História Buying Her Love - Capítulo 10


Escrita por: ~ e ~tfbonney

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Personagens Originais
Tags Camren, Fifth Harmony
Exibições 1.149
Palavras 3.998
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Hey pessoal, eu sei que nós desaparecemos do mapa, mas estamos de volta!!! Meus horários e os da Marcella não estavam batendo e não estávamos conseguindo escrever a história, além de que enfrentamos diversos problemas pessoais e não conseguíamos nos concentrar no enredo. Tanto ela quanto eu queremos que vocês leiam algo legal, não queremos escrever qualquer coisa e simplesmente postar, então desculpem a demora.
A notícia boa é que agora entramos em férias e as coisas estão mais calmas, então talvez as atualizações venham a ser frequentes hehehehe
Boa leitura:

Capítulo 10 - Capítulo 10.


Fecho a última janela do meu apartamento e encaro minhas duas malas em cima da cama, respirando fundo para o que provavelmente viria a tornar-se a semana mais longa de toda a minha vida.

- Está pronta? – Encaro Dinah, enquanto arrastava minhas malas para fora de meu quarto.

- Não. – Me sento e ela revira os olhos – E se tudo der errado?

- Caso de errado, vai dar errado e não vai existir nada que possamos fazer. – Passo a mão pelo meu rosto.

- Você não está ajudando em nada, Dinah. – Ela ri, ocupando o lugar ao meu lado.

- Estou sendo sincera. – Mordo meu lábio inferior – Você tinha total consciência aonde estava se metendo quando aceitou assinar aquele contrato e contratar Lauren. É apenas para causar boas impressões e fazer sua irmã calar a boca, apenas cinco dias. – Concordo com a cabeça, ainda hesitante com toda aquela ideia – Depois você pode dizer que ficaram juntas por mais algum tempo e os horários não davam mais certo, então optaram por terminar.

- É, você tem razão. – Me levanto e ela sorri – E você vai nos encobrir, não vai?

- Pode ter certeza, vou falar para todos o quanto é nojento quando vocês não param de se beijar quando saímos nós três e coisas do tipo... – Pega uma das minhas malas – Agora vamos logo, não quero perder mais tempo. – Reviro meus olhos e pego a outra mala, saindo de casa.

Os últimos dias haviam sido bem corridos e extremamente sufocantes, Alanna estava sugando todas as minhas energias com os preparativos irritantes do seu casamento, isso incluía provas de vestidos e pequenos detalhes que ninguém a não ser ela se importava de verdade. Já Lauren estava me levando a loucura com toda a sua impaciência e pouco caso de se comprometer com o que iriamos fazer nesses cinco dias juntas para todos acreditarem em nós como um casal.

Ainda não fazia muito sentindo para mim como o seu emprego funcionava, ao mesmo tempo que muitas coisas pareciam éticas outras pareciam completamente antiéticas. O preço de seu trabalho não me incomodava muito mais, entretanto, a sua personalidade forte e sistemática me deixava com os cabelos em pé.

A última vez que eu havia visto Lauren havia sido em uma prova de bolos com Alanna, minha irmã faz questão de chamar minha “namorada” para tal atividade, ambas riram e se divertiram horrores enquanto eu fui completamente deixada de lado para comer pedaços de bolos em paz, podendo pensar na pessoa incrível com a qual eu estava me encontrando às escondidas.

Durante o trajeto até a casa de Lauren recebi uma mensagem de Giovanna:

 [03:20PM] – Gio: Boa viagem, se cuide e não esqueça de uma lembrança para a minha pessoa.

Diferente de Lauren, Giovanna esbanjava uma simpatia fora do comum nas vezes que nos encontramos para tomar café, extremamente engraçada e inteligente a garota me deixava sem palavras com sua mente fascinante e conseguia fazer com que eu me encantasse com seu sorriso acolhedor e gentil.

Mesmo querendo levar Giovanna ao casamento, seria Lauren que iria me acompanhar.

- Giovanna mandou uma mensagem? – Dinah questiona e eu arregalo os olhos, guardando o celular.

- Como você sabe?

- Você está sorrindo que nem uma otária. – Bufo e ela ri – Se eu fosse você responderia e apagaria a mensagem, a Rainha do Gelo está vindo e pode ficar brava como da última vez que viu você e Giovanna juntas. – Mexe com a cabeça e eu olho através do vidro.

- Tem razão.

