História Caindo na real - Capítulo 22


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Tags Camila Cabello, Camila G!p, Camren, Camren G!p, Fifth Harmony, Lauren Jauregui
Exibições 2.134
Palavras 1.139
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Hey pessoinhas!
Qualquer erro...
Boa leitura!

Capítulo 22 - O retorno


Após uma semana, já havia redecorado meu apartamento e renovado meu closet. Meu celular começou a tocar, corri e pulei na cama para pegá-lo. Ver Roger piscando na tela me fez revirar os olhos... Explicar tudo de novo. 

- Boa tarde, Roger.

- E aê, Cabello? Como vai essa força?

- Estou muito bem e você?

- Estamos precisando de você, choveu e o arroz da várzea amarelou? Estou com vontade de aplicar mais uréia.  

- Não. Com esse frio em nem absorveu nossa primeira aplicação. Liga para a firma e eles mandam...

- Não. Estou ligando para a única ajuda que quero. Vem você pra cá.

- Eu não estou mais na firma...

- Você saiu´, a morena gata saiu... Você perdeu o diploma? Se não perdeu estamos perdendo é tempo. Pode vir com a morenaça e vamos resolver meu problema. 

- Tudo bem. Chego em trinta minutos. 

Procurei uma roupa adequada e achei uma calça de uniforme velha, estava rasgada, mas vesti mesmo assim. Liguei para Normani e depois para Lauren, ela não gostou muito que eu não fosse buscá-la, mas queria falar sobre isso pessoalmente. 

........................................

- Por mim nós lotava com mais uréia. – Eu me abaixei e peguei um granulado de ureia. 

- Elas estão aqui ainda, Roger. Nem se desmancharam, você vai gastar muito e não vai surtir efeito. 

- Vou perder essa área?

- Não. Só... Como anda a previsão do tempo? – Perguntei a Mani que mexia em seu laptop. 

- Tempo  limpo até dia 20. 

- Viu? Sem chuvas, uma semana e você já vai notar diferença.

- E está marcando calor.

- Melhor ainda. Em menos que isso você vai notar diferença, mas precisa passar a roda de ferro por aqui. Esse acumulo de água vai nos foder. 

- Amanhã ela chega. Estava no conserto. – Ele apertou minha mão. – Obrigada, Cabello. Como vamos acertar? 

- Fale com a morenaça, vou guardar nossas coisas. – ele assentiu e comecei a juntar nossos equipamentos. 

Depois de um café colonial daqueles, voltamos para minha casa e nossas namoradas já nos esperavam. Foi colocar o pé em casa que meu celular chamou. Márcio...

- Oi Marcio...

- Oi Cabello. Roger me ligou, conseguiu horário com você, pode me marcar para amanhã? – Olhei para Normani.

- Horário para amanhã? – Falei perguntando a ela e ela fez positivo pra mim. – Claro. Amanhã as dez. pode ser?

- Ótimo. Tem mais horários para amanhã? Antonio e Bruno estão comigo.

- Ok... Às quatorze horas vamos ao Antonio e assim que sairmos de lá vamos para o Bruno. 

- Perfeito. Até amanhã, Cabello. 

- Abraço, Márcio. – Eu encerrei a chamada. – Acho que estamos roubando os clientes da Agrocompany. 

- Não. Estamos pegando de novo os nossos clientes. – Mani disse e colocou o cheque sobre a mesa. 

- Alguém vai me explicar o que está acontecendo? – Lauren perguntou.

- Onde as gatonas estavam? – DJ perguntou zangada e eu ri. 

- Dando uns roles. – Eu disse e uma almofada acertou meu rosto. – Ai Lo, olha a DJ. 

- Fui eu quem jogou. – Lauren disse e só então notei que ela não estava com o sorriso habitual em seu rosto. Ela estava irritada. – Que porra é essa de role?

- Não é isso, Lo. Recebi uma ligação para uma assistência e ele pediu para que fizesse por fora. – Eu peguei o cheque rapidamente para mostrar a ela. – Nosso primeiro pagamento e já temos mais três clientes. Podemos abrir algo nosso. – Eu disse e Lauren ficou me encarando, DJ Levantou e quando Lauren sorriu, meus músculos relaxaram. 

- Parabéns, amor. Nossa! Vocês merecem. – Ela me abraçou e virei, assistindo DJ abraçar Mani. Beijei o pescoço da minha mulher repetidas vezes e ela sorriu. 

- Vamos comemorar. – Peguei o cheque. – Esse vai para o jantar o que o sobrar vamos abastecer a picape, pois ela vai andar amanhã. – Falei e Mani concordou.

- Perfeito. Vou até minha casa tomar um banho e nos encontramos no restaurante do pai da Ally. – Assentimos e elas saíram. 

A noite foi muito agradável e logo estávamos em casa. Terei meu vestido e minha cinta longe e esperei Lauren sair do banheiro, como ela sempre sai... Só de calcinha. Só de lembrar algo entre minhas pernas pulsa. 

Ela saiu, pegou um creme e começou a esfregar por seu corpo... Eu até uma musica sexy estava criando em minha cabeça. 

- Eu sou devota desse olhar que você está me lançando agora. 

- Que olhar? – Perguntei sentando na cama e me recostando contra a guarda da cama. 

- Como se eu fosse a mulher mais desejada do mundo.

- Você é. – Eu disse e ela sentou no meu colo, com os joelhos ao lado dos meus quadris. – És sim a mulher mais amada, mais linda e mais desejada da face da terra. – Ela selou nossos lábios, e acariciou minhas bochechas  com os polegares. 

- Eu amo tanto você, Camila. 

- Eu também amo você... Acho que devemos juntar nosso amor nessa cama. – Eu disse divertida, mas ela não sorriu. Apenas colou nossas bocas e logo a língua dela tocou a minha e eu gemi. 

- Devemos mesmo... – Ela disse com a voz rouca e eu me tremi toda. – Deita de bruços... – Eu nem perguntei o porquê, apenas virei e ela tirou minha cueca. 

Ela deitou sobre meu corpo e beijou meu pescoço, foi distribuindo beijos e mordidas por minhas costas, chupões e eu apertava os lençóis, ela deslizou as unhas por ali e depois mordeu minha bunda, varias vezes por toda a região e era muito gostoso. Olhei para baixo, arrumei meu membro para o lado e a cabeça dele escorria meu pré-gozo. 

- Lauren... – Me virei e meu pau batia na barriga de tão duro, a puxei para um beijo e voltamos a posição inicial, com ela no meu colo, mas desta vez meu pau era prensado contra minha barriga. 

Levei minha mão até a intimidade dela e gemi, mordendo o lábio dela quando senti sua lubrificação, massageei seu nervo inchado e ela cravou as unhas no meu ombro. 

Guiei meu membro até a entrada dela e ela sentou devagar, quando estava toda dentro dela, nos virei, ficando por cima dela. Remexi meu quadril e ela gemeu alto, meus movimentos ganharam pressa e logo estávamos rebolando como loucas uma para outra. 

- Camila... Porra... 

- Lauren... Você é tão apertada... 

- Mais forte, Camila... – Eu atendi ao pedido dela e comecei movimentos mais brutos, ela nos virou e começou a cavalgar em mim. Foi o estopim, só torci para ela chegar logo, pois eu estava quase. 

Mais duas sentada e ela tremeu inteira, jogando o tronco sobre o meu. O aperto que senti foi o suficiente para chegar lá também. Ficamos assim... Até recuperarmos o fôlego e começarmos a nos beijar... Fiquei com pau duro sem nem ter saído dela. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...