História C h e e t o s Monsta X - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Monsta X
Personagens Hyung Won, I'M, Joo Heon, Ki Hyun, Min Hyuk, Personagens Originais, Show Nu, Won Ho
Tags Cheetos, Crack!fic, Irene, Red Velvet
Visualizações 19
Palavras 1.079
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 10 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 3 - Capítulo 3


Se eu estava nervoso agora? Imagina, estou só um pouco bastante. Eu já sabia que uma hora ou outra eu seria comido e morreria, esse é o destino de produtos industrializados como eu, mas eu esperava que fosse por alguma criancinha, não por dois trastes em forma de gente como aqueles dois.

Quando o... Qual o nome dele mesmo? Changhyun, Chengyun... Changkyun! Esse cara mesmo, quando o tal do Changkyun me jogou dentro da sacola eu não havia me tocado até agora do meu trágico destino, ser comido por dois adolescentes num apartamento sujo enquanto eles falam sobre a namorada de um dos amigos e assistem série.

Aff cara, tem como resetar a vida? Sabe, se eu morrer vou reencarnar no corpo de um humano? Outra comida?

Eu estava tentando me arrastar de todas as formas para longe daquela mesa, talvez eu conseguisse cair da mesa e me esconder de baixo da geladeira, assim eu morreria lentamente esperando minha data de validade vencer, seria melhor do que uma morte como a que eu estava me vendo agora.

Mas e os meus amigos? E a Irene? Irene... IRENE!

Agora a ficha havia caído, não seria apenas eu, seriam todos. Irene, Kihyun, Wonho, Shownu, Jimin, Jungkook… e até aquela caixinha de pocky de morango, a tal de Yeri.

Todos nós iríamos morrer daquele jeito? Um vendo o outro? Que horror...

Ouvi o som da morte quando os passos do Chang sei lá o que se tornaram mais audíveis próximo a mesa, ele pegou de um por um os produtos na mesa e foi levando até aquela mesa de vidro, que agora parecia um mesa de tortura.

Ele chegou até mim e me levou até a tal mesa. Me erra narigudo, tira essas patas sujas de mim.

Ele voltou para a cozinha, deixando nós sozinhos com o cara da boca monstruosa, cara, o olhar dele da medo.

Quando Changkyun voltou, eu vi o que menos queria ver, ele carregava Irene e Shownu, um com cada mão. Irene foi colocada ao meu lado e Shownu do outro lado da mesa.

— Hey, eu disse que nós veríamos mais tarde... – Irene disse com um tom de voz fraco, ela estava claramente com medo, mas parecia que não queria demonstrar tanto assim. Eu queria muito ser uma pessoa e dar uns tapas na cara desses dois, estão deixando a minha marida com medo.

— Sim... Irene aconteça o que acontecer, sempre seremos amigos, certo? Estamos todos juntos nessa. – Disse tentando passar um pouco de conforto para ela, parece que funcionou, ela parece mais tranqüila. Esse “amigos” doeu, mas ok.

— Cara, isso foi poético. – Wonho disse, atrás de mim, encostado em uma daquelas tigelas. – Nunca vou esquecer vocês.

Eu ia responder algo emocionante para ele, mas Changkyun o pegou na mesma hora.  O que esse cara tem contra mim? Ele nunca deixa eu terminar o que tenho pra dizer...

Vi uma das coisas mais monstruosas e brutais naquele momento. Changkyun sem mais nem menos, abriu a embalagem de Wonho e despejou seu conteúdo na tigela em que ele estava encostado anteriormente e simplesmente, deixou a embalagem cair no chão.

Todos ficaram atônitos, chocados com aquela cena. Jungkook estava gritando, pois Jimin havia desmaiado. Irene não dizia uma única palavra, pois se encontrava em desespero, chorando silenciosamente. Ele matou o meu amigo, na minha frente. Eu nem pude me despedir.

