História Café com Leite - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Luan Santana
Personagens Luan Santana
Tags Alexadra Daddario, Bruna Santana, Luan Santana, Romance
Exibições 66
Palavras 2.279
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá goxxxxxxxxxxtosas! Vi que já temos leitoras ávidas aqui na Café com Leite e eu to amando já.
Boa leitura!

Capítulo 2 - Luan e Bella - Próximos.


Fanfic / Fanfiction Café com Leite - Capítulo 2 - Luan e Bella - Próximos.

Eu não precisava me vestir socialmente, o meu novo ambiente de trabalho era bem descontraído e eu podia ir a vontade. Optei por por um vestido azul marinho que ia até um palmo e meio a cima dos meus joelhos, aberto nas costas e uma sapatilha. A segunda feira começou bem, tomei meu café, peguei meu carro e fui para o escritório. 

 Luan estava viajando, fazendo show em Goiás, mesmo assim eu fazia questão de lembra-lo dos compromissos dele, deixando o assistente dele atento a tudo. Enviei também minha primeira nota para a imprensa sobre o novo DVD 1977, falando um pouco de como Luan se preparou para ele e marcando algumas entrevistas e programas de TV, encaixando tudo direitinho na agenda dele, de modo de que os compromissos não ficassem apertados e que ele pudesse fazer bem a divulgação desse DVD.

 Fiquei a pá também de um pouco da sua vida pessoa, sabendo que ele estava envolvido com uma pessoa. Não era nada oficial entre eles, mas pelo o que eu entendi, eles brigavam muito e era esse o motivos de seu mau humor nos últimos dias. Ela não parava de o perturba, apesar de ser uma pessoa discreta que não gostava de aparecer na mídia , ela era louca por ele e ele não estava sentindo a mesa coisa. Tudo informação de Arleyde, que me deixou a pá de tudo antes de sair da equipe. Talvez essa menina fosse uma preocupação, mas por enquanto eu só queria que ela deixasse ele em paz para que ele não ficasse com aquela cara fechada.

  Na hora do almoço eu fui para um restaurante na frente do escritório, almoçando sozinha, já que eu era nova e ainda não conhecia ninguém.

  Meu celular tocou ao meu lado e eu peguei para atender. Era o Luan.

  " - Bella. - sua voz parecei animada."

  " - Fala Luh."

  " - Atrapalho?"

  " - Não, eu só estava almoçando, pode falar."

  " - É que aconteceu uma coisinha aqui. - ele disse com receio.

  " - O que aconteceu Luan? - perguntei já prevendo uma tragédia."

  " - O show em Goiás foi cancelado. - ele disse."

  " - Como assim Luan?"

  " - Alago o local do show pela chuva excessiva que ta caindo a três dias seguidos. Ninguém em aviso e eu acabei vindo. - eu podia sentir minhas bochechas esquentando de raiva."

  " - Então que dizer que chove a três das seguidos na cidade, alaga tudo, te fazem viajar horas de avião até outro estado e não me avisam que cancelaram o show? É isso que você esta me dizendo?! - soei estérica, nervosa pela irresponsabilidade alheia."

  " - É por ai."

   " - Que ótimo. - bufei."

  " - Você pode publicar uma nota sobre isso nas redes sociais?"

  " - Claro que posso - respirei fundo, me acalmando um pouco - Estou voltando para o escritório. Você consegue voltar hoje para descansar?"

  " - Consigo, a chuva forte deu uma trégua."

  " - Ótimo. Boa viagem Luan."

  " - Obrigado, te vejo ainda hoje."

  " - Ok. Tchau. - falei por fim."

  " - Beijo. - ele falou e desligou."

 Ele sempre era carinhoso com as pessoas apesar de brincar muito com todo mundo.

 Paguei minha conta e voltei quase voando para o escritório. Escrevi nas redes sociais o motivo do cancelamento do show e pedi desculpas em nome do Luan e da Equipe LS. Depois me dei ao trabalho de escrever um e-mail para o contratante, pedindo satisfações pelo qual não fomos avisados do cancelamento do show e de como eles fariam para devolver o dinheiro, me certifiquei de que isso seria realmente feito. Não usei meu tom calmo, fui curta e grossa com as minhas palavras.

  Fiquei tão atolada de trabalho logo no meu primeiro dia que nem vi que já havia anoitecido, só me dei conta disso quando fui para a sala de descanso, pegando uma caneca de café e me jogando nos puffs enormes que ficavam naquela sala, toda colorida. Era um lugar de relaxamento.

 Fechei meus olhos por alguns segundos e me assustei quando o puff afundou.

  - Ai Luan que sustou. - falei, olhando para ele que ria ao meu lado.