Prontamente desci do carro e atravesso a rua, apertando a mão de Lauren para logo em seguida pegar uma de suas malas enquanto atravessávamos juntas.

- Olá, Dinah. – Sorri cordial e minha amiga sorri.

- Hey, Lauren. – Coloca o cinto de segurança novamente – Estão preparadas para duas horas de viagem? Todas fizeram xixi? Porque eu não vou ficar parando por ninguém não. – Reviro os olhos, aquela era uma indireta para a minha pessoa.

- Não tenho uma bexiga pequena. – Lauren fala casualmente, cruzando suas belas pernas.

- Foi uma indireta para Camila, ela mais faz xixi do que qualquer outra coisa. – Elas riem e eu reviro os olhos, me afundando no banco.

- Apenas vamos logo, não quero me atrasar e ser obrigada a ouvir Alanna tagarelando em minha orelha o tempo todo.

Sabia que cada segundo daquela viagem de duas horas seria algo extremamente constrangedor simplesmente porque eu sabia o que conversar com a minha melhor amiga, mas não tinha ideia sequer do que conversar com a atriz no banco de trás ou então inclui-la no assunto sem levar alguma patada e ser encarada com um olhar indiferente. Entretanto, nos primeiros dez minutos Dinah conseguiu achar um assunto em comum com Lauren: o show da Rihanna que aconteceu na cidade na última semana. As duas tinham comparecido ao show e ficaram em lugares próximos, mas não tinham se encontrado. A partir daquele tópico achamos um tema que –aparentemente- todas nós tínhamos muito em comum, a música.

Notei que após Dinah citar que eu tocava muito bem violão Lauren disfarçadamente começou a fazer diversas perguntas sobre histórias nossas, contávamos animadamente nos recordando de diversos momentos enquanto a morena anotava algumas coisas em um caderno preto, talvez ela finalmente estivesse me colocando em sua lista negra.

Talvez o destino conspirasse ao meu favor já que após zombar diversas vezes do tamanho da minha bexiga Dinah foi obrigada a parar em um lugar para que pudesse usar o banheiro depois de beber tanta água, deixando Jauregui e eu sozinha pela primeira vez.

- Você parece nervosa. – Ri divertida.

- Vou enganar minha família durante a próxima semana, é impossível não ficar. – Respondo brincando com a bolsa que estava em meu colo.

- Você vai acabar acostumando e vai ser algo natural. – Declara – E não se preocupe, eu vou estar ao seu lado o tempo todo e garantir que todos eles acreditem no que você quiser. Podemos combinar palavras chaves para caso você ache que as coisas estão indo longe demais ou coisas do tipo. – A encaro surpresa.

Quando me virei e encarei Lauren por longos instantes notei que não havia qualquer vestígio de deboche em sua expressão, além que ela parecia bem empenhada em me deixar relaxada para o que iriamos passar nos próximos dias. Automaticamente senti meu corpo relaxar. Sra. Jauregui podia implicar comigo boa parte do tempo e podia ser bem bipolar, mas ela sabia exatamente o que fazer em casos como os meus.

- Isso soa ótimo, Lauren. – Comento baixinho – Qual código você acha que podemos usar?

- Podemos usar dizer ‘acho que esqueci a janela do meu apartamento aberta’ se acharmos que estamos indo muito longe. – Sugere e eu concordo com a cabeça – E caso você ache que está tudo bem continuar naquele tópico você apenas responde ‘soube que não irá chover em Miami essa semana’.

- Soa bem casual.

- Essa é a intenção. – Sorri risonha, se ajeitando no banco – Mas caso você concorde que estamos ultrapassando na mentira e podemos nos enrolar nela mais tarde é só dizer que vai chover. – Assinto com a cabeça – Devo ficar um tempo sozinha com algum familiar?

- Isso provavelmente vai acontecer. – Noto que Dinah entrou na loja de conveniência.

- Quer que eu diga alguma coisa?

- Conte de nossos encontros. – Suspiro – Conte que eu a levo para jantar fora todas as quintas e quando você recusa a se sair de seu escritório eu levo a comida até você. – Mordo meu lábio inferior – Conte que eu toco violão para você e que você conseguiu me fazer praticar exercícios. – Passo a mão em meus cabelos, me virando para ela – Diga que amamos caminhar na praia aos Domingos de manhã. – Assente, me olhando intensamente no fundo dos olhos.

