História B.U.N.N.Y • taekook¡! - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO, Got7
Personagens Baekhyun, Jackson, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Mark, Personagens Originais, Rap Monster, Sehun, Suga, V
Tags Amor, Baekhyun, Bangtan Boys, Bottom, Bts, Bunny, Byun Baekhyun, Criminal, Gay, Hoseok, Jeon Jungkook, Jeongguk, Jhope, Jimin, Jin, Jiyoonseok, Jk Killer, Jungkook, Jungkook Killer, Kim Taehyung, Namjin, Namjoon, Oh Sehun, Rap Monster, Romance, Sehun, Seme, Seokjin, Serial Killer, Shipp, Suga, Taehyung, Taekook, Tops, Uke, Vkook, Yaoi, Yoongi, Yoonmin, Yoonseok
Visualizações 142
Palavras 2.599
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Fluffy, Lemon, Luta, Mistério, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 13 - Twelfth Jump


Fanfic / Fanfiction B.U.N.N.Y • taekook¡! - Capítulo 13 - Twelfth Jump

   


A casa silenciosa fazia Jeongguk se sentir ainda mais seguro. Ele não tinha o menor medo dos dois seguranças enormes que estavam parados em frente à casa. Nenhum dos dois estavam realmente vigiando a casa; dormiam, mexiam no celular ou conversavam entre si. Entrar ali fora tão fácil que Jeon não pode conter o sorrisinho, as pessoas eram tão estúpidas e inocentes a ponto de pensar que dois homens fortes poderiam as proteger. São fortes, não inteligentes.

A máscara que se encontrava sob o rosto bonito o protegia de qualquer possibilidade de reconhecimento. Além disso, o sistema de câmeras já havia sido completamente desligado. O homem subiu as escadas, calmamente, passando logo depois pelo corredor escuro. já tinha todas as informações que precisava: a mulher que havia encomendado a morte o tinha dado a planta da casa, então ele sabia exatamente para onde tinha que ir. A porta de pintura clara não estava trancada, então um simples giro na maçaneta foi capaz de abri-la. A vítima estava lá, dormindo na cama luxuosa. Os cabelos tingidos de loiro caíam sob os travesseiros, e o rosto bonito da moça estava sereno. Ela nem ao menos esperava que fosse morrer.

Jeongguk sorriu, a mulher era muito bonita, mas nem se comprava a Taehyung. Surpreso com o pensamento que acabara de ter, ficou parado no meio do quarto. Refletiria sobre aquilo depois, agora teria que terminar seu trabalho. Balançou a cabeça e logo depois tirou a faca do compartimento em sua coxa esquerda, estralando os dedos da mão livre. A diversão estava prestes a começar.

Os olhos da mulher se arregalaram assim que a mesma sentiu a mão grande e forte de Jeon cobrir-lhe a boca. Tentou gritar, mas nada além de sons abafados saíram de sua boca. Não conseguia nem ao menos morder a mão do homem. A faca já estava posicionada no pescoço da loira, que estava chorando compulsivamente. O serial killer não sentia nem um pingo de pena, nunca sentiu. Ela poderia implorar, o oferecer qualquer coisa, ameaçar, se debater, tentar o convencer a poupar sua vida, mas não conseguiria. Quando Jeongguk aceita um trabalho, ele aceita.

— Sabe... — Sua voz saia um pouco abafada por conta da máscara que o cobria todo o rosto. — Você não deveria foder com o marido da sua melhor amiga, Jieunnie.

   Ela entrou em desespero. Tentava se debater, mas Jeongguk era dez vezes mais forte que si. Toda aquela tentativa de fuga o fez rir, era cômico o jeito com o que ela não perdia as esperanças de sair viva. A pele branca da modelo estava ficando vermelha por conta da força que Jeon usava para mantê-la parada. Durante o processo, um pano fora amarrado na boca pequena da mulher, garantido que ela não fizesse muito barulho. A pessoa que encomendara a morte de Soo Jieun havia sido clara quanto a morte da modelo: queria que ela sofresse e que a garganta fosse cortada. Óbvio que o homem não reclamou, ele adorava quando podia brincar um pouco com suas vítimas.

