História By chance - Capítulo 15


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Euphemia Potter, Sirius Black, Tiago Potter
Visualizações 16
Palavras 1.367
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Amoraaaas me perdoem a demora em atualizar essa fanfic, 3 meses, me desculpem mesmo, vou tentar voltar a postar regularmente aqui. Tive um sério problema com inspiração com By Chance. Espero que ainda estejam acompanhando e que gostem do capítulo <3

Só recapitulando:
-James descobriu sobre Sirius e Kate em um chilique dela
-Kate faz parte dos Death Eaters e já cumpriu dois desafios (strip-tease; mergulho no lago negro no frio)
-Ninguém sabe que ela faz parte dos Death Eaters
-Ela contou aos Death Eaters que não gosta da Beth

Capítulo 15 - Capitulo 15


Lily

Eu fazia alguns deveres de Hogwarts, quando minha mente começou a devanear e peguei o pedaço de pergaminho que encontrei ontem em meu armário. Seu lugar não é aqui, bolsista. Era o que dizia. Quem escreveu isso queria me intimidar, mas não daria certo. Olhava fixamente para o pergaminho com os olhos cerrados quando minha mãe entrou no quarto. 

- Filha, bom dia. 

- Bom dia, mãe. – sorri guardando o pergaminho, não deixaria que ela visse, ela se preocuparia e talvez até me fizesse voltar para Durmstrang. 

- Está estudando? – Eu assenti. – Olha, eu encontrei isso na rua faz um tempo, mas nunca dava tempo de te mostrar e eu também não tinha certeza. Olhe esse cartaz, acho que encontraram seu cachorro. 

Ela mal terminou a frase e eu me levantei pegando o cartaz que ela segurava. 

- É o Snuffles, mãe, é ele. Nem acredito, eu já nem tinha mais esperança de encontrá-lo. – peguei o cartaz e liguei para um dos números no cartaz, ninguém atendia. Liguei para o outro número e alguém atendeu. 

- Ahm... Alô.

- Lily?

- Quem fala? – perguntei confusa, a voz não me era estranha, mas eu não sabia quem era.

- Sirius.

- Oh! Não acredito que é você. Sirius, por acaso encontrou um cachorro chamado Snuffles?

- Aham, Ah não. Vai me dizer que você é a dona? 

- Sou. – Eu ri da coincidência e de felicidade de ter encontrado meu cachorro. – Você está com ele? 

- Na verdade, não. Está na casa do Prongs. 

Claro, pensei, tinha que estar com ele. Mordi o lábio, o que eu sentia por James estava mudando, eu quero dizer, ele estava se esforçando para ser alguém melhor, estava parando de importunar o Sev, começou as aulas de culinária e me mostrou a escola, além de ser um garoto inteligente, mas eu não gosto de rapazes como ele, então prefiro tentar ignorá-lo. 

- Pode pegar com ele para mim? 

- Por que não vai comigo buscá-lo? Pode aproveitar e ver um ensaio da nossa banda. A menos, é claro, que não queira ir porque está inegavelmente apaixonada pelo Prongs e é muito orgulhosa pra admitir – ele me provocou, porque esse era o passatempo favorito dele. 

- Não sei da onde tirou isso. Eu vou.

- Só tem um pequeno problema, ruiva, minha moto quebrou.

- Vou passar aí de bike e nós vamos.

Sirius me falou onde estava e eu desliguei o celular. Tomei um banho e me arrumei, coloquei uma calça jeans e camiseta, não sou muito de me maquiar, mas passei um batom, por algum motivo estava ansiosa. Coloquei na cabeça que essa ansiedade é apenas por causa de Snuffles.

Encontrei Sirius em um mecânico, olhando desolado para a moto.

- Ela vai ficar bem – eu o consolei com alguns tapinhas em seu ombro. Ele subiu na bicicleta e eu fui na garupa por ser mais leve.

- Agora me diz, como encontrou Snuffles?

Ele me contou toda a história sobre como encontrou Snuffles e acabou encontrando Kate também. Terminou de contar toda a história sobre ele e a Potter quando parou na frente de uma casa muito bonita.

- E por que não falou para o James logo? Ele é seu melhor amigo, tenho certeza que entenderia – perguntei.

- Não tenho uma boa fama com garotas.

- Mas você gosta dela?

- Vamos entrar ruiva – chamou Sirius fugindo do assunto, mas não precisou, para ele não ter uma resposta afiada na ponta da língua, era claro que ele gostava dela.

Sirius tocou a campainha e James abriu a porta, ele não me viu de imediato.

- Você estava saindo com a minha irmã e não me contou, traidor? 

- Ahm... Ér – Sirius não estava esperando aquilo.

