História Butterfly - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, J-hope, Jimin, Jungkook, V
Exibições 17
Palavras 2.788
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Ecchi, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Slash, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oi oi pessoas lindas ♥

De primeira foquei nas 3.000 palavras que tanto queria escrever, mas não tenho certeza se consegui alcançar essa meta [é mais provável que não tenha conseguido, por que né :') ]

Se situem com a ajuda do horários que irei espalhando pelos cantineos u.u — Será assim a partir de hoje, ok?

Não odeiem o Taezinho [avisinho antecipado :v ], Hobi hyung tá aqui pra acudir nóis. ~ Só vai demorar um tempinho, por que se não, não seria euzinha, Moke :')

Enfim, espero que este agrade vocês como os outros vêm agradando ♥
Obrigada por todos os favs e comentários!! ♡♡

Revisei duas vezes, mas sempre acaba ficando algo pra trás. Portanto, ignorem qualquer erro de digitação :)

Boa leitura povas~

[ATENÇÃO NAS NOTAS FINAIS]

~Kisses

Capítulo 4 - A gota d'água


Fanfic / Fanfiction Butterfly - Capítulo 4 - A gota d'água

[10:53]

Jimin observava os 5 alunos que já se posicionavam em seus lugares dentro de sua sala, e principalmente o garoto loiro o qual tinha em mãos alguns cadernos e observava atentamente o violão preto num fundo escuro dali. Seu sorriso quadrado sínico o enchia de ódio — ódio esse o qual não haveria de ter, pois Taehyung era seu aluno, e mal o conhecia.

O problema era que, o pouco que sabia sobre o loiro, era ruim.

— Professor, pode me ajudar com algo aqui um minutinho? — a voz serena para ouvidos próprios apresentava-se, ele mal ouvira-a e já a odiava.

Que problema para o Park.

— Já estou indo.  — disse seco, sem muita atenção ao garoto o qual julgava ser um completo de um filho da puta.

Jimin tirou de sua maleta — mesma que havia levado junto de si o caminho inteiro até ali — um quadro muito querido pelo mesmo, e que também já houvera de ser antigo. Era uma foto de Jungkook — esta que vinha acompanhada de outras cem polaroids com os momentos em família os quais nunca seriam esquecidos por Jimin. Quando as coisas estavam ruins, estava triste, ou até mesmo quando sentia-se sozinho e não tinha seu Jungkookie —  mesmo que adorava usar como pelúcia de vez em quando — para abraçar, as olhava e seu vazio passava, sentia-se coberto por imenso amor e paz e o frio em seu peito logo cessava-se. Ele a pôs sobre sua mesa, virado de frente para si, a usaria para matar a saudade que estas 10 horas lhe causariam.

— Professor? — a voz repetia-se e incomodava os ouvidos sensíveis e mimados de Jimin — Professor Jimin? — Taehyung o questionara.

— O que é? — O Park disse, logo esgotando sua paciência. Kim engoliu seco e apontou para alguns papéis á mesa. Jimin praguejava mentalmente, e torcia para não estar deixando transparecer sua expressão de nojo e ódio. Caminhou até o aluno impaciente e abaixou-se próximo á sua cadeira para conferir as partituras e tirar as dúvidas do garoto.

Taehyung, tendo a atenção de Park cessada de si e focada nos papéis que trouxera, levantou-se sem ser notado e caminhou até o lugar de onde aparentemente Jimin saiu entediado pelas insistentes chamadas vindas de si mesmo. Olhou bem tudo o que tinha ali em cima, e deparou-se surpreso com a foto de seu namorado, Jungkook. Franziu o cenho e passou a observar o professor á sua frente, ainda abaixado e analisando o proposto.

— Jungkook? — Jimin subitamente virou-se e se levantou com o soar da frase, viu que Taehyung o olhava confuso enquanto segurava a foto de seu pequeno. — Por que tem uma foto dele aqui? — Ele não fazia ideia que ambos eram irmãos.