  - Desculpa, não resisti. Você tava ai toda bonitinha resmungando sozinha.

  - Eu não estava resmungando. - menti, sabendo que eu resmungava sem perceber.

  - Tava sim que eu vi. - ele aperou meu nariz, falando com aquele sotaque de interior dele - Alias, parabéns pelo o que fez. - olhei para ele sem entender.

  - O que eu fiz?

  - Ligo para o contratante depois de escrever um e-mail, que ele disse ter ficado impressionado com você por ser durona e competente.

  - Diferente dele. - revirei os olhos, ouvindo sua risada ao meu lado.

  - Deixa disso e vamos para minha casa. Minha família viajou e eu não to afim de ficar sozinho. - ele disse, se levantando e me puxando do puff.

  - Você deveria descansar Luan. - falei, indo em direção a minha sala que ainda estava seno organizada com alguns pertences meus. Peguei minha bolça e fechei a sala.

  - Eu to bem assim. - ele disse.

  - Se você diz.

 

P.O.V LUAN.

 

  Eu até estava um pouco cansado e sim, poderia ter ido para casa sozinho, mas Bella parecia tão tensa pelos problemas que aquele irresponsável causou, que eu resolvi me distrair um pouco com ela, já que eu também fiquei irritado com o cara. Nem contei para ela a parte que eu dei uma bronca no cara. 

 Entrei com ela no meu carro, dirigindo até o condomínio. Era curioso uma menina da idade dela morar naquele condomínio de luxo e pelo que parecia, ela morava sozinha.

 - Pode entrar. - falei para ela, assim que abri a porta de casa.

  - Licença. - ela disse educada.

  - Rapaz, que saudades que eu tenho de ficar em casa. - falei, tirando os sapatos na sala mesmo.

  - Eu imagino.

  - Me espera ai, vou trocar de roupa. - falei.

 Subi para meu quarto e troquei rápido de roupa, colocando uma calça de moletom cinza e uma blusa branca. Fiquei descalço mesmo.

 Desci para a sala, onde vi Bella observando as fotos com atenção. Seus enormes olhos azuis só faziam destacar o quão branca era sua pele e como seu cabelo era escuro. Ela também tirou os sapatos, ficando a vontade. Soltei uma risada leve, chamando sua atenção.

  - Você era um fofo quando era pequeno. - ela falou, se virando para mim sorrindo.

  - Obrigado. - falei, chegando mais perto dela, sentindo o cheiro doce do seu perfume exalar.

  - Tirei meus sapatos, se não se importa. Não gosto de ficar de sapato.

  - Eu também não. - ri - Vamos pedir alguma coisa para comer? 

  - Pode ser. O que você quer? - ela perguntou sorrindo.

  - Pode ser pizza? Faz tempo que não como.

  - Fechado então.

 Pedimos nossa pizza e colocamos uma música para escutar, abrimos um vinho e sentamo no balcão da cozinha.

  - Ah para vai, me conta ai. - insisti mais uma vez naquela noite para que ela falasse um pouco dela.

  - Não tem nada de mais Luan. - ela disse, mordendo sua pizza.

  - Tem sim, pode parar disso. Me conta com quem você mora pelo menos.

  - Eu moro sozinha. - ela disse por fim.

  - Naquela casa maravilhosa? - perguntei chocado - Como? - ela riu da minha cara, terminando de engolir a pizza.

  - Bom, meus pais me deram essa casa.

  - Desculpa mas, seus pais trabalham com o que? - as bochechas brancas dela ruborizaram.

  - Eles são donos de uma marca de roupas, nacional e internacional. - meu queixo quase caiu no chão e ela riu. - Para de me olhar assim Luan.

  - Que? Eu to impressionado cara.

  - Eu sei e todo mundo me pergunta por que eu trabalho se vou herdar tudo um dia.

  - Por que você trabalha? Comigo, quero dizer. - me corrigi.

  - Porque eu não quero ficar obcecada agora, quero viver um pouco minha vida e quando chegar a hora, eu coordenarei a empresa, mas por enquanto eu faço o que eu gosto. - ela deu de ombros, se levantando do balcão, pegando meu prato e o seu e levando.

  - Não precisa lavar. - falei me aproximando dela.

  - Não, tudo bem, deixa comigo. - ela falou e então eu deixei. Fui guardar ketchup que eu tinha pegado, mas apertei de mais e ele caiu na minha blusa.

  - Merda. - falei alto de mais e ela me olhou curiosa.

  - O que?

  - Me sujei. - falei, tirando a blusa, levando para a lavanderia.

 Bella vinha atrás de mim e eu podia ver de canto ela desviando os olhos de mim. Eu a deixava desconfortável e aquilo parecei legal.

