História Caixa de Segredos - INTERATIVA - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Drama, Horror, Interativa, Interativo, Suspense, Terror
Exibições 16
Palavras 1.972
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Drabs, Magia, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


PRIMEIRAMENTE desculpe pelos erros ortográficos, o cap ficou muito grande e eu estou com preguiça de revisar e arrumar!

Mas e aí o que acharam? Comentem!

Capítulo 3 - Prólogo


Fanfic / Fanfiction Caixa de Segredos - INTERATIVA - Capítulo 3 - Prólogo


POV Rose Anneline Lidermann

Estava no primeiro carro, com vovó, minha irmã mais nova Amie, e com meu primo Luka, e o amigo dele, Sam. E no segundo carro atrás de nós estava minha prima Gretel e a melhor amiga dela Luna. 

Estávamos indo para a casa de praia que minha vó alugou para nós passarmos as férias. Minha avó sempre gosta de fazer alguma coisa no final do ano, juntando sempre a familía, mas desta vez, só vai juntar os netos dela. Meus pais por exemplo, vão ir para um cruzeiro que os chefes deles deram de presente por fazer boas vendas na empresa. A mãe de Luka advogada fez uma viagem para fora do país para se encontrar com um cliente, e bem, ele e o pai não são muito chegados. A mãe de Gretel sempre foi muito ocupada, mas o pai dela fez questão de trazer ela, já que não ia caber todos no carro. Depois ele já ia pegar um voo. Ou outros Sam e Luna estão aqui porque foram convidamos pelo meus primos.

Finalmente chegamos na casa. Saio do carro e me alongo, avia ficado sentada na mesma posição por duas hora e alguns minutos. Olho para a casa que tinha um grande portão de ferro, a casa era de dois andares, de uma madeira envelhecida, com uns tipo de planta em volta dela. A frente da casa avia uma pequena casinha. A casa tinha um ar rustico e assustador. Fiquei parada de braços cruzados a olhando. Até que minha avó puxa o meu fone de ouvido.

— Rose, venha ajudar a pegar as coisas. — Diz minha avó. Acabo pegando só as minhas malas. Os trouxa do Sam e Luka já estavam com suas malas, e ainda pegaram a metade das coisa de Gretel e Luna, que parecia ter trazido o armário inteiro. 

Falando de Gretel, quando éramos crianças, eu e ela éramos inseparáveis, como irmãs. Passávamos a maior parte do nosso tempo juntas. Já que Amie estava morando com minha mãe na época, por conta de uma briga de nossos pais, então, eu fiquei em uma casa perto da de Gretel que meu pai avia alugado para ficarmos. Mas quando eu tinha 9 anos e ela 8, ela se afastou de mim, ficou fria e quieta, sempre que convidava ela pra brincar ela inventava uma desculpa ou dizia que não queria. Então eu acabei desistindo. Aos meus 12 anos, eu tentei conversar com ela e perguntar porque ela tinha se afastado de mim, e ela disse que não queria tocar no assunto. E hoje em dia somos com estranhas, apenas se vemos nos finais de anos. 

Como eu e Amie estava com menas bagagens, fomos na frente abrir e conhecer a casa. Quando pisamos na varanda toda a madeira rangi-o e até nos assustamos. Começamos a gargalhar por conta do susto.

— Credo que horror, parece aquelas casas de filmes de terror. Já não gostei. — Diz Amie. Coloco minha mala no chão, e com a mesma mão abro a porta e a empurro para podermos passar. Entramos e estava em uma sala, com dois sofás e uma poltrona, que na parede avia uma estante com uma televisão velha, nas paredes aviam umas fotos estranhas. As paredes eram pintadas com um azul turquesa até as escadas, o andar de cima já era branco.

— Aposto que não tem TV acabo. — Digo para Amie se referindo a TV.

— Muito menos Netflix. — Comenta Amie. Até que os outros chegam. 

— Gostaram gente? — Pergunta minha vó colocando as coisas em cima no sofá.

— Chegamos ao fim do mundo.  — Diz Luna. Sam e Luka vão até a uma das paredes que avia várias fotos.

— Ok, mas, porque tanta foto de gente na parede? — Pergunta Luka.

— Deve ser dos antigos donos. — Diz minha vó.

— IH!! Morreram aqui. Prevejo mortes. — Gargalha Sam apontando para uma foto.

