História By The Way - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Erza Scarlet, Gray Fullbuster, Jellal Fernandes, Juvia Lockser, Laxus Dreyar, Lisanna Strauss, Lucy Heartfilia, Makarov Dreyar, Mirajane Strauss, Natsu Dragneel
Tags Nalu
Exibições 186
Palavras 2.869
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


FOI MAL A DEMORAAAAA KKKK mais e todo final de semana então... toda sexta ou sabado, só porque amo vocês vou tentar escrever 2 hoje.

Capítulo 8 - Segredos


Fanfic / Fanfiction By The Way - Capítulo 8 - Segredos

NATSU ON

Eu estava dirigindo em alta velocidade como sempre, em direção a saída da cidade quando varias arvores começam a aparecer o ar fica mais frio e vejo uma enorme construção branca, parei a moto na frente e suspirei, eu realmente odeio vir aqui...

Eu entrei lá e como já me conhecem eu passei direto entrando em um corredor com trancas por meio de cartão, liberaram para mim e logo cheguei numa porta pequena com uma grade pra passar a comida, não sei o nome disso mais era depressivo e pensar que ele estava aqui me fazia me odiar mais ainda, eu entrei e lá estava ele sentado olhando para a parede e deixando lágrimas escaparem quando me viu... quanto tempo eu não vinha aqui? 1 ano? mais? se eu não sabia imagina ele que esta aqui dentro.

- IRMÃOOOOO - ele correu pra me abraçar e claro que eu retribui

- oi zeref...como vai? - ele sorriu mais depois me deu um soco no rosto... ele ainda tinha isso... eu ja comecei a derramar algumas lágrimas...

- VAMOS LUTAR, você precisa me matar... - meu coração apertava a cada palavra que ele falava afinal aquilo era minha culpa. - me mate natsu... eu cansei de matar pessoas, vamos por favor!

- outro dia zeref, não se preocupe.... vamos conversar? - ele me olhou e chegou bem perto de mim sussurrando

- me tira daqui haha eles são loucos natsu... loucos! LOUCOS NATSU... ELES INJETAM COISAS EM MIM EU DURMO... pra que conversar? você veio aqui ontem natsu - eu já chorava deixando as lágrimas cair sem fazer barulho nenhum...

- nã.... - ele pulou em cima de mim dando vários socos, homens grandes vieram e correram pra me ajudar, ouvi os grtos de zeref pedindo para eu revidar e o tirar daquele sofrimento dele... eu não podia fazer isso afinal... ele era meu irmão.

Eu já estava na sala de um medico do lugar com ele fazendo curativos em mim, zeref havia me batido de verdade e eu estava muito quebrado... merda irmão... desculpe, eu sai daquele lugar me amaldiçoando por tudo que eu era por tudo que eu fazia eu realmente sou um filha da puta, nem notei que o celular estava tocando, atendi.

- oi?

- natsu? estamos aqui na casa te esperando, já são 14 e meia cara. - era gray

-... estou indo... acabei de sair do zeref...

- oh merda... como ele tá?

- muito mal.... como sempre - ouvi ele estalando a língua do outro lado da linha

- porra cara... vai pra casa descansa.

- não... eu sou o chefe agora, tenho que mostrar responsabilidade, chego ai em 3 minutos. - não esperei resposta porque eu já sabia que ele não aprovaria muito eu estar indo, liguei a moto e corri em direção a casa, não ficava muito longe daqui, era uma casa dentro da floresta uma casa bem grande, com muros grandes e guardas, ninguém consegue invadir o lugar. Cheguei e eles viram quem era, acenei e abriram o portão pra mim, estacionei e entrei pela porta do chefe que dava num escritorio.

GRAY ON

natsu apareceu um tempo depois chamando a atenção de todos, ele tinha na mão um microfone.