- Vou dizer que eu gosto de fazer jantas para você e quando almoçamos quase sempre minha melhor amiga está conosco. – Assinto com a cabeça – E quando perguntarem diga que eu sou muito próxima da minha melhor amiga, assim como você é com Dinah, tudo bem?

- Nós tentamos junta-las? – Questiono em um tom sarcástico e Lauren ri debochada.

- Tentamos. – Concordo com a cabeça.

- Tentaram o quê? – Dinah questiona ocupando seu assento.

- Nada. – Respondemos ao mesmo tempo e nos encaramos, deixando um sorriso escapar.

Era bem assustador a maneira que rapidamente tínhamos conseguido construir aquilo que considerávamos um relacionamento perfeito entre nós. Ao menos da minha parte, aquelas seriam as coisas que eu realmente faria por uma namorada minha, uma que realmente conquistasse meu coração. Entretanto, conseguia ser bem reconfortante saber que Lauren havia concordado com a minha loucura, já que de uma forma engraçada tínhamos levantado uma bandeira branca de discussões, algo em mim dizia que iriamos ficar bem aquela semana e finalmente iriamos agir como adultas uma ao lado da outra.

O resto do trajeto foi bem interessante já que Dinah conseguiu arrancar algumas coisas sobre a vida de Lauren. Descobrimos que ela viajou muito com sua melhor amiga, que se chama Normani, também descobrimos que ela realmente pratica diversos exercícios e lê bastante, além de falar espanhol e amar música clássica.

Não pude evitar de sentir meu estomago pesar quando notei de longe a movimentação dos carros diminuindo conforme nos aproximávamos do hotel gigantesco dos pais de Henry. O lugar era realmente enorme e era possível fazer de tudo um pouco estando hospedado lá, era considerado um dos melhores hotéis da região e era certeza absoluta que todos estariam comentando sobre o casamento do filho mais velho dos donos.

Assim que descemos do carro e eu informei meu nome prontamente uma quantidade assustadora de funcionários se aproximaram para retirarem as malas do carro de Dinah, informei o nome de Dinah para que levassem suas malas ao seu quarto. Fiquei levemente nervosa quando me recordei que dividiria a mesma cama que Lauren por algumas noites.

Me assustei quando repentinamente Lauren entrelaçou nossas mãos.

- O que está fazendo?

- Uma senhora está caminhando em nossa direção com um largo sorriso. – Sussurra e eu prontamente vejo minha tia Susan, uma das favoritas.

- Kaki. – Sorrio sem jeito e a mulher me abraça apertado – Está tão maravilhosa, quase não vejo mais você, é tão ocupada. – Lota meu rosto de beijos e eu arregalo os olhos, rindo.

- Tia... – Me afasto constrangida e noto o sorriso divertido de Lauren – Tia essa é a minha namorada, Lauren. – A mulher abre um largo sorriso, agarrando Lauren em um abraço apertado, me fazendo rir enquanto lota a mesma de beijos.

- Seja muito bem-vinda a família. – Sorri gentil – Dinah, olha só como você cresceu, eu lembro quando você ia escondida abrir minha estante para roubar chocolates para vocês. – Suspiro e Lauren começa a rir baixo quando minha tia abraça DJ – Imagino que estejam cansadas da pequena viagem, Alanna é a única que parece estar pronta para correr para uma maratona.

- É o casamento dela, não esperaria menos. – Sorrio cordial – Tia nós vamos subir e tomar um banho para nos encontramos no salão. – A mulher concorda com a cabeça – Nos vemos mais tarde?!

- É claro que sim, quero conhecer essa bela jovem. – Pisca cumplice – Você é estonteante, Lauren. – Toca a ponta do nariz de Lauren e sorri divertida – Nada de roubar o buffet, Srta. Hansen. – Rimos e Dinah bufa, não conseguindo prender a risada.

Boa parte da minha família evitava contato físico, como Alanna, mas existiam os que eram apaixonados por beijos e abraços, como tia Susan e eu.

De mãos entrelaçadas caminhamos para a recepção, aonde pegamos os cartões de nossos quartos e só então descobrimos que estávamos em andares diferentes, pouco se importando com isso Dinah acabou saindo na frente para chamar o elevador. Entrando no elevador encontramos a irmã de Henry, Samanta com seu namorado Daniel, parados ao lado de Dinah em uma conversa cordial.

