História Burra Apaixonada(eu) - Capítulo 16


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 7
Palavras 793
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 10 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Escolar

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Esse é o final que eu queria que fosse verdade, é o melhor final, porque o da vida real é uma bosta kkkkkk mais vou postar daqui a pouco, porém eu peço que considere mais esse do que o outro, mais isso fica por conta de vocês desde já eu agradeço por tudo!!

Capítulo 16 - Final Alternativo


Final alternativo


Era dia de se despedir dele meu coração estava a mil, eu me arrumei da melhor forma para ir encontrar ele, eu coloquei a carta na bolsa e fui para escola pegar o resultado. Ele demorou um pouco para chegar, porém antes tinha chegado a Sophia e ela estava me acalmando, “como vai ser a reação dele quando entregar a carta?”.

*Eu escrevi mais uma carta, uma falando que a amava ele e outra se despedindo

Quando ele chegou eu fiquei muito nervosa, eu e a Sô estávamos no banco do pátio, ele veio até nós depois de falar com a broaca da Angélica eu vi que ela entregou algo para ele, mas não dei bola.

-Oi meninas- estava sem jeito depois da merda que fez, mesmo depois de tudo eu ainda tinha um pouco de esperança, mas quando vi ele falando com a vaca pensei em socar a cara dele em vez de beijar.

-Oi- respondemos em só tom

-você já pegou o resultado?- perguntei a ele

- Já sim, passei e vocês?

-Passamos- eu respondi por nós duas.

A Sô inventou de ir no banheiro e deixou a gente sozinhos, senti que ele ficou um pouco sem jeito e tremi na base com vergonha, pensando “e agora?”.

-Rafael pode vir comigo na nossa sala? acho que esqueci minha carteira!- disse levantando e puxando a mão dele antes dele responder.

- Tá boom..- ele veio de bom para minha surpresa.

Subimos a escada e entramos na nossa sala que estava vazia como imaginei, e por Deus tinha colocado uma porta naquela sala. Eu tinha deixado minha carteira lá de propósito em cima da cadeira no fundo da sala, dentro dela estavam as cartas.

-Rafael pega ali pra mim por favor- mas uma vez ele fez o que eu pedi sem reclamar, enquanto isso fechei a porta.-agora por favor abra e leia a carta, assim ele fez.

Eu cheguei mais próximo dele, ele pegou primeiro a da despedida e leu, senti que ele soltou uma lágrima, colocou o cordão assim que viu que ele estava lá, quando ele pegou a outra eu cheguei bem mais próximo dele, uma distância suficiente para ele não se assustar.

Pude perceber que ele estava lendo atentamente a carta e fiquei trêmula por ele não expressa alguma reação de ódio ou ansiedade.

Quando ele acabou nós trocamos olhares e eu disse:

-E aa…- não deu tempo de terminar ele me puxou pela cintura com uma mão e com a outra puxou a minha boca para perto da dele e me beijou, como eu esperei por aquele momento, dessa vez eu não quis bater nele e nem ri, me deixei levar e me entreguei a ele, quando eu eenterrompi,nós nos olhamos, sorrimos e voltamos a nos beijar de novo, eu queria continuar naquilo para sempre mais tinha que sair dali. Eu interrompi o beijo e nos olhamos, como aquela canalha tinha olhos lindos e eu estava apaixonada por eles, quando ia falar alguma coisa ele me interrompeu e se ajoelhou na minha frente e tirou uma caixinha de anel do bolso, eu fiquei sem reação COMO ASSIM ELE JÁ SABIA DE TUDO? AQUILO ERA PARA MIM ? COMO ASSIM???

- Quer namorar comigo e dar a chance a esse otário de tentar te fazer feliz Ana Carolina?- ele abriu a caixa era um anel prata com uma pedrinha brilhante no meio.

Eu olhei no fundo dos olhos dele, me aproximei de seu rosto e beijei sua testa, e disse :

-Sim, meu babaca!

Ele levantou a gente não sabia se sorria ou se abraçava, depois que acabou a euforia ele colocou o anel no meu dedo.

-Eu tenho que contar para Sôphia!- disse para ele

-Acho que ela já sabe, ela me ajudou a escolher o anel

-Aquela vaca fez isso? Como ela teve coragem?- nós rimos muito do modo que falei- mas vamos descer então!!

Então descemos aquela escada de mãos onde tudo começou, começou com aquele tombo na escada o que me fez lembrar que eu nunca tinha contado o motivo de ter chorado naquele dia.

-Eu estava chorando por causa que vi o Marcos beijando outra no bebedouro- disse dando uma espiada nele no canto do olho.

-Eu presumi, mais agora você está comigo e eu te amo, sempre te amei só demorei bastante tempo para perceber isso, desculpa por ser tão trouxa.- disse olhando para mim e olhei para ele

-Ainda bem que você sabe que você era trouxa, mais eu também te amo.

Ele me deu um selinho e continuamos a descer as escadas de mãos dadas.

Quando chegamos lá embaixo todos olharam, mas vi que ele não ligou, apenas segurou minha mão mais forte e continuamos a procurar a Sophia para contar a ela.

Naquele momento eu vi, eu senti que o meu lugar era do lado dele, como eu amava aquele babaca, mas agora ele era O MEU BABACA.




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...