História Byun Baekhyun maior ativo que você respeita - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, D.O, Kai, Personagens Originais, Sehun
Tags Chanbaek
Exibições 985
Palavras 7.503
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Escolar, Famí­lia, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


OIOIOIOIOIOOIOIOOIOIOIOIOIOI <3
PRIMEIRAMENTE QUERIA AGRADECER PELOS QUASE 250 FAVORITOS
C A R A L H O
EU TÔ MUUUUUUUUITO FELIZ, NÃO ESPERAVA POR ISSO <3
MUUUUUUUITO OBRIGADA, GENTE! Obrigada pelos favoritos e pelos comentários, estou realmente muito feliz! Vocês são tão amorzinhos, noza jureg :") VOU MORRER COM A FOFURA DE VOCÊS
AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAH
ME BEIJEM
CYUDSGFUYDSGFYUGSFYGRYFAYUAYUFRYGDYDYFY
~é sério, me beijem, rs
Espero que você gostem do capítulo, eu estou adorando escrever essa fanfic! <3
Me desculpem pelos erros, ainda não revisei (nunca reviso, né :v suahsau) u.u
Ah, me desculpem, eu disse que pretendia postar ontem, mas não deu :v rsrsrs
BOA LEITURA E ATÉ AS NOTAS FINAAAAIS <3

Capítulo 2 - O maior culpador da puberdade que você respeita


Fanfic / Fanfiction Byun Baekhyun maior ativo que você respeita - Capítulo 2 - O maior culpador da puberdade que você respeita

Alguém, por favor, pode me explicar o que acabou de acontecer aqui?

Cara...

Cara...

MANO!

Minha mãe deve estar colocando uma droga da pesada no meu toddynho, porque não é possível! Eu só posso estar ficando louco! É como meu pai sempre diz: “filho, quando você fizer uma besteira, coloque a culpa em qualquer outra pessoa, menos em você. Foi assim que escapei da prisão”. Meu pai e seus ótimos conselhos. Digamos que o meu velho (ou como é mais conhecido nos meus contatos do meu celular: Capiroto) fez muita merda na época de escola, era um daqueles delinquentes que você costuma ver em filmes e pensar: “nossa, mano, ele é mó idiota, mas é maneirão”.

A minha mãe pede para meu pai não me contar muito sobre as coisas que ele fez para não me influenciar e tal (nossa, com certeza eu teria coragem de fazer essas coisas, realmente eu tenho muita cara de delinquente, geral tem medo de mim, chego nos lugares e boto todo mundo pra correr, faço o maior terror, claro, óbvio, com certeza), mas, quando ela não está por perto, ele até me conta umas coisas... tipo, ele saía com os amigos e pichava os carros, pichava os muros das casas dos outros, subia em árvores para mijar na cabeça de alguém quando essa pessoa passava, cortava os fones de desconhecidos, se vestia de palhaço e tacava o terror, cobria a casa dos outros com papel higiênico... eu sei, meu pai era o maior vacilão (ainda é), mas, tipo, ele fazia coisas de adolescente, nada muito sério e tal... e, bem, o motivo dele ter sido quase preso, foi por ter roubado um pênis de borracha de uma sex shop e uma calcinha comestível, mas aí ele colocou a culpa nos parças e saiu correndo. Eu sei, meu pai é um amor de pessoa, super gente boa. Nem consigo acreditar que eu sou filho de um cara desses e sou tão... eu. Queria ter puxado meu velho e nascido com uma pitada mais de rebeldia, sabe? Mas é aquele ditado, né, vamo fazer o que? Vida que segue e a gente continua se fodendo, porque a vida é uma merda bem bosta mesmo.

O máximo de rebelde que eu consigo ser é estourar minha espinha com uma pinça e depois misturar o pus que sai dela num copo de água e dar para o Baekhyun. Em minha defesa, ele já enfiou minha escova de dente na privada e também já peidou na minha cara, então tenho meus direitos.

Sim, eu sei que vocês querem saber o que rolou, se eu beijei o Baek ou não... mas acontece que minha cara queima só de lembrar, imagina escrever em detalhes sobre isso? Então, sim, eu estou enrolando ao máximo para não ter que falar. Hue.

Mas uma hora ou outra vou ter que tocar nesse assunto, né? Aish.

Na verdade, não tenho o que detalhar. Foi tão rápido que eu mal pude sentir a textura de seus lábios, foi tão rápido quanto piscar os olhos. É. Não me julguem, por favor, foi meu primeiro beijo e, em minha defesa, eu fiz por puro impulso, nem sei o que me levou a fazer aquilo e não sei por quê diabos minha boca avançou na dele. Eu não queria ter feito aquilo, ok?! Minha boca que ganhou vida própria, culpem ela, não a mim, eu não tenho nada a ver com isso! Eu sou apenas um cidadão inocente que não tem controle sobre o corpo, eu simplesmente faço as merdas e depois que me dou conta das merdas que eu fiz. Eu simplesmente dei a louca e beijei meu melhor amigo, pronto e acabou.

Tá, quem estou querendo enganar, falando como se fosse fácil assim, como se não tivesse sido nada demais? Eu tô tremendo de nervoso só de lembrar! Meu Deus! Eu beijei o meu melhor amigo! Tipo, do nada, eu simplesmente parei e o beijei! Que merda que eu tenho na cabeça, cara? Depois vou conversar seriamente com minha mãe para saber se ela mistura alguma droga no meu café da manhã, porque, cara, não tem outra explicação! Se bem que tem mais chances do meu pai me drogar do que a minha mãe, né... mas, pensando melhor, minha mãe é louca igual ao meu pai, então não duvido nada...

Como alguém tão bom e inocente como eu pode ser fruto de pessoas assim, cara? Como? Eu realmente não entendo.