   A lingerie branca foi levemente levantada, mostrando a barriga lisa da mulher. Ansioso, Jeon virou-a de costas e teve a visão da coluna de sua vítima. Era ali que assinaria, já que a pele branquinha estava tão convidativa. Ele não tinha medo algum de assinar suas vítimas, afinal, a polícia não se daria o trabalho de procurá-lo por muito tempo. Abafaria o caso, e se por algum motivo a morte chegasse até a mídia, o procurariam por alguns dias apenas para que as pessoas esquecessem do assunto. Se fosse para ter sido pego, teria sido pego no começo.

Com a faca, escreveu seu nome no cóccix da mulher, com um pouco de dificuldade. Ela se debatia muito, e Jeon já estava perdendo a paciência. Ao terminar de escrever, levou uma das mãos ao pescoço da mulher e apertou a região, puxando-a para cima. O rosto continha marcas de lágrimas secas, já que ela não conseguia mais derramar nenhuma. Estava prestes a desmaiar, mas antes que ela pudesse fazer isso, Jeon cortou-lhe a garganta.

••• ⚠

  — Ele é rápido.

  Jimin observou, vendo Jeongguk entrar pela porta principal. Taehyung o havia convidado para assistir um filme junto a si, e eles já estavam quase no fim quando Jeongguk chegou. Estava cheirando a sangue, tinha sua máscara numa mão e luvas negras na outra. Parecia cansado. Ele não havia demorado nem uma hora para terminar o trabalho, por isso Jimin se surpreendeu. Não pensou que matar alguém sem deixar rastros fosse uma tarefa que se realizava com tanta rapidez.

— Anos de prática, Jimin. — Respondeu, com um sorrisinho no rosto. — Oi, docinho. — Sorriu ainda mais largo, encarando o garoto de cabelos vermelhos.

— Eu vou jogar esse vaso na sua cara, Jeongguk. — Ameaçou, de cara fechada e bochechas coradas.

Jeongguk gargalhou, passando pelos garotos e deixando um beijo na testa de Taehyung e bagunçando os cabelos loiros de Jimin. Nos últimos dias, além de ficar ainda mais próximo — e apaixonado, devo dizer — de Taehyung, havia feito amizade com Jimin também. O loirinho sempre estava na casa dos Kim, e como Jeon vivia grudado em Taehyung, não teve alternativa a não ser criar laços com ele também.

Jimin era legal. Ele não tinha mais medo ou seja lá o que fosse de Jeongguk, falava com ele como falava com qualquer pessoa normal e já o chamava de hyung. Gostava dele por ele tratar tão bem o vermelhinho, achava a amizade deles muito bonita, mesmo que sentisse ciúmes algumas vezes. Queria poder abraçar Taehyung da mesma forma íntima que Jimin o fazia, mas tinha receio do garoto o afastar. Em relação a se aproximar amorosamente do mais novo, não teve muito avanço.

O mais velho saiu, deixando os dois adolescentes na sala, sozinhos. Assim que Jeon desapareceu pelos corredores, Jimin puxou Taehyung para mais perto.

— Vocês estão ficando e você nem pra me dizer nada! — Sussurrou.

— Do que você está falando, Jimin? — Arregalou os olhos, encarando o amigo.

— Ele acabou de ser super fofo com você, e se eu não te conhecesse, diria que vocês estão namorando! — Exclamou. — Você não me conta nada.

— Nós não estamos ficando! — As bochechas coraram novamente. — Não sei de onde você tira essas coisas.

— Ele te chamou de docinho e beijou sua testa. Quem não vai achar que vocês namoram? — Revirou os olhos. — Mas mudando de assunto... Você e o Yoongi-ssi são bem amigos, né?

   Taehyung franziu o cenho.

— Somos... Ele me conhece desde sempre. — Deu de ombros. — Mas que interesse repentino é esse?

— Para de me envergonhar, Taehyung! — Bateu no amigo, fazendo-o rir. — É que... Ele parece ser tão inteligente. Não sei. Ele é muito bonito também, meu deus, muito bonito...

— Não acredito que você tá gostando do Yoongi hyung — Riu-se, levando as mãos a boca.

— Não 'tô!

— Tá sim! — Exclamou, ainda rindo. — Tudo bem, Jiminnie, não precisa negar. O Yoongi hyung é muito inteligente e bonito, eu concordo. Mas eu nunca o vi com alguém, desde que fui adotado. Você vai ter que descongelar o coração dele se quiser alguma coisa.

— E como você acha que eu conseguiria fazer isso? — Suspirou, desanimado.