— Ele — Disse, indo rapidamente até o Kim e tirando sua preciosa foto daquelas mãos imundas e pintadas de ignorância — É meu irmão! — Alterou seu tom de voz, o qual fora ouvido junto ao bater do quadro novamente á mesa, e que chamou a atenção de boa parte de seus alunos. — Não deveria estar ouvindo minha explicação sobre sua dúvida...Kim Taehyung? — Jimin o olhou desafiador, recebendo em troca, apenas mais um daqueles sorrisos quadrados e malditos. Kim assentiu junto daquele sorriso sacana e pôs-se novamente em seu lugar de fato.

[13:38]

Jimin apenas passou a ignorar Taehyung dali em diante, e passou á ser refém de seus instintos e suas preocupações malucas. Ele começou a suar, talvez fosse pelo calor que repentinamente decidiu invadir Seul, ou apenas de impaciência e preocupação. Decidiu ligar para Jungkook, e a admirar a foto de seu pequeno á sua frente junto dos sons desvairados e berrantes ao fundo, ouvia já o terceiro aviso de caixa postal.

Pronto. Naquela manhã Jimin teria um infarte.

O Park pensou em conferir suas mensagens, talvez Jungkook houvesse deixado algo lá, mas não havia nada.

Resolveu por ligar mais tarde, e com o chamado de outro de seus alunos — o qual agora era um que Jimin não odiava como Taehyung — distraiu-se um pouco quanto á seu instinto protetor pra caralho e por algum breve momento fora capaz de parar de pensar no irmão mais novo. Afinal, se Taehyung estava ali á vista de seus olhos, por que se importar? Ele pensava desta forma, por mais que seu interior gritasse consigo mesmo avisando que ele mais cedo ou mais tarde arrependeria-se. Mas ele apenas ignorou e procurou por outras distrações, como por exemplo, dar a prazerosa aula de violão á uma aluna que ali parecia estar realmente interessada em aprender, ou ir caminhar um pouco e tomar o velho cappuccino, que como garantia seu hyung Yoongi, ele adorava.

Bom, ele tomaria o café, mas se ainda quisesse o emprego, teria de ficar ali paradinho em sua sala até ás 15:00, onde iniciava-se sua breve pausa. Jimin estava estérico, pensava em até mesmo usar estas suas uma hora e meia de descanso para ir ver se Jungkook estava bem, mas Yoongi já tinha planos para com ambos.

Yoongi hyung: Hey, Minnie!

Yoongi hyung: Sei que você adora comida chinesa, então reservei pra gente naquele restaurante novo perto daqui.

Yoongi hyung: Você vem, né?

Jimin não podia fazer essa desfeita, não via seu hyung há meses e seria injusto para com ele trocar o tempo em que poderiam estar juntos rindo e conversando e relembrando os velhos momentos, para ir vigiar o irmão mais novo. Park não seria como um irmão daqueles chatos que vive no pé do mais novo, como se somente por ter poucos anos de diferença, não soubesse cuidar-se sozinho. Ele apenas tinha cuidado e se preocupava com Jeon, mas havia de aprender a se controlar e ser mais compreensível com a vida e com suas obrigações.

Você: Claro, hyung!

Fora o dito ás mensagens de Yoongi, que com certeza sorria bobo na sala ao lado com os olhinhos escuros conectados á tela brilhante do celular. Jimin deixaria sua possessividade de lado, ao menos tentaria uma ligação com Jungkook pela última vez, mas se fosse ignorado de novo, apenas desistiria.

E assim aconteceu.

Jimin seguiu sua aula até seu tempo livre ás 15:00.

[...]

[13:35]

Jungkook corria em desespero á casa de Hoseok, Taehyung havia sim o machucado por um motivo fútil, mas ele tinha noção do amor que ainda sentia pelo loiro. Ao decorrer do caminho, foram ignoradas inúmeras ligações em seu celular — mesmas de ambos hyungs ; Hoseok e Jimin. Seguidos 10 minutos depois, estava lá, em frente á casa de Hobi hyung, o qual o viu da janela de seu quarto e num piscar de olhos logo estava a abrir a porta para o mais novo, que correu bruscamente em sua direção.