Minha tentativa de mudar de assunto foi ruim de novo, né? Aish. Por que vocês querem tanto saber sobre esse beijo? Já disse que não aconteceu nada demais! Vocês são um bando de punheteiros, isso mesmo! Pelo amor de tudo que é mais sagrado, eu não sou uma pessoa interessante, nem sei o motivo de vocês terem começado a ler isso aqui. Falta do que fazer é foda, né? Entendo, passo pela mesma coisa, então, para passar o tempo, fico lendo um negócio chamado fanfic, conhecem? É basicamente uma história criada por fãs sobre seus ídolos, e... é, sei lá, é basicamente isso, não sei como explicar direito. Eu sei, fanfic é coisa de gente iludida, mas é aquele ditado, né, vamo fazer o que? Atualmente estou lendo uma fanfic de Fairy Tail e o couple é Nalu (Natsu e Lucy), só que, tipo... a autora tá bugando geral, porque o Natsu tá começando a gostar do Gray ou algo assim, e eu tô realmente confuso e me sentindo meio... estranho (?). É normal eu gostar de ler sobre dois garotos se pegando? Eu gosto quando vejo cenas do Natsu e da Lucy e admito que fico excitado com o hentai, mas eu me senti tão... diferente quando o Natsu e o Gray se pegaram. Não teve lemon e nem nada, mas foi uma cena um pouco hot e eu senti umas paradas estranhas, sabe? Fiquei meio nervoso, sei lá... senti uns arrepios e... hm... acho que eu só senti essas coisas porque é algo diferente para mim, certo? Acho que fiquei com vergonha de ler sobre dois homens se pegando, porque também tenho um pênis entre as pernas. Foi estranho ter lido aquelas cenas, mas, ao mesmo tempo, eu fiquei curioso e com vontade de ler mais... só resolvi parar quando comecei a sentir umas quenturas e paradas estranhas. É normal, certo? Afinal, eu só fiquei nervoso e envergonhado... só isso, né?

Não que eu tenha sentido essas coisas estranhas por... sei lá, por ser gay. Eu não sou gay. Não é que eu seja homofóbico ou sei lá, longe disso, eu só não sou gay, ué! Super respeito quem gosta do mesmo sexo e não me incomodo quando vejo lésbicas ou gays se beijando, na verdade, eu apoio com todas as minhas forças. Os pais do Baekhyun, por exemplo, são homofóbicos. Baek me disse que eles falam que não são homofóbicos, mas acham errado quando lésbicas ou gays trocam carícias ou andam de mãos dadas nas ruas, porque a sociedade não está acostumada e não merece ver essas coisas nojentas. Nossa, cara... vocês não fazem ideia do quanto eu me segurei para não falar umas verdades na cara deles, não fazem ideia do ódio que eu senti. Me irrito quando vejo esse tipo de injustiça e defendo o que eu acredito com unhas e dentes, e eu acredito que o mundo só precisa de mais amor, sabe? As pessoas têm tanto ódio no coração, por que não podem simplesmente deixar os outros viverem em paz? Eu realmente não entendo, eu... nossa, tô parecendo muito com um hippie falando essas coisas, mas ok.

Eu nunca senti atração por garotos, mas também nunca cheguei a gostar de uma garota, no máximo as achava bonitas e tal, então isso quer dizer que sinto atração por elas, certo? Sei lá, eu... eu só me sinto tão estranho quando tô com o Baekhyun. Não sei explicar, mas, quando eu tô com ele, eu não me sinto confortável como se estivesse na presença de um amigo, entende? Não sei como explicar isso... hm... não é que eu sinta que ele não seja meu amigo, claro que não! Ele é meu amigo, meu único amigo. O que eu tô querendo dizer, é que o clima fica meio estranho quando estou com ele, entende? Não sei se ele sente o mesmo, acho que não, mas eu sinto que o clima fica meio que... hm... sei lá... fica um clima meio de não apenas amizade, entende? Ai, Deus, eu não sei mais o que pensar, estou tão confuso! Acho que eu sei o que estou tentando dizer, só tô com medo de falar em voz alta, estou com medo de admitir para mim mesmo.

Eu... eu não quero ser gay. Não quero sofrer preconceito da sociedade, não quero que as pessoas fiquem me zoando mais do que já me zoam. Não quero ser mais excluído e ignorado do que já sou.

Não que eu esteja com dúvida da minha orientação sexual, nada disso! Eu sei que sou hétero... eu sou hétero, eu... ARGH!

Ah, mudei de assunto para fugir do meu constrangimento de falar sobre o beijo e entrei num assunto mais constrangedor ainda. Muito brilhante você, hein, Park Chanyeol? E, se alguém me zoar pelo meu nome ser parecido com Disney Channel, vai levar um soco (mentira, não sou delinquente como o meu pai era, infelizmente).

Baekhyun me fitava com uma expressão de perplexidade, mas não era uma expressão de surpresa comum, parecia que era uma mistura de “o que você acabou de fazer?” com “por que você fez isso?” com “que?”. Porém, não parecia que ele estava irritado ou em puro choque, só me fitava com aquela expressão estranha de “what the fuck?”. Ah, eu queria tanto saber o que ele estava pensando! Se eu soubesse, poderia formular minhas palavras com mais cautela antes de cuspir qualquer merda e deixar a situação mais estranha do que já estava.

Talvez ele estivesse esperando por uma explicação de minha parte, o que não aconteceu, apenas fiquei o encarando com meus olhos arregalados em uma evidente expressão de “eu tô louco, só pode. O que acabei de fazer?”. Engoli em seco. Baekhyun não desgrudava o olhar de mim em hipótese alguma, o que estava me deixando ainda mais nervoso e desconcertado. Minhas mãos estavam coçando e suando frio ao mesmo tempo. Puta que pariu, eu estava muito nervoso. O que diabos eu tinha acabado de fazer?!

Parabéns, Park Chanyeol! Acabou de destruir sua amizade com o único amigo que você tinha!

Eu não sabia o que fazer e nem o que dizer, então apenas virei para frente e continuei seguindo meu rumo até a estação de metrô. Se eu ignorasse o assunto e fingisse que nada tinha acontecido, talvez Baekhyun fizesse o mesmo e deixasse para lá. Eu rezava para que ele não estivesse sentindo raiva, nojo de mim ou algo do tipo. Cada vez mais que eu dava passos para frente, meu peito se apertava, porque eu sabia que ele não estava me acompanhando, sabia que ele tinha continuado parado no mesmo lugar.