- atenção todos - tinha umas 100 pessoas ali, que viraram para ouvir o que o novo chefe tinha a dizer, ele continuou - explodiram a mansão do acnologia... - ouve uma confusão varias pessoas perguntando se ele estava bem ou outras gritando para matar os desgraçados. - ele esta bem, mais tem que sair por um tempo, a explosão chamou muita atenção dos tiras e outras gangues... e sim, vamos matar os desgraçados! todos que atacarem contra vocês atirem para matar, andem com metralhadoras e explosivos se quiserem... a partir de hoje E GUERRA!!!!! - todos gritaram inclusive eu gajeel e jellal. - hoje temos que pegar as coisas do mercado escondido da mansão quero 10 atiradores e 2 especialistas em bombas, gajeel jellal e gray peguem o caminhão blindado e me esperem na entrada, levem metralhadores pesadas, talvez encontremos alguns aperitivos lá... - ele falava com uma voz muito grossa - VÃO LOGO, O QUE TÃO ESPERANDO? 

Fomos então, estava no caminhão eu natsu e gajeel, jellal estava em cima com a metralhadora, quando chegamos no local ja tinha pessoas vasculhando o local, a ordem de natsu era matar então... pode só se ouvir uma chuva de balas, os 3 que eu olhei estavam em pedaços já eu bati o caminhão com tudo numa parede destruida que restou na mansão, entramos eu atirei em 2 acertando e me protegendo atrás de uma pilastra quando outro apareceu e por sorte não me acertou, natsu acertou um tiro nele fazendo cair com uma granada nas mãos.

- GRANADA - eu gritei e logo natsu correu e chutou a granada pra dentro de um quarto qualquer que depois de 1 segundo fez um estrondo chamando mais guardas pra quele lugar, estavamos recebendo uma chuva de balas... eram 10 contra nos 3, eu chamei o jellal no rádio e logo ele apareceu com uma bazooka... pera... sério? uma bazooka?

- tchau tchau - jellal disse atirando fazendo todos irem pelos ares gritando.

- foi boa - eu disse

- tem que melhorar o bordão... tchau tchau? - natsu disse

- só pensei nisso na hora... - ele disse rindo

- pelo menos ajudou, mais precisava de uma bazooka? - gajeel

- onde você arrumou uma bazooka aliás? - eu perguntei

- aqui... idiotas

um soldado apareceu do nosso lado apontando para gente.

- eu vou levar todos comigo, te vejo no inferno... - o natsu bateu no dedo dele fazendo a bazooka cair, ele deu um soco na cara dele e depois jogou ele no chão botando uma granada na boca dele 

- mulheres primeiro... - ele disse e saiu correndo comigo e os outros, ouvimos o barulho da explosão logo depois.

- essa foi boa - gajeel sussurrou enquanto corria, o mercado ficava de baixo do quarto do acnologia que era pra onde a gente tava correndo.

- gajeel e jellal fiquem aqui e não deixem ninguém entrar, entrem em contato com os outros avisem que subirei para o telhado, peguem a gente de helicóptero lá - os dois afirmaram e pararam em frente ao quarto, eu e natsu entramos logo avistando a piso falso de acnologia, descemos uma escada e vimos o mercado, parecia mais um quarto na verdade até eu vermos uma coisa que fez natsu deixar a arma cair... havia uma foto de acnologia com uma menininha no pescoço e ela era lucy... ouvimos um bater de palmas e nos viramos mais eu so tive tempo de ouvir o barulho do tiro ecoando pelo quarto e natsu caindo no chão se formando uma poça de sangue em seguida..

- NATSUUUUUUU

eu avancei contra o homem mais ele era bem grande e maior que eu, eu o fiz largar a arma mais ele me jogou no chão, eu chutei a arma para longe mais ele foi mais rápido me dando um soco em seguida, ele subiu em cima de mim e começou a me dar socos eu sentia meu sangue sair da minha boca a cada estalo da mão dele na minha cara, foi quando ouvi um barulho antes de apagar...

- NATSU ON

Acordei no telhado da mansão, gray estava desacordado do meu lado e eu estava sendo carregado por gajeel e gray por jellal, eu me mexi fazendo gajeel me perceber e me botar no chão, sentia minha barriga arder e a cada mexida do meu corpo parecida uma facada no lugar, olhei e estava todo sujo de sangue mais meu machucado estava enfaixado.

- qual a nossa situação? - eu perguntei e um atirador chamado jason me respondeu

- senhor, não perdemos nenhum até agora, ja temos todas as mercadorias estamos indo pro telhado agora. - eu afirmei e me levantei, me apoiei nele e fomos até lá, vi os o helicóptero se aproximando mais ele não pousou mais sim a porta abriu revelando um homem com uma mascara.

