História Café Exo Planet - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Tags Chansoo, Exo, Yaoi
Exibições 27
Palavras 2.462
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Álcool, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá pessoinhas, eu queria pedir para que vocês deem um sinal de piroka, mentira ou não, só estou pedindo para que vocês comentem.

Capítulo 3 - Um Filho.


Fanfic / Fanfiction Café Exo Planet - Capítulo 3 - Um Filho.

As coisas aconteceram em um piscar de olhos, antes mesmo eu estava no banheiro do shopping com o chanyeol e tinhamos feito uma guerra de agua, eu corri e me escondi em uma loja, ouvia o chanyeol gritar o meu nome, o que não deu certo por que eu não sairia da onde estava, nem a pau, humm pau sairia sim, a vendedora me olhava, disfarcei.

Estava segurando a rissada, mais a tentaçao foi maior, comecei a rir feito uma hiena, e ele me viu e entrou correndo na loja, quando eu corri para uma cabine da loja, não tinha para onde escapar, ele abriu a cortina e fechou e me prensou na parede.

- Você não vai fugir - soltei uma rissadinha.

Uma garota entrou na cabine "sem querer" ohei para ela para ver se tinha mais alguem observando essa cena, só tinha duas garotas acho que são exols, olhei para uma que tinha uma camiseta escrito "ChanSoo" quando chanyeol percebeu meu olhar para lá, beijei a sua bochecha.

- Que medo, Soo não esta me batento por eu estar fazendo isso e esta tendo a iniciativa, que fofo.

- já ouviu falar nesse ditado? "Se deus te dar uma piroka você não pode simplesmente ignora-la" - ele sorriu, e me beijou, ele pediu passagem para a lingua, cedi sem nenhuma hesitação estou amando a lingua dele na minha boca, tem gosto de cupcake, paramos por falta de ar.

- Eu te amo - ele disse, olhei para a sua boca que me chamava, a menina abriu a cortina e não fechou, algumas pessoas nos olhava estranho.

- já  chamamos muita atençao aqui - ele disse e me deu um beijo na minha testa.

Ele pegou a minha mão e saimos da loja.

- já compramos tudo, vamos embora - fomos, para fora do shopping agora só faltava falar com o meu appa ou o senhor D.o, entramos no carro e fomos direto pra lá.

           Quebra de Tempo

Meu pai fingia não me conhecer, sempre quando nossos olhares se encontravam um de nós sorria chanyeol é muito lezado por isso não entendia ele até comento que nós se pareciamos, chanyeol falava para o meu appa que precisamos de ferias e meu pai só concordava.

- Soo? - saí dos meus pensamos e olhei para o chanyeol, que me olhava preoculpado - Você esta bem? - assenti com a cabeça.

- Se esta com saudade do kim volta para ele - meu appa disse, bati com a mão na mesa.

- você sabe se é isso - chanyeol não entendia nada do que nós estavamos conversando.

- vocês se conhecem? - chanyeol perguntou inocente, meu pai gargalhou.

- Você é burro? Vocé ainda não percebeu que ele.. - o interropi.

- Não o chame assim, ele fica fofo sendo lezado - chanyeol fez biquinho

- não sei se você esta me ofedendo ou me elogiando mais obrigada - o chanyeol disse .

- já esta namorando no emprego KyungSoo? - meu pai rebateu, peguei na mão de chanyeol.

- Vamos chanyeol - falei e me levantei da cadeira.

- Não me deixa falando KyungSoo - meu appa disse, mesmo assim ignorei - Depois converso com o Suho, sobre essas ferias - saí batendo o pé, não aguentava isso, chanyeol sabia que eu não queria conversar estão não falou nada, fomos em silencio até o carro.

- vamos ver a sua irmã - falei, ele só assentiu.

Ele colocou no GPS o local onde ela esta morando, no caminho conversamos sobre ter uma familia, mais sempre que a conversava acaba em casamento ou filho, ficavamos em silencio ou mudavamos de assunto.

chegamos na casa dela, eu desci do carro, a casa dela parecia simples mais muito bonita, fomos até a porta e batemos.

- Quem é? - ouvi ela gritar, ela abriu a porta, quando me viu pulou em cima de mim, ou tentou por que ela não pode fazer esforço por causa da gravides.

- Trouxe ele aqui para te ver - chanyeol disse, vendo a cena - nossa queria que você me abraçasse assim quando me ver - chanyeol disse, ela olhou para ele com raiva.

- pode entrar Soo - pedi licença a casa era muito bonita, e decorada - nunca mais te vi, você esta bem? Se formou em que? Namora? Ainda é ignorante com as pessoas? - não sabia por onde começar.

- estou otimo, me formei em medico mais dessisti, acabei de terminar um namoro de 2 anos, ainda sou sim ignorante, e vc? Cade o seu marido? Esta bem? -fiz uma pausa para respirar - Como é ter um ser na barriga? Formou em que? - ela deu uma rissada abafada.

