História By Chance - Capítulo 17


Escrita por: ~

Postado
Categorias Orange Is the New Black
Personagens Alex Vause, Piper Chapman
Tags Alex Vause, Larry Bloom, Lesbians, Oitnb, Piper Chapman, Vauseman
Visualizações 136
Palavras 720
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), FemmeSlash, Orange, Romance e Novela, Violência
Avisos: Bissexualidade, Drogas, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Esse cap provavelmente vai bugar a mente de vcs, mas... A notícia boa é que Enem acabou e feriado chegou.

Mereço broncas SIM!! Mas vamos lá.
Preparem os corações, vamos chorar e sofrer juntas.
Obrigada por tudo, e pela paciência.❤

Capítulo 17 - México


Fanfic / Fanfiction By Chance - Capítulo 17 - México


Nada se compara, nenhuma preocupação ou cuidado. Arrependimentos e erros, são feitos de memórias. Quem poderia ter adivinhado o gosto amargo que isso teria?

Adele - Simeone like you



– Alex, já chega de fotos.

– Só mais um sorriso amor, você está tão linda.

Piper sorriu diretamente para a ela, e depois ameaçou beijá-la. Enquanto Alex andava de costas tentando fugir de seus beijos, e tirando inúmeras fotos de sua amada, os olhinhos azuis combinavam com a neve branca e macia.

– Alex pare, me dê um beijo, venha cá. – a morena não parou, continuou andando, e fugindo da moça – Al… Alex! Amor. Alex.

Cada vez mais distante. Foi aí que Piper se deu conta de que era só um sonho…


– Bom dia meu amor, estava reparando você dormir. Acordou bem?

– Sim. – foi se abrindo um sorrindo meio de lado quando percebera o sorriso do homem a sua frente. Dermot era o homem mais gentil que já conheceu, cuidava tão bem dela, mesmo os dois tendo um serviço que os consumisse até a alma. – Obrigada por estar ao meu lado, hoje está tão frio, que bom que será um dia quase normal.

– Sempre estarei aqui. – ele sorriu, dando beijos por partes do seu rosto, ela admirava seu cabelo grisalho, e barba semelhante, olhos azuis, como ele era lindo – está frio mesmo, por isso preparei um café bem quente e forte, você não vem?

– É claro que sim.


Muita coisa mudou nos últimos nove meses de sua vida, Piper tivera que se mudar para Itália, um dos países que mais admirava na vida. Precisou deixar o passado pra trás para conseguir construir um novo futuro. E bota novo nisso. Dermot era um velho amigo de faculdade por quem Piper era apaixonada, mas nada passou disso! Porque os dois tiveram oportunidade de se entender depois de anos, o coração dela estava aberto para visitas, e ele não perdeu nem um pouco de tempo para ocupa-lo, depois da mera construção que tivera que fazer. Não surtiu efeito, mas ela sabia que não podia parar. Não agora!

– Quem diria que nós dois iríamos parar aqui. – disse o homem, dando continuidade – Itália, Piper? Uau, que bela escolha pra esse serviço.

– Acha que nos acostumamos? Eu acho que não, Det, ando exausta demais, minha cabeça pensa tanto, estou ficando louca. – ela disse enquanto tomavam um quente café na sacada de casa.

– Nada disso será fácil, ouça, nada disso. Apesar de que, nunca entendi o real motivo de você ter escolhido isso, uma mudança radical em menos de um ano. Eu a admiro. – o homem foi de encontro aos seus lábios, a dando um longo beijo.


Realmente, tudo mudou… Pensou ela.



               

                 Vera Cruz - México


– Querida, desde quando você perdeu o juízo?

– Desde quando levei uma surra de Kubra.

– Alex, não viaja, acabou de sair da prisão, está sob condicional, não pode mudar de identidade. – disse Nick.

– Não disse que mudaria, disse que estou pensando nisso. – mirou os olhos para fora da cafeteria, fazendo a feição malvada de sempre – até quando serei vigiada por este babaca?

– Ele está até quando você caga? Que foda.

– Foda é seu amadurecimento que nunca chegou. – Alex não perdia uma oportunidade de deixar Nick furiosa. A ruiva mostrou o dedo do meio à amiga, terminando seu café. Vause a amava, sua melhor-amiga-irmã, era definitivamente sua metade. Ela sempre estava ali, dos momentos felizes aos merdas, Nick sempre estava ali.

– Alex…

– Não. Eu já sei o que quer falar! Esqueça isso, ok? Agradecida. – Alex ajeitou a manga da jaqueta, se sentiu incomodada.

– Tudo bem! Você só mudou um pouco, parece não ter o mesmo coração. Sendo sincera, só isso.

– Nick, eu sou a mesma, ok? Você sabe pra quem devo não ter a merda de um coração, por favor.

– Ei, tudo bem. – a ruiva percebeu sua fúria, não queria a deixar inconfortável, mudou de assunto – os mexicanos são engraçados, eles possuem um fogo, que provavelmente nunca terei, hoje iremos à boate?

– Se o meu novo pai careca ali deixar, iremos sim, mi chica.


Alex nunca pensou que passaria pelo que passou nos últimos seis meses. Quer dizer, pensou sim, não que seria tão ruim daquele jeito, mas pensou. Estava totalmente destruída por dentro, sentia saudade, se soubesse que aquela seria a última vez, teria a agarrado e não soltado jamais. A amava, e por amá-la era melhor deixá-la ir. Era melhor.





Notas Finais


Sinto muito por deixar as coisas subentendidas(até d+) mas fica a curiosidade pq até eu não sei o que tá acontecendo.
Beijo na boca


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...