— Hobi hyung! — Ele o abraçou fortemente — Como você está? E o Tae? Cadê ele? — Estava frenético e aparentemente muito cansado da viagem.

— Calma, Kookie!  — O mais velho o alertou — O Tae não está aqui agora, mas esteve aqui ontem. — Disse puxando Jungkook para dentro — Vem, vou te dar um pouco de água.

— Hyung, o que aconteceu ontem? — O mais novo novamente pronunciava-se se sentando no sofá de cor preto fosco. Hoseok rapidamente foi até a cozinha e pegou um copo com água para o dongsaeng, que arfava em meio a suas falas.

— Tome, Jungkook. — Surgiu com o copo em mãos e o estendeu até o alcance de Jeon, que bebeu tudo num só suspiro do ruivo. — Meu deus.

— Hoseok! — Disse mais alto — não como um grito em si, mas como um grito abafado — estava tenso e já impaciente com o suspense do mais velho.

— Calma. — Disse se sentando ao lado do moreno — Ele apareceu bêbado aqui, ontem á noite... — Jungkook arregalou os olhos — Estava sujo e cheio de arranhões no corpo e algumas unhas quebradas, parecia ter brigado com alguém. Ele quebrou algumas coisas, vasos, cadeiras, e disse coisas desconexas. Eu me propus á cuidar dele, mas ele negou e saiu daqui gritando. Jin hyung também veio aqui mais cedo, e disse que daria um jeito naquele moleque bebum. — Ambos riram, mas ainda assim com desconforto aparente pela situação.

— Ah, o Jin hyung... — Suspirou sorrindo e lembrando das trapalhadas as quais já havia metido seu hyung Jin, e o quanto houvera de suportar tudo calado ; bem, calado nem sempre — Mas, e quanto ao Tae? Não tiveram mais notícias? — Hoseok fez que "não" com a cabeça.

— Ele anda frequentando uma escola de música, disse querer aprender a tocar violão ou algo do tipo. — Deu de ombros — Eu liguei várias vezes pra ele, mas nada aconteceu. Nenhuma resposta.

Hobi notava que Jungkook estava apreensivo e inquieto, preocupado até além do que apenas um amigo ficaria.

— Por que esta preocupação tão grande de repente? — questionara Hoseok.

— Como assim, hyung? Estou nervoso como você também está. — Disse esfregando freneticamente ambas mãos.

— Jungkook, pensei que haviam terminado! — Hoseok disse desapontado.

— Nós terminamos, Hobi! — Disse de prontidão — Mas, eu...sei lá, Hobi. É difícil de entender, nunca havia me apaixonado por alguém dessa forma.

— Calma, Kookie... — O mais velho o abraçou — Mas precisa esquecer o Taehyung, ele não te fez bem e com certeza não fará daqui pra frente, ao menos num relacionamento desse.

— Eu sei, Hoseok. Eu sei, eu vou tentar sim. — Sorriu agradecido com a cabeça ainda apoiada no ombro de seu hyung.

— Vem, vamos comer alguma coisa. — Jeon assentiu e seguiu o amigo até a cozinha.

— Meu deus... — Murmurou Jungkook, olhando pasmo para a tela de seu celular.

— O que houve, Kookie? — Hobi hyung caçava algo para preparar para os dois nos armários. Sua voz soou estranha, justamente por estar enfiado em um deles.

— O Jimin. — Hoseok subitamente largou as portas do armário da cozinha e olhou com o cenho franzido para Jeon, que mordia o lábio em preocupação. Fora questionado um apenas "ele está bem?", e Jungkook confirmou — Ele me ligou mais de 8 vezes.