- É, ela contou tudo num acesso de raiva, Snuffles – disse James com sarcasmo. Ele não precisou responder, pois James me viu. – Lily! 

- Olá – digo com um sorriso contido por presenciar o ataque de irmão protetor.

- Entre. – ele nos deu espaço para entrar, quando Sirius estava entrando, ele o parou. – Você violou o nosso código. Por acaso, já terminou com a Beth? 

- Que código, Prongs? Estou tentando ligar pra ela, mas ela não atende.  – Eu olhava com interesse a conversa dos garotos quando Snuffles apareceu abanando o rabo.

- Ah, meu lindão. Sentiu saudades da mamãe? – ele apoiou as patas nas minhas pernas e eu fiz carinho nele. Snuff estava bem cuidado, eu tinha que agradecer James e Kate. – Obrigada por cuidar dele. 

- Ele é um ótimo cachorro, Lily.

- Ela quer ouvir The Marauders, James.

- Remus e Peter estão vindo pra cá. Vamos tomar alguma coisa na cozinha, Lily. Você pode vir também, traidor. 

James nos serviu de suco, enquanto Sirius ainda tentava ligar para Beth.

- Vai terminar com a garota por telefone? – eu repreendi Sirius.

- É melhor do que um por mensagem, não? 

- Melhore.

- Ela não atende. 

- Quem não atende? – Kate entrou na cozinha. – Deixa pra lá, não é da minha conta. Oi Lily, que surpresa.

- Beth não atende, vou terminar com ela, bobona – disse Sirius e Kate tentou conter um sorriso, embora não tenha sido muito bem sucedida. 

- Olha lá, ela nem disfarça, a traidora. – reclamou James me fazendo rir. 

- Deixa eles, James – digo, mas percebo que ele realmente não aprovava Sirius e Kate juntos, ele não respondeu nada, pois Remus e Peter chegaram e todos nós fomos para o porão. 

Kate e eu curtimos as músicas dos The Marauders. James era o vocalista, cantava muito bem e era dinâmico, além de ser um charme aquele cabelo despenteado e os sorrisos me lançava faziam meu coração saltar e as borboletas em meu estomago acordarem. Eu simplesmente não conseguia tirar os olhos dele e aquilo não era nada bom.

Por volta das três horas almoçamos e eu contei a Kate que era a dona de Snuffles, depois disso ela ficou muito calada. 

Kate

Eu me segurava para não chorar. Tinha me afeiçoado à Snuffles, cuidei dele, levei-o ao veterinário, levei para passear e agora ele teria que ir. Sirius me avisou que aquilo podia acontecer, mas já tinha passado um bom tempo, não esperava mais que a dona fosse aparecer. Lily foi embora quase quatro horas, eu me despedi de Snuffles e James foi levá-la em casa. 

- Kate... – Sirius segurou minha mão, entrelaçando seus dedos nos meus e eu me virei para ele, escondendo o rosto em seu pescoço. 

- Eu não queria que ele fosse embora. Não devíamos ter espalhado aqueles cartazes, Six. Droga! – exclamei quando percebi que eu não conseguia mais conter as lágrimas.

- Hey – Sirius me fez olhar para ele e eu me senti boba por estar chorando por um cachorro, mas ele secou uma lágrima em minha bochecha e sorriu. – Você ainda tem um Snuffles. – Eu sorri apesar das lágrimas e o beijei intensamente, ele correspondeu da mesma forma e quando nos separamos ele me abraçou e beijou o topo da minha cabeça, eu podia sentir seu perfume, o calor de seu corpo e o tecido da jaqueta de couro e me acalmava. – É melhor eu ir agora, nos vemos no colégio, à noite.

- Ok. 

- Ah, eu não fui no galpão hoje, porque a Fênix quebrou – Sirius me deu um beijo calmo e rápido de despedida e foi embora com Remus e Peter na picape. 

O carro já tinha desaparecido, mas eu continuava do lado de fora, quando meu celular tocou. Só podia ser alguém dos Death Eaters, afinal só eles tinham meu número. 

- Oi Kate. – Era Mulciber. – Como você está? 

- Bem, um pouco resfriada, mas bem. O que manda? 

- Vai gostar de saber que demos um jeito na garota que você não gosta, a tal de Beth. 

- O que fizeram? – perguntei assustada ao lembrar que a garota não estava atendendo ao telefone. 

- Nada demais, só demos um sustinho nela e falamos para ficar longe de você e de seus amigos. Tinha que ver como ela ficou apavorada. – Mulciber riu, mas eu não achei graça nenhuma. – A gente se vê, Kate. 

Desliguei o celular e passei a mão pelo cabelo, aonde eu tinha me metido? 


Notas Finais


Gostaram? Mereço comentários?
Novamente desculpem pela demora amores, não desistam de mim
Bjs <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...