História Cabe a cada um prender sua felicidade. Kookmin - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster
Tags Abo, Bts, Fantasia, Kookmin, Lemon, Mundo Alternativo, Nanjin
Exibições 139
Palavras 1.395
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Bishounen, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Lemon, Magia, Romance e Novela, Shonen-Ai, Slash, Sobrenatural, Suspense, Universo Alternativo, Visual Novel, Yaoi
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Mutilação
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oi serumaninhos,
me desculpem por não postar antes mas aconteceu que eu estive meio ocupa com uns problemas realmente bem sérios, um deles é sobre a ocupação do meu colégio, outro sobre como proceder no caso da minha turma que já estamos no fim do ano e já tínhamos formatura marcada...
Ta tudo um caus sobre estudos, mas espero que gostem.

Capítulo 7 - Pequena Esperança.


Fanfic / Fanfiction Cabe a cada um prender sua felicidade. Kookmin - Capítulo 7 - Pequena Esperança.

Mundo Colgar, Floresta Cytchilis 567 d.R

Em algum lugar da floresta.

Narrador.

 

- Você viu os membros do monstro jogado pelo caminho? Foi ela quem fez isso, eles não vão querer alguém tão perigoso junto conosco. Apenas eu posso acalma-la e vou fazer sempre que for preciso até que eles a conheçam e confiem nela. Me ajude a guardar esse segredo até lá.

- Eu faria qualquer coisa por você.

Os dois levantaram e encostaram a testa um no outro, esse era um modo de demostrar afeto e confiança e para eles era o melhor dos elogios sem ser dito em palavras. Os dois se separaram cada um para um lado e correram.

Teria que guardar mais um segredo de Namjoon, pelo menos agora tinha coragem para revelar um antigo e isso é o que importava.

No caminho de volta ou bando uma pequena luz verde lhe chamou a atenção o fazendo virar o rosto. Caminhou até a pequena e viu uma pedrinha verde caída no chão, quando a pegou materializou-se a imagem de um Elfo em sua frente.

Jin levou um susto e deu dois passos para traz.

- Não tenha medo por favor. - O Elfo esticou a mão. - Eu preciso chegar até minha protegida, o selo do poder foi quebrado, tenho que refaze-lo.

- Quem é você? - Perguntou o ômega desconfiado.

- Sou Kwinza, um Elfo verde. Eu não consegui terminar minha missão, preciso protege-la, por favor me ajude.

- Porque você está nesta pedra?

- É uma maneira de preservar a alma mesmo depois da morte, se eu conseguir achar uma fonte de água verde posso ter meu corpo restaurado, mas antes eu preciso refazer o selo de minha protegida.

- E como vou saber quem é essa protegida?

A forma do Elfo estava ficando cada vez mais fraca, já era possível ver a paisagem a suas costas.

- Ela tem cabelos longos e brancos, é bem pequena e deve estar confusa agora.

- Essa é a companheira do príncipe. - Falou baixinho para si mesmo. - Eu sei onde ela está, mas não vai conseguir chegar perto dela.

- Sabe? Ela está bem? - O Elfo parecia preocupado.

- Tem alguém cuidando dela agora. Ela não está mais sozinha.

- Pode me levar para vê-la?

- Quem me garante que não fara mal a alguém de meu bando?

- Olhe para mim, eu nem mesmo tenho um corpo material, o que poderia fazer?

- Então pode me ajudar a esconder a essência dela? Pode ser perigoso eu fazer sozinho, já falhei uma vez.

- Posso sim, mas cuidado quando conversar comigo só quem encostar na pedra pode me ver.

- Ok, o que faço então? Usar os métodos que uso para esconder minha essência não vão ser efetivos nela.

- Só vai ser preciso de erva de mato e um cheiro mais forte que o dela.

- Então vamos, vou te pôr no bolso depois que eu pegar a erva e encontrar Jungkook  lhe chamo, você parece fraco.

- Obrigado. Não sei como lhe agradecer.


                      .                                       .                                          .                                             . 

 

Depois que a barreira misteriosamente sumiu, Namjoon foi o primeiro a sair correndo. Quase chocou com seu ômega, mas parou a tempo.

- Jin! Onde está o jungkook? - O alfa vistoriava o outro procurando algo que indicasse que estava ferido.

- Ele está bem, mais importante não podem ir vê-lo agora. Ele está limpando a companheira dele e não deixou nem mesmo eu chegar perto dela.

- Ele a achou? O que aconteceu? Ela está bem? - Sane parecia preocupada e já vistoriava sua bolsa de ervas e medicamentos para ver se faltava algo caso tivesse que ajudar com qualquer coisa. - Se precisar de qualquer cuidado eu posso ajudar.

