História "Butterfly Efect" - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Efeito Borboleta, Negligência, Passado, Possessão, Romance, Violencia
Exibições 29
Palavras 1.680
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Festa, Hentai, Lemon, Mistério, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Victória na capa!
Oie!! Só queria passar pra dizer que agora os capítulos vão sair com mais frequência, porque é provável que hoje seja o meu último dia de aula, vou poder me dedicar por completo na fanfic <3

Boa leitura!

Capítulo 6 - Festa da Kathy pt1


Fanfic / Fanfiction "Butterfly Efect" - Capítulo 6 - Festa da Kathy pt1

Luke 

- Rachel?! - Luke 

- L-Luke... 

- Vocês se conhecem? 

Perguntou Mark não entendendo absolutamente nada. 

- Hã... É... O-o que vocês estão...? - Rachel 

- Eu que pergunto! O que você está fazendo aqui, Rachel? - Luke 

- Ela é minha irmã, dã! 

E então eles trocaram aquele olhar, ambos não acreditavam que estavam em meio aquela situação, tão improvável, tão inacreditável. Luke não queria acreditar que Rachel, aquela garota linda e incrível por quem se apaixonou a primeira vista era irmã da pessoa que ele mais odiava na escola. Isso era praticamente impossível. Era possível, mas ele não queria acreditar. 

- Eu... Eu ia contar mas... 

Rachel disse tentando se explicar. 

- Por que você iria contar? Vocês são namoradinhos por acaso? Hahaha, que coisa idiota... 

- Não! Mas eu não quis contar porque iria perder uma amizade quando ele soubesse que tenho um irmão escroto feito você! 

Rachel saiu do local e subiu as escadas correndo. Luke ainda estava perplexo. Aquilo lhe doeu feito uma facada, "amizade". Não era isso que ele queria. Em ipotese alguma. Só sonhava em ter aquele lábios avermelhados sobre os seus, em poder chama-la de amor, era só isso. Mas não era assim tão fácil. 

- Vamos começar logo esse trabalho? Eu realmente não tô afim de ficar o dia todo fazendo isso. 

Disse Mark parecendo ter ignorado o que havia acontecido a segundos atrás. 

- É-é... Tá... Vamos... 

Os jovens adentraram a casa e para Luke, ela parecia ainda mais bonita por dentro. 

- Oi filho! Quem é seu amigo? Perguntou dona Lúcia com um sorriso acolhedor. 

Ela se parece muito com a minha mãe... 

- Nós só viemos fazer um trabalho; e a propósito, ele não é meu amigo. 

- Filho... Bem, se sinta a vontade rapaz... Espera... Você se parece muito com aquele desenh... Qual seu nome? 

- Luke. 

- É um belo nome... Se precisarem de mim, estarei na cozinha. 

- Tá mãe, já entendemos. Vamos logo Luke. 

Subiram as escadas compridas que revelavam um grande corredor com várias portas, tinha uma em essencial que chamou a atenção de Luke, ela tinha alguns desenhos pindurados e alguns pôsteres, sem contar que ela era a única branca por fora. 

Deve ser o quarto da vampirinha... 

Esse pensamento o fez sorrir, não sabia o porquê, só fez. 

Entraram no quarto do jovem que deixou Luke totalmente surpreendido. Não era um quarto macabro nem nada, parecia arrumado até demais. Tinha uma cama de casal no meio do quarto, com um sofá nos pés da cama que direcionavam até uma TV, uma estante com alguns livros e filmes, e um guarda-roupas grande. 

O quarto era completamente cinza claro e tinha uma janela que ocupava toda a parede, também parecia ter uma porta que levava a um tipo de banheiro. O que mais chamou a atenção de Luke foi uma foto que estava em um porta retratos quebrado perto da lixeira, parecia uma foto de... Turma? Mark estava abraçado com uma garota loira e... SORRINDO?! 

- Hã... O que vamos fazer? 

- Vou pesquisar o passo-a-passo da experiência e nós vamos fazer. Não pense que vai me deixar fazer tudo sozinho. 