- era estranho ter um filho, mais já me acostumei, meu marido esta trabalhando - chanyeol olhou com raiva para ela, não entendi então ignorei, ela continuou - é maravilhoso senti o chutes dele, me formei em dontologia, estou dando uma pausa agora por causa do bebê mais espero continuar,  e vocês estão juntos? - me engasguei com a agua que eu estava bebendo, Chanyeol sorriu.

- não - disse, ela deu uma rissadinha.

Ela contou o que aconteceu depois que saiu do hospital, e que agradece pelo o que eu fiz, eu falei que ela não precisava agradecer, depois de nós termos conversado.

eu acabei dormindo estava cansado, não tinha dormido por causa do kim, senti chanyeol me pegar no colo, coloquei a cabeça no seu peito, é quente e confortado, ele me colocou em uma cama, senti ele se afastar.

- Channie - disse manhoso, ele estava parado na porta - dorme comigo aqui - fiz biquinho, ele se deitou do meu lado, e eu o abracei.

- Boa noite Soo - sonhava com o acidente e ele se repetia, mais de um jeito eu me sentia seguro, ouvi um barulho de flach, abri meus olhos, vi a irmã do chanyeol tirando foto de nós, chanyeol dormia feito uma pedra.

- depois vocês fala que não tem nada - ela disse, me levantei da cama - Bom dia - ajudei ela a descer as escadas, mais não tinha sinal nenhum do marido dela, nós se sentamos na cadeira, na mesa estava o cafe da manhã, mais lindo e bem feito que já vi, comecei a comer algumas coisas.

- Cadê o seu marido? - falei de boca cheia, ela suspirou.

- Meu ex: marido me abandonou ele achava a ideia de ter um filho louca, ele trabalha muito e uma criança para ele é muito caro, por causa das compras, eu pedi o divorcio e sou uma mãe solteira, que tem um filho que vai ser bastante mimado, ele já tinha ido embora não deu tempo para mim contar do filho dele, já tentei procurar ele, mais nada - olhei para ela com pena, coitada, deve ser bastante dificil - vamos comer!

- Tambem quero - chanyeol brotou na porta, ele se sentou do meu lado - eu decidi procurar o ex marido dela para contar sobre o filho, mais ela não deixa, você é tão teimosa - ele fez biquinho, coloquei a minha mão na sua perna, ele me olhou, e o meus olhos estavam cheios de lagrimas, não percebi que estava chorando.

- Eu quero um filhotinho - ele me abraçou, era engraçado se nós visse por um lado, mais eu quero uma criança para chamar de minha, mimala, e dar tudo o que eu não tive, acho que o chanyeol talvez ele seja o pai dela, quando eu adotar.

- Vamos chamar ele de mini corujinha - sorri, por ter amado o apelido dele, ouvia a irmã dele gritar.

- CHANYEOL!! - ela olhava para ele com raiva.

- eu sei maninha nós ja paramos com a melação - olhei para o chão que estava cheio de agua.

- NÃO É ISSO SEU BANANA, POSTE DUMBO, POSTE SEM... AIIII MINHA BOLSA ESTOUROU CACETE, SEU... - me levantei correndo para ajuda-la - OBRIGADA SOOOOOO, CHANYEOL QUANDO EU SAIR DO HOSPITAL EU VOU FAZER VOCÊ COMER PAÇOCA - dei rissada, levamos ela para o carro correndo.

Peguei os domumentos que estava na sala já ali para que se algo acontecesse, chanyeol a levou de carro, em quanto eu brocurava a bolsa do bebe e algumas roupinhas, ouvi a capainha tocar, desci as escadas e abri a porta, vi um garoto ali alto.

- Olá - ele me empurrou para o lado e entrou na casa, folgado - Moço você não esta na casa das suas negas para entrar na casa dos outros assim - ele me olhou com raiva.

- A onde a Park esta? - ele falou com um sotaque, é chines, eita ele chamou ela pelo sobrenome então a coisa é seria.

- Foi para o hospital ter o filho dela - ele me olhou surpreso.

- Quem é o pai? - ele pergunto, esperando a minha resposta.

- Moço eu adoro fofoca mais nem sei quem é você - ele arrumou a postura.

- Sou o ex marido dela - minha boca se formou em um "o"

- Caralh... Desculpa a palavra certa é cacete! Você que é o pai sua mula, você vai voltar com ela e assumir o filho? - ele deu um soco na mesa da sala.

- Eu.. Ela... por que ela não me contou? - ele falava para ele mesmo.

- Por que você já tinha ido embora Zé gotinha - ele sorriu, se levantou para sair segurei o seu braço.