— Você é adorável, Chim — lançou um sorriso ladino para o amigo. — Ninguém resiste a você. Tente puxar conversa com ele, fale sobre o que você gosta e quem sabe você não acha algo em comum com ele, hm?

— O que um cara mais velho iria ter em comum comigo, Taehyung? — Bufou. — Eu não tenho nada de interessante para conversar com ele.

— O hyung gosta de rap. Kanye West, e você também gosta dele. Podiam conversar sobre isso — Deu de ombros.

  Jimin sorriu, dando um beijo na bochecha de Taehyung.

— Vou te ajudar, Jiminnie. Não se preocupe.

[...]

 
   Já eram quase onze e meia da noite quando Taehyung sentiu vontade de tomar sorvete. Tomou, e quando estava voltando para seu quarto, escutou vozes vindo do quarto de Yoongi. Ele nunca chamava ninguém para conversar no quarto, por isso, o mesmo estranhou. Chegando mais perto, pôde perceber que a voz era de Jeongguk. Taehyung não conseguiu conter a curiosidade; queria muito saber sobre o que os dois estavam conversando.

Ele precisa saber, eu não concordo mesmo com o que eles estão fazendo

Já falei, Jeongguk. Não importa a decisão que o Namjoon e o Seokjin tomem, Taehyung sairá magoado do mesmo jeito”

Taehyung paralisou. Estremeceu. Sentiu o peito apertar.

Me sinto mal por estar escondendo isso dele. Não quero vê-lo sofrer. De jeito nenhum

Eu também não, Jeon. Amo o Taehyung, ele é como um irmão mais novo para mim, você sabe disso. Mas nós não podemos falar.”

  O adolescente não aguentou. Empurrou a porta com toda a força que tinha. Estava com tanta raiva por todos estarem escondendo algo dele, por estarem o fazendo de idiota. Os olhinhos estavam lacrimejantes, o coração doía tanto e a garganta havia travado. Queria gritar com os dois homens que estavam ali, parados, com expressões de surpresa. Não ouviria sequer uma palavra de desculpa dos dois, não queria nem ao menos olhar na cara deles. Então, antes que qualquer um pudesse se explicar, o mais novo saiu em passos pesados pelo corredor. Yoongi e Jeongguk trocaram olhares, e como uma conversa silenciosa, Jeongguk entendeu que deveria ir atrás do adolescente.

— Taehyung! — Gritou, apressando o passo para alcançar o mais novo. — Me deixa falar com você!

— Desiste, Jeon! — Se virou para o homem. Os rosto estava molhado por lágrimas. — Só me deixa em paz.

Mas ele não desistiu. Finalmente alcançou o garoto, segurando seu braço e o parando. O coração estava doendo por ver Taehyung daquele jeito. Sabia que aquela história iria o magoar, e estava se odiando por não ter dito nada a ele. Mesmo que quisesse falar, Yoongi tinha razão; Seokjin e Namjoon que tinham que lidar com aquilo. O rosto magoado do avermelhado o fazia querer chorar, mas ele se segurou e respirou fundo. Conversaria com o garoto, quer ele queira, quer não.

— Você vai me ouvir. — Tinha firmeza na voz, o que fez Taehyung fungar e concordar com a cabeça. — Vamos até o meu quarto.

  Os dois caminharam, em silêncio, até o quarto de Jeongguk. A raiva de Taehyung era tão evidente que Jeon se permitiu estremecer e tentar organizar as palavras. Não fazia ideia de como reverteria a situação. Apenas  diria a verdade: Que Namjoon e Seokjin estavam sim escondendo algo, mas que ele não falaria o que era. Taehyung poderia surtar e fazer escândalo, mas ele não diria de jeito nenhum. Não queria se meter nos assuntos familiares dos seus melhores amigos, minuto menos ser quem o daria a notícia. Estava se sentindo tão mal por ver aquela pessoa doce e tão amável sofrer daquela forma. Ele não merecia. Não merecia, de verdade, passar por tudo aquilo. Ele era só um adolescente, não deveria estar passando por coisas tão pesadas.

Ao chegarem no quarto, Jeongguk fechou a porta e respirou fundo antes de falar qualquer coisa. Taehyung não ficava quieto dentro do cômodo, ainda chorava e agora maltratava o lábio inferior. Jeon sabia que ele queria falar. Queria gritar e queria xinga-lo, mas estava se controlando. Mas aquilo não duraria muito tempo.

— Primeiro, eu quero que você se acalme.

