História Burning desire - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Elle Fanning, Tokio Hotel
Personagens Bill Kaulitz, Elle Fanning, Georg Listing, Gustav Schäfer, Personagens Originais, Tom Kaulitz
Tags Adultério, Elle Fanning, Georg Listing, Ninfeta, Romance, Traição
Exibições 24
Palavras 1.687
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Festa, Hentai, Musical (Songfic), Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oi!
Aqui acaba oficialmente a enrolação \o/ (ou não)
Link de música do capítulo e as roupas da Stacy nas notas finais. ~A música é tranquila, mas acho que combina perfeitamente com o clima~
Boa leitura!
:*

Capítulo 10 - Neon demon


Fanfic / Fanfiction Burning desire - Capítulo 10 - Neon demon

Stacy’s POV:

Voltei para minha barraca e encontrei Alicia com os olhos arregalados, esperando que eu dissesse algo.

̶̶̶ E aí?

̶̶̶ Calma, não aconteceu nada.

̶̶̶ Como nada? – perguntou, indignada – MENINA, DÊ UM TAPA NA SUA CARA ANTES QUE EU DÊ!

̶̶̶ SHHHH! Fala baixo!

̶̶̶ Se não aconteceu nada, o que tu fez lá?

̶̶̶ Antes de ele sair daqui, eu notei um volume no short dele. Quando eu entrei lá, ele estava meio suado e agindo estranho, sabe? – Ela deu um sorriso safado.

̶̶̶ Será que ele bateu uma pensando em você? – supôs, ainda com o sorriso nos lábios.

̶̶̶ Acho que sim...

̶̶̶ Esse flerte de vocês está mais avançado do que eu imaginava.

̶̶̶ Sabe... Eu tenho medo de causar problemas pra ele, mas não consigo me esquivar. Eu gosto de como ele olha pra mim, quando ele me toca, e quero mais. Tudo nele me puxa para mais perto.

Stacy’s POV off / Alicia on:

Sempre notei a forma como Georg olha para ela. As meninas do nosso grupo também comentam sobre isso, qualquer pessoa percebe que ele olha diferente para Stacy, como se não pudesse disfarçar. Na sexta passamos a noite lá, e a coisa foi tão longe que a Susanne percebeu também. Talvez ela não tenha tomado consciência disso ainda, deve pensar que foi porque ele estava bêbado, porque estávamos brincando... Mas ele sabe que não. Aquela noite na praia eu vi como ele ficou quando Stacy tirou o vestido e depois “agarrou-a” por trás. Hoje ficou ainda mais claro que sua atração por ela não é um caso simples de se resolver, uma mera admiração por sua beleza que possa ser saciada apenas no olhar. As coisas já tomaram outra profundidade. Não é como Jörg e os outros meninos, Georg demonstra ter um verdadeiro fetiche por ela, uma obsessão. Por isso mesmo é visível que ele sente medo, mas não dela. Medo de si mesmo, das próprias vontades em relação a ela. Não sei o que ele realmente pensa, mas é notável que ele tenta tomar cuidado, porém não consegue o quanto gostaria. Se conseguisse, afinal, ninguém perceberia. Stacy, por sua vez, no início não dava muita importância a isso. Ela não percebe o quanto é atraente, pelo menos não ao se comparar a alguém como a Susanne. Ela também sempre achou o Georg interessante, mas não levava a sério a possibilidade de ele achar o mesmo. Quando finalmente percebeu, tentou fingir que nada havia mudado, mas ela própria começou a perder o controle sobre a situação e se aproximar mais dele. Eu a conheço bem, sei que isso foi proposital. Ela gosta de descobrir e atiçar o desejo quando é mútuo, gosta do jogo de olhares e de se aprofundar aos poucos nos pensamentos da pessoa. Ambos só esqueceram que tem alguém entre os dois...

Ou não.

