História Butterfly (Versão Camren) - Capítulo 21


Escrita por: ~

Postado
Categorias Camila Cabello, Fifth Harmony
Personagens Camila Cabello, Lauren Jauregui
Tags Camila Cabello, Camren, Drama, Lauren Jauregui, Romance
Visualizações 66
Palavras 2.221
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, FemmeSlash, Festa, Ficção, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Espero que gostem e uma boa leitura pra todos.

Capítulo 21 - Sedução


 










Ainda havia algumas coisas sem resposta, mas Lauren estava tranquila, pois ela sabia onde poderia encontra-las. Sua irmã poderia contar tudo e lhe dar peça final daquele quebra cabeças, a morena estava feliz a vida lhe dará não só sua filjabde volta, mas lhe dava também uma irmã que pretendia ver em breve. Agora o mais importante era Sofia. Rapidamente Lauren discou os números de Camila. A conexão não demorou a ser feita e o telefone começou chamar. Uma voz doce atendeu do outro lado da linha.



-Camila Cabello falando. —Com a boca seca, Lauren comentou.


-Camila eu vou, te encontrar em meia hora na cafeteria em frente ao seu hotel. —Houve um silêncio mortal por alguns segundos.



-Lauren você só pode estar brincando?



-Camila baixe a guarda, por favor, não vamos fazer amor na frente de todos lá eu prometo.



-Você já estar em Viena?



-Sim. Não pensou que eu esperaria você voltar não é?



-Tipico de Lauren Jauregui não é? Mas não posso encpntra-la, eu tenho um ensaio essa tarde e concerto hoje à noite.




-Esta de caso com o Mendes é? —E você esta viajando com algum de seus casos que nunca levantam a voz para você?


-Não descobri que esse tipo me entendia. Prefiro as bravas como você.


-Então eu te desafio?


-Não tanto.


-Você é tão cativante com esse papo meloso Lauren.



-Passe meio hora comigo e te mostrarei que posso me aperfeiçoar. Vai poder sair a tempo para seu ensaio.



-Eu... Droga! —Camila perdeu a paciência com joguinho de Lauren e desligou o telefone.


(...)


Camila abriu o armário desesperada.


Lauren estava em Viena, mas não tinha que se encontrar com ela. E Lauren resolvesse aparecer no hotel ao poderia impedi-la de ir ao hotel. Mas não poderia deixa-la ir até seu quarto. Havia uma cama ali. Uma cama e duas no mesmo ambiente não daria certo. Camila tratou logo de se arrumar. Sua aparência era de uma mulher clássica. Não podia permitir que Lauren soubesse que ela estava nervosa antes do concerto.


Talvez ela fosse uma distração útil. Camila deixou o hotel e caminhava lentamente, tentando respirar devagar e profundamente, como instrutor havia lhe ensinado. O selo da primavera estava quente. Ou seria porque andara pensando demais em Lauren Jauregui nos últimos dias? Talvez encontrasse as respostas assim que visse Lauren novamente. Chegou à cafeteria, era uma das prediletas de Camila. Ao ver Lauren a violinista caminhou até ela. A empresária se levantou para cumprimenta-la, beijando-lhe o rosto.


-Qual problema Camila? Você tem alguma apresentação hoje a noite. Franzino as sombrancelhas a violinista retrucou.


-Esta tão na cara assim que estou nervosa?



-Para mim sim... Eu conheço você mais do que você imagina Cabello.


-Bem, imagino que não quer perder tempo com assunto sem propósito... Vou pedir café uma fatia de bolo. Um Sachertoete.



-Bolo de chocolate com uma camada de geleia de damasco seria esse seu pedido? Camila batia a ponta dos dedos na mesa. E Lauren não imaginava que ela fosse tão irrequieta.



-Eu sempre fico assim antes de um concerto. Eu vou ficar bem assim que estiver tocando. Comentou Camila.


-Então esse é o preço que você paga para ser a melhor.



-Nesse instante não sei se estou convencida de que seja o valor certo.


-Há algo que possa fazer? Eu gostaria de ajudar.



-Você esta me distraindo. Isso já é de grande ajuda. Lauren gentilmente levou uma das mãos de Camila até os lábios, beijando lhe os dedos um de cada vez.



-A mãe de sua filha tem cumprir com suas obrigações não é.


-Você tem é que pedir logo meu bolo, é isso que tem que fazer.



-Assim você me magoa Cabello... Prefere Sachertorte a minha sedução? —Indagou Lauren sorrindo enquanto acenava para garçom mais próximo. Depois de fazer os pedidos a morena retirou da bolsa um envelope e entregou a Camila.



-Isso é para você. Camila pegou o papel, desconfiada e com certa cautela. Rasgou o envelope e leu o que estava naquela folha de papel.



-Sua mãe? Foi sua mãe que destruiu as cartas. Camila não conseguia acreditar naquilo.



