História Butterflies - Capítulo 1


Escrita por: ~

Exibições 84
Palavras 1.681
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Festa, Ficção, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


primeira fic, espero que gostem❥

Capítulo 1 - Prólogo


Fanfic / Fanfiction Butterflies - Capítulo 1 - Prólogo

Violet P.O.V

Não acredito no destino por acaso. Acredito que sempre há um motivo para tudo nessa vida. Com meus dez anos de idade, fui praticamente arrancada da minha antiga vida, e levada pra outro país, sem ao menos ninguém me questionar se era realmente aquilo que eu queria fazer, ou se eu ficaria bem com tamanha mudança. É que quando a gente é criança tudo é mais fácil, certo? Você basicamente nem precisa tomar decisões, os seus pais é que tomam elas por você. Só que certas decisões tem consequências. Ao longo dos anos, descobri que cada país tem a liberdade de estabelecer a idade mínima da maioridade, porem os Fundos das Nações Unidas para a Infância aconselha os dezoito anos, pois supostamente, de acordo com critérios sociais e biológicos, até esta idade o indivíduo encontra-se em processo de desenvolvimento. Ou seja, até os dezoito anos samos obrigados há fazer tudo o que nossos pais bem intenderem.

Então cá estou eu novamente! Dentro de um táxi, rumo á minha antiga casa aqui na Califórnia, prestes a voltar pra minha antiga vida. A diferença é que agora eu não tenho mais dez anos, e sim dezessete. O dia estava ensolarado, o céu num azul celeste impecável, completamente sem nuvens. Eu tentei a todo custo me lembrar como era a minha casa, o meu quarto, a vizinhança, mas as lembranças estavam falhas em minha mente. Durante esses sete anos me esforcei bastante pra esquecer de tudo o que me lembrava Los Angeles, de tudo que me lembrasse o passado, tudo o que me fazia se sentir mal. Agora eu sei que fiz um bom trabalho, pois acho que acabei esquecendo das pessoas também.

— Uau. — Ouvi Noah murmurar ao meu lado, me despertando dos meus devaneios e me fazendo olhar pela janela. Aquela com certeza não era minha casa, se é que posso chama-la disso né? Aquilo está mais pra uma mansão.

— Gostaram da reforma? — Meu pai perguntou antes que eu conseguisse dizer alguma coisa. — Agora tem um quarto pra cada um. — Desci do carro devagar, tirando os fones de ouvidos, depois de dar uma boa analisada na casa, me virei pra olhar a vizinhança. Eu não conseguia me lembrar de muitas coisas, mas senti uma sensação estranha de déjà-vu, como se já tivesse vivido aquele momento.

— Não quer entrar? — Ouvi a doce voz da minha mãe ao fundo, ignorei aquela sensação e caminhei pra dentro.

Foi quase um choque, pois eu realmente não conseguia me recordar de quase nada, como se as lembranças não existissem. Relutei tanto pra ficar aqui e agora que finalmente estou de volta, não me sinto em casa. Parasse que nunca estive nesse lugar antes. Talvez por causa da reforma, eu não sei. Subi pro meu novo quarto com a maior expectativa, carregando minha única mochila nas costas, as outras coisas já haviam chegado dias antes. O comodo era inteiro branco, assim como o resto da mobiliá e do banheiro. Era grande, havia uma cama de casal bem ao centro com lençóis cor violeta, um closet enorme e uma varanda com vista pra piscina. De fato era lindo, com o tempo vou deixando perfeito com o meu jeitinho.

Olhei no relógio, onde marcava quase 11h da manha. Resolvi tomar um banho e depois sair pra andar um pouco antes do almoço. Eu não ia ter nada pra fazer mesmo, hoje ainda é sexta, então escola só segunda. Escolhi uma muda de roupa e deixei em cima da cama enquanto tomava banho. Abri a porta do banheiro enrolada numa toalha e levei um belo de um susto com a idiota da Lauren sentada na minha cama.

— O que pensa que está fazendo? — Exclamei segurando a toalha pra não cair.

— Esperando por você pra gente andar por ai. — Responde simples, enquanto xeretava em alguma coisa em cima do criado.

— Tá, então você pode ir me esperar lá fora? Agradeço. — Digo apontando pra porta. Ela me olhou meio aborrecida, mas obedeceu. Ainda bem que não vou mais precisar dividir o quarto com essa menina. 

Terminei de me arrumar e logo encontrei com a mesma no corredor. Avisamos nossos pais, que nos mandaram tomar cuidado pra não acabar se perdendo, então logo saímos. Lauren insistiu pra irmos até uma sorveteria que ela jurava que tinha por ali. Não sei porque, mas eu tinha quase certeza que ela estava errada. Enquanto caminhávamos pela calçada, botei os fones de ouvido pra não precisar ouvir as reclamações da minha irmã mais nova, que honestamente, já estava dando no saco. Antes de sair de casa, eu até que estava animada pra andar por ai, mas Lauren me desanimou. Eu não via a hora de encontrar logo um lugar pra ela poder matar a vontade de tomar sorvete e voltar logo pra casa.

— Você não vai entrar? — Pergunta assim que encontramos - finalmente - uma sorveteria. Depois de andar uns quatro quarteirões.

— Não. — Dei de ombros. — E anda logo, antes que eu te deixe ai sozinha. — Avisei. Ela fez uma cara de quem não gostou muito e entrou andando duro. As vezes não parece que Lauren é só um ano mais nova que eu, sua mentalidade é de uma menina de doze anos de vez em quando. Mas não posso reclamar, ela uma das poucas amigas de verdade que eu tenho. Resolvi pensar em outra coisa, e botei os fones de ouvido no último. Uma das minhas musicas favoritas, que não importa o tempo que passe, vou sempre adorar, era Made in the USA da Demi Lovato.