[...] 

- Bom... Só falta colar os fios e vai estar pronto! Tenho quase certeza que tem cola no escritório do papai, vai lá pegar. 

Disse Mark sem tirar os olhos da experiência num tom autoritário. 

- E onde é esse escritório?

Perguntou Luke. 

- É a última porta do corredor.

Luke saiu do quarto, encontou o escritório luxuoso. Ele sonhava em algum dia dar a sua mãe o que os Márquez tinham, mas acima de tudo, riqueza de Amor e felicidade. 

Pegou a cola líquida que havia sobre a grande escrivaninha que ocupava toda uma parede, e estava voltando ao quarto de Mark quando ouviu um som que lhe chamou atenção.

Recostou-se sobre a porta de coloração clara para ouvir melhor aquele som que tanto o prendia. 

Ela é um filme de ação, com vários finais 

Ela é política aplicada em conversas banais 

Se ela tiver muito afim, seja perspicaz 

Ela nunca vai deixar claro então entenda sinais. 

É o paraíso 

Suas curvas são cartões postais

Não tem juízo, ou se já teve hoje não tem mais. 

Ela é o barco mais bolado que aportou no seu cais. 

As outras falam falam, ela chega e faz! 

Ela não cansa não cansa, não cansa jamais 

Ela dança, dança, dança demais 

 Ela já acreditou no amor, mas não sabe mais 

Ela é um disco do Nirvana de vinte anos atrás 

Não quer cinco minutos no seu banco de trás 

Só quer um jeans rasgado e uns quarenta reais 

Ela é uma letra do Caetano com "flow" do racionais 

Hoje pode até chover 

Porque ela só quer paz... 

Hoje ela só quer paz... 

Hoje ela só quer paz... 

Hoje ela só quer paz... 

 Hoje ela só quer; 

Notícias boas pra se ler nos jornais

Amores reais, amizades leais 

Ela entende de flores 

Ama os animais Coisas simples pra ela são as coisas principais

Sem cantadas; 

Ela prefere os originais 

Conheceu caras legais, mas nunca sensacionais 

Ela não é as suas negas rapaz...

Pagar bebida é fácil difícil apresentar pros pais! 

Ela vai te enlouquecer pra ver do que é capaz 

Vai fazer, você sentir inveja de outros casais 

E você, vai ver que as outras eram todas iguais 

Vai querer Comprar um sítio lá em Minas Gerais 

Essa mina 

É uma daquelas fenomenais

Vitamina, é proteína e sais minerais

Ela é a vida após a vida, despedida pros seus dias mais normais... 

Pra que mais? 

Ela não cansa, não cansa, não cansa jamais

Ela dança, dança, dança demais

[...] 

Era a voz de Rachel. Ela cantou magnificamente aquela música de letra incrivelmente linda... 

Combina com ela...

- Sua voz é maravilhosa... 

Disse Luke ainda perplexo com aquele timbre. 

- Obriga... Luke?! A quanto tempo você está aqui?! 

- É... Isso não importa... Você é tão perfeita Rachel... 

Seus rostos se aproximavam devagar, Luke sentia a respiração ofegante da jovem enquanto aprofundava seu olhar naqueles olhos escuros... Seus lábios estavam a centímetros de distância, os olhos fechavam devagar e quando estava prestes a sentir o gosto daqueles lábios avermelhados e preenchidos... 

- LUKE! Cadê você caralho?! 

Era Mark. Mas uma vez cortou por completo o clima, os dois se entreolharam e estavam visivelmente constrangidos, Luke sentira suas bochechas pegando fogo, saiu do quarto sem dizer mais uma palavra. 

Não conseguia acreditar. Eles iam realmente se beijar...? 

[...] 

- Graças a Deus! 

Acabou essa merda de trabalho!

Disse Mark se jogando sobre sua cama. 

- Bem... Eu já vou indo... Até amanhã. 

Ele saiu do quarto e desceu as escadas calmamente. 