— Gente... — Hoseok transmitia uma feição de espanto, e ria junto deste acontecimento. Ele tinha a mania de rir estando em situações de espanto ou susto. Ao menos quando estava triste mantinha a feição tristonha — e ainda bem, por que rir num velório, por exemplo, é uma completa filha da putagem — Bom, fique comigo se quiser comer lasanha.

— Vai fazer lasanha? — Espantou-se com a "disposição" do amigo. Estava boquiaberto.

— Não, trouxa. — Hoseok disse erguendo sobre suas mãos que antes estavam por trás de seu corpo, uma caixa de lasanha de microondas — Tcharam!

— Nossa, que emoção. — Ironizou — Cheguei a acreditar que você se moveria pra fazer comida de verdade pra gente. Bela atuação. — Jungkook bateu palmas enquanto ria da cara emburrada de Hobi, o mesmo apenas o respondeu com um leve soco em seu peito.

— Aqui é #Teammacarrãoestantâneo, porra! — Ambos se puseram a rir enquanto Hoseok desembrulhava o saquinho plástico que cobria a comida e a colocava no microondas.

[17:54]

— Eu morreria com 20 anos se morasse com você. — Disse Jungkook em meio a uma risada.

— Eu sei. — Hoseok riu junto do amigo.

Hoseok e Jungkook estavam jogados no sofá da sala de Hoseok assistindo a uma série que ambos amavam e que não viam á meses, juntos também de alguns potes de sorvete, algumas latinhas de refri e uma caixa de pizza.

— Já são quase seis. — Referia-se ás horas — Jimin hyung já irá voltar do trabalho.

— Isso significa que tem que ir? — Fez bico e Jungkook riu.

— Sim, foi muito bom passar o dia com você, hyung. Mas eu sinto falta do meu Jimminie. — Disse um pouco sonolento e manhoso.

— Tão fofo. — Riu — Quem dera se minha irmã fosse assim.

Sim, Hoseok tinha uma irmã mais nova — bem mais nova — mas ela estava fazendo intercâmbio, o que o permitia alguns meses ao menos de pura paz.

— Quer que eu te leve de carro para casa? — O mais novo negou.

Os dois conversaram por mais um tempo, mas logo Jeon se apressou para chegar em casa e ver seu irmão, pois já estava morrendo de saudades de seu cheiro e de seu abraço quentinho — Ah, e principalmente daquele eye-smile tão precioso que Jeon custava á imitar, e o mesmo que nunca fora capaz de fazer da mesma forma. Talvez fosse uma característica única e exclusiva de seu hyung, a qual amava demais. Ele caminhava pelas ruas já escuras e frias com as mãos persistentes dentro de ambos bolsos da calça jeans que usava. Decidiu ligar para Jimin, estava afoito e queria muito ouvir sua doce voz, mas desta vez fora ele quem não o atendeu. Desapontado, ao guardar o celular no bolso, o sopro gelado que fez com que seus cabelos se bagunçassem, também fez surgir aquele ser misterioso por entre as árvores da praça á frente. Jeon perguntava-se quem seria aquela pessoa parada próximo àqueles balanços, e o por que de estar olhando-o daquela forma. Não fora necessário tanto tempo para que ele reconhecesse aquele homem, era realmente quem ele temia.

[17:50]

Jimin vinha dirigindo seu carro na velocidade local da pista, Yoongi estava no banco ao lado — ele morava há duas quadras da casa dos Park, então não faria mal algum leva-lo. Eles riam e comentavam os acontecidos no trabalho e na hora em que foram almoçar juntos — Yoongi sabia de seu ódio incondicional por Taehyung, mas não sabia o motivo, e optou por não perguntar, já que o mais novo irritava-se em apenas ouvir tal nome. Num piscar de olhos já estavam na rua de Yoongi, tudo havia passado rápido demais, apesar do pequeno engarrafamento que os pegou de surpresa. A conversa estava muito boa, mas o mais velho havia de partir.

— Tchau, Minnie. Obrigado por me trazer. — Disse sorrindo e observando o mais novo, que atentamente olhava para o retrovisor do carro.