Cantarolei algumas partes - no matter how far we go, I want the whole world to know - mas parei quando senti que estava sendo observada. Aos poucos foram surgindo vários adolescentes, todos usavam mochilas e conversavam animadamente. De primeira fiquei meio assustada, mas logo notei que havia uma escola ali perto o não pude ouvir o sinal tocar por conta da musica. Fiquei observando todos eles passarem, nenhum me parecia familiar.

Infelizmente.

— Pensei que você já até tinha ido embora. — Lauren apareceu me assustando.

De novo.

— É claro que não né. — Falo me levantando. — Cade o sorvete?

— Mudei de ideia e não comprei nada. — Deu de ombros e eu revirei os olhos.

— Eu não acredito que você me fez andar até aqui pra nada. — Bufei botando os fones de ouvidos de volta, quando meus olhos se prenderam num grupo que passava do outro lado da rua conversando animadamente. Senti que já havia visto aquelas pessoas antes, mas não conseguia me lembrar quem eram.

— Tá tudo bem Violet? — Lauren me sacudiu.

— Você reconhece alguém dali? — Pergunto sem tirar os olhos deles.

— Não. — Respondeu confusa. — Porque? Acha que conhece um deles?

— Eu não sei. — Digo olhando pra ela. — Acho melhor irmos embora.

— Certo.

Depois do almoço, resolvi arrumar minhas coisas. Guardei cada peça de roupa no closet, mudei alguns moveis de lugar, botei meus livros nas pratilheiras, arrumei meu material pra aula de segunda, mandei uma mensagem pra Francine e depois dormi um pouco. Fui acordada pela minha mãe, avisando que teríamos visitar pro jantar, e que pra mim ir tomar um banho. Eu já ia começar a reclamar que estava muito cedo pra aquilo, mas quando olhei no relógio em cima do criado tomei um susto.

Já eram quase 18 horas da tarde.

Levantei da cama ainda sonolenta. Nem me lembro se sonhei, só sei que dormi tão gostoso que mal notei as horas passarem. Peguei qualquer roupa e parti pro banheiro. Tomei um banho mais demorado porque ainda estava com sono. Me enrolei na toalha e parei em frente ao espelho, tirando o embaçado. Meu cabelo estava horrível, mas pelo menos eu não estava mais com cara que quem ficou horas acordada no avião. Só depois que me vesti é que eu fui lembrar que nem perguntei pra minha mãe quem iriamos receber no jantar. E porque bem hoje! Nós acabamos de chegar. Ignorei, imaginando só ser mais um casal qualquer de amigos dos nossos pais e desci pra sala, encontrando meus irmãos.

— Demorou em? Mamãe contou que você tinha desmaiado. — Noah provocou, me analisando por alguns segundo. — Que roupa é essa? Vai se trocar agora!

— Não. — Respondo me jogando no sofá ao lado de Lauren.

— O papai não vai gostar nada. — Lauren riu.

— E porque não? O que tem de mais eu ficar de shorts? Está o maior calor nesse cidade.

— O problema não é o calor, o problema é quem vai vir jantar aqui. — Disse Noah. É tão chato ter um irmão mais velho ciumento.

— Tá, tanto faz. — Me levanto indo em direção a cozinha. A primeira coisa que reparei foi na comida pronta em cima da mesa, era muito comida na minha opinião. Peguei um copo da água e logo ouvi o som da campainha. A verdade é que eu não estava nenhum pouco afim de receber gente em casa, ainda mais hoje.

Fiquei mais um tempinho enrolando na cozinha. A conversa estava tão boa que ninguém sentiu minha falta ali. E não estou reclamando. Só que a curiosidade estava tomando conta de mim, eu queria muito saber quem era aquelas pessoas, se eu as conheço, ou apenas poder olhar pra elas. Quando eu estava prestes a aparecer na sala, o meu celular começou a tocar. Agradeci mentalmente por estar no vibratório, mas quando atendi, não sei como, mas acabei botando no viva voz.

Violet, porque você não me ligou assim que desembarcou? — Ouvi o grito da ruiva soar alto na cozinha. Dei um pulo assustada e imediatamente tirei do viva voz.

— Me desculpa Fran, achei que iria atrapalhar. — Falo me afastando da entrada da sala.

— Obvio que não, mas agora me conta, como está ai?

— Está tudo normal. — Respondi. — Meu pai reformou a casa e agora eu tenho um quarto só meu, que significa...

— Que eu vou ficar no seu quarto com você! — Disse animada. — Ai, tô ansiosa. Que horas são ai?

— Acho que quase oito.

— Então só nos falaremos amanha. — Disse. — Já estou com saudades.

— Também estou, só que agora falta pouco pra gente se reencontrar. — Digo sorrindo animada.

Los Angeles que me aguarde.


Notas Finais


gostaram do prólogo?❥

• Jasmine Villegas como Violet Scopelli
• Katherine McNamara como Francine Goetze
• Emily Rudd como Chloe Perrot
• Jessica Jarrell como Lauren Scopelli
• Jake Miller como Noah Scopelli
• Dove Cameron como Liz Rooney
• Zoë Saldaña como Nina Scopelli (mãe da Violet)
• Boris Kodjoe como Derik Scopelli (pai da Violet)

• casa da Violet: http://s5.favim.com/orig/53/houses-cool-cute-luxury-house-Favim.com-502882.jpg

por enquanto é só❥ comentem o que acharam❥
• trailer: https://www.youtube.com/watch?v=ZWjAFZUlNgY&feature=youtu.be


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...