Será que ele iria dar meia volta e ir embora? Ou iria pegar um ônibus sozinho? Será que ele não queria mais olhar na minha cara?

Todas as possibilidades começaram a me atormentar e meu peito se apertava mais a cada passo que eu dava. Céus, eu... eu acabei de estragar tudo. Joguei fora a única amizade que eu tinha, e não era qualquer amizade. Baekhyun é meu único e melhor amigo. E eu sabia que mesmo se, por algum milagre, eu ficasse mais sociável e viesse a ter mais amigos, ou até mesmo se Sehun e Kai virassem meus melhores amigos, nunca superariam o Baekhyun. Ele e eu temos algo... especial. Um laço muito forte, e... nossa, cara, tô falando umas coisas tão gays ultimamente, puta que pariu. O que eu tô querendo dizer, é: se Baekhyun deixar de ser meu amigo, não importa que eu venha a ter mil amigos (o que não tem a menor chance de acontecer, óbvio, porque, né... estou falando hipoteticamente), nenhum deles irá significar tanto o que Byun Baekhyun significa para mim. Nenhum deles será tão importante e... caralho, Chanyeol, definitivamente você tem que parar de ler esses livros de romance que sua mãe te indica, cara.

Comecei a pensar em mil e uma coisas, como o fato de meu primeiro beijo ter sido com um homem. Isso me deixa nervoso porque, futuramente, é muito provável que alguém venha a me perguntar como foi meu primeiro beijo, e o que eu vou dizer? Que foi com um homem? Isso seria tão... vergonhoso. Não digo isso por preconceito, mas se ponha no meu lugar. As pessoas são preconceituosas, são cruéis. Se eu contasse a verdade, que meu primeiro beijo foi com um homem, a sociedade me excluiria mais do que já me exclui, e eu não quero isso. Se todos tivessem uma mente aberta e não fossem tão escrotos, eu não teria problema de gritar para Deus e o mundo que meu primeiro beijo foi com um homem e, pior, meu melhor amigo (que talvez não queira mais ser meu melhor amigo depois dessa, porque, né).

Pausa rápida aqui para que eu possa falar uma coisa de extrema importância: mãe/pai, se você estiver lendo isso, eu peço por favor, por tudo que é mais sagrado, me leve ao dermatologista, porque eu tava olhando para o meu ombro aqui e, caralho, eu tô com umas espinhas desgraçadas. Por um lado, eu até gosto de ter espinhas, porque, tipo, quando tô com tédio, fico estourando e gosto de ver o pus saindo (eu sei, tenho problemas), mas, pelo outro, é um baita de um micão. Teve um dia em que eu estava na escola, sentadinho na minha carteira, como um bom cidadão. A aula tava super chata e o que eu fiz? Fui estourar uma espinha que estava morando na minha testa, só que... o pus literalmente voou e foi parar no cabelo da menina que tava sentada na minha frente. Coitada, mal sabe que os restos da espinha de Park Chanyeol escorreram pelos fios sedosos do seu cabelo. Claro, né, eu me fiz de desentendido e comecei a fazer uns rabiscos no caderno, fingindo que nada tinha acontecido. Hehe.

É, eu sei, eu sou muito aleatório. Eu estava falando sobre um assunto super sério que é a homofobia e tal, aí fui para espinhas. Perdão e não desistam de mim! É que eu tava escrevendo e olhei para minhas espinhas aqui e pensei que... tá, deixa pra lá.

Cara, não vou mentir, o Baekhyun é atraente... atrante pra caralho. Nossa, é realmente estranho admitir isso... porque, sei lá, ele é meu melhor amigo e tal... mas não dá pra negar que ele é atraente. Eu nunca tive essa babaquice que os garotos têm de “ah, se eu acho um garoto bonito, sou gay, que viadagem”. Hm... mas, sabe... no meu caso, isso é um pouco gay, sim... porque eu não o acho só atraente, como também sinto vontade de...

Aish...

Como posso dizer isso?

Sinto uma puta vontade de beijar aquela boca.

Cara, a questão é que a boca dele é muito bonita, porque eu só sinto vontade de beijá-lo porque a boca dele é bonita, e não por ser homem, porque, se essa boca estivesse numa garota, eu sentiria vontade de beijar a garota... essa é a questão, entende? Não tem nada de gay nisso! O que tem a ver sentir tesão numa boca com ser gay? Porque eu gosto da boca dele e não no que ele tem entre as pernas!

Hm... é isso, né? Eu... eu não gosto de pau...

Certo?

PUTA QUE PARIU! ISSO É MUITO CONFUSO! Definitivamente desisto de tentar entender o universo gay/hétero e desisto de tentar me entender.

Recapitulando: a cada passo que eu dava, sentia Baekhyun cada vez mais longe, e meu peito se apertava com a possibilidade dele ter ido embora ou, pior, ter desistido da nossa amizade. E se ele estivesse com nojo ou raiva? Apertei os lábios e fechei minha mão com mais força contra a alça da mochila, morrendo de medo de todas aquelas possibilidades e pensamentos que me rondavam. Afinal, não é porque ele está com dúvida sobre sua sexualidade que ele quer ser beijado por um homem, certo? Assim como eu, ele deve estar muito confuso e... sei lá... eu...

Minha linha de raciocínio foi cortada quando ouvi uma risada alta e passos apressados, logo vendo um Baekhyun parando ao meu lado e me acompanhando até a tão costumeira estação de metrô, se acabando de rir. Arregalei os olhos e engoli em seco, apertando a alça da mochila com mais força. Sério, se ele começar a me zoar e me machucar como o povo da escola, não vou aguentar... não vou aguentar ver a única pessoa que sempre esteve comigo, meu único amigo me tratando como um bosta qualquer... pode ser sensível demais da minha parte dizer isso, mas eu choraria por dias se ele se juntasse com as pessoas da escola e ficasse contra mim, tudo por conta de um selinho impensado que eu lhe dei. Aish... eu estrago tudo! Eu só faço mer...