  - Se importa de eu ficar sem blusa? - ergui uma sobrancelha.

  - Não, tudo bem. - ela disse.

  - Que assistir um filme? - perguntei.

  - Pode ser, mas antes, queria te pergunta uma coisa. - ela falou receosa, parecia com medo de perguntar.

  - Pode falar.

  - Arleyde me deixou a pá de tudo que esta acontecendo na sua vida agora - a não - e ela me disse que você tem alguém na sua vida. - ela disse me encarando e quando eu não disse nada ela continuo - Não precisa me contar quem é, mas eu preciso estar preparada para qualquer coisa. - respirei fundo antes de começar a falar do meu tormento.

  - O nome dela é Amanda e é uma coisa complicada.

  - Tudo bem. Desculpa. - ela abaixou o olhar e eu percebi que fui um pouco grosso com o meu tom.

  - Não, desculpa. Não queria ser grosso, é só que ela nada me perturbando. - esfreguei o rosto na mão.

  - Tudo bem, eu não posso me intrometer na sua vida.

  - Você pode e deve - falei, pegando sua mão em um ato distraído. A encarei por alguns segundos, sentindo seus olhos azuis vibrantes queimarem em mim, o tanto que o meu queimava em cima dela. Ela puxou a mão devagar.

  - Vamos assistir o filme? - Bella mudou de assunto, sorrindo.

  - Vamos, mas vai ser terror.

  - A não Luan, eu moro sozinha lembra? - ela disse manhosa.

  - Deixa disso e vem logo. - puxei ela até a sala.

 Nos sentamos no sofá, esparramados. Ela se assustou várias vezes e eu só conseguia rir dela quado ela escondia o rosto na almofada e até na hora que ela agarrou o meu braço. Sua pele gelada deu um choque de leve com a minha que estava quente, por mais que eu estivesse em camisa. Não a tirei dali e parecia que ela não estava disposta a me largar também.

 Um tempo depois percebi que ela estava calma de mais e vi que ela tinha pegado no sono abraçada ao meu braço e eu também estava bem cansado, então puxei o cobertor para nós e e deitei ao seu lado, ajeitando seu corpo perto do meu, até pegar no sono profundo do cansaço de uma viagem feita atoa.

 

P.O.V BELLA.

 

  Acordei com o peso dos braços do Luan em cima de mim e demorei um pouco para identificar onde eu estava, até me dar conta que eu estava largada no sofá da casa dele, dormindo com ele. Com a droga do meu chefe, eu estava dormindo com a droga do meu chefe, no sofá do meu chefe, na casa do meu chefe. Qual era o maldito do meu problema?

 Me virei para ele, sentindo sua respiração na minha cara, seu rosto estava perigosamente perto do meu e ele dormia tranquilamente ao meu lado. Tive pena de acordá-lo, mas passar a noite ali não era uma opção, muito menos sair e deixar a porta aberta.

  - Luan. - chamei ele, sacudindo um pouco seu corpo quente agarrado ao meu ainda. - Luan, acorda. - ele resmungou e coçou os olhos antes de abri-los definitivamente . Ele sorriu para mim, sem se mexer.

  - Acho que a gente dormiu.

  - Percebi isso, mas eu preciso ir para casa.

  - Ah sim. - ele disse se levantando, o que me causou um  incomodo por ter me acostumado com o braço dele em cima de mim - Eu te levo.

  -  Não precisa, eu moro na rua de trás, posso ir sossegada.

  - Não, faço questão e não discute. 

  - Ok. - ri dele.

 

 Ele pegou seu carro e me levou até me casa.

  

  - Obrigada pela noite e por me trazer para casa.

  - Tudo bem, um dia eu venho conhecer ela. - ele disse.

  - Pode vim.

  - Olha que que venho mesmo. - ele riu e eu ri junto com aquela risada fofa dele.

  - Esta convidado.

   - Que horas você vai trabalhar amanhã? - ele perguntou quando eu ia saindo do carro.

  - Vou as nove. Amanhã temos um dia cheio, não esqueça disso. - falei.

  - Não esquecerei. - ele sorriu - Quer carona para amanhã? - ele perguntou.

  - Vou ter que aceitar, deixei meu carro lá. - ele riu alto.

  - Cabeçuda.

  - A culpa não foi minha, você saiu todo apresado de lá.

  - Ta bom, sei.

  - Até amanhã Luan. - fechei a porta do carro dele.

  

  Entrei em casa e me joguei na cama, arranquei a roupa e dormi daquele jeito mesmo. Eu estava exausta de mais para por meu pijama.

 Luan estava ficando muito próximo e eu não sabia se isso era bom ou não.

 


Notas Finais


Gostaram?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...