História Caídos no Inferno II - O Pesadelo Volta à Vida - Capítulo 24


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 6
Palavras 3.075
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Científica, Lemon, Mistério, Policial, Romance e Novela, Sci-Fi, Survival, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 24 - Lucian


Pessoas e mais pessoas riem e bebem no salão.

Homens dos mais diversos, muito bem vestidos e acompanhados de lindas mulheres que Alex acredita que sejam prostitutas de luxo. Alguns até mesmo possuem guarda-costas próximos a si.

Observando receosa por detrás de uma parede, ela não sente a mínima vontade possível para querer adentrar a multidão.

Além de tudo, a respiração pesada de Greta que a vigia incessantemente apenas contribui para o desconforto e a sensação ruim que ela sente.

Nem sinal de Nicholas.

Como o médico é o anfitrião, deixou Alex aos olhos de Greta para receber seus visitantes e sumiu no meio das pessoas. Apesar disso não a impediu que andasse livremente por ali, ela não vai por vontade própria.

Trajada no vestido azul dado por Nicholas, com os cabelos impecávelmente arrumados e uma leve maquiagem marcando seu rosto, Alex apenas queria estar em casa  jogada no sofá usando um moletom velho.

Ela não precisa estar entre eles para perceber que são a escória da sociedade. O modo como eles riem, bebem e apalpam suas acompanhantes descaradamente revira o estômago de Alex. Não se surpreende que Nick esteja no meio deles como também estranha o fato de ele ser um pouco mais 'refinado'.

"Escutem aqui seus vermes inúteis! Eu disse com todas as letras que não queria saber de pessoas invadindo minha propriedade enquanto eu estivesse fora." A figura que mais se destaca no campo de visão dela vem na direção do corredor onde Alex observa, gritando ao telefone. Ao longe ela apenas pode perceber que se trata de uma pessoa baixa, pouca coisa maior que ela, de terno bordô, de cabelos muito curtos e negros e que possui uma máscara preta que cobre completamente seu rosto. "Eu saio por 12 horas e isso vira um circo! Se livrem deles agora ou eu não só vou cortar o salário de vocês como vou cortar vocês ao meio junto!" Quando a pessoa se aproxima Alex se surpreende ao perceber dois volumes sutis na região do peito, e podendo ouvir mais claramente a voz com um leve tom afeminado, ela chega a conclusão de que trata-se de uma mulher. E pelo trecho da conversa que pode ouvir, também conclui que é alguém de poder e não uma capanga ou acompanhante.

Sem cerimônia alguma, ela se recosta na parede, acende um cigarro e passa a mão nos cabelos caprichosamente penteados para trás.

Alex está totalmente intrigada, não esperava ver uma mulher ali como não esperava ver uma mulher com estilo tão exótico.

Depois de uma leve risada, a mulher estranha volta seu olhar para as duas que estão paradas ali.

"Deixa eu adivinhar… a branquela esquisita da boca tapada é um dos mascotinhos do doutor, e você deve ser… hum? não tem nada errado com você…" O passo que ela dá para frente faz Alex recuar um. Essa mulher estar ali já é motivo para precaução. "Hey! Não tenha medo de mim… você é gatinha demais pra eu fazer algo ruim com você… deve ser por isso que o Nicholas não te estragou… deve ser mais interessante intacta." com uma mão no bolso e o cigarro entre os dedos da outra, a mulher avança de maneira suspeita sem tirar os olhos de Alex.

Greta assiste a cena sem fazer ideia do que está acontecendo, ainda não presenciou algo do tipo.

"Você deve ser a putinha do doutor, não é?" Alex que estava desviando o olhar agora franze o cenho, encarando a outra que a encurralou e mantém sua mão na parede ao lado da cabeça dela.

"Eu não sou putinha de ninguém!"

"Ah então você fala… se você não é a de ninguém então que tal ser a minha esta noite?" A expressão ilegível que tomou conta do seu rosto tira uma gargalhada da outra. Alex nunca recebeu esse tipo de aproximação indecente por parte de outra mulher.

"Eu… eu vou procurar o Nick…" sem olhar para trás, Alex deixa a outra mulher rindo sozinha enquanto sai a passos apressados em direção ao salão cheio.

O cheiro de tantos perfumes misturados ao de álcool e suor apenas deixam o lugar mais desconfortável.

Ela anda com os olhos no chão evitando encarar as pessoas ali presentes.

Nem mesmo a voz de Nicholas é audível. Ela não faz ideia de onde ele está e apesar de se odiar por estar o procurando, admite que estar perto dele é consideravelmente mais seguro neste momento.

No caminho, Alex nunca desejou tanto em sua vida ser surda. As atrocidades que ela ouve as pessoas falando tão naturalmente a fazem querer vomitar sua última refeição ali mesmo. Por mais que tenha um tempo considerável de convivência com Nicholas, ainda não está acostumada com as monstruosidades.