Não tive tempo para lamentar, entrar em luto, nada. O próximo fui eu.

— Não, NÃO! ESPERA AÍ MINHYUK! – Ouvi a doce voz de Irene gritando, desesperada enquanto Changkyun se preparava para abrir minha embalagem. Eu apenas sorri.

— Eu sempre te amei, Irene.  – Disse, ela pareceu chocada. – Eu nunca vou me esquecer de vocês, amigos.

Foi aí que eu ouvi um barulho horrível um uma leve pontada, Changkyun havia aberto minha embalagem. Ele me despejou em uma outra tigela e me deixou cair do mesmo jeito que aconteceu com Wonho.

Estava ficando escuro e o chão da sala era frio, me lembrava loja do senhor Kim. Eu pude ver Wonho ao meu lado.

— Você era chato... Mas foi o meu melhor amigo... – Disse fraco para ele.

— Você também... cara...

 

E tudo se escureceu.

 

— Fim da historia.

— Mas... Eh?? Tio Minhyuk, como assim “fim da historia”? – Chin disse manhoso, com um bico nos lábios. – Acabou assim? Ele apenas morreu no chão?

— Sim. – Disse simplista, fechando o bloco de notas do celular. – A vida é curta, Chin.

— Mas e as outras comidas? O que aconteceu com elas? – Ele perguntou, curioso. É, realmente, eu também queria saber.

— Bem, beberam o Shownu até a metade e guardaram ele para tomar o resto mais tarde, comeram o pacote inteiro da Yeri em menos de quatro minutos, comeram Jungkook e Jimin enquanto o boca monstruosa tomava a coca-cola de Shownu e Changkyun... Bebia a Irene...

— Que horror. – Chin disse com cara de nojo.

— Sim.

— Onde você encontrou essa historia, tio Minhyuk?

— Ah, eu achei por aí... – Disse com a cabeça nas nuvens. Na verdade, eu lembro de tudo isso como se tivesse acontecido ano passado. Não pera – Ei, já está na hora de você ir para a cama, o tempo passou voando enquanto eu contava essa historia.

— Ok... – Ele disse desanimado, enquanto descia do sofá e ia em direção ao quarto, eu apenas o acompanhei. – É engraçado, os nomes dos personagens parecem com os seus amigos. Changkyun-hyung e Hyungwon-hyung são iguais!

— Não é? Parecem mesmo... – Disse vendo o pequeno se ajeitar entre as cobertas. – Durma bem, ok? E nada de se levantar no meio da noite para comer sorvete, eu sei que foi você que comeu metade daquele pote de napolitano. – Disse autoritário, fechando a luz do quarto, ele apenas disse “Tá bom...”

Saí do apartamento de Seulgi e tranquei a porta, logo logo ela chegaria do seu encontro com Jooheon. Minha prima tem que começar a me pagar por ficar cuidando do Chin, eu gosto dele, mas não lembro de ter “babá nas horas vagas” no meu currículo.

Senti meu celular vibrar no bolso traseiro da calça, fiquei feliz em ler o nome “Irene” na tela.

Minhyuk, você já colocou o Chin para dormir?

— Sim, já coloquei. Ele é uma gracinha, todas as crianças deveriam ser como ele. – Disse, lembrando de uma certa criança que chutou uma prateleira derrubando um certo salgadinho.

Sim, não é mesmo? Seulgi tem um sobrinho maravilhoso. – Ela riu. Ah, aquela risada fofa...Como você passou o tempo com ele?

— Eu apenas contei uma historia para ele dormir... Apenas uma historia.

 

 


Notas Finais


(Pô eu demorei um tempinho a mais doq deveria pra atualizar, mas vamo q vamo ne)

Hey ho!

Então né, acabou a Crack :’)

Obrigada as pessoinhas que acompanharam, é muito importante pra mim :’)

Obrigada também as pessoas que chegaram e leram tud de uma vez também dhxgfnxgfz


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...