- ola natsu... - quem era ele?

- quem e você?

- sou o seu telefone, suas mensagens, seu computador... e seu rádio... - pera...

- ele e dono das companhias telefonicas do país, resumindo... ele esta te monitorando agora mesmo...

- hahah e... ele tentou avisar. - merda... acnologia me avisou - tem bombas espalhadas pelo 1 andar... em 1 minuto vocês vão morrer... ah... adeus natsu... dragneel - o helicóptero saiu me deixando com 50 segundos pela minha conta, olhei lá pra baixo e tive uma ideia maluca

- arma gajeel! - ele me jogou eu mirei e perguntei - vocês confiam e mim né?

- claro chefe

- otimo kkk se segurem e pulem pra piscina na hora certa.

- mais ta muito longe natsu, e temos o gray! - gajeel

- por isso vamos fazer assim... - eu atirei na bomba nos cantos da frente da mansão, elas explodiram fazendo a mansão inclinar e quando estava perto da piscina nos pulamos, ela ficava um pouco mais a frente da mansão então a explosão não pegou na gente, mais tinhas muitas outras e pelas minhas contas a gente tinha 37 segundos, saimos da piscina e corremos em direção a floresta, quando ouvi a explosão o máximo que ela fez foi derrubar alguns de nos, a gente conseguiu... olhei pra gajeel que sorriu, mais logo senti minha visão ficar embaçada e eu apaguei de novo.

acordei numa cama macia mais era um quarto rosa... luce? me levantei rápido o que me fez gemer mais ela não estava ali para escutar... ouvi uma voz cantando no banheiro quando abri vi ela de shortinho branco com uma camisa longa preta, estava muito bem nela mais ainda escondia bastante do seu corpo.

- você canta tomando banho? - eu ri da cara dela

- você geme meu nome quando e baleado?

- ganhou

- eu sei - ela sorriu pra mim ficando um pouco vermelha - você esta bem melhor agora, eu sugiro você enfaixar por mais um mês isso ai. - eu afirmei com a cabeça e olhei o relógio... 7 da noite... eu apaguei tanto assim?

- que horas eu cheguei aqui? - ela me olhou de cara feia que me irritou um pouco mais eu devia um desculpa pela escola hoje e ela ainda me ajudou... que merda!

- que tal um obrigado por eu te salvar primeiro? - eu olhei e bufei pelo nariz, fazendo ela botar a mão na cintura

- ob- ob- obrigado luce - ela abriu os olhos em sinal de surpresa e eu notei o que havia feito.

- que tal lucY?

- quer demais - ela gargalhou e afirmou com a cabeça, eu tinha me lembrado daquela foto... eu podia confiar nela? ela, não sei... eu tive com ela tanto tempo sem nada acontecer, eu vou manter isso em segredo por enquanto, fingir que eu não sei mas se ela estiver com acnologia talvez ela esteja me espionando? por isso eu trato ela mal e ela não faz nada! seria verdade isso, ou seja, não posso confiar nela... mais algo me diz que ela nem sabe disso... vou manter segredo por enquanto.

- quer comer alguma coisa? - ela me perguntou e na verdade eu estava morrendo de fome

- quero, faz um macarrão lá e e trás aqui

- eu não rum, levanta dai e faz você!

- eu fui baleado porra!

- e mesmoooo kkkk desculpa, eu vou lá.

ela voltou depois de algum tempo com o macarrão e começamos a conversar normalmente o que eu achei até estranho, mais estava muito bom e eu não queria atrapalhar agora

- você estragou o encontro do gray e do gajeel - luce

- com quem uai?

- gray com juvia e gajeel com levy - luce

- hahaha, gajeel e a baixinha azulada? - se bem que fazia sentido... aquele dia da corrida, se bem que temos um motivo pra sair com elas... merda gray, olha o que eu faço por você e esse seu plano de pegar a juvia e depois largar, que merda viu, tomara que pelo menos você tire a virgindade dela.

- e serio! - eu so dei de ombros, acabei de comer e deixei o prato ali em cima, quando a desastrada da luce foi pegar ela acabou caindo em cima de mim que doeu pra caralho.