- O que foi aquilo, Potter? Me pegou de surpresa, hein! - Gargalhava, dando um soquinho fraco em meu ombro. Ué. Agora tô boiando mais do que cocô em privada. - Eu não esperava mesmo que você fosse tomar uma iniciativa assim. Sem querer ofender, mas não é muito do seu feitio. Seria mais provável se eu te beijasse. - Ria tanto como se o que tivesse acontecido não fosse nada demais. Com “seria mais provável se eu te beijasse”, ele quis dizer que, por ter um jeito mais descolado e tal, seria mais fácil se ele tivesse tomado essa iniciativa do que eu, que sou mais reservado (ui).

Caralho.

Eu aqui, todo trouxa e otário, pensando e imaginando coisas absurdas, enquanto ele tava lá de boa, agindo como se estivesse falando sobre o que comeu no café da manhã?

Eu definitivamente nunca vou entender Byun Baekhyun. Ele sempre supera todas as minhas expectativas. Quando eu acho que ele vai fazer algo, sua atitude sempre é completamente diferente. E eu gosto disso. Ele é imprevisível e isso é algo fascinante... e assustador também.

Um peso gigantesco saiu dos meus ombros (menos as espinhas) e eu soltei um suspiro de alívio (uma atitude um pouco exagerada? Mas, é, soltei). Eu realmente estava com medo do Baekhyun começar a me odiar e nossa amizade acabar, fico feliz e surpreso que ele simplesmente não tenha ligado para o erro que cometi. Cara, eu o beijei, e ele simplesmente não deu a mínima para isso, continuou agindo normalmente, como se tivesse acabado de beijar uma garota. Não ficou com nojo, não começou a me tratar diferente... ele só estava sendo o Byun Baekhyun.

Desculpa, mas o momento tá pedindo por uma frase bem gay, então lá vai: caralho... eu adoro esse garoto.

Tá, o que eu sinto por ele é muito mais que apenas adoração, mas vamos deixar quieto, ok? O que eu disse já foi gay o suficiente e não preciso manchar mais minha imagem de heterossexual (apesar dela já estar bem danificada, mas ok).

Eu queria enchê-lo de perguntas sobre o motivo de não ter ficado com raiva, não ter começado a me tratar diferente ou sei lá, mas resolvi não falar sobre isso. Não queria estragar o clima agradável com perguntas tensas.

Resolvi brincar um pouquinho e imitar o Baekhyun no quesito de “também não ligo para nada”.

- Seria mais provável, não é? - Sorri maroto. - Mas não foi você quem beijou, mesmo sendo o mais provável. - Fiz aspas com os dedos na última palavra.

- Ui, Potter. Isso é um desafio, hm? - Segurou-me pela gola da camisa e me puxou bruscamente, me obrigando a abaixar para ficar com o rosto a centímetros de distância do seu sorriso sacana. Engoli em seco. Byun Baekhyun é uma caixinha de surpresas. - Se isso for mesmo um desafio, saiba que eu posso te beijar quantas vezes eu quiser. - Sussurrou com a voz tão arrastada e sexy demais para um garoto de quatorze anos. Comecei a suar frio e ficar nervoso como se fosse perder a virgindade.

Céus, o que esse garoto faz comigo?

Como ele me fala uma coisa dessas assim, na maior cara de pau?

Não consegui controlar, meus olhos passearam por todo seu rosto até alcançar os seus lábios, e eu fiquei perdido neles por um bom tempo, analisando-os de pertinho e vendo o quanto eram bonitinhos, tão bem desenhados, tão rosadinhos e cheinhos.

Puta merda, que boca gostosa. Desculpem os termos, mas é aquele ditado, né?

Eu amaldiçoo os pais dessa criança por terem feito alguém tão fodidamente atraente, porque caralho, hein?

Meu alerta de viadagem extrema começou a apitar feito louco, mas eu dei uma ignorada nele porque observar a boca de Byun Baekhyun era muito mais interessante do que qualquer alerta imaginário.

- Eu posso, mas não vou. - Soltou uma risada antes de me empurrar para longe, me fazendo cambalear feito retardado. Bufei e revirei os olhos, enquanto o idiota ria e afundava as mãos nos bolsos da calça, seguindo em frente. Babacão. - Aliás, que beijo frouxo, Potter. É assim que você faz com suas garotas? - Arqueou uma sobrancelha, sorrindo. Otário, ele sabia muito bem que eu nunca nem falei com uma menina, muito menos beijei uma. Ele adora me sacanear, puta merda. O que é menos pior: sofrer bullying ou ser amigo de Byun Baekhyun? Eis a questão.

O caminho até a estação de metrô foi tranquilo, tirando as piadinhas chatas que ele fazia sobre eu e meu beijo. Eu só revirava os olhos e bufava. Definitivamente, Baekhyun nunca vai mudar.

 

~ * ~

 

- Vamos tirar uma foto da gente se beijando e mandar pro Sehun? - Baekhyun perguntou enquanto comíamos nosso lanche. Estávamos sentados no chão, num espaço vazio sob as escadas, ouvindo os passos e as conversas animadas dos alunos em cima de onde nós estávamos.

Engasguei-me com a comida.

Que?

- Oi? - Indaguei, querendo confirmar se ouvi certo ou se meus ouvidos estavam tentando me enganar. Porra, cérebro do Chanyeol, tu só consegue pensar em beijo, hein? Culpem a puberdade.

- Oi. - Retrucou normalmente, mastigando sua comida.

Revirei os olhos. Palhaço.

- Para de brincar, Baekhyun, eu fiz uma pergunta séria.

- Você não perguntou nada, só falou oi? - Brincou, rindo. Bufei. Baekhyun é muito idiota, mano.

- Fala sério, Baekhyun.

- Sério.

