História Buscarei vingança - Capítulo 32


Escrita por: ~

Exibições 15
Palavras 1.248
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Mistério, Policial, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Insinuação de sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 32 - Sede de vingança


Fanfic / Fanfiction Buscarei vingança - Capítulo 32 - Sede de vingança

Os homens foram atrás de Mike.

Eu: Salva ela por favor.

Sheldon: Deixa comigo.

Eu corri atrás do Mike.

Ouvi Sheldon gritar: "Ambulância. Socorro. Ela está ferida."

Depois esses gritos passaram a ser apenas apenas pequenos barulhos.

Eu estava com ódio. Eu queria ver Mike morto. E não me importava se eu poderia ser presa, não me importava se ele ia morrer. Eu estava com sede de vingança.
Eu buscaria vingança.

Os homens se espalharam, que por sinal não era uma casa e sim um enorme prédio, com apartamentos enormes.

Eu parei, não sabia onde Mike estava.

Pensei: Se eu fosse o Mike, onde me esconderia?  Pense como um psicopata. Pensa. Pensa. Pensa.

- Terraço.

Porque um terraço? Os homens estariam ocupados demais com os quartos e esqueceriam de lá, dando tempo a ele para fugir.

Eu fui para o terraço. Estava sem agentes e ele estava em pé na beirada do prédio.
Havia helicópteros, carros da polícia em baixo, ele estava cercado e não tinha para onde correr.

Mike: Foi bom te ver sofrer. Mas foi melhor ainda ver sua mãe.

Eu apontei a arma para ele.

Alguém falou.

- Se acalma Ju, ele está querendo brincar com você.

Era Romeu.

Lágrimas caiam.

Eu: Você vai morrer.

Mike deu uma risada alta e maléfica.

Mike: Você não vai me matar. Você é fraca.

Eu dei um risada.

(Eu chorava, ria e estava cheia de odio)

Eu: A última pessoa que me subestimou não se deu bem.

Ele andava na beirada do prédio.

Eu: FICA PARADO.

Mike: Se você quisesse matar, já tinha matado.

Romeu: A maior vingança é agir diferente daquele que te feriu.

Eu mostrei minhas feridas para ele.

Eu: Se fosse apenas isso aqui, estava tudo bem. Mas ele feriu mais que isso. Ele feriu minha mãe e meu pai. Pessoas que amo.

Mike ria.

Eu: CALA A BOCA.

Homens chegaram perto dele.

- Saia daí.

Mike: Tô de boa aqui. Mas bem que eu queria estar lá dentro, cortando e batendo naquela vadia da sua mãe.

Eu atirei. Mas não garrou nele.

Mike: Isso foi para assustar?

Ele riu.

Mike tirou uma arma bem pequena do bolso.

Mike: Sabe essa arma aqui? Ela é bem pequena mas faz um estrago..

Eu: Cala sua boca.

Mike: É estranho como em questão de segundos, você pode ser apenas uma memória.

Eu: Você vai apodrecer.

Mike: Não na cadeia.

Eu: Game over.

Mike: Adeus Juliet.

Ele atirou e depois se jogou do prédio.
Eu dei vários tiros seguidos. Tiros que eu tinha certeza que não havia acertado nele.

Ajoelhei no chão e lágrimas caiam dos meus olhos.

Romeu: Acabou.

Ele se ajoelhou junto a mim e me abraçou.

Eu: Minha mãe? Onde está minha mãe?

Romeu: Ela está sendo encaminhada para o Hospital.

Eu: Eu tenho que ir até ela.

Romeu: Eu sei o que você está sentindo mas esse não é o momento.

Eu: Eu tenho que ir até ela.

Romeu: Você está ferida.

Eu: E-eu matei ele Romeu.

Romeu: Você não matou Juliet.

Eu: Se eu não estivesse aqui... Eu poderia ter deixado ele fugir.

Romeu: E ele ainda ia continuar te ameaçando e fazendo maldades com você e sua mãe.

Eu: Tenho que ver minha mãe.

Sheldon veio até nós.

Sheldon: Ela já foi socorrida.

Eu: Preciso ficar perto dela.

Sheldon: Primeiro você tem que cuidar de você. Mas antes eu queria te perguntar se você viu mais alguém nesse lugar.

Eu: Não.

Sheldon: Sabe o Ed?

Eu: Ed? Agente?

Sheldon: Ele estava preso aqui também e esta desacordado. Parece que estava a alguns dias a mais que você.

Eu: E-eu não sabia.

