História Cadeado do amor - Capítulo 37


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha, Shikamaru Nara, Temari, TenTen Mitsashi
Tags Gaara, Hinata, Ino, Naruto, Neji, Sakura, Sasuke, Shikamaru, Temari, Tenten
Exibições 144
Palavras 3.177
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Festa, Hentai, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


OEEE MEUS DLCS!!!!
Eu falei que ia postar hoje!
E postei como prometido!
Hoje começa o especial, e amanhã e nos próximos quatro dias serão a continuação deles ^-^!
Espero que gostem!
Está bem tristinho ele ;-; T-T
Mas mesmo assim boa leitura!
➕💯🔒❤️

Capítulo 37 - Sabaku's History


Fanfic / Fanfiction Cadeado do amor - Capítulo 37 - Sabaku's History

Ambos pegaram seus objetos correspondentes, e começou as os encarar, e lembranças bem tristes os veio e mente.
Quando Gaara pegou seu ursinho e Temari o seu leque foi na hora:

Passado On:

Narração Temari On:

E hoje, finalmente hoje, meu irmãozinho vai nascer, estou louca pra ver como ele vai ser, brincar com ele, e cuidar deles, e fazermos um montão de coisas juntos, meu irmão mais velho Kankurou, já não parece tão feliz com a notícia, pois a mamãe vai fazer um parto bem complicado, mas eu tenho fé que vou ganhar meu irmão e ela vai ficar bem!

Narração Autora On:

As coisas não iam nada bem na sala de parto, a gravidez de Gaara, foi bem complicada, e o mesmo nascerá prematuro, se nascer e sobreviver....a situação de sua mãe também não era nada boa, a mesma perdeu muito sangue, estava fraca, e o pai, se desmanchava em lágrimas, por medo de perder ou seu filho, ou sua esposa, ou até o mesmo os dois, desde o princípio, sabiam que seria um gravidez arriscada, e que tudo poderia dar errado, mas a sua mãe quis seguir em frente, mal havia crescido e ela já o amava muito, agora já em trabalho de parto, os irmãos mais velhos aguardavam sentadinhos, ansiosamente, até que se escuta o chorinho, ele finalmente havia nascido, era tão pequeno, era exatamente o tamanho das mãos da sua mãe juntas, ela o abraçou, e suas últimas palavras, sim ela já não resistiu, a perda de sangue foi grande, foram: 

Karura:" Gaara, esse será seu nome, deus protetor do deserto, e uma pena não poder cuidar de você como nos meus sonhos, mas para sempre cuidarei de você, eu prometo, porque eu te amo!"

Suas últimas lágrimas caíram, seu olhos foram fechando lentamente, e assim ela se despediu do mundo, aquilo, era tudo muito forte, o pai de Gaara, caiu de joelhos no chão, e apoio-se na cama, e chorou, como nunca havia chorado, depois de um tempo despedindo de seu amor, o pequeno Gaara, já estava sendo arrumado pelas enfermeiras do local, ele saiu do local, ao ver seu pai, os olhos da Tamari brilharam, e um lindo e grande sorriso se estampou, ela bateu as pequeninas mãos que tinha, e pulou em cima do seu pai, que em seguida a pegou no colo, Kankurou apenas se levantou.

Temari: Papai, papai, meu irmãozinho nasceu? Como está a mamãe? Eu posso ver eles?Qual vai ser o nome dele?

Rasa: Tema, Kankurou, o nome dele é Gaara, ele...ele está bem, mas...mas a mãe...de vocês....

Kankurou: Mas a mamãeeee....

Rasa: Bom...ela...não...res...resistiu! 

Kankurou: Mamãe...Snif...Eu sabia...

Temari: Papai...eu...eu quero ver ele!

Rasa: Tudo bem, você estão liberados a ver ele...se quiserem ir...podem ir!

Temari: Sim nós queremos!

Kankurou: Mas eu...


Temari se solta do pai, pega Kankurou pelo braço, e correm em direção a sala onde o Gaara de encontrava, a garotinha nem se preocupou em bater na porta, já chegou invadindo a sala, solta-se do Kankurou, e aborda a primeira enfermeira que viu.

Temari: EI VOCÊ CADÊ MEU IRMÃOZINHO?!

Enfermeira: Quem deixou essa menina entrar? Ou melhor quem são vocês dois?

