História By Chance - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber, Megan Fox
Personagens Justin Bieber, Megan Fox
Exibições 185
Palavras 1.930
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Ficção, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


A fanfic é minha, mas a ideia não. Ela foi escrita com a ideia da fanfic que a Reehtakis ia escrever. Ela me deu a história e escrevi tudo.
Algumas coisas que vocês precisam saber:

* É a minha primeira fanfic postada SOZINHA.
* Ela tá toda terminada.
* Contém 10 capítulos e 1 especial.
* Temporada ÚNICA.
* Os personagens ME PERTENCEM, são somente interpretados por famosos, ou seja, as características FÍSICAS não me pertencem.
* É uma história com partes eróticas, então, se não gostar não leia.

Vou deixar o trailer nas notas finais de cada capitulo.

Capítulo 4 - Terceiro


Fanfic / Fanfiction By Chance - Capítulo 4 - Terceiro

 

Justin Bieber - Point Of View

Acordei ouvido o barulho do chuveiro. Passei a mão pela cama e vi que Megan não estava mais ali. Me levantei e procurei minha cueca, a vesti e fui para onde vinha o barulho.

Vi seu corpo marcado pelo vidro do box, estava embaçado, mas eu conseguia ver direito. Suas curvas, sua bunda e os seios fartos. Meu membro começou a ficar duro, mas não era uma simples ereção matinal. O chuveiro desligou e ela saiu se enrolando na toalha.

— Céus, que susto, Bieber. —Ela disse colocando a mão sobre o peito.

— Bom dia, vamos comer alguma coisa? —O que tá fazendo, Bieber? Paga ela e manda ir embora.

— Acho que já deu a minha hora. —Ela falou bagunçando os cabelos, em uma tentativa falha de secalos rapidamente. 

— Vamos só tomar café e depois vou te deixar em casa, se veste ai e depois desce. Se quiser pegar alguma roupa minha, tem no closet.

Falei e sai rápido, sem deixa-la contestar. Eu só posso tá ficando maluco. Se fosse outra garota eu já tinha mandado pastar. São elas que insistem para que eu fique, não o contrário. Vesti um calção e desci correndo.

— Bom dia —Falei animado e dei um beijo na bochecha da minha mãe.

— Acordou animado —Ela observou e meu pai riu.

— Não podemos dizer o mesmo. —Ele falou e eu murmurei um foi mal— Não tem com que se desculpar, só prova que você é homem o suficiente pra satisfazer uma mulher. Agora vou indo, tenho uma reunião importante. 

— Pode me levar até o mercado? Preciso comprar as coisas para o nosso jantar. —Pattie falou e eu a encarei confuso.

— O que tem de importante hoje? É aniversário de alguém e eu esqueci? —Perguntei.

— Você vai nos apresentar sua namorada. Tem algo mais importante do que isso? —Ela disse e saiu.

— Sua mãe tá muito animada, e eu também, finalmente estou considerando a ideia de deixar você no controle dessa empresa, enquanto abrimos a outra no Canadá. Estou começando a ver sua responsabilidade. —Meu pai falou e saiu junto com minha mãe.

Eu estava chocado, primeiro minha mãe queria conhecer um namorada que nem existe e segundo meu pai, finalmente, tinha pensado em me deixar no controle. Megan me abriu uma porta que seria fechada para sempre depois que constasse a verdade.

— Justin? —Ouvi a voz dela e logo entrou na cozinha— Eu vou precisar ir agora, tenho ensaio, achei que era mais cedo.

— Megan, eu preciso de sua ajuda. —Falei e ela riu.

— Por que você precisaria da minha ajuda? Justin, eu sou uma dançarina, se for me pedir dinheiro é a única coisa que eu não tenho. Mas por que você precisa de dinheiro? É só vender... Sei lá... Esse garfo vale mais que meu apartamento inteiro. —Ela tagarelou, mas eu continuei sério.

— Megan, é sério, meus pais acham que você é minha namorada, preciso que você finja por um tempo. —Ela gargalhou. Foi a ideia mais estúpida da minha vida.

— Você só pode tá me zoando, seguinte, onde é o ponto de ônibus mais próximo? Estou realmente atasada. —Ela disse olhando no celular que mais me parecia uma bombinha.

— Eu te pago, o quando quiser. Me diz seu valor.  —Eu falei rápido e ela me deu atenção. Ótimo, já sabia como fazer. Mas pelo contrário do que pensei ela riu com raiva.

