História But No One Cares - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Alan Ferreira (EDGE), Cauê "BaixaMemoria" Bueno, Felipe "Febatista" Batista, Felipe Z. "Felps", Lucas "Luba" Feuerschütte, Lucas "T3ddy" Olioti, Malena "Malena0202" Nunes, Marco Tulio "AuthenticGames", Rafael "CellBit" Lange, Rafael "Guaxinim" Montes, TazerCraft, Thiago Elias "Calango"
Personagens Alan Ferreira, Cauê Bueno, Felipe "Febatista" Batista, Felps, Lucas "LubaTV", Lucas Olioti, Malena0202, Marco Tulio "AuthenticGames", Mike, Pac, Personagens Originais, Rafael "CellBit" Lange, Rafael "Guaxinim" Montes, Thiago Elias "Calango"
Exibições 23
Palavras 2.470
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Hentai, Lemon, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Insinuação de sexo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Heey galera❤
Lila_Neko_Chan falando❤
E bem vindos a But No One Cares❤
Capítulo novo❤
Veio contudo.❤

Espero que vcs gostem.❤
Boa leitura.❤

A e obrigada por tudo. Amo vcs ❤❤

Capítulo 6 - A vida normal também pode ser de uma pessoa mágica...


Fanfic / Fanfiction But No One Cares - Capítulo 6 - A vida normal também pode ser de uma pessoa mágica...

Acordo cansada. Eu realmente queria dormir mais, mas eu não posso me atrasar. A minha vida sempre sendo boa. Olha que interessante. Que horas são, agora?

Pego meu celular que está no criado-mudo, ao lado de minha cama, usando o botão de ligar/desligar ligo a luz e consigo ver a hora expressa nos números padrões do meu celular.

Que indicavam que eu sou uma mula.

Meu despertador tocaria apenas daqui 2:00. Eu simplesmente resolvi acordar as 5:00 da manhã. É. Esse é o meu nível de inteligência.

Olho para o lado e lá está a Manu. O que será que ela foi fazer ontem a noite? Porque não estava aqui na hora em que cheguei?

Deixo meus pensamentos de lado e me levanto com a maior preguiça do mundo. Aliás, que dia é hoje?
Pego novamente meu celular e vejo que hoje 15/02. Não sei porque quis saber. Talvez para saber a data quando me perguntarem? Acho que sim.

Caminho calmamente, tentando não fazer barulho, o que geralmente não funciona porque não sou nada silenciosa, e com certeza essa não foi uma exceção, até meu guarda roupa de The Sims 4 e tiro de lá um macacão jeans curto. Um normal, mas porém muito bonito. E uma blusa branca. Lisa. Apenas isso. Pego também uma meia branca e da parte da sapateira consigo pegar meu all-star preto com cano médio e me dirijo ao banheiro para ver se com um banho consigo tirar essa preguiça de mim. O que é humanamente impossível. Mas ok.

Tiro rapidamente minha roupa, já que não faz muito sentido tomar banho com as mesmas, e entro ligando calmamente o negócio de cair aqua que eu esqueci o nome agora, e logo a aquinha começa a cair sobre mim. Se parar para pensar. O que eu realmente só resolvi fazer agora. Ontem foi um dia completamente confuso.

Nem eu mesma consegui entender. Parece que as peças não se encaixam. Não faz sentido acordar não faz sentido. É como se faltasse algo. Não lembro de ter dormido mais sinto como se o estivesse o fazendo até agora. Porque a Manu iria querer me tirar do quarto e porque teriam tubos com unicórnios zumbis dentro?

Unicórnios, pelo o que minha mãe falou antes que morresse, são seres místicos que só pessoas mágicas os conseguem ver. Não faria sentido a não ser que uma pessoa mágica o fizesse.

Apesar de isso ser completamente proibido no mundo da magia.

E porque meus poderes de ler mentes não funcionaram com a Manu sendo que funcionam com todos? Não existe exceção. Provavelmente poderia ler a mente de meu pai se quisesse. E além de tudo isso. Porque a bomba botaria fogo se o mesmo é quase impossível, apenas por uma bomba.

A vida gosta de me torturar.