Kankurou: Desculpa a falta de educação da minha irmã mais nova, somos irmãos do...er...qual e mesmo o nome dele?

Temari: GAARA O NOME DELE E GAARA, EU QUERO VER ELE, AGORA, ME DEIXEM VER ELE, O PAPAI DISSE QUE EU POSSO, E DEPOIS QUERO VER A MAMÃE!

Enfermeira: Olha aqui mocinha, pare de gritar, ainda está em um hospital, primeiro vou levá-la pra ver sua mãe, venham!


A enfermeira os guiou a um cômodo que tinha dentro do quarto, ver a mãe deles ali, foi lindo, a cama era de casal, com muito travesseiros e almofadas, por toda os lados, dos pés a cintura, era grosso, bem quentinho e confortável, posicionaram as mãos dela sobre a sua barriga e tinha o vaso de flores, ao lado, ela estava linda, mesmo morta, continua um brilho único e radiante, os dois correram, e subiram devagar na cama, e ficam abraçados a ela.

Kankurou: Mamãe...porque...olha só o que esse monstro fez como você.

Temari: Ele não é um monstro, ela não gostaria de ouvir isso, fica quieto...Olha mãezinha, eu sei que você se foi pelo meu irmãozinho, e eu não o culpo por isso, sei que ai do céu vai fazer de tudo pra protegê-lo, mas peço para que fique tranquila, porque eu vou cuidar dele, mais do que você, e juro, vou ama-lo e protegê-lo com todas as minha forças tá bom? Eu te amo muito, já sinto sua falta!


Temari, da um beijo de despedida, e sai da cama, Kankurou decide ficar alí, abraçado a mãe, Tema desce da cama, e vai direção a enfermeira.

Temari: Ei, sua feiosa, me leve agora para ver meu irmão!

Enfermeira:O que disse sua pirralha!

Temari: ISSO MESMO QUE VOCÊ OUVIU SUA FILHOTE DE CRUZ CREDO!

Kankurou: Deixe de gritos Temari, não sei porque faz tanta questão de vez aquele ser.


Um médico que iria visitar o Gaara, passava na hora, e ouviu a discursão, entrou no aconchegar cômodo para tentar resolver essa situação.

Médico: O que está havendo aqui?

Temari: ESSA HORROROSA NÃO QUE ME LEVAR PRA VER MEU IRMÃOZINHO!

Médico: Hum...Entendi! Ela e mesmo feia né?!

Enfermeira: MAS OQUE?

Temari: Feia e pouco, ainda não criaram um adjetivo correto para essa mulher!

Enfermeira: Ah não, não sou paga para isso, se me derem licença!

Temari: Já vai tarde oh aberração!

Médico: Então você e a famosa Sabaku na Temari?

Temari: Eu mesma! Porque?

Médico: Bom, seu irmãozinho e bem pequenino e precisa de uns cuidados extras comparado as de um bebê normal.

Temari: Até porque ele é especial!

Médico: Sim, sim, então...estou indo ver ele agora, quer vim comigo?

Temari: Sim, claro que sim!


Temari pula em cima do médico, que a pega no colo, ele olha para a cama e vê Kankurou chorando baixinho.

Médico: E você? Não quer ver seu irmão também garotinho?

Kankurou: Não estou muito bem aqui, obrigada!

Médico: Se assim preferir... Vamos Tema?!

Temari: SIM!!!

 

O médico levou ela até pequeno cômodo, onde Gaara, estava bem aquecido, e já estava dormindo dentro de um berçário, e foram chegando perto bem lentamente, sem fazer o máximo de barulho possível, e conversaram sussurrando.

Temari: Uau, que pequenininho!

Médico: Pois é, por isso você tem que me prometer que vai cuidar muito bem dele viu?!

Temari: Pode deixar... posso ficar no berço com ele?

Médico: Hm... Acho que não tem problema, mas cuidado para não machuca-lo okay?!

Temari: Tá!


O médico a põe delicadamente no berçário, assim o ruivinho, abriu os olhinhos brilhantes e passou a fitar temari, revelando os lindos olhos que possuía, ele tinha marcas envolta dos olhos, sequelas da difícil gravidez, ele nunca teria sobrancelhas, o que não seria problema, já que ficou naturalmente lindo.

Temari: Puuxa, ele parece um brinquedinho, é tão fofoooo!