— Tá pedindo que eu me venda? Você só pode ter ficado maluco. —Ela berrou e saiu furiosa. Como assim eu feri o ego dela? 

— Megan, você é uma garota de programa, e tá falando que eu quero te comprar? Meio irônico, não? —Segui, assim que terminei de falar ela parou e virou, sorrindo e negando.

— Eu não sou uma garota de programa, eu sou uma dançarina. Eu quis vim porque gostei de você, não porque eu preciso de grana. Quer dizer eu preciso, mas desse jeito não. —Ela disse cruzando os braços e eu arregalei os olhos.

— Me desculpe, eu achei que...

— Não importa o que você achou. —Ela me interrompeu.

— Aqui tem 100 dólares, não tem parada de ônibus por perto, mas tem um taxista que fica a duas ruas daqui. —Falei entregando duas notas a ela, que pegou e guardou no bolso. — E aqui tem meu telefone, para caso você mude de ideia. —Entreguei meu cartão e ela saiu.

Eu estava ferrado. Muito ferrado.

{...}

Nesse atual momento, eu pensava em uma desculpa para meus pais. Talvez que ela tivesse passado mal, ou que teve uma emergência com os pais.

Droga, Justin, que ideia foi essa de trazer uma garota para a casa dos seus pais. Merda. Como eu odiava não ter pensado, como eu odiava meu apartamento tá em reforma. Fui despertado dos meus pensamentos quando meu celular tocou. Era um número que eu não conhecia.

— Justin? —Eu conhecia aquela voz — É a Megan, é... hum... eu aceito sua proposta. —Não podia ter ouvido coisa melhor.

— Onde você tá? Vou te buscar agora. 

 Eu tô no Central Park, sentada em um dos bancos perto do mosaico Imagine

— Chego em alguns minutos.

Vesti uma camisa e um tênis o mais rápido que pude, peguei a carteira e a chave do carro. Desci correndo e me dei de cara com minha mãe.

— Onde vai apressado assim? Aconteceu algum problema com a sua namorada? —Ela perguntou curiosa e eu assenti.

— A gente brigou quando ela saiu de manhã, tô indo na casa dela agora. —Menti na cara dura.

— O que você disse? Justin, não estrague tudo, seu pai disse que ela parecia ser uma boa garota. —Ela me repreendeu.

— É justamente o que eu tô indo fazer, tchau, mãe. —Falei sem nexo e passei por ela.

Saí correndo e entrei no carro, indo em direção ao minha passagem para cima. Em poucos mintuso estava estacionado perto do Central Park, ainda bem que ela me disse onde estava, esse lugar é maior do que sei lá o que.

Quando cheguei no mosaico, olhei os bancos ao redor e nada da Megan, ela não podia ter desistido, merda. Levei as mãos até meus cabelos e os puxei com força. Merda. Mil vezes merda.

— Justin? —Ouvi sua voz trêmula e me virei, vendo a garota com o rosto inchado e os olhos vermelhos, mas não era a única coisa vermelha ali, sua bochecha também estava vermelha, absurdamente vermelha. Parecia até que...

— O que aconteceu? Te bateram? Quem foi? —Perguntei com raiva e ela soluçou. Puxei Megan para perto de mim, e a apertei com força.— Shiii, vai ficar tudo bem.

— Ele vai me matar —Ela falou entre soluços e eu a afastei, segurando seus ombros.

— Ele quem?

{...}

Megan estava encolhida no banco do passageiro. Ela não quis me contar nada, só que precisava do dinheiro e depois tudo ficaria bem.

Olhei ela abraçada com suas pernas e a cabeça encostada no vidro. Se fosse qualquer outra pessoa eu berraria para tirar os pés do meu banco de couro branco. Mas eu não conseguia elevar a voz com ela. Uma garota que eu nem conhecia direito.

— Você tem problemas com drogas? —Perguntei e ela arregalou os olhos.— Digo, é por isso que precisa do dinheiro? Pra pagar alguma dívida com drogas?

— Que? Claro que não. —Ela falou ofendida.

— Desculpa, eu só tô tentando entender o que tá acontecendo, antes de me meter nisso. —Eu alternava o olhar entre ela e o trânsito.

— Minha mãe ficou doente há, mais ou menos, um ano. Eu precisava de dinheiro para comprar os remédios dela, acabei pedindo mais do que podia pagar. Ele me deu o prazo de um ano pra pagar. Minha mãe morreu há dois meses e eu fiquei com essa dívida enorme pra quitar. —Ela explicou olhando para os carros, talvez estivesse envergonhada.