"Ethan morreu, é por isso que a mansão é minha agora." Com um pouco de esforço, ela reconhece a voz do médico não muito distante dali. No entanto, na pressa de ir até lá, acaba se esbarrando em um homem alto e bêbado.

"Ora, ora! o que temos aqui?! Uma princesinha perdida." Outra vez Alex da de cara com alguém de intenções visivelmente nada boas. "Está procurando alguma coisa? Eu posso te ajudar?"

"N-não… quer dizer eu estou procurando uma pessoa, com licença!" Na tentativa de escapar da situação ela anda apressada no entanto é segurada firmemente pelo pulso.

"Onde pensa que vai? Não terminamos de conversar." Em meio a gargalhadas dos que assistem a cena, Alex tenta se desvencilhar das mãos do homem que a segura com força.

"Me solta… Nick!" Sem outra escapatória ela apenas o chama na esperança de que ele ouça e faça algo.

As risadas dão lugar ao silêncio.

O homem parece perceber a aura maligna presente atrás dele e imediatamente solta a mulher.

"Greta!" O grito de Nick é furioso e a menina albina não demora a aparecer ali. "Eu deixo ela pra você vigiar por míseros minutos e quando eu pisco já tem um porco podre e nojento encostando as mãos imundas nela. Leve-a daqui e dessa vez faça seu trabalho direito." Sem nenhum tipo de delicadeza, os dedos finos de Greta dão a volta no pulso de Alex e ela a arrasta de volta para onde estavam.

Alex não olha pra trás ao ouvir o grito de dor que ecoou quando ela saiu. Não precisa olhar para saber que Nick não gostou da ousadia do homem.

"Fica… aqui." com um pouco de esforço e falando pausadamente, greta consegue formar uma frase entendivel para Alex. Os dentes pontiagudos não permitem que ela fale com clareza por isso ela evita fazê-lo.

"Ele me derrubou champagne… será que podemos ir trocar de roupa?" Greta revira os olhos azuis. Alex sabe que não ela não está gostando de ter que fazer isso.

Depois de uma demorada troca de roupas, Alex anda a passos lentos pelo corredor, Greta a acompanhando silenciosa. Em seu interior, a morena teme o que pode acontecer com ela nas próximas horas da noite já que Nicholas irritado é totalmente destrutivo com qualquer coisa.

"Greta você sabe onde ele deve estar?" A menina acena negativamente.

Mais alguns passos e ela consegue ouvir a conhecida risada. Eles estão na sala de lazer.

"Vamos observar pela porta..." antes que ela vá em direção a porta, Greta a segura, apontando para a porta do cômodo ao lado.

"Outra… porta." Alex havia esquecido que havia duas entradas para esta sala.

Discretamente, as duas abrem um pequeno vão por onde tentam descobrir o que está acontecendo ali.

"Você enxotou todo mundo da mansão em meia hora... você está completamente louco Nicholas." Sentado na poltrona em frente a lareira, um homem desconhecido de sobretudo azul e vermelho fala. Atrás dele há um outro homem, robusto e de roupas escuras. Alex supõe que seja seu capanga ou mordomo.

"E você está mais sério que o normal hoje Lucian… vamos, se alegre! Faz quanto tempo que não nos reunimos?" Nicholas, sentado na mesa de bilhar diz rindo para o homem. Apesar da combinação diferente e chamativa de cores de suas vestes e de ter visivelmente tido a metade direita do seu rosto queimada há um bom tempo, não é isso que chama a atenção de Alex e sim o fato de que ele está tomando chá com um canudinho.

"Oh claro! Até porque amo estar nesse fim de mundo na companhia do doutor Freinkeinstein psicopata com retraso mental e da porca satânica." Mesmo que o chamado Lucian tenha dito em um tom sério, Nicholas e a mulher de máscara que alex encontrou antes se acabam em gargalhadas o fazendo revirar o olho.

"Ah não seja tão ranzinza… essa pode ser a última vez em que estaremos todos juntos."

"Do que você está falando Rachel?"

"Não te avisaram Nick? O nosso amado menino de duas caras está se aposentando."

"Como é? Porque ninguém me disse nada sobre isso?" O sorriso de canto que Lucian agora sustenta contrasta com a expressão séria e surpresa de Nicholas.

"Se você não estivesse ocupado com joguinhos e vinganças idiotas você saberia que eu ja terminei meu trabalho. Ao contrário de vocês dois eu não gastei meu tempo brincando." É quase imperceptível a maneira diferenciada com que Lucian pronuncia as palavras. Mesmo que fale normalmente, em algumas palavras escorrega e um leve dialeto que Alex deduz ser francês aparece.