---------------------

Alicia’s POV off / Georg on:

Depois do fim de semana passado, no acampamento, não vi mais Stacy. Confesso que queria vê-la, conversar com ela, mas Jörg estava concentrado nos treinos e não trazia os amigos pra casa. No meio da semana teria outro jogo, e depois ele estaria livre novamente. Não pude ir vê-lo jogar, mas ao sair de campo ele me ligou e disse que haviam ganhado. Imaginei que chegaria em casa e encontraria os meninos com seus uniformes de time e as líderes de torcida com suas saias listradas bebendo refrigerante na área de convivência, mas meu sobrinho sequer havia chegado.

̶̶̶ Onde você está? – Liguei para ele.

̶̶̶ Na casa de um dos meus companheiros de time.

̶̶̶ E tá fazendo o que aí?

̶̶̶ Estamos combinando uma festa pra comemorar o jogo.

̶̶̶ Outra?

̶̶̶ Sim! Não gostou da ideia?

̶̶̶ Se a festa for boa, sim.

̶̶̶ Vai ser! Daqui a pouco vou embora.

̶̶̶ Ok, tchau.

No fim de semana...

 

Dessa vez eu não participei das compras, só ajudei a arrumar a casa. O tema da festa era neon, eles compraram vários copos, pulseiras, óculos, tintas, drinks e várias outras coisas que brilhavam sob luz negra. Antes de anoitecer acabamos os afazeres e fomos nos arrumar.

As pessoas começaram a chegar cedo, as meninas trouxeram batons neon e no início da festa os convidados se divertiam pintando o rosto e o corpo com as tintas. Fiquei andando de um canto pro outro bebericando algumas coisas, estava inquieto. E sabia muito bem o porquê. Não queria admitir, mas estava procurando por Stacy, sua demora me deixava louco. Caminhava lentamente por toda a casa feito um maníaco, esperando que ela já tivesse chegado. Alicia me encontrou enquanto eu caminhava pelos cômodos em meus devaneios.

̶̶̶̶̶̶̶ Está procurando a Stacy? – Ela me perguntou com um sorriso enigmático, como se fosse óbvio. Fiquei intrigado e me perguntando como ela sabia disso, mas por via das dúvidas, neguei.

̶̶̶̶̶̶̶ Não, apenas... Vendo o movimento. – Ela não pareceu convencida, mas não se demorou. Foi para a cozinha.

O destino parecia planejado, eu estava lutando contra meus impulsos para manter as coisas no lugar, mas estava determinado que não seria assim. Eu queria fugir e evitar que aquela chama se acendesse naquela noite, mas não estava disposto a ir para a cama sem saber o que poderia ter acontecido se eu ficasse.

E ela chegou.

Estava radiante como uma rainha, tão sexy quanto Freya. No seu rosto brilhavam de longe a boca, os olhos com delineador branco, um deles com purpurina em volta e duas listras de tinta nas bochechas. Nos braços também tinham desenhos de estrelas e luas. Ela vestia um cropped preto de ombros livres e um short bem curto, mostrando sua barriga definida. Calçava um tênis holográfico branco, os cabelos estavam soltos e batiam na altura das costelas. Ela veio em minha direção me cumprimentar, então eu percebi que em sua blusa estava escrito “dangerous woman”. Ela nem imagina o quanto isso faz sentido. Senti seu cheiro doce invadindo meus sentidos, querendo que ela ficasse mais tempo ali. Ela saiu de perto, olhou para trás como se soubesse o que eu estava pensando, e eu a segui com os olhos. Fui à cozinha e peguei outro copo.

          Sexta-feira, estou sonhando a mil por hora com alguém

Essa sensação, eu quero me jogar nela, porque não tem jeito
De nos escondermos disso esta noite, oh, esta noite

 

Ela dançava entre as pessoas e me fitava de longe. Eu desejava que todos naquela casa fossem abduzidos para nos deixar a sós.