- Luke! Já vai meu anjo? 

Perguntou dona Lúcia de forma carinhosa. 

- Ah, sim, minha mãe já está me esperando, ela deve estar preocupada. 

- Eu sei como é... Quando a Rachel ou o Mark demoram muito eu solto os cachorros, hahaha... Ligue para sua mãe e pergunte se pode ficar para o jantar! 

- Acho melhor não... Vamos deixar para uma próxima, pode ser? 

- Claro! Sua mãe é uma mulher de sorte, você é um rapaz tão educado... Não é a toa que minha filha te adora...

Não pôde deixar de sorrir, aquilo era como ganhar um Oscar... 

- Eu fico muito feliz em saber... Bem já vou indo, e muito obrigada por me receber dona Lúcia! 

{Quebra de tempo} 

Seria hoje. Uma das festas mais esperadas de começo de ano. Era o aniversário de Kathy. 

- LUKE! Me ajuda a escolher uma roupa?! 

- Hã...? 

- ROUPA! Um vestido Luke! 

- Tá bom... 

Victória levantou dois vestidos, um curto preto com uma manga só, e outro azul marinho com um decote e uma saia de babado. 

- Hum... O azul. 

Disse sem prestar muita atenção. 

- Tem certeza? Eu gostei tanto do preto... Mas tudo bem! Você é homem mesmo então... 

- Tá... Vou me vestir. 

Disse finalmente se levantando e indo em direção do banheiro. Tomou um banho quente, afinal, já era tarde e estava fazendo um pouco de frio. Luke não queria confessar a si mesmo que estava assustado. Estava com medo e receoso que essa festa não fosse dar certo. Nunca havia ido a uma festa do tipo, não sabia exatamente do que se tratava. 

Rachel. 

(N/A: Narração terceira pessoa <3)

Estava correndo para entrar no banheiro, tinha perdido a noção do tempo naquela tela e acabei só indo tomar banho faltando 1 hora para a festa, sem contar que, não tinha escolhido a roupa, e nem arrumado o cabelo. Com certeza, vou me atrasar. Tomei um banho "rápido", se comparado aos outros, sequei o cabelo e comecei a passar a prancha. Meu celular vibrou.

20:07 (Eu precisava fazer isso <3) - Sophia 

 - Já tá pronta?! 

20:08 

 - Ainda tô no cabelo, mona 

- E se você ficar me atrasando não vai ajudar. 

20:10 - Sophia 

- O QUE???? 

- Ainda?! 

- Sua maluca! 

- Meu carro chegou, vê se não chega depois de a festa ter acabado. 

20:12 

- Boa sorte pra você também, Sophia. 

Bloquei o celular e voltei para o cabelo, estava com uma toalha enrolada no corpo, e já estava acabando o cabelo, agora é só maquiagem e vestir uma roupa qualquer. Fiz uma maquiagem simples: Delineador, muito, mas muito rímel, iluminador e um batom roxo. Até que eu estava bonita. Como a intenção é não ser reconhecida, passei uma maquiagem "escura" e prendi o cabelo, coloquei minha máscara preta e vesti um vestido "tomara que caia", preto, e um salto alto roxo da cor do batom.

Desci as escadas e Mark usava uma calça jeans Preta com uma blusa social, parecia ser azul, também usava um tênis escuro e uma máscara de... Sei lá... Zorro? 

- Vamos? Perguntou Mark olhando para o relógio eventualmente. 

Por que ele tá tão ansioso? 

[...] 

Chegamos no local e estava tudo lindo, música alta, um povo se pegando, e principalmente, Luke estava lá, não sabia aonde, mas tinha certeza de que ele tinha vindo. Fui tentar reconhecer alguém mas acabei me batendo com tudo em alguém. 

- Tá tudo bem?! - ??? 


Notas Finais


Música: Projota - Ela só quer paz.

Lembrando, esse capítulo vai ter uma segunda parte, ok?

Comentem!

Beijão e tchau ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...