-Sim ela fez isso. Eu queria poder dizer que não foi ela, mas estaria enganando a mim mesma. —Lauren concluiu envergonhada.


-Como alguém pode ser tão cruel com a própria filha? Interferindo de forma tão perversa? Alterando o curso de três vidas, uma delas da própria filha?
-Eu queria te dar uma resposta, mas eu não tenho.



-O que ela fez foi perverso. Durante meses eu esperei por resposta ou que você entrasse em contanto comigo. Eu tentei não te odiar... Senti-me sozinha e com bebê nos braços, mas quando peguei Sofia nos braços e ela sorriu para mim tudo mudou. Os olhos de Camila brilhavam em lágrimas.



-Eu estaria ao seu lado que soubesse a verdade. Eu não lhe tiraria ela, eu amaria junto com você e ajudaria no que pudesse.



-Mas você não sabia. Sua mãe porque ela fez isso? Porque destruiu as cartas?



Lauren esperava que essa pergunta viesse. Imaginava também que conseguisse da à Camila uma resposta que a confortasse, mas ela não tinha essa resposta. Talvez fosse também uma forma de revelar um pouco mais sobre si mesmo procurasse mantes tudo em segredo.



E tomando toda coragem que possuía gaguejando um pouco de início, Lauren começou a descrever a mulher que chamava de mãe. A mansão de pedra, frieza de Clara, a apatia de Michael e as fugas delas, quando menina para a floresta e para litoral. Foi uma conversa difícil, mas a morena se sentiu, mas leve depois de contar para Camila parte de quem ela era. O garçom trouxe os pedidos e Lauren continuava contando, encorajada pela atenção de Camila. Então ergueu o olhar e disse.




-Você se lembra de quando te perguntei em abandonar Sofia?


-Sim... Você me pareceu emocionada quando eu disse que não.



-Quando eu tinha mais ou menos a idade que Sofia tem agora, minha mãe fez um aborto... E isso destroçou o coração do meu pai quando ele descobriu. Eu ouvi tudo por acaso na noite em que minha mãe contou a ele. E depois ele descobriu que ela tinha tido outro filho, uma menina, antes de se casar com ele e abandonou a criança.




-Eu lamento por tudo isso Lauren.



-Eu nunca vou poder lhe agradecer por não ter abandonado nossa filha, assim como vou sempre lamentar por não poder estado ao seu lado quando mais precisou. Mas não devemos falar sobre isso e você tem um concerto para se concentrar hoje à noite. —Lauren disse emocionada.


-Porque diz isso?



-Porque acabei lhe aborrecendo.



-Não Lauren pelo contrário, você confiou em mim. Confiou algo doloroso que deve ter sido um trauma para a menina tão pequena.



-Mas nada mudou apenas pelo fato de ter lhe contando isso.




-A mudança acontece com tempo. E você tem um ingresso para o meu concerto hoje?




-Não. Eu preferiro os CDs. Música a distância.



-Você precisa se distrair. Irei arrumar ingressos para você e deixarei na entrada.




-Ainda irei poder conhecer a Sofia?



-Claro que vai. Só preciso de tempo para contar a ela sobre você.



-Não? Porque ainda não contou?



-Antes eu precisava saber o que tinha acontecido com as cartas.




-Esse é o único motivo?



-Lauren eu preciso que tenha paciência. E quando voltei do Caribe, era tudo muito novo para mim... Antes precisei lidar com meus próprios sentimentos. E é algo que precisa ser dito com cuidado, Sofia é uma menina esperta, mais ainda sim é uma criança.




-Mas meu medo que você desista e me mantenha afastada dela.



-Talvez eu pudesse pensar assim antes. Ainda tenho certo receio com sua família. Devo ignorar que sua mãe fez?



-Eu não sou responsável pelas ações dela Camila.



-Mas ela faz parte de sua família, e seu pai também.



-Meu pai é um bom homem. E deseja conhecer a neta também.



-Eu não posso lidar com essa parte agora. Vamos por partes e com calma, primeiro vamos nos concentrar entre construir a sua relação com nossa filha tudo bem. Lauren sorriu diante da afirmação de Camila dizendo nossa filha. Aquilo significava um grande avanço.




-Ainda acho que não deveria ter lhe mostrado a confissão de minha mãe ainda. Acho que foi uma hora inadequada.




-Não se Culpe por isso, eu lhe pedi provas. Então não posso reclamar por isso.



-Você tem o direito de reclamar sobre o quiser. Durante oito anos, você cuidou e alimentou e protegeu minha filha pelo que minha mãe fez. Como acha que sinto diante disso tudo?



-Não tenho muita ideia. Você sempre esconde seus sentimentos. Sem pensar no que iria dizer depois Lauren apenas soltou de uma vez.




-Eu vou ao seu concerto hoje à noite.





