História Butterfly - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Amor, Banana_monstro, Bangtan Boys, Bts, Drama, Hoseok, Jeon Jungkook, J-hope, Jimin, Jiminnie, Jin, Jung Hoseok, Jungkook, Jungkookie, Kim Namjoon, Kim Seokjin, Kim Taehyung, Min Yoongi, Namjoon, Park Jimin, Personagens Originais, Rap Monster, Romance, Seokjin, Suga, Suspense, Taehyung, Yoongi
Visualizações 11
Palavras 803
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishounen, Drama (Tragédia), Festa, Ficção, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Estupro, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oi, bananinhos, bananáticos e banlunáticos! Tudo bom com vocês?! Desculpem a demora, mas... Chegay! E aí vai mais um tão esperado capítulo. Não tá lá essas coisas, mas dá pra engolir! Amo vocês! Beijos da Banana!
Aproveitem!

Capítulo 4 - Primeiras aproximações


Fanfic / Fanfiction Butterfly - Capítulo 4 - Primeiras aproximações

Dentro de segundos, sua língua começou uma atrevida exploração dentro de minha boca, me convidando a fazer o mesmo. Então nossos lábios e línguas se moveram em uma sintonia singular. Um momento mágico. Meu primeiro beijo, pois, apesar de tudo que havia sofrido nas mãos do meu pai, ele nunca se atreveu a me beijar.

Naquele momento de êxtase, acabei perdendo a noção do certo e errado, deixando-me levar por um impulso desconhecido, não podendo me conter e tocando nele, bem ali, em seu íntimo – e que grande íntimo! Sua resposta foi um gemido surdo de prazer e mais urgência em suas carícias. Mas por sorte retomei o meu bom senso e percebi o que fazíamos, e aonde chegaria aquele ato.

-- Jungkook! -- Exclamei visivelmente admirada, levantando-me da areia e tomando certa distância dele, com dificuldade na respiração.

Tão espantado e com a respiração afetada quanto eu, Jungkook não disse nada por longos minutos, simplesmente deixando que as bochechas assumissem um tom vermelho intenso, evitando me olhar diretamente. Aquela ação tão doce fez com que minhas bochechas esquentassem - e provavelmente ficassem vermelhas também -, obrigando-me a fitar o horizonte. As sensações causadas por ele ainda incendiavam-me por dentro. Sentia-me uma pervertida por querer desesperadamente que suas roupas se desintegrassem. O que estava acontecendo comigo?! Eu o queria ou não?! Estava fazendo cu doce sem perceber?!

-- Desculpe. Eu não pude resistir. -- O coelhinho finalmente se pronunciou, num sussurro.

Olhei-o disfarçadamente. Ele ainda estava sentado na areia, na mesma posição que o deixei, e assim como eu, observava o horizonte.

-- Te desculpo contanto que não aconteça novamente. -- Falei tentando manter a voz firme, voltando minha visão para Jungkook.

Ele concordou com a cabeça e se ergueu inexpressivo, em silêncio profundo. Com certeza nunca havia sido rejeitado daquela forma, mas eu não servia para ele. Jungkook era bom demais para mim, uma garota usada pelo próprio pai. Uma flor que já não possuía mais a pureza, cor, cheiro e muito menos vida de antes.

Ficamos calados, em pé à beira mar, por alguns minutos admirando o horizonte juntos, mas sem contato visual ou físico. Até que uma gritaria vinda da casa nos chama a atenção. Viramos simultaneamente na direção do barulho, encontrando um grupo de rapazes saindo do local.  Eram os meninos, todos aparentemente bêbados, tirando Jin, se aproximando entre gargalhadas e frases sem nexo.

-- Kookie, você está aí! Olha a moça! Eu preciso mijar! -- Taehyung veio gritando até se aproximar de nós dois.

-- Você é muito baixinho, Jiminnie! -- Suga implicava com o bochechudinho.

-- Cala a boca! Você é quase do meu tamanho! -- O pequeno revidava de uma forma infantil e única, talvez causada pela bebida.

-- Olha a sua casa, Alien! -- J-Hope exclamou rindo.

-- Aonde?! -- O ruivinho perguntou admirado.

-- A lua, não tá vendo?! -- O risonho respondeu explodindo em gargalhadas.

-- É mesmo, Hoseok! Casa! -- Taehyung gritou apontando para o céu.

Jimin, Suga, Hoseok e Taehyung, com seus braços um sobre o ombro do outro, se sustentando entre si, formavam uma verdadeira corrente de bêbados cambaleantes. Já Jin vinha mais atrás, carregando Namjoon, que se encontrava num estado mais deplorável dentre os cinco.

Olhei para Jungkook assustada. Ele parecia não se importar com a situação, talvez já estivesse acostumado. Observava divertido a cena dos quatro membros da corrente alcoólica caindo na areia, como num efeito dominó.

-- Precisamos levar estas crianças para casa. -- Jin anunciou para o coelhinho ao se aproximar, deitando delicadamente no chão o bêbado que trazia apoiado no ombro.

-- Casa! -- Tae gritou erguendo os braços.

[...]

Uma semana se passou e minhas relações de amizade com os meninos só aumentavam, mesmo os considerando um tanto malucos - principalmente depois do episódio da festa. Trocávamos mensagens, passeávamos por Busan, visitávamos museus, íamos ao cinema e outras coisas. Estava começando a gostar de estar com eles, ouvir suas histórias, trocar ideias, descobrir a felicidade, ter amigos. Eles me faziam esquecer meu passado, principalmente Jungkook. Mas ainda assim, jamais seria capaz de revelar nada. Talvez por vergonha, ou medo de voltar a sofrer.

Contei para tia Keiko sobre o beijo roubado por Jungkook, fazendo-a explodir em risos. Ela disse que era normal minha reação e até quis convidá-lo para jantar conosco. Obviamente, neguei a sugestão. Gostava muito dele, mas não me sentia digna. Queria muito voltar a beijá-lo, mas me continha. E aquela aproximação com ele não ajudava em nada, então, para evitar qualquer loucura de minha parte, durante os passeios com meninos, ficava sempre ao lado de Hoseok, o que mais me fazia bem depois de Jungkook. Eu o queria, mas ainda não estava pronta.

Contudo, apesar de toda minha relutância, pressentia que aquela aproximação levaria a algo que eu queria muito evitar...


Notas Finais


Deixem seus comentários! Esqueceram?! Lembrei!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...