"Será que todo o lixo sai da França?" Inconscientemente ela sussurra atrás da porta, no entanto foi baixo o suficiente para ninguém ouvir. Greta sempre ali. Sua presença nem incomoda mais Alex, está acostumada com a nova sombra.

"Você sempre muito focado. Não me surpreende que tenha terminado antes de mim. E o que vai fazer agora?"

"Nada. Vou continuar tocando o circo como já estava fazendo e quando o dia chegar eu sentarei e assistirei. E sugiro que os dois comecem a trabalhar sério também."

"Vocês dois virgula. Eu já faço meu trabalho que é limpar a bagunca e fazer o que a Mama manda. A diferença é que me divirto no trabalho. Pra um homem que convive com palhaços você é sério demais Lucian." A mulher chamada Rachel remove a máscara, revelando um rosto surpreendente bonito, delicado e marcado por varios piercings.

"Eu não sou um dos palhaços. Eu estou muito bem sendo eu mesmo. Antes isso do que ser um retardado igual o senhor doutor que ri até do vento ou alguém como você que só falta transar com os postes." O desprezo do olhar de Lucian diz que apesar de ser tratado como um amigo pelos outros, ele não sente o mesmo por eles.

"Ah, vamos, dê um sorriso… ou pelo menos metade dele." Nicholas se diverte irritando pessoas, com Lucian isso se eleva a outros níveis já que é perceptível para qualquer um que ele tem pavio curto. A região da boca do homem também é afetada pela cicatriz enorme e apenas metade dela se move normalmente.

"Se você sorrisse mais quem sabe as pessoas ignorariam sua cara feia e teriam interesse em você. Você transaria e melhoraria esse seu mau-humor." Rachel também entra na brincadeira mostrando que é tão baixo nível quanto Nicholas.

"Escute aqui cadela pervertida adoradora do diabo, ao contrário de vocês eu não tenho interesse em coisas desse tipo. Tenho coisas maiores pra me preocupar do que algo tão futil quanto sexo e relacionamentos." Visivelmente perdendo a paciência com os dois, Lucian volta a tomar seu chá sem manter contato visual. Alex está assistindo curiosa porque sabe o que sempre acontece quando Nick provoca alguém. "Aliás, seu pedaço de lixo, se você pensasse com a cabeça correta não estaria correndo o risco de nos colocar em uma enrascada sem tamanho. Você está envolvendo gente demais nisso. Vai acabar se matando e encrencando todo mundo por causa de uma merda de uma mulher que você já deveria ter matado há muito tempo." Não importa quanta informação Alex receba, nada faz sentido na cabeça dela.

"Ah eu queria ver onde isso vai dar mas minha carona está chegando… até logo ou até nunca mais meninos, vou sentir saudades." Se direcionando a porta de saída, a mulher não possui cerimônia alguma em sua despedida, no entanto, assim que abre a porta, lança um sorriso de canto e um olhar direto ao vão da porta por onde Alex está espiando fazendo um arrepio correr a espinha da mulher. Alex não entende como Rachel sabia que ela estava observando.

A saída dela foi totalmente ignorada pelos dois que continuam sua calorosa conversa.

"Você é tão pessimista. Eu apenas quero jogar um pouquinho com as pessoas que estragaram meus planos. Logo eles estarão debaixo da terra e eu voltarei ao trabalho. Agora me responda uma perguntinha que sempre tive curiosidade Lucian… você não tem atração por pessoas mesmo ou isso é só porque você não tem…" a xícara que Lucian segurava vira derramando todo seu conteúdo e o olho que não está coberto por pele queimada se arregala.

"Não ouse terminar essa frase Morgan!" Seus dentes estão cerrados, Alex não entende o porquê mas Nicholas parece ter atingido alguma ferida dele.

"Por que Lucian? Ou será que eu deveria te chamar de Lucianne?" Por estar com os olhos fechados ao dizer isso, Nicholas Morgan nem percebeu quando a xícara de porcelana atingiu em cheio a maçã do seu rosto. Entretanto, isso ainda não foi suficiente para tirar o sorriso de seu rosto. Nem a xícara e nem o cetro do homem que acerta o mesmo lugar em seguida.

A boca de Alex faz um perfeito 'o' enquanto que os olhos de Greta quase saltam das orbitas em puro ódio quando as duas assistem a cena que sucede.

Draco na intenção de defender seu mestre avança na direção de Lucian, porém este se mostra bastante habilidoso com seu cetro e não leva mais que 5 segundos para deixar o mais jovem no chão.

Niel também tenta demonstrar serviço mas o homem do rosto queimado é mais rapido e surpreendentemente forte. As mãos de metal do careca não são nada comparados a destreza de Lucian.