Um pouco tensa com a presença de Samanta entrei no elevador sendo seguida por Lauren, sentindo o local ficar quente quando a irmã de meu cunhado entrou e sorriu animada para nós informando que amava nos ver juntas. Fiquei rígida quando Lauren me fez abraça-la por trás enquanto esperávamos o elevador chegar em nosso andar.

Lauren era extremamente cheirosa e quente, além de sua pele ser muito macia. A minha vontade era de enfiar meu rosto em seu pescoço enquanto eu acariciava todas as partes de seu corpo que eram macias como seus braços e mãos. Assim como eu sentia uma vontade surreal de não deixa-la se afastar, sentia falta de ter alguém em meus braços como ela estava naquele momento.

Senti meu rosto esquentar quando notei o olhar de Dinah sobre mim, ela sorriu sacana como se soubesse exatamente o que eu estava pensando naquele momento.

- Samanta disse que vocês serão vizinhas de quarto dela. – Dinah sai do elevador, sem quebrar o contato visual – Não façam muito barulho, não sabemos se ela tem sono pesado como o meu. – Pisca em nossa direção antes da porta se fechar.

- Oh meu Deus. – Lauren ri baixo, claramente constrangida com aquela insinuação.

- Samanta eu sinto muito e... – Buscava palavras para formular uma frase coerente.

- Nós prometemos que nada disso vai acontecer. – Lauren prontamente completa.

- Dinah é apenas idiota e... e estava fazendo uma palhaçada, como sempre. – Eu queria ser um avestruz para enfiar minha cabeça no chão.

- Não se preocupem. – O namorado dela ri divertido – Meu amigo faz a mesma coisa todas as vezes, já estamos acostumados com esse tipo de piada. – Concordo com a cabeça, ainda sem graça.

- Mas sentimos muito da mesma maneira. - Comento séria - Foi uma brincadeira de mau gosto. - Alanna iria me matar se soubesse que sua preciosa cunhada fora obrigada a escutar aqui.

Dinah era estúpida e eu faria questão de me vingar.

Quando a porta se abriu não demorei nada para me despedir do casal enquanto praticamente arrastava Lauren para o nosso quarto, que ria divertida. Uma coisa era eu brincar com aquele tipo de coisa com Alanna, que era alguém intimo meu, outra coisa completamente diferente era fazer aquele tipo de insinuação com uma pessoa que eu não conhecia nada bem. Entramos na suíte e notei que as malas já estavam ali, fui até o frigobar que ficava na sala da suíte e peguei uma bebida, enquanto ouvia a risada de Lauren. Assim que me virei encontrei ela esparramada na cama gigantesca que ficava no cômodo ao lado, parecia uma criança na noite de Natal. Me limitei a sentar na cadeira da mesa e beber todo o conteúdo da garrafinha de água enquanto não desgrudava os olhos de Lauren.

- Vamos ter que fazer barulho pela noite. – Sorri sacana, apoiando o peso de sua cabeça em sua mão – Ao menos para eles acreditarem que somos um casal sexualmente ativo. – Sorri sacana e eu sinto minhas bochechas ficarem mais vermelhas ainda.

- Lauren. – A repreendo e ela solta uma gargalhada gostosa.

- Você fica toda sem graça quando falam sobre isso. – Senta-se na cama – Não pareceu sem graça quando encenamos aquelas coisas na frente de Alanna. – Passo a mão pelo rosto.

- Aquilo foi diferente.

- Foi mesmo, foi mais insinuante e provocativo. – Revira os olhos – Apenas relaxe, Camila, isso não vai dar certo se você foi ficar mais dura que uma estátua quando eu me aproximar de você, entende? – Caminha em minha direção e senta em meu colo, me deixando rígida – Viu?! Você tem que estar relaxada para isso funcionar. – Aperta meus braços e ombros – Finja realmente que estamos juntas, e que você me prometeu que não me beijaria até a semana acabar para reacendermos o fogo do nosso amor. – Ri sarcástica – Nunca ouviu que quando conta uma mentira a primeira pessoa que tem que jurar que é verdade é você?

- É difícil. – Confesso – Não estou acostumada com tanto contato físico assim e muito menos com a minha família por perto realmente desejando que eu esteja feliz com alguém.

- Finja que é real. – Olha no fundo dos meus olhos – Apenas finja.

- Ok. – Sussurro, sentindo minha respiração ficar pesada ao notar o quão próxima estávamos.

- E-Eu vou tomar um banho, o que devo vestir? – Se levanta do meu colo e eu mordo meu lábio inferior, encarando o chão – Um vestido ou saia?