Desligo, completamente cheia de perguntas, o negocinho da aqua e saio do box. Logo após faço o mesmo esquema de me secar e logo depois me visto com a roupa que antes havia separado. Caminho em frente ao espelho e me olho. Porque não voltei a dormir?

Eu realmente estou merecendo uns tapas na cara. Como meu cabelo já estava seco, devido a magia, o penteei e faço uma trança para o lado. Tipo a da Elsa mas o meu cabelo não é branco.

Logo após pronta saio do banheiro e vejo que Manu ainda dorme. Pego meu celular e vejo a hora novamente. Havia se passado, exatamente 30 minutos. Talvez seje por isso que ela continua dormindo. Ou melhor. Talvez seja por isso que eu sou uma das únicas pessoas acordadas.

Saio do quarto atravessando a porta mesmo, assim aproveitava e não fazia barulho. Sabia que não havia ninguém por lá. Caminho calmamente até a biblioteca fazendo muito barulho pois não sou silenciosa. O que não é novidade.

Por mais que a biblioteca estivesse fechado atravesso a porta e rapidamente vou em direção a porta secreta. Logo vejo o nome do mesmo livro de ontem e o puxo. O que? Agora o que ontem abria uma passagem secreta está em minhas mãos. Folheio o livro. É simplesmente um livro normal.

Olho para a parede, tentando encontrar um vestígio de passem. Mas apenas à uma parede normal. Atravesso a estante de livros e a parede e dou de cara com o banheiro masculino.

Como pude esquecer-me desse detalhe. Não existiria uma passagem sendo que logo após havia um banheiro.

Recuo rapidamente para o ponto de partida. Não posso deixar que as pessoas me vejam lá e se perguntam com cheguei no mesmo. Eu só posso estar ficando doente da cabeça... Por mais que estou confusa, preciso desabafar com alguém que saiba de meus poderes. Ao meu alcance estão apenas os TazerCrafts. E também são os mais próximos. Por mais que seja uma pessoa mágica continuo tendo preguiça. Não me julgue.

Sabe o que é mais interessante nisso tudo? Eu penso como se estivesse falando com alguém. Como se alguém pudesse me escutar. Talvez seja isso mesmo. Talvez alguém leia todos os meus pensamentos e minha mente sabe disso. Talvez seja por isso que eu goste de falar sozinha.

Chego em frente ao quarto dos moços e logo bato na porta. Que logo é atendida por um ser fofo para um grande de um caramba, com o sono ao seu favor. Ficando assim muito fofo. Se fosse fanática por Mitw provavelmente tiraria uma foto e colocaria em um vídeo com legenda: “fofo demais para ser hétero”. Não que eu tenha preconceito com pessoas heteras que são fofas. Mas né. Assunto para outra hora.

-O que quer Bi?- pergunta ele com uma voz de sono- São 6:00 da manhã...- CARACA, já passou uma hora e eu simplesmente não percebi.

-Eu queria pedir ajuda...- Eu o falo. Ele sabe de meus poderes.

-Sobre o que?- Ele pergunta. Continuando fofo. Muito fofo.

-Sobre a trollagem de ontem...- Eu o respondo.

-Que trollagem? Não me lembro de ter sofrido nenhuma trollagem ontem...

-A da bomba, de ontem...- Eu o falo dando apoio para ele lembrar.

-Você provavelmente sonhou com isso... Não existe uma trollagem de ontem com bomba.- Sonho... Como não pensei nisso. Confuso demais para ser real.

-Obrigado Pac, você foi muito útil.- lhe agradeço e logo após saio correndo.

Sonho.

Como pude não perceber? Hoje é dia 15 e é segunda. Se ontem teve aula então foi apenas um sonho. Ou então uma realidade que não deu certo devido os moços terem descoberto tudo. Um sonho, ou uma a realidade alterada?

Saio correndo para meu quarto vejo a hora rapidamente. 15 minutos. Talvez seja por isso que agora tem tanta gente. Chego ao meu quarto e pego minha mochila.

Manu já avia saído, mas havia um bilhete em sua cama. Nele estava escrito: “Saí para conversar com minha best um assunto sério antes da aula. Não precisa se preocupar”.