Romeu: Vamos, você tem que ir para um hospital.  Esta sangrando.

Eu: O desgraçado atirou em mim.

Romeu: Foi de raspão. Mas a situação não tá boa.

Eu: Vamos.

Ele me levou para dentro de uma ambulância. Me colocaram  em uma maca.

Romeu: Você vai ficar bem.

Eu: Espero que sim.

A médica injetou a anestesia em mim.

Médica: Você vai dormir umas horas. Faremos uns exames em você, não se preocupe. Esta tudo sobe controle.

Eu: Ta.

Romeu: Eu estou aqui com você.

Ele beijou minha mão.

Eu durmi.

Horas depois...

Acordei na sala de hospital. A médica estava do meu lado.

Médica: Até que enfim acordou.

Eu: Tanto tempo não dormia assim.

Médica: Você delirou um pouco.

Eu: Imagino. 

Médica: Bom, basicamente, você fraturou o braço por conta da bala, está com hematomas graves e está com infecção.

Eu: E minha mãe? 

Médica: Ela está bem. Perdeu muito sangue, precisou de doação.

Eu: Eu dou.

Médica: Não precisa, já doaram.

Eu: Posso ver ela?

Médica: Ela está descansando. Ela também está com uns hematomas graves. Por sorte não pegou uma infecção. Agora você que precisa descansar.

Eu olhei para o outro lado e estava Romeu dormindo.

Eu: E ele?

Médica: Não desgrudou de você um minuto.

Eu dei um sorriso bobo.

Médica: Amanhã irá fazer novos exames.

Eu: Mais exames.

Médica: É.

Eu: Estou com sede. Você poderia..

Meu braço estava enfaixado, não tinha como pegar.

Médica: Claro.

Ela pegou e me deu.

Médica: Agora descanse.

Eu: Ok.

Médica: Se precisar é só chamar.

Eu: Ta.

Ela saiu.

Eu me aconcheguei na cama.
Romeu acordou.

Romeu: Você está bem?

Eu: Poderia ser melhor. E você?

Romeu: Estava preocupado.

Eu: Não precisa. E sua mãe?

Romeu: Ela ainda está em um situação ruim. Conversa pouco. Eu não sei mais o que fazer.

Eu: Vem cá.

Ele chegou perto de mim.

Eu: Deita aqui.

Romeu deitou.

Eu: Muito bem. Tá mas eficiente que cachorro castrado.

Ele riu.

Romeu: Só você mesmo.

Eu: Olha aqui. Eu não quero te ver triste.

Romeu: Todos mundo que eu amo está...

Eu: Ninguém vai morrer Romeu. Você ainda vai ter que me aturar por muito tempo. Sua mãe? Ela acho que vai ficar bem feliz em saber que não vai mais fazer piadinhas sobre a gente.

Romeu: Isso me deixava constrangido.

Eu: Nem me fale.

Romeu: Quando eu e você terminamos, não fiquei com ninguém, por muito, muito tempo. Nada sério aconteceu, nunca fiquei apaixonado. Ninguém mexeu comigo. Foi como se meu coração tivesse congelado e senti isso por muito tempo... Até você aparecer, de novo, é claro...

Eu: Romeu...

Romeu: Então eu percebi que eu nunca deixei de te amar. Meu coração congelou, não porque eu não encontrava outros amores, ele estava congelado porque eu ainda te amava e tinha esperança de ter você em meus braços.

Caiam lágrimas dele e de mim.

Eu: Quando terminamos, eu fiquei muito triste. Você foi o meu primeiro...

Romeu: E pretendo ser o último.

Eu: Então eu deixei a cidade. Depois voltei e fiquei te evitando. Parecia que eu tinha esquecido. Fiquei com uns caras, mas nada sério. Aí meu pai morreu e duas semanas depois você me aparece e fala comigo, depois de tanto tempo. Acontece aquilo tudo entre a gente, achei que poderia ficar com o Gus, mas ...
E é incrível, porque as vezes você não vê que a melhor coisa que aconteceu a você está aí, bem sobe o seu nariz.

Romeu: Sua tentativa de ficar longe de mim não diminuiu o que sinto por você.

Eu dei um sorriso bobo.

Eu: Isso é bem louco.

Romeu: Uma hora é uma coisa e do nada se torna outra.

Eu: Mas é uma loucura boa.

Romeu: Eu te amo Juliet.

Eu: Eu te amo Romeu.

Ele encostou sua cabeça no meu ombro.
E dormimos.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...