História Burning Ice - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias As Crônicas De Gelo e Fogo (Game of Thrones)
Personagens Arya Stark, Brandon "Bran" Stark, Catelyn Stark, Eddard Stark, Rhaegar Targaryen, Robb Stark, Sansa Stark, Theon Greyjoy, Viserys Targaryen
Tags Ação, Jonerys, Outras Personagens, Romance
Exibições 39
Palavras 979
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Fantasia, Fluffy, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Desculpem a demora....

Capítulo 4 - Perturbações


NED

- Ned, acorda meu amor. – Catelyn passava-lhe suavemente a mão pela testa suada e Eddard apercebeu-se de que ainda tremia.

Vivia as suas mentiras há já quinze anos e sonos perturbados não lhe eram estranhos, no entanto , cada vez que sonhava aquele sonho – já antigo e bem conhecido - , acordava sempre da mesma maneira: assustado e encharcado em suores frios.

 Eramos sete contra três…Mas os três cavaleiros da Guarda Real não eram homens quaisquers…

 Um por um, os companheiros de Ned tinham sucumbido, até apenas restar ao seu lado o cragomano Howland Reed.

  Jamais esqueceria a aflição na voz de Lyanna quando lhe segurara a mão e suplicara com o que lhe restava da sua força vital.

Promete-me Ned, promete…

- Foi só um sonho Cat, estou bem.- assegurara Eddard à esposa.

A hora já era tardia e por isso Ned levantou-se e procedeu a preparação dos deveres que o esperavam. Vayon Poole , o seu intendente, esperava-o no solar para reverem as contas a respeito do banquete dado em honra da princesa Daenerys.

 Ainda de mente enevoada e de olheiras profundas , à custa das noites mal dormidas que o assolavam cada vez mais ultimamente, Ned caminhava ao encontro de Vayon em passos incertos ao som do embate de espadas de treino, provenientes do pátio. Tão cedo Robb?E Jon também, provavelmente…

  Quando chegou ao solar , Ned sentiu-se agradecido ao ver o fogo a crepitar na lareira, cortesia de Vayon Poole, e quase se decidiu a sentar no aconchego do seu cadeirão…Mas deu-lhe uma vontade repentina de ver os filhos.

Arya já deve andar atrás de Bran para o arreliar e com Rickon no encalço…Sansa aos sussurros e risinhos com outras raparigas e Robb de espada na mão, incansável…

 Abandonando o calor confortante do solar, Eddard percorreu o caminho de volta à porta.

- Caminha comigo, Vayon.

 

SANSA

  Movia a agulha com destreza na sua mão e com o bordado quase terminado, Sansa admirou o dragão que parecia respirar fogo incrustado no tecido. Nunca antes se havia esforçado tanto num bordado e esperava que a princesa gostasse do presente.

  Daenerys estava ao seu lado , também de agulha na mão e apesar de Sansa notar as imperfeições na forma como a princesa costurava, decidiu ser cortês e nada dizer.

-  És muito talentosa Sansa. Ganharia muito em aprender a bordar contigo- observou Daenerys e Sansa sentiu-se extasiada ao constatar que a princesa admirava o seu bordado.

- É um presente para vós, minha princesa.- Sansa sorria expectantemente.

- É muito amável da tua parte ,Sansa – concedeu  a princesa – mas não te esqueças que vou estar aqui por muito tempo, por isso trata-me por Daenerys.

  O sorriso de Sansa era radiante mas quase se desfez ao ouvir Arya bufar exasperadamente, debatendo-se com os bordados e prestes a iniciar mais uma discussão com Septã  Mordane.

Não vou discutir com ela. Não agora, que temos uma princesa entre nós.Sansa decidiu manter-se calma como uma verdadeira Senhora, tal como a sua mãe a havia ensinado e então chamou pela Septã  Mordane, que agora falava com Arya num tom irritado e com o pescoço e as faces vermelhas de embaraço que a irmã de Sansa causava perante a princesa.

- Septã,  a hora de lição está quase no fim, talvez pudesse deixar-nos ir lá para fora?

A velha mulher parecia determinada a terminar as instruções de costura, mas mudou de ideias quando Sansa acrescentou:

- Ainda não pude mostrar o resto de Winterfell à princesa Daenerys…

 Arya foi quem ficou mais alivida e chocou Sansa quando lhe agradeceu e depois lhe agarrou no braço, levando-a alegremente para o pátio.Daenerys e Jeyne seguiam logo atrás.

 Robb lutava ferverosamente com Theon. O seu irmão já demonstrava sinais de cansaço, no entanto era Theon quem levara mais golpes ao julgar pela armadura amolgada. O meio-irmão bastardo, Jon, esperava a sua vez, encostado à vedação de espada na mão.

  Sansa reparou que mais acima, o seu pai observava o duelo e ao mesmo tempo conversava com Vayon Poole, o pai de Jeyne, que nesse momento repuxava a manga de Sansa.

- Sansa!Estou a falar contigo…!

 Sansa desculpou-se e virou-se para a amiga que continuou, o desagrado pleno nas suas feições.

- Olha a tua irmã!Já está a levar a princesa…- queixou-se Jeyne carrancuda.

E era verdade.Arya já estava a tagarelar com Jon e a envolver Daenerys na conversa.Sansa gritou pela irmã e isso chamou a atenção do pai e do intendente.Arya virou-se contrariada e foi de encontro a Sansa enquanto que o pai de ambas se aproximava, antecipando uma discussão e logo que chegou Sansa apressou-se a dizer:

- É a Arya!Está sempre a intrometer-se e a aborrecer a princesa…!

  O Senhor seu pai estava de cenho franzido, já um pouco irritado e cansado das disputas das filhas.

Sansa não podia acreditar.Depois de a livrar da lição de costura, ela atreve-se a fazer-me isto?

Antes de poder terminar o seu discurso, Sansa foi interrompida pela irmã mais nova.

-Não, pai!Não é verdade!Eu gosto da princesa, não estou a aborrecê-la…- depois virou o olhar para Sansa – Olha para a Daenerys, estúpida, parece-te aborrecida?

Sansa fitou a princesa e viu que Arya tinha razão.Daenerys sorria e conversava animadamente com Jon.

Sentido-se à beira das lágrimas, Sansa começou a lamentar profundamente ter começado a discussão e começou a pedir mil perdões ao pai.No entanto Eddard tinha o olhar fixo em Jon e Daenerys num misto de medo e preocupação que baralhou Sansa e antes de acabar de se desculpar pelo sucedido o seu pai interrompeu-a num piscar de olhos.

- Sansa, leva a tua irmã e a princesa Daenerys para dentro, o pátio de treino não é lugar para raparigas- disse o pai, de olhar ausente e voz ríspida.

Sansa só pôde abrir a boca em ultraje e depois levantar-se relutantemente, amaldiçoando Arya por ser tão selvagem.


Notas Finais


Acontecimentos mais importantes virão, Espero que o capítulo não tenha sido muito aborrecido. Algumas coisas serão esclarecidas ao longo do tempo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...