— Foi assim que você começou a dançar? —Perguntei e ela assentiu.

— Eu sempre gostei de dançar, mas não assim, eu não escolhi fazer isso.

Ficamos calados até o shopping, eu iria comprar algumas roupas descentes para ela. Assim que chegamos, segurei em sua mão e fui puxando na direção de uma loja feminina. Era uma marca cara, minha mas sempre comprava aqui.

— Vamos treinar um pouco, okay? Para ver como nos saímos como casal. —Falei baixinho em seu ouvido e ela assentiu. Entramos na loja e uma mulher, de uns trinta e poucos anos, nos atendeu— Quero que traga todas as roupas mais bonitas para ela.

— Sim, senhor, hum... Você tem alguma preferência? —Ela perguntou olhando para Megan que observava a loja de boca aberta, apertei levemente sua mão, chamando-a para a terra.

— Hum... Eu gosto de tudo. —Ela falou sorridente e a mulher assentiu.

Ela saiu e eu me sentei em um dos bancos que tinha ali, enquanto Megan olhava algumas roupas, que estavam por perto. Era engraçado, parecia ela nunca tinha feito comprar na vida.

Observei a roupa que ela usava e ri. Eram uma camiseta cavada preta, deixando o sutiã de renda a mostra, um short branco e all star. Parecia uma adolescente. Me toquei que não tinha perguntado a idade dela. Deus, se ela tivesse mesmo que dezoito? Eu seria preso.

— Isso tudo vai ser descontado do dinheiro que eu vou ganhar? —Ela perguntou preocupada e eu neguei, ouvindo um suspiro aliviado.

— Megan —Chamei, atraindo sua atenção novamente, ela veio até mim e sentou no meu colo, passou as mãos pelo meu pescoço e eu segurei sua cintura fina— Quantos anos você tem? 

— Não se pergunta a idade de uma garota, nunca te disseram isso? —Ela tiro sarro e eu bufei— Vinte e três.

— Ótimo —Falei aliviado — Preciso saber o máximo sobre você até o jantar.

— Trouxe um pouco de tudo da nossa loja, imagino que você veste trinta e oito, estou certa? —A vendedora falou e Megan pulou do meu colo assentido.

{...}

— Pegou tudo?

— Peguei —Ela respondeu a pergunta pela milésima vez.

— Isso tem que sair perfeito —Avisei mais uma vez e ela bufou.

— Confia em mim, tá? Eu não vou fazer merda. Eu sempre quis ser atriz, minha mãe disse que eu tenho vocação.

Desci do carro, em seguida ela. Peguei na sua mão e ela estava gelada. Caminhamos até a porta e eu abri a mesma.

— Justin, finalmente. —Minha mãe berrou e veio até a gente.

— Megan essa é minha mãe, Pattie. Mãe essa é a Megan, minha namorada. —Falei firme e minha mãe estendeu a mão para ela.

— É um prazer finalmente te conhecer, Megan. 

— O prazer é todo meu —Ela respondeu sorridente— O Justin fala muito da senhora.

— E o meu pai?

— Estou aqui —Ele chegou e passou o braço pela cintura da minha mãe.— Olá, Megan, prazer revê-la.

— Senhor Bieber —Ela o cumprimentou envergonhada.

— Jeremy, por favor —Ele a corrigiu e ela assentiu— Aceita um vinho, antes do jantar?

Assentimos e ele foi pegar o vinho, minha mãe o acompanhou para trazer as taças. Olhei para Megan e a puxei pela cintura, assustando-a.

— Eu poderia te beijar agora —Falei animado e ela riu.

— Tá dando certo —Ela disse arranhando meu pescoço e eu arfei.

Puxei Megan com força e a beijei rapidamente. Ela gemeu entre o beijo e puxou meus cabelos. Pedi passagem com a língua e ela cedeu rapidamente. Megan estava com gosto de hortelã e os lábios macios. Ouvi um barulho com a garganta e ela me afastou rapidamente, ficando envergonhada e limpando o batom borrado. Peguei duas taças das mãos de minha mãe e entreguei uma para Megan, que aproveitou e passou um dedo pela minha boca, removendo seu batom.

Um brinde ao mais novo casal —Minha mãe ergueu as taças e brindamos.


Notas Finais


Espero que gostem da fanfic e deem uma olhada no trailer:
https://youtu.be/OM_2NWbEb_k


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...