- Não se preocupe, ela não está machucada. Porém eu preciso de um pouco da erva de mato. - Sane imediatamente estendeu a Jin um saquinho. - Eu já volto, montem as barracas aqui perto, mas evitem aquele lado. - Jin apontou para lado do qual tinha vindo. - Namjoon?

- O que foi amor? - O alfa o abraçou.

- Preciso falar com você depois. É importante, não me deixe esquecer. - Jin o olhou diretamente nos olhos. Queria demonstrar-lhe a seriedade do que ainda não havia contado.

- Sim, vou ficar esperando.

Selaram seus lábios rapidamente e depois se separaram.


                      .                                       .                                          .                                             . 

Jungkook.

 

Não tive coragem de tirar a roupa dela para lava-la. Seria desprezível da minha parte ver suas virtudes quando nem mesmo pode se defender, por isso apenas entrei no rio com ela de roupa mesmo.

Não demorou muito para Jin nos alcançar e já foi amassando a erva para passar na pele da minha companheira.

- Tem certeza que isso vai dar certo? - O vejo amassando a erva junto a um pouco de água para deixar mais fácil de aplicar.

- Não, mas não custa tentar. Agora você passa na pele dela e depois deixa o seu cheiro nela, eu vou voltar porque preciso falar com o Namjoon.

- Eu já estou voltando também. Obrigado Jin.


                      .                                       .                                          .                                             . 

Narrador.

 

Depois que todos estavam arrumados, Jin ajudou Jungkook a levar sua companheira para a barraca.

- Obrigado por tudo Jin, você nunca saberia o quanto eu devo a você.

- Eu vou indo, preciso conversar com o Namjoon. Se precisar de mais alguma coisa é só chamar.

- Chame Sane para me ajudar a trocar a roupa molhada de minha companheira.

- Pode deixar. - Jin encostou sua testa ao do alfa. - Cuide bem dela. - Despediu-se.

Depois que Jin saiu logo Sane veio para ajudar. Era apenas para tirar a roupa molhada (sua camisa que havia posto nela quando entraram no riu) e colocar o colar no pescoço da mesma. Que por mais que ele já a tivesse marcado como sua, não queria que ela o menosprezasse por ter visto seu corpo nu quando estava desacordada. Ele gostava de provocar mas tinha que ser quando ela pudesse responder.

Quando Sane saiu da barraca e disse que já havia terminado parecia divertida com algo o que o deixou intrigado.

- O que foi? - Disse Jungkook franzindo as sobrancelhas.

- Sua “companheira”... - Olhou para a barraca e sorriu. - Nada não, logo você vai descobrir.

Jungkook ficou sem entender e apenas entrou na barraca para cuidar de sua companheira, percebendo que ainda não sabia seu nome. Perguntaria a ela de manhã quando a acordasse.


                      .                                       .                                          .                                             . 

 

Namjoon estava sentado um pouco longe do acampamento, mais perto o suficiente para ajudar se necessário. Logo Jin sentou-se ao lado dele.

- Venha aqui. - Namjoon abriu os braços para que Jin se aconchegasse mais perto e ele assim o fez. - O que é tão importante que você precisava me contar?

- Nam... você realmente me ama?

- Que pergunta boba, é claro que eu te amo. Daria minha vida por você. Fiz um juramento que seria seu e você meu para sempre, esqueceu?

- Mesmo sem o juramento você ainda assim me amaria?

- É claro que sim.

- Mesmo que eu o decepcionasse?

- Ei. - Namjoon virou o rosto de Jin em sua direção e deixou um beijo em sua testa. - Eu já disse que te amo? Nada que você fizer vai me impedir de te amar.

- Me sinto tão inseguro, tenho medo de como você vai reagir. - Os olhos do ômega lacrimejaram. - Tenho tanto medo de lhe perder.

- Não vai me perder Jinie, sabe que pode confiar em mim.

Namjoon era tão carinhoso que ficava quase impossível não se sentir confortável até na pior das situações. Ele fazia cafune em seu ômega e tentava transmitir toda a confiança que ele precisa, mas não o forçaria a dizer nada. Jin abraçou seu alfa e encostou seu rosto na curva do pescoço do mesmo.

- Nam, eu te amo mais que tudo nesse mundo, mas não sei se mereço estar com você. Te amo tanto e sou tão egoísta que não quero deixar você ir nem mesmo se eu não merecer o seu amor.

- O que você está falando? Eu é que nunca vou deixar você ir.

- Poderia dizer o mesmo se eu lhe contasse que sou metade demônio? - Logo após dizer tais palavras seu coração disparou.


Notas Finais


Obrigado por lerem
e mil desculpas pelo atraso.
Bjss de luz ;*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...