O babacão começou a rir como se tivesse feito a melhor piada do século. Dei um soco em seu ombro, fazendo-o cair de costas no chão e, mesmo assim, ele não parou de se contorcer e gargalhar loucamente.

Não mereço isso, cara. Não mereço.

- Porra, Baekhyun! - Elevei o tom de voz, irritado com seu showzinho infantil e desnecessário. Aish, esse garoto não vai amadurecer nunca! Ele continuou rindo enquanto apontava o dedo para minha cara, então decidi revirar os olhos, voltar a comer e o ignorar. - Tá, foda-se. - Abocanhei meu sanduíche, mastigando com uma expressão que misturava tédio, impaciência e raiva, encarando o nada (até porque não tinha nada mesmo para encarar).

- Nossa, Chanyeol, você é muito sem graça. - Voltou a se sentar com as pernas cruzadas, cessando os risos aos poucos. Revirei os olhos, mastigando meu sanduíche (que eu comprei no refeitório, já que eu tinha comido o de atum no caminho. Lembrem-se, não gosto de atum, eu só tinha comido porque estava com fome). Eu sei que essas informações entre parênteses foram desnecessárias, mas faça de conta que foi tão importante quanto descobrir que existe vida extraterrestre. - Eu disse que devíamos tirar uma foto da gente se beijando e mandar para o Sehun.

Arregalei os olhos e engasguei de novo. Tá, agora tenho certeza de que não ouvi errado.

Caralho, o que esse garoto fuma?!

- Você tá se sentindo bem, Baekhyun? Quer um toddynho? - Perguntei com deboche. Ele sorriu, revirando os olhos.

- É sério, Chan. O Sehun sente muito ciúmes da gente, seria engraçado mandar uma foto assim e deixá-lo todo puto. - Começou a rir descontroladamente. Provavelmente estava imaginando o Sehun com raiva, que é igual a nada, porque o Sehun sempre tem a mesma expressão para tudo. Digamos que ele é conhecido por ter uma cara de porta.

Se o Sehun tirar dez numa prova, ele só vai dar um pequeno sorriso quase imperceptível, mas a expressão vai continuar sendo a mesma.

Se ele cair e se ralar todo, o máximo que ele solta é um resmungo, mas não perde a cara inexpressiva.

Se uma garota falar que tá afim dele, ele só vai assentir com a cabeça e sair andando com a mesma cara de sempre, porque o Sehun é desses.

Nossa, se uma garota falasse que quer ficar comigo, eu ia ter um troço de emoção, sério mesmo, jamais uma garota pediu para ficar comigo (e eu acho que nunca vai pedir, só acho). Aí uma garota diz que quer ficar com ele e ele continua com a mesma cara de foda-se. Nossa, ele não sabe a sorte que tem, puta que pariu. Pô, me dá um pouco da tua sorte aí, Sehun. Realmente, tem gente que nasce com a bunda virada para a lua (ditadozinho que significa que a pessoa nasceu com sorte), deve ser por isso que a bunda do Sehun é de um tamanho descomunal. Sério, a bunda dele é gigante, chega a me dar medo. Todo mundo com uma bundinha super humilde (com exceção do Baekhyun, porque, né, ele é outro bundudo), e vem o Sehun com toda aquela carne nas nádegas. Sério, esse garoto não é normal. Toda a expressividade (?) que ele deveria ter na cara foi parar na bunda, porque não é possível.

Tá, enfim, chega de falar de Oh Sehun e sua bunda.

Mas, sério, a bunda dele é muito grande, cuidado, você pode ser engolido por ela.

Bem, sobre o lance do Sehun ter ciúmes... é que o Baekhyun e eu saímos muito juntos e não chamamos o Sehun ou o Kai, aí ficamos postando foto dos nossos passeios no grupo do Kakao Talk, fazendo caretas e tal, aí o Sehun fica xingando a gente, perguntando o motivo de não termos o convidado, etc. O Kai já não liga muito para isso, ele é mais normal, diferente do Sehun.

- Chanyeol? - A voz doce de Baekhyun (“voz doce”... puta que pariu, tô ficando muito gay ultimamente) invadiu meus ouvidos, me despertando dos meus devaneios (tô ficando mais poético também. Sou muito Shakespeare, véi).

- O que voc... - Fui interrompido ao sentir uma mão me puxando pelo queixo e lábios pressionados contra os meus.

Diferente de antes, o contato era mais forte, bem mais forte. Nossos lábios estavam muito pressionados, perfeitamente encaixados um no outro. Sua boca é melhor do que eu imaginei, tão macia e aveludada, meio molhadinha, me dava vontade de chupar, morder e chupar...

O choque e o nervosismo se dissiparam do meu corpo, dando lugar a uma puta vontade de meter a língua naquela boca. Meus olhos foram se fechando vagarosamente, me deixando levar por aquele momento, sentindo seus lábios bonitos e cheinhos beijando os meus de um jeito forte, mas, ao mesmo tempo, extremamente suave e delicado.

Cara, eu sei que vai ser muito gay da minha parte dizer isso, mas o meu coração batia feito louco. Eu não conseguia pensar em mais nada, só no toque leve dos seus dedos finos em meu queixo e na maciez da sua boca contra a minha. Tão bom, tão macio, tão... nossa.

Eu nunca imaginei que fosse beijar Byun Baekhyun desse jeito. Quero dizer, já imaginei (mais vezes do que seria recomendado para um hétero), mas eu nunca imaginei que fosse mesmo acontecer. Cara, não me importo se isso soar gay pra caralho, mas, porra, eu estava adorando e só queria sentir mais daquela boca. Como seria seu gosto? Eu acho que...

Minha linha de raciocínio foi cortada quando Baekhyun se afastou rapidamente, fazendo um estalo ecoar quando seus lábios abandonaram os meus.

Fiquei meio perdido, tentando entender o que caralhos tinha acabado de acontecer. Minha expressão era a mesma do dia em que nos conhecemos: “oi, sou retardado e não sei o que fazer, help”.

