História Caindo na real - Capítulo 15


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Tags Camila Cabello, Camila G!p, Camren, Camren G!p, Fifth Harmony, Lauren Jauregui
Exibições 1.298
Palavras 1.358
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Hey pessoinhas!
Vamos fazer a mini-maratona. 3 caps de mais de 1000 palavras.
Até o próximo.
1/3

Capítulo 15 - Vontade


POV Lauren

Estava no meu apartamento, Camila estava fazendo massagem no meu pé, que estava sobre a barriga dela. Estávamos nuas no sofá da sala, tínhamos voltado das compras e após vários amassos em provadores, não aguentamos nem chegar ao quarto. 

- Amor... Já são seis horas. Vamos nos arrumar logo. 

- Lo... Eu não quero ir. 

- É obrigatório, amor. Mani disse que não posso deixar você desistir. – Ela escorou a cabeça na guarda do sofá e levantei, me ajeitando para sentar sobre o quadril dela. Ela gemeu, levando as mãos até minha cintura e apertou ali. – Você está muito tensa, pequena. Está acontecendo algo que não me contou? – Ela me encarou... Por longos minutos e depois começou a chorar. 

Fiquei desesperada, demorei a puxar os braços dela e a fazer sentar, para abraçar ela forte e esfregar suas costas. 

- O que houve, minha pequena?

- Nada... 

- Você não chora por nada. 

- Estou com vontade de fumar e muito vontade de fumar. Não tem noção, Lauren. – Ela afastou as mãos de minhas costas, senti o tremor intenso e limpei as lagrimas dela. 

- É muito difícil, Camz. Parece impossível, mas não é. Você é forte e esta indo tão bem, estou com você, amor. Não fique assim. Eu estou aqui. – Comecei a beijar o rosto dela, repetidas vezes e a abracei. Quando ela se acalmou um pouco, fui buscar um pouco de água e ela bebeu tudo. 

- Desculpe. – Eu selei nossos lábios. 

- Nem pense em se desculpar. Amigas antes de tudo? Lembra? – Ela assentiu. – Obrigada por confiar em mim, pequena. É que você tem trabalhado muito, precisamos sair um pouco mais, precisa se distrair. 

- Talvez você tenha razão. Preciso de um novo hobby. 

Ficamos conversando, depois achei melhor não irmos a tal festa, mas ela disse que ter conversado comigo já ajudou muito na angustia dela. 

...........................................................

Estávamos no carro e em frente ao salão de festas. Camz remexia as mãos nervosamente e eu as segurei. 

- Podemos voltar para casa. 

- Não posso afrontar o Keaton. – Não entendi porque seria afronta, mas não a questionei. Na verdade, ela ficava muito inquieta quando eu pronunciava o nome dele e evito a partir disso. 

Sai do carro e fiz a volta, abrindo a porta para ela. Segurei a mão dela e ela se apoiou para descer da picape. Entramos no salão. 

- Hey! Sorriam! – O fotografo da festa disse e nós nos posicionamos. Logo um flash. – Obrigado. 

Assentimos e caminhamos pelas pessoas. Encontramos uma mesa perto da janela e sentamos ali. Aproximei minha cadeira ao máximo da dela e segurei sua mão por baixo da mesa. A moça que registrava presença entregou a máquina a Camila que pressionou o polegar ali. 

- Obrigada, Srta Cabello. Aproveite a festa. 

- Obrigada, Meg. – Ela assentiu e saiu dali. 

- Não está nada mal. – Ela disse e me encarou. 

- Está bem decorado. – Os garçons vieram com bebidas. – O que não tem álcool aqui?

- Nada, sra. 

- Pode nos trazer algo sem? – Perguntei e ele assentiu. 

- Só vou distribuir esses. 

Mani entrou com uma mulher linda ao lado, acenou para nós e depois da foto, se aproximou, sentando a nossa frente. A moça da presença repetiu o processo com as duas e agradeceu. 

- Amor.. Essa é Dakota. Dakota, essa é Lauren, minha namorada. – Ela me estendeu a mão e eu a apertei. 

- Prazer. – Ela sorriu, parecia tímida e voltei a segurar a mão de Camila. 

Quando Keaton subiu ao palco, fiquei me perguntando o que eu tinha na cabeça por considerar ele como partido. Ele não era bonito, não tinha nada de especial dentre as outras pessoas. Sorri negando, como fui idiota. Olhei para Camila que me encarava fixa. Me inclinei e selei nossos lábios, ela sorriu e voltou a atenção ao palco. 