Dá para dizer que você me quer

Pelo jeito que me olha do outro lado da sala, amor

Fui dar uma volta, tentar parar de pensar nessas insanidades, mas era impossível com toda aquela gente bêbada por todos os cantos e a música alta nos ouvidos.

                     Explodindo até o teto, estamos queimando

Quando ultrapassamos o limite

Não tem chance de evitar isso esta noite, esta noite

Decidi ir até o ateliê, onde eu ficaria sozinho para esfriar a cabeça e sabia que ninguém iria me incomodar. Ao entrar, tive uma surpresa. Stacy estava lá, naquela escuridão que só não era total por causa da iluminação do jardim, que entrava pela janela. Instintivamente tranquei a porta, então ela notou que eu estava lá.

̶̶̶̶ O que está fazendo aqui? – Perguntei, me aproximando lentamente.

̶̶̶̶ Eu tinha ido ao banheiro, fiquei alguns minutos lá porque meus ouvidos estavam exaustos com o volume da música, então me lembrei do ateliê. Desculpe entrar assim... – Pausou – Bom... E também, você tinha sumido... Pensei que tivesse saído com a Susanne. A festa não tem graça sem você.

         Eu só quero que você me faça mexer

Como se você não tivesse escolha, como se fosse seu dever
Só quero que você me levante do chão
Algo sensacional

Sorri para o que ela disse. Stacy se encostou na mesa, e automaticamente senti um impulso e me aproximei de seu rosto, deslizei minhas mãos por sua nuca, encostando nossos narizes e pressionando meu corpo contra o seu... Parei por alguns instantes e pensei o quão errado seria aquilo, mas sentir seu cheiro e seus batimentos tão de perto me fez querer continuar. Beijei-a como se estivesse saboreando o melhor dos vinhos. Nos beijamos intensamente, querendo sentir cada centímetro da boca um do outro. Aquele momento parecia ter sido combinado para acontecer. E era tão bom quanto eu imaginava que seria. Ela passava os dedos pelos meus cabelos e me puxava para outro beijo assim que eu parava pra tomar fôlego, e eu logo me esquecia disso quando encontrava suas curvas nas minhas mãos em meio àquela escuridão. Sua pele é tão macia que tocá-la com força parece até um crime, mas eu não conseguia evitar. Queria senti-la por inteiro, queria a certeza de que ela estava ali e não era um delírio. Seu cheiro e o sabor de sua pele me preenchiam, era uma sensação inexplicável. Levantei-a e a sentei na mesa, me ajeitando entre suas pernas. Passava minhas mãos por elas e a puxava para mais perto, mesmo não havendo mais espaço entre nós. Ela passava suas mãos por todo o meu tronco por baixo da camisa, seu toque transmitia a sensação de que ela desejava aquilo tanto quanto eu. Seus lábios passeavam cuidadosamente pelo meu pescoço, atentando para não deixar marcas. Eu não resisti a deixar alguns roxos bem visíveis, a marca de que eu estive ali. De qualquer forma, qualquer atrito com sua pele tão branca já deixaria manchas, e eu não conseguiria evitar certa truculência. Meu membro já completamente ereto por baixo das roupas latejava quando entrava em atrito com seu short.

̶̶̶̶ Queria poder sentir todo seu corpo por baixo das roupas... – Disse, deitando-a na mesa e olhando em seus olhos.

̶̶̶̶ Você não imagina o quanto eu também quero.

̶̶̶̶ Esperei tanto por isso... – Disse, abaixando a cabeça. Sai de cima dela, ela se levantou e sorriu para mim, como se dissesse o mesmo. Peguei-a pela cintura e beijei novamente. – É melhor voltarmos para a festa.

̶̶̶̶ Sim.

̶̶̶̶ Você vai primeiro. E retoca o batom.

Ela foi e eu fiquei sentado na mesa. O que foi que eu fiz?


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...