Eu nem preocupada estava, mas ok. Saio do quarto com calma e acabo encontrando os seres shippados Cellps e começo a caminhar com os mesmos. Mano que surreal, eu em uma escola com pessoas que eu admiro muito caminhando ao meu lado. Coisa que eu imaginava que jamais aconteceria. A não ser que eu os manipulassem.

-Vou ter que sair do internato.- Cellbit fala. Como assim?

-Calma ele ainda vai estudar aqui, porém não vai mais dormir na escola. Vai passar a vir a pé.- disse Felipe.

-Eu nem disse nada- Eu falo e todos nós rimos.

-Oi Rafa, oi Felps- disse Gabs se aproximando junto com a Sasa e a Maethe- A e oi Bi- Ela fala olhando para mim com um pouco de tristeza, talvez porque eu estava ao lado do Felps e do Rafa. Mas vai saber. Ela deve ter milhares de motivos contra mim e não ficaria surpresa se me odiasse.

Ela tem esse direito. Mas não seria a sua cara fazer isso.

Ela que não guarda rancor das pessoas e é muito querida com todos. Por isso acho que são o casal perfeito. Já a Sasa, ela é fofa e legal ao mesmo tempo, porém não consigo imaginar o Cellbit, ou Rafa, que seja, beijando seus lábios. Não shippo Cell com ninguém, mas, sei lá, não acho que sejam o tipo de “casal perfeito” assim como o lindo casal Galps. Já a Maethe, é uma garota legal, e pra mim é linda. Acho que ela e o Alan estão próximos de um casal perfeito, ainda falta “apertar alguns botões”.

De todos os único casal para mim que não combina é o casal Cellyu.

-Olha, faltam 4 minutos, exatamente.... Agora!- Gabs fala tentando quebrar a tenção e nós avisando que nossas aulas logo começariam. Como sempre, ótimas notícias para uma pessoa silenciosa (N/A khe?). Não sou capaz de opinar.

-Ok tchau Bi- o grupo de youtubers famosos falam e se viram para irem a sua aula. Logo após eu completo com um baixo e rouco “tchau”.

Após a baixa palavra ser pronunciada, que nem eu sei o porque foi daquele jeito, eu começo a caminhar em direção a minha sala.

Entro lá e consigo ver a professora de matemática chegando logo limpando uma lágrima travessa, que não conseguiu comprar o seu objetivo, sendo interrompida pela mão da professora. Detalhe irrelevante, eu sei, mas quando estou feliz, costumo detalhar bem as coisas, e quando estou triste, muitas vezes não presto atenção em detalhes relevantes.

(...)

O almoço, nada de mais e possivelmente nada de mais irá acontecer nessa segunda “remessa” de aulas. Não sei porque comparei isso com remessa mas ok. Eu sinceramente não me entendo, qual é o meu problema?

Entro na sala de aula com os pensamentos em bobagens. Provavelmente vou me perder na apresentação do professor. É sempre assim, todo mundo se apresenta aí o professor se apresenta e fica anos falando de sua vida. Como eu sei que é sempre assim se é minha primeira vez no internato? Simples, já tive que repetir 5 vezes a mesma coisa. Conheci a maioria das pessoas hoje e já sei quase todos os nomes. Eu realmente não sei se vou aguentar o ano inteiro.

-Então alunos, todos apresentados e como já falei alguns tópicos de mim, vou deixar vocês conversarem com as duplas que eu escolhi- Ele apontava para fileiras unindo as pessoas com uma simples ordem com sua mão. Era incrível uma coisa assim. Na minha antiga escola tinha gente que xingava os professores até de vadia(o). Alguns nem liam a sua resposta do tema por simplesmente não querer. E aqui as pessoas obedecem sem nem dizer um piu. Juro que agora me deu uma vontade tremenda de dizer piu, mas é melhor me controlar.

-Oi, meu nome é Anderson, mas me chame de Son. Quer dizer, estou falando isso porque né vai que você não prestou atenção e né, não iria machucar se repetisse.- Ele me fala, parecia nervoso.

-Quando sua mãe te chama- Eu falo com cara séria, como se fosse assunto sério- ela te chama de Son ou de filho?- nós dois começamos a rir.

-Essa piada é horrível, e por isso é engraçada.- nós dois continuamos a rir.