- Boa noite, pessoal. A lista de presença está completa, estão todos aqui e queria agradecer pela colaboração. Vou premiar o funcionário do mês logo, pois assim aproveitaremos o resto da festa sem compromissos. – Ele foi aplaudido, mas como ninguém da nossa mesa o fez, me mantive imóvel também. – Esse ano vai ser diferente, já que a Cabello excedeu seus limites... – Eu fiquei em choque quando ouvi aquilo e a sala ficou em um silencio mortal. – Ela não é a vencedora deste ano. Por indicação unânime dos colegas, Normani vai levar essa belezura para casa. – Eu fiz menção em levantar, mas Camila segurou minha mão.

- Ele não pode falar assim...

- Não me importa, Lauren. Ele não está mentindo.

- Ele não pode falar merda e ficar por isso mesmo. 

- Eu estou bem, Lauren. Sério. Não ligo, nosso amiga ganhou. – Eu virei e vi Mani segurar o pequeno troféu na mão. 

- Obrigada aos meus colegas, mas esse premio é da Camila. Ela é o que move essa equipe, não vejo ninguém fazer nada sem consultá-la. Camila é um exemplo de superação e de profissional. Alguns comentários desnecessários não vão diminuir o quanto ela é importe para cada um de nós aqui. Esse é seu, Camila. Como sempre foi e sempre vai ser. – Mani disse e levantou o troféu, fazendo com que o salão quase fosse abaixo de tantos gritos. 

Normani ficou  ao lado de Camila, elas estavam emocionadas e entregou o troféu a ela, depois se abraçaram e Mani falou varias coisas no ouvido de Camila. Depois elas viraram o evento, foram cumprimentadas e eu fiquei sozinha na mesa. 

- Vou retocar minha maquiagem, Lo. – Ela me disse e eu assenti. Ela e Mani saíram,  Dakota continuou na rodinha que elas estavam e eu chequei meu celular.

Quando voltei minha atenção para frente, estava Keaton me encarando de uma forma que me deu nojo... E medo. 

- Amiguinha da Camila...

- Lauren... Namorada da Camila. E odiadora oficial do seu discurso idiota…- Ele ficou me encarando, sem o sorrisinho da chegada. 

- Namorada? 

- Sim. – Demorei a levantar a mão e mostrar a aliança. – Comprometidíssimas. 

- Meu discurso foi impecável. 

- Não. Ele foi para desmoralizar Camila.

- Não sabia que era segredo a internação. 

- Não é segredo, mas não se expõe alguém assim. 

- Olha... Acho que você tem vergonha de ter a namoradinha viciada, mas já pensou em trocar ela por algo mais... A sua altura. Tipo... Um empresário rico e lindo. 

- Tipo... Você? – Ele assentiu e piscou para mim. Eu soltei a gargalhada, atrai atenção até do moço do som no outro lado do salão. – Eu trocar a Camila por você? Em que mundo você vive?

- Não fale como se não tivesse se interessado um dia...

- Foi o maior erro ter sido tão iludida, mas acho que se conversássemos mais cinco minutos...

- Teria ido para cama comigo. Estaria de quatro até agora... – Eu desferi um tapão no rosto dele, ele sorriu e olhou para os lados. – Sorte sua que ninguém viu, mas gosto disso. Mulheres violentas são as melhores de foder... – Eu fui acertar outro tapa nele, mas ele segurou minha mão.

- Graças a Deus por nunca ter ficado com você. 

- Você vai agradecer muito mais depois de ficar. – Ele olhou por cima do meu ombro e sorriu. – Quero ver a reação da sua namoradinha quando nos ver dividindo mesa. 

- Eu quero ver a sua reação... – Eu disse e assim que Camila sentou ao meu lado, nem a esperei falar, apenas a puxei para um beijo... Intenso. Ela nem demorou a retribuir, logo suas mãos estavam emaranhadas ao meu cabelo. Mordi o lábio inferior dela entre os dentes e soltei devagar. Keaton estava com a expressão raivosa.

- O que houve? – Camila perguntou folegando. 

- Seu chefe está com dificuldades para entender que estávamos namorando. Só demos uma ajuda visual. – Ele levantou, deixou o cigarro sobre a mesa e ajeitou a gravata. 

- Isso não vai ficar assim, Cabello. 

Ele disse e logo depois saiu. Fiquei sem entender e com medo... Talvez eu tenha metido ela em encrenca, joguei o cigarro pela janela e Camila me puxou para outro beijo... Acho que despertei minha namorada e ela pareceu não se preocupar com a ameaça. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...