Perdi o bv num dia e beijei de novo no mesmo dia. Que avanço! Tô ficando muito garanhão. Hehe. Avancei cinco casas na escala do beijo.

- Aish! Saiu meio mexida. - Mostrou-me o celular, onde uma foto onde nos beijávamos se fazia presente na tela.

Arregalei os olhos. Confesso que corei. Era estranho ver uma foto de nós dois... assim. Na foto, o Baekhyun saiu todo fofinho e eu fiquei meio lesado, aliás, como sempre, né?

Entretanto, enquanto eu achava aquilo tudo muito estranho e novo, Baekhyun parecia tranquilo, rindo e falando de algumas coisas que ele achava engraçado na foto (ou seja, em mim). Eu ainda estava em choque, tinha sido tudo tão... “que?”

A foto saiu mexida, parecia que só estávamos fingindo que nos beijávamos, mas, mesmo assim, Baekhyun mandou para o Sehun, que visualizou e não respondeu nada. Sehun é todo esquisito, nunca entenderemos o que se passa na cabeça desse garoto.

Bem, mas eu sei exatamente o que se está se passando pela minha cabeça e eu odeio admitir isso, mas, nossa... eu quero beijar o Baekhyun de novo.

 

~ * ~

 

- Feliz aniversário! - Gritaram em coro assim que assoprei as velinhas, sorrindo de orelha a orelha, observando minha torta de morango com chantilly, doido para devorá-la logo, afinal, fiquei apressando todo mundo (com “todo mundo” eu me refiro aos meus pais, Sehun, Kai, Kyungsoo e, claro, Baekhyun) para cantar o parabéns, tudo porque eu estava com desejo de comer aquela torta logo. Amo torta de morango com chantilly, nossa! Baekhyun insistiu para que eu tivesse comprado uma de chocolate ou baunilha, e eu quase comprei por quase ceder ao seu biquinho fofo, mas me mantive firme e comprei a torta que eu queria, afinal, o aniversário é meu, eu que tenho direito de escolher, ué! Ele ficou emburradinho por um tempo, mas nada que um pacote de salgadinho e videogame não resolva.

Ah, hoje foi meu aniversário de dezesseis anos, pois é. Mais um aninho da minha existência excluída e ignorada pela sociedade. Ah, e eu finalmente me descobri e aceitei minha orientação sexual. Não, não sou gay, mas também não sou hétero. É, eu sou bissexual. Vocês estão surpresos, né? Eu sei que todo mundo tava achando que eu era hétero, eu sei, claro.

Sobre o Kyungsoo, bem, ele é amigo do Kai e o Kai o apresentou para a gente, e agora o Kyung faz parte da nossa turminha super da pesada, mais conhecida como gangue do marshmallow. Tá, vou tentar parar com as piadinhas sem graça, juro.

E eu tenho leves suspeitas de que o Kai e o Kyungsoo se pegam, mas eu não sou nenhum expert nesse assunto de amizade colorida e estou longe de ser um guru do amor, então só vou ficar nas suspeitas mesmo. E o Sehun... bem, eu nunca sei o que o Sehun faz ou o que ele tá pensando, então deixa quieto.

O Baekhyun nunca me falou diretamente, mas eu sei que ele é bissexual. Ele sai tanto com meninas quanto com meninos e, sério, eu sinto muita inveja da vida “amorosa” dele. Todo final de semana, até mesmo durante a semana, ele tem um encontro para ir ou, como ele gosta de chamar, “rolezinho”. E eu? Bem, eu fico em casa coçando o saco e enchendo a pança com qualquer merda que eu encontro pela geladeira. Fala sério, eu vivo mais como um velho do que como um garoto de dezesseis anos.

Mas, bem... eu tive um pequeno avanço na minha vida amorosa. Semana passada eu levei uma garota do colégio para sair. Ela que me convidou, porque, né, eu sou muito frangote e trouxa para fazer qualquer coisa. Foi um encontro bem... bléh. Ela não tem muitas coisas em comum comigo, gosta muito só de falar sobre si mesma e ignora ou interrompe tudo que eu digo. Ela nunca jogou videogame, dá para acreditar? Tive que escutá-la tagarelando sobre compras e unhas. Pior encontro da minha vida (nunca tive outros, mas certeza que esse foi o pior). Só que, para não pagar vexame com os migo, eu disse que o encontro foi espetacular e que a garota super combina comigo. Todos ficaram felizes por mim... mal sabem da verdade.

Bem, o que mudou durante esse um ano? Eu fiquei mais alto (pois é, mais alto do que eu já era, puta que pariu) e o Baekhyun só cresceu dois dedos, tadinho. Eu acho tão fofo o fato dele ser pequeno assim, eu adoro o usar como apoio para meu braço e cotovelo, e ele fica puto quando faço isso, mas, mesmo assim, continuo fazendo. Eu sei, sou a pessoa mais legal que você respeita.

Eu não tenho mais tantas espinhas como antes, só aparecem algumas de vez em quando. Meus pais não me levaram ao dermatologista, então tive que sofrer e esperar as espinhas passarem com o tempo. É.

Eu continuo sendo meio excluído, mas não sofro mais zoações e agora estou sendo alvo de algumas (porém poucas) cartinhas de amor no dia dos namorados. Fiquei felizão quando recebi a primeira cartinha, nossa, nunca achei que fosse receber algo assim em toda minha vida. Nunca recebi mais de cinco cartinhas no dia dos namorados, mas, para mim, isso é coisa pra caralho. Claro que, se eu for comparar com o Baekhyun, que recebe quase trinta cartinhas, o que eu recebo não passa de migalha, e... vou parar de falar antes que eu comece a chorar. Baekhyun me falou que eu estou mais bonito, deve ser por isso que estou chamando mais atenção das pessoas.

Ah, e o Baekhyun pintou o cabelo! Sim, agora ele está loirinho. Admito, ele estava tão bonito na minha festa (não sei se sete pessoas contando comigo vale como festa, mas, né). Aqueles cabelos loiros, a camisa xadrez preta e vermelha de manga comprida, o all star preto, a calça preta meio rasgada...