E só para você, subconsciente entender, son em inglês é filho, por isso sua mãe, porque ele é filho da sua mãe. Meu Deus essa piada é horrível. Muito horrível.

-A, e caso você não tenha prestado atenção, vai que né, meu nome é Bianca, mas me chama de Bi- Ele começou a rir e se preparar para falar algo mas eu interrompo- Não vem fazer a piada de bi porque eu não sou- Eu falo e ele ri novamente. Porém dessa vez eu rio junto.

-Não mas agora falando sério.

-No caso, principalmente nosso, muito sério- Eu falo complementando sua frase e o fazendo rir novamente. ;-;

-Porque você não preferia Bibi como apelido?- Ele me pergunta.

-Porque Bibi é um apelido normal, tem até marca de sapato. Eu não gosto de ser normal, eu prefiro ser diferente. Quando você conversa com alguém é tentar lembra – lá da “Bibi” ela pode pensar em muitas menos na que você quer. Agora, se você falar da Bi, fica mais fácil de reconhecer. É uma coisa diferente. Não gosto de ser igual a todos. Não gosto de ser todo mundo. É que nem minha mãe me dizia: “você não é todo mundo, sempre será uma pessoa em que eu levarei para sempre em meu coração”.- ela me dizia isso, até morrer.

(...)

É sempre bom criar novas amizades. Acabou que ficamos conversando a aula inteira sobre mensagem, já que naquele dia seria apenas falas sem graça, fizemos uma coisa legal para nós.

Passada a aula, vou ao meu quarto, Manu não estava lá. Porque sempre presto atenção nela? Pego meu celular e ligo a Netflix, bora maratona de Grey’s Anatomy. Mano que série magnífica.

Só espero não chorar com o casamento do Burk e da Cristina (N/A sim eu sei que vai ser um fracasso e que o Burk vai embora😭😭😭). No final, acabo ficando ali até a hora de dormir. Viu? Vida de bruxas também podem ser normais, não é só porque sei fazer altas mágicas que não posso fazer maratona da minha série favorita.

Amanhã consigo ver o capítulo do casamento. Tô ansiosa, shippo eles des do início. E finalmente vão se casar (N/A 😭😭). Me deito em minha cama e fecho meus olhos. Então começo a dormir.

Sonho on:

Meu celular toca e eu atendo o mesmo:

??-filha eu e sua mãe estamos reconciliados, como está no final do ano, você é sua irmã vão voltar para casa.

Eu-Mas justo agora?- era meu pai, me dando as belas notícias.

Pai-Sim, e não importa o que você vai dizer. Você não tem escolha.

Começo a chorar desesperadamente, Felps me olha e me pergunta:

-O que aconteceu?
-Vou ter que voltar...- Eu o falo, triste, com desânimo na voz.

-Mas justo agora?- Rafa me pergunta.

-Também fiquei assim.- O respondo cabisbaixa.

Você não pode ir embora sem eu poder te dizer uma coisa. Por favor me siga- Alan me pede.
Eu acento com a cabeça e o sigo. Ele me leva para um local mais escuro e me prende na parede. Em seguida o mesmo fala:
-Sei de tudo sobre você, e também sei que você tem outros diversos poderes. Mas sabe... Eu não suporto bruxas.- Ele fala e, tira uma faca de seu “bolso”. Para lizo ali. Ele não podia. Eu não podia.... Não podia. Ele aproxima a faça pronto para me matar quando vejo uma menina familiar se aproximando, e Alan cai no chão morto.
-Quem é você?

Sonho off

Acordo assustada. Nem deve ter se passado uma hora. Olho a hora no meu celular e estou certa, agora eram apenas 11:00 PM. É melhor eu voltar a dormir. Aliás Manu está no quarto agora.








Amanhã é um novo dia...


Notas Finais


Naum tenho nada a declarar. ❤
Pelo menos naum foi tão confuso. Também naum era um sonho então né?
Mas obrigado por chegar até aqui.
Amo vcs.

Kissus com sabor de cupcake de chocolate.❤
E me desculpem se alguém shippa Cellyu, mas a personagem naum shippa. Ela tbm naum é perfeita.

Agora sim. Valeu falou e tchau!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...