— Me acalmar, Jeongguk?! — Exclamou, encarando o mais velho. — Eu perguntei pra você! Perguntei se você sabia de alguma coisa, e você negou! Você viu como eu estava me sentindo mal e negou, na cara dura! Você não se importou nem um pouco! — O garoto gritava e gesticulava, os olhos vermelhos por conta do choro.

— Você acha mesmo que eu não me importo? — Respondeu, ainda com o tom de voz calmo. — Justamente por me importar que eu não falei nada!

— Você tinha que ter me falado! Tinha! — Continuava a gritar, sem se importar se alguém estava ouvindo. — Você é um imbecil, Jeongguk. Você e o Yoongi, não pensaram em como eu me sentiria! Traíram a minha confiança sem nem pensar, sem nem saber como eu me sentiria! — Avançou para cima do mais velho, o batendo com toda a força que conseguia colocar no momento, que não era muita. Batia, chorava, e o xingava. Estava tão magoado por ter sido enganado que não queria ouvir nada que Jeon dizia. — Eu te odeio, Jeongguk! Odeio, odeio! Não acredito que você mentiu pra mim, que me escondeu uma coisa dessas.... — O tom de voz foi abaixando, mostrando o quão machucado ele estava.

O coração de Jeongguk perdeu mais um pedaço. A voz dele demonstrava tanta dor e as palavras proferidas foram tão fortes que acertaram Jeon em cheio. Ele nunca havia se apaixonado, e a sua primeira paixão estava sendo tão complicada que ele já não sabia se era de todo bom estar apaixonado. Ficou calado, recebendo todos os tapas raivosos que Taehyung dava. Não doíam. Não o machucavam. Tudo o que estava o fazendo sofrer eram as palavras de Taehyung e o jeito com o que o menor estava magoado. Se odiava por ser o motivo dessa dor, se odiava por fazer Taehyung se sentir tão mal.

  Ele continuava berrando e gritando, batendo nos braços e torso de Jeon. Não conseguia pensar em nada, não conseguia parar de chorar, nem ao menos escolher as palavras certas para evitar machucar o mais velho. Queria descontar toda sua raiva, queria mostrar que estava magoado, que não havia gostado nem um pouco das atitudes de Jeon e de Yoongi, que odiou o jeito com que mentiram para ele. Estava cansado de ser tratado como criança, de ser poupado de tudo, de sempre ser o último a saber de tudo. Ele não gostava de ser tratado daquele jeito. Queria saber das coisas, mesmo que o magoassem. Odiava mentiras, odiava ser enganado.

Abriu os olhos e parou de xingar quando sentiu Jeongguk segurar seus braços. A expressão séria na cara do homem o fez tremer e finalmente cair na real. Havia dito que odiava Jeongguk. Tinha xingando o mais velho. Dito coisas horríveis. Sentiu ainda mais vontade de chorar quando se deu conta do que havia feito, afinal, deveria ter pensado antes de explodir. Não se colocou no lugar de Jeon, nem no de Yoongi, apenas viu pela sua perspectiva. Por mais que estivesse magoado e que odiasse mentiras, não tinha o direito de ter dito coisas tão horríveis para o homem. Jeongguk, que era tão doce e gentil com si, que cuidava e se importava, que havia se mostrado um amigo e tanto, que estava o mudando. Ele não odeia Jeongguk. Muito pelo contrário.

Tentou reunir forças para pedir desculpas, mas a garganta estava travada. Tudo o que saia pela sua boca eram soluços, mas já havia parado de chorar. O silêncio de Jeon o incomodava, o olhar penetrante dele o fazia se sentir exposto. Notou que o homem respirou fundo, e se preparou para as palavras que ouviria. Sabia que merecia o desprezo, então falou para si mesmo — em pensamento — que não se magoaria.

— Eu te amo, Taehyung. — Seu tom de voz era firme, e ele não desviou o olhar em nenhum momento. Taehyung tinha os olhos arregalados, totalmente surpreso com o que acabara de ouvir. — Eu te amo, e não vou desistir de você. De jeito nenhum. Não me importo se você me odeia, se me que longe, realmente não me importo. Eu prometi que te protegeria e que sempre estaria com você, e, sabe, eu não costumo quebrar  minhas promessas.


Notas Finais


Oi!

Gente, vocês acham que os capítulos estão melosos demais? Querem que eu melhore algo? Conversem comigo! ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...