Médico: Sim, só cuidado para ele não se assustar e começar a chorar viu?

Temari: Posso ficar aqui?

Médico: Pode sim!

Temari: Obrigada, você é até que legal!

Médico: Obrigada!


O médico sai do cômodo, achou melhor deixar os irmãos as sós, a Temari, não culpava o irmão pela morte pela mãe, pelo contrário, nem faz dois minutos que se conhecem e lhe ama muito, lhe deu um beijo nas suas bochechas cheinhas e rosadas, e ficou abraçado a ele, e acabaram adormecendo juntos. Enquanto isso nos corredores do hospital, se avista um homem correndo,  a preocupação era visível, era o irmão gêmeo da Karura, ele amava os sobrinhos, e era bem próximo a família, e sabia dos riscos da gravidez da irmã, e ia correndo em direção ao Rasa, que se encontrava sozinho, até que ele cai novamente de joelhos no chão, com as mãos sobre o rosto, com as lágrimas escorrendo e caindo no chão, a preocupação de  Yashamaru foi aumentando, até que ele chega bem perto de Rasa, e se ajoelha no chão.

Yashamaru: Por favor... me diz, o que houve com eles?

Rasa: Karura, não resistiu!

Yashamaru: Mas e o bebê?

Rasa: Nasceu!

Yashamaru: Mas ele está bem?

Rasa: Sim!

Yashamaru: Rasa eu...eu sinto muito...ela... vai fazer falta!

Rasa: Me ajuda?! O que eu vou fazer? Como vou cuidar dos três sozinho? Eu não vou ter tempo, eu não vou saber cuidar deles, meu amor não vai ser suficiente, me ajude, por favor!

Yashamaru: Sim, claro que eu te ajudo Rasa, eu cuido dos três, deixe comigo, vou amá-los como se fosse o pai. Eu juro!

Rasa: Obrigada, muito obrigado, não sei o que faria sem você, de verdade!


No dia seguinte foi o enterro, todos foram amigos, familiares, dor não faltava, ela era uma mulher boa, carinhosa, bondosa, amorosa, a saudade tornou-se eterna a partir dali, as únicas pessoas que não foram, foi Gaara e Temari, ele porque era muito pequeno, não teriam condições de cuidar dele, e a Tema, bom, ela não desgrudava do irmão.


5 anos depois...

Bom, 5 anos se passaram e a dor da perda, passou a ser suportável, Gaara não a conheceu mas sentia falta da mãe, e se culpava imensamente pela perda dela, sabia que o pai e o irmão lhe culpava pela perda, Temari o amava muito, mas não tinham tempo para brincar com o irmão como desejava, seu tio, era a melhor pessoa, lhe cuidava, amava, que se importava de verdade com ele, Gaara, tinha um ursinho, apelidou de Teddy, ganhou do tio, era muito difícil fazer amigos, todos o chamam de monstro, porque sua mãe deu a vida por ele, e ainda mais, ele tem Dacnomania, mania de se moder ou moder outras pessoas, por isso todos se afastaram dele, e lhe deram apelidos horríveis, como nenhuma criança gostava dele, o mesmo se acostumou a ficar em casa, ou melhor mansão, assim como os Uzumaki's, Uchiha's e Hyuuga's, os Sabaku's são donos de uma grande fortuna, fruto das grande empresas que foram fundadas, sendo as mais famosas de toda Paris, ou seja, além de perder a mãe, não ter amigos, a solidão e ainda maior  aquela enorme casa, sempre queria brincar com os irmãos mas nunca deu, Temari tinha 6 e Kankurou 7, e essa pequena diferença fez um enorme efeito!

Gaara: Kankurou, brinca comigo?

Kankurou: Não dá, tenho que ir para escola agora!

Gaara: Está bem... Tema, Tema, vamos brincar?

Temari: Sim Gaara, claro que eu brinco com você!

Yashamaru: Temari, tem visita para você, são suas coleguinhas de sala!

Temari: Opa... Gaara... Mais tarde brinco com você, pode ser?

Gaara: Pode...

Temari: Tchau!

Gaara:Tchau...


Yashamaru já estava dando meio volta, indo em direção a cozinha, quando escuta um chorinho bem baixinho, e uma fungadinha de nariz, quando se virá novamente, vê o pequeno ruivo, sentado no chão frio, com o ursinho ao seu lado, com as pequenas mãos sobre os olhos, e as lágrimas caindo no chão.