"Agora senhor doutor verme doente… talvez eu devesse te ensinar um pouco de respeito. Ou melhor, talvez eu devesse quebrar todos os seus dentes assim não terei que ver esse sorrisinho cínico nojento nunca mais. Seria melhor ainda se eu te matasse logo não é?" Mesmo que Nick seja muito maior, Lucian não tem dificuldade alguma para, agora, enforcá-lo com seu cetro.

Nick continua rindo, se divertindo com tudo. O que faz Greta atingir o ápice do seu ódio e também ir defender o homem que tem seu coração. Todavia, apenas um golpe é suficiente para que ela junte-se aos colegas.

Alex não está gostando do rumo que as coisas estão tomando. Não sabe o que esse homem é capaz de fazer com ela se ele matar Nicholas.

"Você não deveria nem ter nascido." Um pequeno dispositivo é apertado por Lucian e uma parte do sua 'arma' se solta, revelando uma longa e pontiaguda lâmina de metal escondida ali. Alex percebe que é o momento de impedi-lo de alguma maneira.

"Nick!" Sem saber o que fazer ela apenas corre na direção do que está caído, fazendo com que Lucian fique confuso. Ela sabe que se fosse na direção dele não teria chances.

"Que merda é essa?"

"Por favor abaixa essa coisa… eu sei que ele é retardado, insuportável e irritante mas não… não precisa matar ele. Só uma boa surra já é suficiente pra ele calar a boca…" Alex teve dificuldades em dizer isso. Internamente o que mais queria era ver o médico empalado pela lâmina. "Você tá bem?… porque t-ta me olhando assim?" Nicholas a encara surpreso.

"Não… não é nada."

"Meu Deus isso é muito ridículo. Defender o homem que deve fazer o que quer com você. É desprezível. Estocolmo me enoja. Não quero me sujar com sangue de vadia retardada." Depois de estalar a língua, ele guarda sua lâmina e vira as costas.

"Estocolmo? R-retardada?"

"Sim, você é uma retardada com estocolmo. Completamente retardada. Quando ele enjoar de você vai te matar. É o que ele sempre faz. Se interessa em um rostinho bonito e quando enjoa mata, fim. Você vai morrer e vai ser logo." Alex não se sentiu confortável em ouvir isso. Se Lucian estiver certo ela deve fugir o mais rapido que puder. "Pelo que me disseram você era casada não é? Ele deve ter matado a pessoa que você provavelmente amava e agora você está defendendo ele. Eu nem te conheço e já estou com nojo de você!"

Alex não sabe o que dizer. Mesmo que não queira ele provavelmente tem razão e a realidade dói. O que ela está fazendo agora é apenas adiar sua morte.

"Eu vou sair daqui. Esse lugar me irrita. Vou fazer o que vim fazer e depois vou embora. E Nicholas Morgan eu te odeio."

"Você não deveria dizer isso. Se não fosse meu pai você teria morrido a muito tempo."

"Exato. Se não fosse seu pai. Não devo nada a você. Não te matei ainda porque apesar de você ser uma merda a Mama ainda precisa de você. Se o senhor Andrew e sua mãe estivessem vivos teriam morrido de desgosto ao ver o lixo que eles pariram... Marcel!"

A porta bate e as presenças do misterioso homem queimado de roupa colorida e seu colega não são mais sentidas.

Um silêncio desconfortável se instala.

Nicholas não faz nada que não seja encarar Alex que agora senta no chão e olha para o nada.

"Mestre você está bem?" Niel é o primeiro a ir até Nicholas e estender a mão metálica para ajudá-lo a se levantar. No entanto ele recusa a ajuda e se volta a Alex fazendo o mesmo.

"Não faça mais isso. Não seja tão inconsequente. Ele... Ele poderia ter te matado. Lucian é perigoso." Ele nem parece se importar com o rosto que sangra e tem um olhar totalmente preocupado.

"Greta!" Draco sacode desesperado sua irmã desacordada. "Senhor! Ela não acorda! O que eu faço?"

"Eu não sei! Jogue água no rosto dela, deve resolver." Apenas quando algumas gotas de sangue caem no chão ele percebe que seu rosto está ferido. "Merda! Ele não sabe brincar… esse homem não tem paciência. Eu vou resolver isso. Greta está apagada, pode andar sem ela. Se se encontrar com Lucian não se preocupe porque ele não vai tentar te matar, ele deverá estar mais calmo. Ele não mata ninguém se não tiver um bom motivo ou se não tiver irritado."

"Onde você vai?"

"Estarei no meu escritório. Só te pedirei que não fuja... por favor.

"O-ok" a suavidade anormal nas palavras de Nick faz uma faísca de ideia começar a se formar em sua cabeça. Algo completamente arriscado, mas que se for bem trabalhado poderá garantir a sua liberdade.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...