- Eu vi que você tem carro, me da uma carona para o hospital para mim levar a roupinha do seu filho que parece que você não vai assumir - sou lezado mais não sou trouxa, ele revirou ou olhos.

- eu vou assumir e eu não devo satisfaçao para você Pororo - bufei, ao ouvir o apelido.

- você quer morrer pois acabou de desperta em mim o SatanSoo -  peguei as coisas saimos e entramos no carro, fomos para hospital, tentei puxar conversa com ele.

- Qual é o seu nome? - ele me olhou por um segundo, mais depois voltou a olhar para estrada.

- Kris - ele disse, olhei para ele.

- você é o ex: integrante do exo? - ele assentiu, WoooW, chegamos no hospital desci o carro com ele, e entramos no hospi, vi o chanyeol esperando na sala de espera.

- Oi channie - ele levantou e me abraçou - ela esta bem?

- Sim, Só com alguns problemas mais normal.... O que você... - ele tentou ir para cima do kris, empurrei

- Calma Channie - ele respirou fundo - o kris esta aqui em paz, ele vai assumir o filho - olhei para o kris - né?

- Acho que sim se é meu eu tenho que assumir, Chanyeol calma - ele falou triste - eu não queria isso, não estou falando do bebe, mais ter ido embora eu amo ela muito, voltei por que não aguento ficar longe dela, ela é tudo para mim, esse bebe vai ser o meu filho o meu - ele falava como se isso fosse maravilhoso e é, chanyeol assentiu, e conversou um pouco com ele.

- Chanyeol nós tem que voltar ao trabalho aposto que o suho vai ficar bravo - ele me abraçou.

- Eu avisei para ele, ele disse que esta tudo bem e que falou com o D.o o dono da empresa  - me arrepiei - ele é o seu pai, eu lembro que na escola tinham ja comentado isso - olhei para baixo, ele colocou a mão no meu rosto - vamos adotar um filho? - Achei a ideia maravilhosa, mais aí eu pensei.

  1. Chanyeol não é o meu namorado
  2. Nem somos casados
  3. Eu nem sei se amo ele.

- Chanyeol eu quero um bebe mais do que você, mais nós não somos namorados, eu sinto sim grilinhos na minha barriga quando te vejo, sinto uma vontade de te beijar quando você é sexy, lembro que teve um dia no colegial que eu bati uma... - Tossi - pensando em você - ele não entendou o que eu disse, e me olhou com cara de cu - eu te amo lezado - ele me pegou no colo, como se acabamos de casar - Okay eles já entenderam que estamos juntos - ele me colocou no chão e me beijou.

- Ele aceitou namorar comigo - ele gritou no hospital, o medico pediu para ele não gritar, as pessoas bateram palmas, corei fiquei igual tomate, chanyeol me abraçou - desculpa pororo.

- te amo - disse, a enfermeira nos chamou, olhamos para ela.

- é um menino e uma menina e os dois são saudaveis, mais ela esta fraca por causa do parto, ela já tinha perdido sangue em um acidente de onibus antes e agora ela perdeu mais, ela esta muito fraca - meu coração ficou apertado, chanyeol estava chorando com o kris.

- posso ir visitar ela? -chanyeol perguntou chorando, peguei na mão dele e sussurei um " eu estou com você" 

- ela disse que quer ver o kyungSoo - chanyeol suspirou, e me deu um sorriso triste.

- Pode ir lá, eu espero - ele falou com a voz tremula.

- Chanyeol hoje pode ser a ultima vez que você pode ve-la - ele assentiu, e beijou a minha testa.

- mais é a vontade dela então vai rapido - eu assenti e segui a enfermeira até o quarto dela, ela estava palida na cama me olhando.

- O kris esta qui e se ele não assumir vou dar na cara dele - ela deu rissada, mais depois começou a tossir, me aproximei dela

- eu quero que você e o chanyeol cuide das crianças, eu queria dizer que quando estavamos no colegial eu fiz de proposito aquelas coisas para receber o tapa na cara, só para você não ficar com o channie, eu achava você ignorantem frio, sem coração, mais agora eu vejo que ele se apaixonou por esse seu lado, cuide deles, da um tapa na cara do kris por mim - ouvi aquilo fez o meu orgulho quebrar, uma lagrima desceu no meu rosto, ela pegou na minha mão - fala para o chanyeol que eu o amo e que "uma ave tem que parar de voar um dia" ou "um passaro não vai poder cantar para sempre" nossa omma falava para nós isso, eu o a... - a cor dos olhos dela perdeu o brilho, eu comecei a gritar, abracei ela com força, a emfermeira entrou com o chanyeol e o kris, eles choravam, em quanto eu a tinha nos braços.

- Não façam barulho, ela esta dormindo - eu disse para eles.


Notas Finais


Foi isso, o proximo cap estou pensando em fazer JonBaek.
Bye.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...