- des- des-culpe - eu afastei o cabelo dos seus olhos, nem eu sabia direito o que estava fazendo

- você tem que parar de dar desculpinhas pra me beijar... e... so...você... vim - eu disse pausadamente e beijei ela nossas línguas combinavam de um jeito incrivel, a boca dela era pequena e a língua dela parecia que tinha vergonha a minha boca era estranho eu ver assim e muito mais pensar no beijo dela e isso me deixa um pouco irritado comigo mesmo mais eu não ligo. A gente se separou e sem eu pensar a puxei pra deitar no meu peito a cobri ela se assustou no começo mas logo se aconchegou mais no meu corpo.

- porque você e assim? você me odeia? você vai só assim algum dia? - eu olhei pra ela e parece que ela entendeu sussurrando um desculpa e escolheu. - você me odeia? - e uma boa pergunta.

- eu não te odeio sempre, te odeio quando esta me irritando te odeio quando esta preocupada comigo te odeio quando...

- sempre - eu ri

- sempre que eu estou irritado... muitas vezes eu desconto em você o que esta acontecendo comigo porque você se preocupa e eu vejo isso, o fato de você se importar e querer me ajudar me faz me sentir ruim por fazer isso tudo com você e eu acabo descontando em você o que na verdade eu mereço eu sempre faço gracinhas pelo seu jeito porque você tá sempre feliz e eu tenho inveja da sua felicidade, eu te vejo rir e brincar muitas vezes eu reparo em você e começo a pensar o quanto você e linda luce o quanto esse sorriso vale eu nunca vou descobrir, mas o que eu mereço por tirar ele do seu rosto eu sei. desculpa por tudo, mas tenha paciência comigo por favor e aproveita os momentos que eu to assim... bom porque eu e você sabemos que são poucos. - ela levantou um pouco enquanto eu falava olhando direto pros meus olhos, por alguma razão eu não conseguia não falar o que sinto pra luce, era tão fácil e bom não tem como eu não confiar nela, se ela realmente me espionar ou um dia querer me matar... eu não a impedirei.

- um dia eu te falo se te odeio ou não... porque nem eu sei o que sinto por você - ela disse seria olhando no meu olho, ela se aproximou e me beijou por alguma razão eu amava quando ela fazia isso, o seu corpo pequeno foi pra cima do meu ficando sentada no meu colo, minha mão foi pra dentro da sua blusa segurando sua cintura, minha outra mão apertava sua bunda por dentro do short, eu tirei sua camisa e seu sutiã, eu não aguento ver aqueles peitos ser botar minha boca, eu mordia passava a língua e dava leves beijos, tirei seu short e calcinha, ela passou a mão pelo meu cabelo puxando e começou a deslizar seu corpo pelo meu membro que já tava muito duro, ela beijava meu pescoço e passava a mão pelo meu abdômen ela tentava tirar minha blusa eu levantei um pouco ajudando ela, a ão dela deslizou pro meu membro tirando ele da minha calça bem rápido ela me olhou eu segurei sua mão e sorri pra ela que também sorriu, ela sentou devagar mais logo tudo entrou dela eu segurei a cintura dela enquanto ela rebolava, doia um pouco meu machucado mas eu nem conseguia pensar nisso direito, passou um tempo e a gente chegou  no nosso máximo, ela deitou no meu peito.

- eu te machuquei?

- não era eu que deveria perguntar isso? - ela riu alto dando um tapa fraco no meu peito, ela me olhava e eu também olhei fazendo ela sorrir. - foi incrível - o sorriso dela logo sumiu e ela desviou o olhar me deixando com um pouco de raiva, o que eu fiz?

- eu vi você e a lisanna... - ela me olhou de novo - você gosta dela? ela e melhor que eu?

- uma pergunta só

-ela e melhor que eu?

- luce... chega de perguntas por hoje - eu disse e me virei dando as costas pra ela na cama, so senti o tapa dela. - isso, vamos bater no baleado... - eu disse e ouvi ela dando uma risada, eu me virei rapidamente dando um selinho nela - não, ela não e melhor que você e eu não gosto dela, agora vamos dormir um pouco. - ela afirmou e deitou no meu peito. 

- boa noite dragneel. - quando olhei ela já estava dormindo..

- boa noite... lucy

 


Notas Finais


espero que tenham gostado kkkk desculpa demorar pra esse capitulo, atéeeeee logo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...