História Burn - Anjos e Demónios - Capítulo 17


Escrita por: ~

Postado
Categorias Miraculous: Tales of Ladybug & Cat Noir (Miraculous Ladybug)
Personagens Adrien Agreste (Cat Noir), Marinette Dupain-Cheng (Ladybug)
Tags Anjos, Demonios, Miraculous Ladybug
Visualizações 877
Palavras 1.032
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Ecchi, Ficção, Fluffy, Hentai, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


H E Y!
Peço desculpa pela demora lindocas <3 Bloqueio de criatividade YuY
Mas bom, aqui está o capítulo, eu pretendia que o mesmo ficasse maior mas acho que vale muito a pena vocês lerem, por isso me resta dizer:

BOA LEITURA~

Capítulo 17 - Capítulo 17 - Inocência transformada em Malícia


ESTOU TENDO PROBLEMAS COM A CAPA DO CAPÍTULO, LOGO A MESMA SERÁ POSTADA.


A porta do apartamento alugado chocou contra a parede interior do quarto, trazendo consigo o esbelto corpo curvilíneo da mestiça.
Adrien teve o “cuidado” de chutar a porta ao entrar pelo local, não havia trancado a mesma pois...bom, era bastante óbvio que estava demasiado ocupado para isso, de momento.
As suas bocas tornaram a se encontrar com bastante violência e as suas línguas batalhavam novamente por mais espaço, enquanto isso, o loiro havia erguido a menor pelas coxas torneadas, fazendo com que a mesma contornasse as pernas pela sua cintura. Poupando-o de não ter de a apoiar contra a parede.
Ela sentiu o seu lábio inferior ser mordido pelo amado, os caninos dele chegaram a lhe tocar, aumentando um pouco a quantidade de sangue que agora fluía pela boca de ambos.
O demónio se deliciou com o novo gosto que provava.
A doçura parecia dançar sobre o seu paladar, mas não em demasia, pois se o tom doce crescesse, tornaria-se enjoativo.
O sangue escurecido de Marinette bailava sobre a sua boca faminta.
Adrien lambeu com lascívia o lábio inferior que havia mordido, recebendo mais uma vez a doçura do tipo sanguíneo da anja. De seguida, tornou a beijar o pescoço descoberto da sua lady.
Ela capturou aqueles cabelos dourados e não tardou a puxá-los sem pudor, sentindo os chupões que o loiro lhe aplicava aumentarem a cada minuto.
Se estendendo até seus ombros e parando quando fora atingido o seu busto.
A camisola, que fora novamente vestida por ela no carro desportivo, estava pronta para ser retirada. Outra vez.
Marinette esticou os braços apressada e Adrien riu travesso do seu ato.
Sem muitas demoras, ele tratou de lhe despir a dita camisola com apenas a mão direita, pois apertava-lhe uma das nádegas com a outra.
A vestimenta caiu no chão.
Antes de sequer puder lhe tirar o sutiã, o demónio sentiu a sua t-shirt preta ser puxada para cima.
Para ajudar a princesinha quanto a essa função, ele a apoiou ainda mais as costas dela na parede e esticou um poucos os braços, tornando a agarrá-la cheio de fervor.
A mestiça desceu o olhar ligeiramente, se deparando com todos os músculos definidos daquele maldito demónio.
O peitoral, os abdominais, os braços...era tudo delicioso de observar. Porém, Adrien não era tão musculado ao ponto de parecer um completo monstro.
Moderado, por assim dizer.
- Gosta do que vê? – sussurro ele perto do seu ouvido, maroto e travesso como sempre – Que sorte a sua ter o prazer de me ver tão perto, ainda por mais sem t-shirt.
- Cala a boca... – rosnou. As suas bochechas ganhavam um tom rubro.
Por fim, o gatuno pôde lhe retirar o sutiã de renda florido, deixando o seu rosto cair no peito dela. Lambendo e mordendo cada seio, imaginando que cada um poderia ficar com inveja dos seus carinhos.
Ele parecia cada vez mais esfomeado pela pele de Marinette.
Os gemidos baixos da azulada preenchia o espaço com lentidão, sentir o contato da língua quente dele contra a sua pele gélida era impagável e inacreditável.
Sorrateira, a anja decidiu alcançar o cinto das calças que ele usava, o abrindo e deixando a própria vestimenta cair a seus pés.
Adrien chutou as calças para um metro de si.
Ela tentava esfregar cada vez mais as pernas ao sentir o membro ereto do loiro roçar contra a sua intimidade. Se sentia tão...molhada, e isso chegava a ser bastante desconfortável.
- Adrien! – implorou chorosa.
O de cabelos cor-de-ouro bufou contra o peito dela, podia-se dizer que ele estava se divertindo bastante naquele local.
Mas, pensando bem, os seus boxers começavam a se tornar apertados demais.
Ele apertou a sua bunda com força, fazendo a mesma arquear levemente as costas e ronronar no seu ouvido.
Adrien riu satisfeito.
Passou a agarrá-la pelo traseiro com a mão esquerda, retirando os shorts e a calcinha dela com a direita.
Quanto aos seus boxers, Marinette tratou de os tirar com um dos próprios pés.
Ao passar o dedo indicador sobre os grandes e os pequenos lábios da menor, ele pôde perceber que ela estava muito molhada. Porém, só para garantir, ele deixou os seus dedos escorregarem pelo interior dela, provocando um alto gemido da mesma.
A anja o agarrou pelos ombros, encravando as suas unhas na pele parda dele.
De seguida, o ser demoníaco apoiou ambas as mãos na parede, afundando o seu rosto na curva do pescoço da amada.
- Eu vou tentar ser gentil. – avisou enrusbecido. 
Ele começou por, apenas, enfiar a cabeça de seu membro, ouvindo um leve resmungo da mestiça.
Marinette, com o loiro cada vez mais e mais dentro de si, começou a sentir uma certa ardência formigar pelo seu ventre e intimidade, a fazendo se remexer e resmungar.
- Está doendo muito? Quer que eu pare?
- N-Não, continue. – ela gaguejou por um momento, mas estava determinada.
Quando, finalmente, ele a havia penetrado por completo a mestiça decidiu soltar o ar que antes tinha sido preso pela mesma. Apesar de aquela sensação incomoda predominar.
Porém, isso se foi dissipando quando as leves estocadas começaram.
Ela tornou a gemer com os choques de prazer que sentia, isso fora como um estímulo para que Adrien aumentasse a velocidade.
O demónio sentia as unhas dela desceram pelas suas costas, chegando a arrastar um pouco de sangue consigo.
A certa altura, Marinette chegava a pular de tão fortes que eram as estocadas, enquanto os seus gemidos altíssimos ecoavam perante o quarto inteiro. Pouco tempo depois, Adrien gozou, a fazendo sentir-se ser preenchida por algo inexplicável, agarrando o corpo da sua lady com voracidade.
Mas ela ainda não tinha chegado ao seu ápice.
Ficaria aquilo por ali? 
Ficaria com aquela sensação de “querer mais” durante toda a noite?
Foi então que ele continuou com as estocadas quase da mesma maneira com que havia terminado. 
- ADRIEN!– ela acabou por gritar o seu nome depois de mais alguns minutos, igualmente gozando sob ele.
Arfavam cansados enquanto o loiro se retirava de dentro dela e a carregava em direção à cama.
Parecia que a pura inocência se havia transformado na mais profunda malícia.


Notas Finais


Eaí lindocas, gostaram? Não gostaram? Querem deixar algum conselho?
Bom, me resta dizer:

BEIJINHOS DA BUG COM NUTELLA~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...