E, sim, a atração que eu sinto pelo Baekhyun ainda não mudou.

Não nos beijamos mais desde a última vez, mas confesso que sinto uma puta vontade de enfiar minha língua naquela boca (que pornô eu), só me falta a coragem. No entanto, agora o problema é ainda maior. Eu não sinto só tesão pela boca do Baekhyun, também sinto tesão pelo corpo do Baekhyun. Cara, não me culpem, eu sou um adolescente com os hormônios à flor da pele e tenho um amigo com aquele tipo de bunda que você viraria o pescoço para dar uma olhada e com umas coxas que... nossa, que coxas. Portanto, a culpa é do Baekhyun por ser gostoso, isso é uma afronta para minha sanidade, ele deveria ser preso. Não que ele use roupas apertadas que me deixem ver com clareza suas curvas, mas, bem, eu sou o maior detector de passivos que você respeita, então sei quando alguém é gostoso e quando não é. E também o fato de termos que trocar de roupa no vestiário para as aulas de educação física é uma grande vantagem.

Não queria dar uma de nojento aqui, mas... eu me masturbo pensando no Baekhyun. Tá, falei! Eu me masturbo pensando no meu melhor amigo! Nossa, sinto como se um peso saísse dos meus ombros depois de admitir isso. Eu me sentia como se estivesse cometendo um crime enquanto me tocava sob o chuveiro e imaginava que o Baekhyun estava rebolando com aquela raba grande no meu p...

Tá, acho melhor eu parar de falar.

É realmente estranho quando vou me encontrar com o Baekhyun no dia seguinte e fico agindo como se nada tivesse acontecido. Mal sabe ele que manchei meus lençóis depois de fazer uma homenagem para ele durante a noite inteira, coitado. Nossa, eu tô tão pornográfico ultimamente, puta que pariu...

Eu já tinha suspeitas de que eu era bissexual, mas a prova mesmo foi quando o Baekhyun veio para minha casa e trouxe um filme pornô gay escondido na mochila. Eu fiquei meio relutante em assistir, mas depois eu dei de ombros e cedi, porque o Baekhyun não parava de me encher o saco, então pensei: “vou assistir logo só para fazer esse moleque calar a boca”. Eu só não esperava que eu fosse ficar com uma ereção entre as pernas, bem ao lado do Baekhyun. Não deu pra esconder, né, e o Baekhyun se acabou de rir. Morri de vergonha, claro, e corri para o banheiro, resolvi meu probleminha lá e depois voltei para o quarto, encontrando um Baekhyun assistindo um filme qualquer na televisão. Só quando ele foi embora que eu vi que meu lençol tava sujo de gozo (e eu sei reconhecer um gozo quando vejo um), e eu fiquei: “puta que pariu, não acredito que essa peste se tocou na minha cama enquanto eu tava me masturbando no banheiro”. Só que, antes que eu limpasse a prova da minha cama de que Baekhyun também se excita com homens transando, eu... hm... bem... seria estranho demais se eu dissesse que dei uma cheirada na porra dele?

Enfim, né, vida que segue. Ignorem o micão que eu acabei de falar.

E foi assim que eu tive a certeza de que sou bissexual... passei a noite batendo punheta enquanto assistia sexo gay.

Não contei para meus pais sobre minha orientação sexual. Eles nunca falaram nada que prove que são homofóbicos, mas tenho medo. Já vi muitos casos de pais que expulsam os filhos de casa só por serem gays, isso me entristece muito e não quero ter o mesmo destino. Também nunca contei diretamente para meus amigos, mas acho que eles já sabem porque, quando estou passeando na rua com eles e passa um garoto muito bundudo, eu quebro meu pescoço para olhar. É instinto, gente, não dá tempo de pensar no que os outros vão pensar! Culpem os hormônios!

Os pais do Baekhyun com certeza o expulsariam de casa se soubessem sobre sua orientação sexual, mas é capaz do Baek até não ligar, sabe? Ele é do tipo meio rebelde (ui), do tipo que não liga para nada e foda-se o mundo. Admiro isso nele, porque eu tô muito, muito longe de ser assim, e eu queria ser assim. Então, provavelmente, se os pais dele descobrissem, o Baekhyun os mandaria para a puta que pariu e viria ficar um tempo na minha casa, e...

Pensando bem, seria bem legal se os pais dele o expulsassem, né? Pô, não seria ruim dormir com aquela raba do meu lado todas as noites, né...

Nossa, que maligno eu, torcendo para meu amigo ser expulso de casa para que eu possa abusar dele sexualmente. Céus, o que está havendo comigo?

Culpem a puberdade.

Depois de cantar o parabéns e me encher de torta, ficamos assistindo televisão. Confesso que eu estava meio puto com o Baekhyun. Ele não me deu um presente, sendo que eu dei um super jogo para ele no seu aniversário! Que injusto! Aish, falta de consideração da porra. Sim, quando eu dou um presente, quero receber outro em troca. Porra.

E outra coisa que me deixou puto foi o Baekhyun ter passado literalmente o filme inteiro sentado do lado do Sehun. Por favor, né, eu sou o melhor amigo dele e hoje é meu aniversário! Como ele ousa ficar o tempo inteirinho de papinho com o Sehun? Não é ciúmes, eu só... tá, é ciúmes, sim.

Eu estava me contorcendo todo de ódio. Não fazia ideia do que estava acontecendo no filme, só tinha olhos para as mãos bobas do Sehun em cima do Baekhyun e os sorrisinhos toscos deste último. Para completar, Kai e Kyungsoo não paravam de cochichar um no ouvido do outro e soltar umas risadinhas estranhas. Meus pais não estavam por perto, eles acharam que seria melhor me deixar comemorar com meus amigos em paz... mas acontece que eu era uma vela humana ali.