Ainda suspirando, Camila pegou ultimo pedaço de bolo com o garfo. Acabara de saber algo importante sobre Lauren Jauregui. Ela começava a se abrir, talvez uma informação que apenas a faria esta por perto, de uma forma que tanto a intrigava como a aterrorizava, se abrir significa estar mais próximo e isso era o que Camila ainda não considerava preparada.




-Porque você sempre complica tudo Lauren?



-Para te manter pensando coisas. Você quer outro pedaço de bolo?



-Não se não, mas tarde não entra rei no meu vestido. E muito justo. Tem uma recepção depois do concerto se quiser pode ir comigo.




-Desde que possamos ir embora juntas.




-Nada sútil você não é Lauren?



-Quando me convém sim.



-Então estar querendo um compromisso Jauregui?




-Apenas com relação à recepção.




-Deixe me esclarecer algo Lauren Jauregui, não vou ter nenhum tipo de relação ou compromisso comigo. Mas se permitir que se aproxime de Sofia não vai poder agir assim com ela.



-Não farei isso. Prometo. E jamais iria magoar nossa garotinha Camila.



-Então suponhamos que lhe deixe ver Sofia e vocês começam a se relacionar, e nesse tempo, nos tenhamos um romance. O que vai acontecer quando você se cansar de mim.




-Talvez devêssemos parar de supor e lidarmos com isso quando e se acontecer.



-Eu serei jogada fora como lixo!



-Camila pare de colocar palavras na minha boca. Eu não atirei assim!



-Bem, isso casou alguma reação.




-Quer saber a verdade Cabello? Eu gostaria de estar na cama com você agora te beijando inteira e decorando cada pedacinho seu.




-Uma vez um professor meu disse. Nada de sexo antes de um concerto. Isso faz com que a música perca a sua paixão.




-Então farei esse sacrifício pela arte e música, estou fazendo minha parte por Brahms?




-Todos tem que fazer sacrifícios pela arte ao menos uma vez na vida.



-Você sempre me faz rir Cabello. Sexo e boas risadas... Boa combinação.



-Uma combinação quase tão boa sinto café e bolo de chocolate. Camila comentou em seguida se levantando da cadeira em que estava sentada.



-Eu tenho que ir Lauren. O ensaio é daqui a algumas horas e preciso praticar e fazer alguns execícios respiratórios antes.



-Um concerto faz com você desafie seus próprios limites e se depare consigo mesmo Camila.



-Você estar certa... Lauren se levantou e ignorou tudo a sua volta só tinha Camila a UA frente. Tomou Camila em seus braços e não houve tempo para protestos, à morena colocou seus lábios aos da violinista em beijo cinematográfica. E quando se separaram havia apenas sorrisos entre os lábios que a louco se tocavam de forma intensa.




-Não poderia despontar a mim mesma, ao meu público e a música. —Camila respondeu de forma sincera. E Lauren tirou do bolso uma caixinha e entregou o presente dizendo.



-Isso é para lhe dar sorte hoje à noite.



-Eu não posso aceitar um presente seu Lauren.



-E porque não? Acha que estou tentando te comprar Cabello?



-É claro que não. Você é uma mulher bem diferente de sua mãe.



-Apenas abra... Depois você julga se quer ficar ou não. Camila se deu por vencia e abriu a caixinha. Era um lindo par de brincos de diamantes.



-São incríveis Lauren... Não sei o que dizer.




-Eles me lembram de você Camila. Quando você esta apaixonada por alguma coisa até seu cabelo parece faiscar.



-Lauren com relação às cartas, eu deveria ter acreditado em você quando me disse que não as tinha recebido e não pedido provas... Eu lamento por isso. Desculpe-me.



-Esta perdoada Cabello. Camila sorriu ainda nos braços de Lauren.



-Os brincos são lindos. Ficarei feliz em usa-lod hoje à noite no concerto. Muito obrigado. Lauren não se conteve e beijou Camila novamente e foi correspondido CA mesma forma.



-Acho melhor você ir embora. Ou as coisas saíram do controle e não vou poder cumpri minha promessa de não fazermos amor aqui mesmo. —Lauren disse as ultimas palavras ao pé do ouvido da violinista a fazendo se arrepiar por inteiro. —Vou ficar aqui e terminar de ler o jornal. Lauren completou. Camila saiu dos braços de Lauren sorrindo e partiu.



Lauren voltou a se sentar. Ela tinha dado diamantes a uma mulher, e revelara um segredo de uma vida inteira econcordara em ir a um concerto. Não era um comportamento típico dela, mas estava feliz pelo modo em que se sentia agora. E deixaria a recepção, junto com Camila Cabello. Ela pensava consigo sorrindo. O professor de Camila não dissera que a aluna não poderia fazer sexo depois do concerto. A morena sorriu e voltou a ler seu jornal.
 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...