- Vestido. – Murmuro e ela concorda com a cabeça, abrindo a mala.

Bateram na porta e eu encarei Lauren, que logo entrou no banheiro. Abri um pouco a porta e mordi meu lábio inferior quando vi quem estava do outro lado, Alanna, prontamente deixei minha irmã entrar no quarto e pude escuta-la tagarelando sobre a minha demora em aparecer ali para auxilia-la a conversar e entreter todos os convidados.

As vezes sentia uma certa pena de Alanna, por ser uma pessoa difícil era raro ela conseguir se dar bem com alguém, por esse motivo em seu próprio casamento não havia uma amiga verdadeira para estar ao seu lado naquele momento, por esse motivo minha mãe e eu ficaríamos ajudando-a a lidar com tudo e todos.

Eu precisava ser paciente com a minha irmã por apenas uma semana em toda a minha vida, não poderia ser tão ruim assim.

Ouvi minha irmã falar incansavelmente sobre diferentes tópicos, isso incluía a tia chata de Henry que continuava a achar que minha irmã não era a melhor escolha para seu sobrinho. Também escutei ela desabafando sobre o quanto estava nervosa com o casamento, com medo de que Henry mudasse de ideia e todas essas coisas.

Após dar os melhores conselhos que consegui pensar no momento acariciei o ombro da minha irmã e disse que assim que terminasse de me arrumar desceria para ajudar com tudo o que fosse necessário, o que fez todo o seu corpo relaxar no mesmo instante.

- Amor você quer que eu te... – Arregalo meus olhos ao ver Lauren sair enrolada em uma toalha no banheiro – Alanna... – Fala sem graça, é claro que ela sabia que minha irmã estava lá.

- Me desculpe, Lauren. – Minha irmã estava roxa de vergonha e não encarava minha “namorada”, que apertava a toalha contra seu corpo – E-Eu já vou, nos vemos daqui a pouco. – Prendo a risada quando praticamente corre para a porta e sai do quarto.

- Você é má. – Rio baixo e Lauren ri, apertando a toalha contra seu corpo.

- Você me disse que uma das suas vontades era irritar sua irmã, apenas estou ajudando nisso, é fácil deixa-la constrangida tanto quanto é fácil fazer isso com você. – Olho para baixo – Você vai tomar banho também?

- Vou, assim você pode se trocar aqui, tem bastante espaço e você pode escolher melhor a roupa que quer usar. – Olho para ela, notando seu corpo ainda molhado e as gotas caindo no carpete do quarto – Quero descer junto com você, assim posso eu mesma te apresentar para a minha família.

- Como quiser. – Da espaço para eu passar – Bom banho, Sra. Cabello. – Trinco meu maxilar enquanto juntava minhas coisas, vendo a toalha no chão enquanto Lauren já estava em outro cômodo da enorme suíte.

Meu banho foi rápido, troquei de roupa optando por um vestido azul marinho justo e curto, calcei meus saltos altos e prendi o meu cabelo em um coque alto, já que eu não havia o lavado mais uma vez naquele dia. Fiz toda a minha maquiagem e me perfumei, encontrando Lauren jogada na cama assistindo televisão, não pude evitar de sorrir ao vê-la com um vestido florido soltinho, aquela era a roupa perfeita para aquela ocasião.

Pegamos o elevador juntas e apenas um andar antes de chegarmos que ela se aproximou de mim, para que quando a porta se abrisse quem estivesse esperando o elevador nos visse juntas, era mais uma maneira de se prevenir e fazer todos acreditarem em nosso relacionamento inexistente. Conforme caminhávamos de mãos entrelaçadas podia notar o olhar de algumas pessoas, até mesmo paramos para cumprimentar algumas e em todos os momentos eu apresentava Lauren, e parecia imediato o efeito dela nas pessoas, todos pareciam gostar dela. Quando entramos no salão aonde acontecia o coquetel de boas vindas dos convidados do casamento vi diversos parentes já ali.

- Veja, Mark, essa é a namorada de Camila. – Tia Susan sorri largo, puxando meu primo – Lauren esse é o meu filho. – Sorri orgulhosa e meu primo prontamente beija a bochecha de Lauren, que arregala os olhos surpresa com o contato prolongado.

- É um prazer te conhecer. – Sorri gentil, a puxo pela cintura, sentindo sua mão pousar em meu peito, ela havia desequilibrado com o puxão repentino.