— Não foi nada, hyung. Obrigado pela companhia, estava sentindo falta das nossas conversas. — Riu.

— Eu também. — O mesmo sorriu mirando os lábios carnudos de Jimin, que de imediato o olhou receoso. — Boa noite, Jimminie.

Jimin á este ponto já não sabia mais o que pensar, e os olhos escuros que o olhavam o hipnotizaram, por um momento pensou em Jungkook, balançou a cabeça e saiu do transe. Yoongi riu bobo da reação do amigo, e segurou sua nuca, logo aproximando seu rosto do de Jimin, que não possuía ação alguma. Ele já não sabia mais o que fazer, estava completamente perdido em seus sentimentos. Apenas deixou que acontecesse, aquela seria sua resposta. Literalmente piscou os olhos e o moreno já pôs-se á beijar seus lábios, até então imóveis. Yoongi pediu passagem com a língua, e sem hesitar, Jimin a cedeu. O beijo tinha certo gosto açucarado — não era á toa que o chamavam de Suga (N/A: Acostumem-se com minhas piadas ruins :') ), mas não tinha sentimento — ao menos da parte de Jimin. Ele sabia que estava iludindo Yoongi, mas não se propôs á solta-lo, nem ao menos cessar o beijo.

Que erro Park cometeu.

O beijo fora cessado após a falta do ar, Jimin passara todos aqueles segundos com os olhos abertos, apenas pensando no irmão — essa possessão também é uma de suas lindas características mais fortes. Yoongi sorriu satisfeito e sussurrou ao pé do ouvido de Jimin, algo como "eu sempre sonhei em fazer isto, Jimminie", e fora embora. Jimin ainda estava perplexo, estático, parado como um bobão á observar os carros que iam e vinham da extensa avenida, e tentava raciocinar, mas por mais que quisesse, acreditava nunca entender aquilo. Longos 3 minutos depois foi vencido pelo cansaço e deu partida no carro, dirigiu totalmente desnorteado e com um aperto no peito, arrependido da merda que acabara de fazer.

Semáforo vermelho.

Ele ficaria mais 1 longo minuto parado ali, o céu já dava inúmeros índices de chuva, Jimin estava nervoso e inquieto, e fora preciso apenas mais 30 segundos para que as ruas transformassem-se em rios extensos e perigosos. Ao ver o verde que pairava sobre si, novamente voltou á guiar o carro pelas ruas molhadas e de grande dificuldade de passagem. Subitamente, num balançar de cabeça para conferir o movimento ao seu lado, surpreendeu-se com o corpo magro que corria pela rua, e que gritou ao quase chocar-se com o carro. Jimin rapidamente desligou o carro e desceu do automóvel, correndo até o garoto assustado e tendo a pior das cenas possíveis á seus olhos.

Era Jungkook.

Sim, era seu pequeno irmão. Ele chorava inconformado com algo, e assustado por conta do acontecido á alguns segundos. Jimin o olhava incrédulo — estava ensaguentado, com as mãos em seu coração, e o moletom cinza claro que usava caía sobre seus ante-braços, estando completamente rasgado. As calças de Jungkook também estavam com manchas de sangue e alguns rasgos — além dos que já tinha naturalmente — próximos de sua coxa e tornozelos. Mas o que mais intrigou e irritou Jimin fora simplesmente os chupões e arranhões que haviam em ambos braços e no pescoço de seu pequeno.

Aquilo fora a gota d'água.


Notas Finais


Gente, estou confusa quanto aos horários, e preciso me organizar direitinho pra poder continuar postando.
Me digam em qual período mais agrada vocês para sair capítulos aqui na Butterfly, irei definir um apenas e talvez será assim daqui pra frente.

PS: Só não optem pela manhã, por que estudo neste período :v

————X————

Minha fic nova (mpreg) ♥ - https://spiritfanfics.com/historia/tie-that-unites-us-7118693

~Kisses 2.0


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...