Yashamaru: Porque chora Gaara?

Gaara: Porque eu sei que não vai dar pra Tema brincar comigo.

Yashamaru: Porque acha isso?

Gaara: Porque, eu sei que ela quer, mas ela vai acabar esquecendo de tanto ficar com as amiga dela.

Yashamaru:Então porque não chama um de seus amigos?

Gaara: Porque eu não tenho!

Yashamaru: Entendi...

Gaara: Porque tio?

Yashamaru: Hãn?...

Gaara: Porque dói tanto? 

Yashamaru: O que?

Gaara: Aqui ô... ( ele põe a mão sobre o peito esquerdo)... meu...meu coração dói! Estou doente?

Yashamaru: Não Gaara, você está perfeitamente bem! Acontece que a dor física é diferente da dor sentimental, essa dor que você sente, e porque está triste, e sente falta de algo ou... ou alguém, demora de passar, já a dor física, e quando nos machucamos de outra forma, por exemplo, ( ele pega um canivete de seu bolso, e faz um pequeno corte em seu dedo), está vendo este sangue, então, no lugar, está doendo, mas daqui a uns minutos vai passar, e vai curar, entendeu?

Gaara: Entendi, e como eu faço para curar, a dor do coração tio?

Yashamaru: Bom, tem várias formas, que tal ir lá fora brincar um pouco no balanço do jardim da frente hein?!

Gaara: Está bem!

Yashamaru: E não demore lá fora viu mocinho? 

Gaara: Tá bom, tchau tio! ( Ele abraça o tio e corre em direção a porta)

Yashamaru: GAARA ESPERA!

Gaara: O que foi?

Yashamaru: Primeiro: Tome muito cuidado lá fora, segundo: Esqueceu seu ursinho, agora pode ir!

Gaara: Obrigada, tchau!


Lá fora, no jardim, ele ficou em seu balanço, era até que legal, mas bem monótono, já que está lá sozinho, ele observava os vizinhos da frente, que jogavam bola, era da sua sala, até que um deles, chutou a bola tão forte, que veio para no outro lado da rua, basicamente no lado de Gaara, que se levanta, pega a bola, e leva em direção aos garotos, ele atravessou a rua, a chegar lá, os garotos passaram a se afastar dele.

Gaara: Toma a bola de vocês!

Brian: Não pode ficar com ela, não vamos precisar mais ahhh!

 
A medida que Gaara se aproximava, eles se afastavam, e cada vez mais ambos aceleraram os passos.


Gaara: Por favor eu insisto!

Brian: Por favor, fique longe da gente!

Gaara: Espera!


Os meninos começaram a correr, e Gaara só queria devolver a bola, então ele jogou, acidentalmente garrou no tal de Brian, e ele caiu  o chão e ralou o joelho e começou a chorar, todos os outros garotos, começaram a encarar ele, que ficou assustado, deu meia volta, correu o mais rápido que pode, pego seu ursinho, entrou na casa batendo a porta, e correu para seu quarto, olhou para janela, e viu que todos foram embora, e que o garoto já estava a entrar em casa, ele se jogou na cama e começou a chorar, até que seu tio entra no quarto.

Yashamaru: O que foi Gaara?


Gaara explica toda situação, seu tio tenta o consola-lo, até que tem uma ideia.

Yashamaru: E se você for na casa dele, entregar uma sacola de remédios que eu mesmo preparo para você, em forma de desculpas?

Gaara:Eu não sei, acho melhor não!

Yashamaru: Então faz assim, eu vou prepara a sacola, deixo no criado mudo,e quando você decidir você leva está bom?

Gaara: Okay!


Yashamaru sai do quarto, e põe na sacola de remédios, o que fosse necessário, e fez o que disse, Gaara ficou horas pensando no que fazer, até que ao anoitecer, decide, ir levar tais remédios, ele sai de casa, atravessa a rua, e bate na porta umas três vezes, até que atendem e era o Brian.

Brian: O que você quer?

Gaara: Desculpa se eu te machuquei, não tive a intenção, olha... eu te trouxe esse remédio caso precise...

Brian: Saia daqui, seu monstro!