Eu estava com os olhos semicerrados, atento a qualquer mínimo movimento das mãos bobinhas do Sehun. Acho que o que mais me irritava não era nem o Sehun, mas, sim, o fato do Baekhyun estar evidentemente dando muito mole para ele. Minha vontade era de sair chutando tudo e mandar todo mundo embora, mas, como eu sou um frangote e sem coragem o suficiente para isso, apenas me levantei e fui para cozinha pegar mais coca.

Fiquei um tempo por lá, encostado na bancada, pensando no quanto eu sou um lixo e com a imagem fixa de Baekhyun e Sehun aos sorrisos na minha cabeça. Rangi os dentes. Argh, que ódio. Baekhyun e eu sempre fomos grudados, sempre fomos só ele e eu... claro que o Baek tinha/tem muito mais amigos, mas ele sempre me deu mais atenção e eu sempre fui seu melhor amigo e, agora, que ele tá todo cheio de gracinha e cheio de toques para cima do Sehun, confesso que tô com uma puta vontade de ARRANCAR A CABEÇA DE UM DOS DOIS E!...

Tá, Chanyeol, calma, respira.

Mas, sério, eu estava com muito medo do Sehun roubar o meu lugar, do Baekhyun começar a me deixar de lado... sei que posso estar exagerando, mas essa possibilidade me mata por dentro. Eu não vou aguentar virar uma segunda opção na vida do meu melhor amigo, não vou aguentar vê-lo junto de outra pessoa e me deixando de lado, não vou aguen...

Tá, Chanyeol, chega de pensar em desgraça.

Desencostei-me da bancada e abri a geladeira para pegar mais uma latinha de coca, porém, duas mãozinhas macias e pequenas chegaram por trás e tamparam meus olhos. Eu teria rido disso se eu não estivesse com ódio e com vontade de estraçalhar alguém.

- Adivinha quem é? - Riu.

Bufei.

- Me solta, Baekhyun. Quero pegar uma coca e você não tá me deixando ver. - Fiz questão de ser bem seco.

Ouvi-o murmurar um “nossa”, provavelmente chocado com minha grosseria. Tirou as mãos do meu rosto e peguei a latinha, logo abrindo-a e bebendo o líquido, enquanto chutava a porta da geladeira com o pé, fechando-a.

- Que bicho te mordeu, hm? Tá estressadinho até no seu aniversário? - Perguntou e fez impulso para se sentar sobre a bancada, me encarando com uma sobrancelha arqueada e uma cara que dizia: “vai se foder, Chanyeol”.

Minha raiva só aumentou com aquela cara. Eu que tenho razão de encará-lo com essa cara, e não ele!

Minha vontade era de falar um “por que você tá aqui? Volta lá para o Sehun”, mas isso seria muito gay da minha parte e deixaria meu ciúmes bem estampado na minha face, então eu decidi engolir a vontade de pronunciar tais coisas.

- Eu só tava com sede e você não tava me deixando ver. - Eu sei, uma desculpa bem merda, mas é aquele ditado, né?

Baekhyun revirou os olhos.

- Você tá assim porque eu não te dei um presente?

Pô, tá aí uma boa desculpa. E não deixa de ser verdade, realmente fiquei bolado por ele não ter me dado nada, mas vocês sabem qual era o real motivo de todo meu ódio e da minha vontade de CORTAR A CABEÇA DE ALGUÉM E COZINHAR NUM...

Calma, Chanyeol, respira.

- É. - Menti. Eu não conseguia pensar em desculpa melhor e eu não estava com vontade de falar o verdadeiro motivo, sabe.

Baekhyun revirou os olhos, rindo. Saiu de cima da bancada e veio até mim, me segurando pelo pulso e me puxando para fora da cozinha. Franzi o cenho, totalmente confuso com sua atitude. Ao chegarmos na sala, pensei que ele me puxaria até o sofá e a gente continuaria assistindo ao filme, mas ele só passou reto e me puxou até as escadas, deixando um Sehun com cara de idiota e um Kaisoo trocando carícias para trás.

Eu estava boiando, pior do que um cocô boiando num rio. Para onde Baekhyun estava me levando e o que ele pretendia fazer? Eu estava curioso e confuso, não fazia a menor ideia do que ele faria, nada me vinha a mente.

- O que você tá fazendo, Baekhyun? - Perguntei com uma sobrancelha arqueada, tentando (juro, eu realmente tava tentando, mas era difícil) ignorar a bunda dele que balançava conforme subíamos os degraus da escada. Puta que pariu. Achei uma afronta para meus hormônios que os pais dele tenham feito um filho tão... assim. Vacilo isso.

E, então, a resposta que escapou de seus lábios fez meu corpo inteiro se arrepiar, principalmente ao ver que estávamos indo para o meu quarto.

Caralho.

- Vou te dar o seu presente de aniversário.

 


Notas Finais


FREAUYGFYUFGYRGYGSDYUFGCSDYUGCYASGYFSDAUGEFYEYUDFFYUUYFGDUY
Noza jureg
Que maligna eu, parando logo nessa parte u.u
DGUEWYGFDYUEWGFYUQWFYEUFYUEWDWFYUQW
Podem me bater, eu mereço :v
Muuuuuuuito obrigada! Espero que tenham gostado do capítulo! <3
AAAAAH, A PARTE QUE O BAEKHYUN SUGERE PARA O CHANYEOL SOBRE ELES TIRAREM UMA FOTO SE BEIJANDO PARA FAZER CIÚMES NO SEHUN É UM FATO VERDADEIRO DA MINHA LIFE :v YUDGYUEWDGUYEFGYUQEFYEYUFGEYUFGYEW eu sugeri para minha amiga (a mesma que eu citei no capítulo anterior, a E) que a gente tirasse uma foto se beijando para fazer ciúmes numa outra amiga, a foto saiu meio mexida (nosso amigo que tirou :v), mas, mesmo assim, mandamos para ela :v USHSAUHSUAHSUAHSUAHUSAHUSHAUSA NOZA JUREG
Enfim, espero que tenham gostado do capítulo! BEIJÃO E ATÉÉÉÉÉ <3
AMO VOCÊS PORRA


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...