto se sentava em um banco do clube de jardinagem, eu me sentei no lado dele. - E tem gente que não gosta de esperar o casamento pra fazer... Isso.

Leila - E é bom? - Eu perguntei olhando fixamente pra ele.

Castiel - S-sim. - Ele falou gaguejando.

Leila - Você já fez?

Castiel - Sim. - Ele falou normal.

Leila - E... - Eu ia perguntar mais alguma coisa mas bateu o sinal e nos fomos pra sala de aula. O resto da aula foi bem normal pra mim, as pessoas me zoando ou fugindo que eu não existo, eu já estou muito bem acostumada com isso, teve mais duas aulas de matemática e uma de história. Tinha acabado de bater o sinal pra ir embora, eu estava sozinha na sala de aula arrumando as minhas coisas na mochila, depois que eu acabei, eu estava saindo da escola mas eu lembrei de que eu tinha que arrumar a sala do clube de música, por uma coisa que eu não fiz. Mas eu tive que ir de qualquer maneira, e não seria tão ruim assim.

Eu cheguei na sala do clube de musica, sim, ela precisava mesmo de uma arrumação, o mais chato é que eu teria que fazer tudo isso sozinha... Mas comecei a arrumar, até que uma hora aparece um rádio, nossa nem sabia que ainda existia rádio, haha eu não sabia como mexer naquilo, eu apertei um botão dos vários que tinham ali. Assim que eu apertei o botão começou a tocar uma música que eu gosto muito, Whenever, wherever da Shakira é uma musica velha mas eu gosto muito, eu sabia de cabeça mas eu nunca mais cantei, quando eu tinha 15 anos eu gostava de cantar essa música imitando a voz dela, todo mundo falava que era igual mas acho que era só por educação. Eu estava sozinha na escola, então ninguém ouviria. Comecei a arrumar tudo, cantando a música imitando a voz.

"Le do lo le lo le, Le do lo le lo le
Can't you see...I'm at your feet

Whenever, wherever We're meant to be together
I'll be there and you'll be near And that's the deal my dear"

Eu parei na metade da música porque alguém desligou o rádio.


Notas Finais


Eu amo de verdade essa música.

Tchau até o próximo cap 😝😗😂😍😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...