O garoto bate a porta no rosto de Gaara, que joga a sacola de remédios no chão, e sai correndo, já estavam todos em casa, a ver o ruivo correndo, o tio foi atrás, ele não queria nem ver  nem falar com ninguém, e corria sem rumo e entrou no primeiro cômodo da casa, era o escritório do pai, porém o que o garotinho não esperava, e que uma quadrilha de assaltantes, invadiriam a casa, e pretendiam rouba o cofre, que ficava justamente no local, os vagabundos estavam escondidos  nas sombras do local, que tinha pouca iluminação, ele foi correndo até a varanda, e ali suas lágrimas caíram enquanto observava as estrelas no céu, o assaltante silenciosamente, se aproximou do garoto que estava de costas, e lhe apontou uma arma, o seu tio chegou na hora.

Yashamaru: Gaara... GAARA!


O ruivo se vira e vê seu tio, se jogando em frente a arma e levando dois tiros, assim a casa toda, de o Rasa, Temari e Kankurou até empregados e seguranças, correram em direção ao escritório, o desgraçado não se contentou, e apontou a arma para Gaara novamente, assim que Rasa entrou, ascendeu as luzes, vendo a carda de cada assaltante, e um movimento rápido Yashamaru, mesmo com duas balas em seu peito, assim como sua irmã, dedicou seus últimos minutos de vida a Gaara, tomou-lhe a arma e lhe deu um tiro na cabeça.

Yashamaru: Nunca mais ouse machucar quem eu amo seu desgraçado!


Todos assistia completamente assustados, os outros bandidos tentaram fugir, mas foram pegos pela polícia, agora naquele escritório, dois corpos  no chão, Gaara via tudo chorando, sentia dor, e perdeu a última pessoa que lhe amava, agora eu ele vive em um mundo onde todos o odeia, tudo que ele fez foi abraçar o corpo do tio e se desmanchar em lágrimas. Agora o machucado do seu coração, ficou maior, mais doloroso, é terrível.
Dias se passaram, ninguém tocava uma única palavra naquela casa, já que nunca sentiu a dor física, ele resolveu experimenta-la, precisava saber qual era pior das dores, foi novamente ao escritório do pai, e foi até a adega de vinhos do seu pai, pegou uma garrafa, e a quebrou na quina da mesa, e com os cacos de frente pro espelho, fez um formato qualquer em sua testa, por conhecidencia, significava amor em japonês, e o corte e profundo, era muito intenso, ficou marca para a vida toda.

6 anos depois

Agora com 12 anos, Gaara e seus irmãos foram transferidos para Konoha High School, Temari até repetiu de ano para ficar com o irmão, Gaara era frio, sozinho, não falava com ninguém, e quando falava era grosseiro, sério, vivaa de braços cruzados ( até hoje fica ), e nem mesmo falava com o os irmãos, o que não fez diferença alguma para Kankurou, mas que doeu imensamente para Temari, as pessoas se afastavam dele, nem pela sua história, mas porque o mesmo era malvado com todos, mas uma vez Naruto decidiu , enfrenta-lo, e ambos se machucaram, saíram com um belo de um machucado, com a testa sangrando, mas a partir dai viraram amigos, Gaara aprendeu, que mesmo sendo iguais, tiveram um caminho diferente, as convicções de Naruto, fez mudar a sua mente, e o que ele tinha de maldade converteu para bondade, assim voltou a se relacionar com seus irmãos, fez novos amigos, e assim a dor que tinha já era esquecível, mas, sempre que encontra com o seu pai, acabam discutindo, e o Rasa joga em sua cara, que sua mãe nunca te amou e ele e o culpado pela morte dela e do tio, isso era uma paranoia, mas ele sempre seguiu em frente, ele e Temari hoje cuidam um do outro, já que o irmão mas velho trabalha na empresa, e vivem viajando e não são nem um pouco presentes, depos de tanto sofrimento agora Gaara com 16, e Temari com 17 eles finalmente vivem felizes, mesmo que sozinhos, além de um a outro, tem seus amigos, e agora seus novos namorados, que melhora tudo.

Passado Off.


Gaara abraça discretamente o ursinho e dá um leve sorriso. E Temari se lembra do natal em que ganhou o leque da mãe, e deixou que alguma lágrimas caíssem no mesmo, até que eles põe no lugar de volta. Naruto ao pegar o colar...


Notas Finais


E foi isso por hoje gente! Espero que tenho gostado, até o próximo capítulo meus dlcs!
Amo vcs!
➕💯🔒❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...