- É bom te ver, Camilinha. – Meu primo aperta minha bochecha e eu sorrio forçado, diferente de tia Susan, ele passava longe de ser meu parente favorito – Como a empresa tem estado? - Questiona interessado, ele trabalhava para um filial rival.

- Maravilhosa, como sempre. - Sorrio ácida - Melhor impossível.

- Oh isso é ótimo. - Seu sorriso não era mais tão grande - Lauren trabalhava para você, como Hailee? Afinal o que aconteceu com essa sua outra namorada? – Tia Susan lhe acerta um tapa quando meu sorriso morre.

- Camila, perdoe a indelicadeza de Mark. – Olha feio para ele.

- Nós não estamos mais juntas. – Falo como se fosse obvio.

- E eu posso falar por mim mesma. - Lauren responde - Não trabalho na empresa de Camila, sou engenheira. - Mark arqueia as sobrancelhas, e eu sorrio de canto. Ela havia notado que eu não gostava dele e tudo aquilo havia me deixado desconcertada.

– Daria mais detalhes, mas seria falta de educação para com Lauren e Alanna parece estar me chamando, com licença.

Puxo Lauren para longe deles e trinco meu maxilar, odiando o fato dele ter tocado naquele nome.

- Você está bem? – Questiona baixinho.

- Estou. – Respondo indiferente – Mas não precisa fingir que se importa, Lauren. – Rio baixo, pegando uma bebida.

- Se eu não me importasse eu não iria perguntar, não sou o tipo de pessoa que gasta saliva atoa, Camila. – Responde simplesmente e eu viro todo o conteúdo da taça.

- Você pode falar com papai? – Alanna nos interrompe – Lauren, feliz em te ver, com roupa dessa vez. – Elas riem e se abraçam, arregalo os olhos por Alanna soltar uma piada como aquela – Ele está muito animado, está bebendo desde a hora do almoço, muitos convidados não chegaram ainda e não seria nada agradável verem ele bêbado.

- Deixe comigo. – Comento entrelaçando minha mão com a de Lauren – Venha, você vai gostar do meu pai, todo mundo gosta. – Sorrio de canto, me aproximando.

Falar com meu pai e estar perto dele sempre me fazia feliz, Alejandro Cabello me entendia como ninguém.

O espaço estava cheio, havia uma boa quantidade de pessoas cercando meu pai enquanto ele provavelmente contava alguma piada, já que todos por perto riam sem parar. Lauren encarava fixamente ele e parecia apreensiva em finalmente conhece-lo, provavelmente porque já deve ser difícil impressionar pai da sua namorada verdadeira, imagina a da namorada falsa que te paga para impressionar.

Quando cutuquei meu pai e ele se virou seu olhar focalizou em mim, seus braços envolveram meu corpo em um abraço quentinho e protetor, o que me fez suspirar aliviada e fez com que eu me sentisse amada. Beijei sua bochecha e me afastei um pouco, encarando Lauren que sorria de canto enquanto seus olhos gritavam pavor. Franzi o cenho ao notar meu pai abrindo um sorriso gigantesco e seus olhos brilhando de uma maneira com a qual eu jamais havia visto ao conhecer alguém pela primeira vez, antes que eu sequer pudesse falar qualquer coisa ele envolveu Lauren em seus braços e abraço-a do mesmo jeito. Pude ver Lauren fechando os olhos com força e devolvendo o abraço na mesma intimidade e afeição.

O que estava acontecendo ali?

- Michelle, quanto tempo, você está maravilhosa. – Abraça pelos ombros – Você é a nova namorada de Camila? Isso é maravilhoso. – Ri divertido me envolvendo com o outro braço, me deixando mais confusa ainda.

Lauren se chamava Michelle? Meu pai conhecia Lauren?


Notas Finais


BOOOM ALTAS TRETAS AGORA!!! Demos dicas nos capítulos passados sobre Lauren e algumas pessoas já captaram, alguém tem ideia da onde que Alejandro conhece Lauren?
Gostaríamos de agradecer a paciência, além de é claro todos vocês que não desistiram da história, porque podem ter certeza que nós não vamos desistir dela!! Obrigada por todos os comentários, visualizações e favoritos, apreciamos todos vocês e lemos tudo ♥
Caso vocês queiram conversar conosco, cobrar novos capítulos e tudo mais é só nos chamar em nossos Twitters switch5Hearts (meu) ou skinjauregui (Marcella). Mais uma vez, obrigada por tudo ♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...