— Cala boca, morro de medo. — Diz Amie. 

— Ai crianças, parem de ser pessimistas. Aposto que vamos nos divertir muito. — Diz minha vó.

— Diversão para os demônios nos matarem. — Diz Gretel.

— Dizia alguma coisa no anúncio sobre os antigos donos, vó? — Pergunto. 

— Não. Nada sobre mortes aqui, ok? Talvez eles deixaram aqui. — Diz minha avó. — Agora vão arrumar as coisas, os quartos são lá em cima.

Então subimos com nossas malas. Novamente Sam e Luka ajudam a pegar as trocentas malas de Gretel e Luna. Começou uma discussão que quem ficaria com quem, quem ficaria com tal quarto. Eu fiquei encostada na parede sem dizer nada.

— Eu e Gretel ficamos com o maior quarto, porque trouxemos mais bagagens! — Diz Luna.

— Eu e Luka trouxemos nossos computadores para jogarmos online.  Precisamos de mais espeço! — Diz Sam para Luna.

— Acho que aqui nem se quer tem Internet. — Diz Gretel com um braço em volta da barriga.

— Então porque nós quatro não ficamos juntos? Não é Luna? — Diz Luka para Luna. Trouxa e apaixonado, ótimo. Eu reviro os olhos. Eu e Amie nos encaramos.

— Que gritaria é essa aqui em cima? — Surge minha vó da escada.

— Não estamos gritando vó. — Diz Gretel.

— Só queremos ficar com o quarto maior, senhora Lidermann. — Diz Luna saindo de trás da Gretel para olhar para nossa avó.

— Primeiramente eu vou ficar com o quarto maior então, para acabar com essa discussão. E segundamente, me chame de Susan. — Diz minha avó.

— Mas vó... — Tenta dizer Luka.

— Mas nada Luka. — Corta minha avó.

— Então, eu, Sam, Luna e Gretel podemos ficar no mesmo quarto? — Pergunta Luka novamente.

— Não. — Diz minha vó. Eu e Amie gargalhamos alto, fazendo todos nos encararem. Ficamos sérias.

— Desculpe. — Dizemos em coro.

— Luka e Sam ficam em uma quarto, Gretel e Luna em outro, e Amie e Rose em outro, simples assim. — Diz minha avó. — Agora chega de discussão, vocês já estão bem grandinhos pra isso. Além do mais, vão por suas roupas de banho e passar protetor solar para irmos a praia. 

— Ahhhhhhh vó, estou tão cansado por conta da viagem... — Diz Luka.

— Viemos aqui para ir para a praia, e vamos ir, me obedeça e ponha sua roupa de banho, você já me estressou de mais hoje. — Minha vó diz isso e vira as costas descendo as escadas. Luka bufa e resmunga alguma coisa que eu não pude ouvir. Eu e Amie rimos e pegamos nossas coisas e pegamos nossas coisas e entramos em um quarto que tinha uma cama de casal e um banheiro, vamos ter que dormir juntas. Não tem problema porque Amie é bem pequena pra 14 anos, mas na verdade eu não faço a miníma ideia pra um tamanho pra alguém com 14 anos. Eu com 17 anos, mais velha entre todos. 

Eu e Amie procurávamos nossos biquínis enquanto conversávamos.

— O que achou sobre Luna? — Pergunto com um sorrisinho no rosto para Amie. 

— Chata, garota insuportável, mal chegou no ônibus e já quer sentar na janela? Ah vai lavar a casa da cachorra né meu. — Diz Amie fazendo eu gargalhar.

— Não é o que o Luka acha, querendo ficar juntinho com ela. — Digo pegando um biquíni.

— Ah claro, ela é bonita mesmo. Mas chata. — Diz Amie. Eu gargalho novamente. Colocamos nossos biquínis e colocamos roupa por cima. Saímos do quarto e fomos ao encontro dos outros. Descemos as escadas e na sala estava todos. Menos Gretel e Luna.

— As meninas não vão? — Pergunto.

— Elas estão se arrumando ainda. — Diz Sam.

— Mas só pra por um biquini. — Diz Amie. Eles dão de ombros. Depois de 15 minutos elas descem todas produzidas pra ir pra uma praia. "Pra que isso tudo?" Penso comigo mesma.

***

Chegamos a praia, tinha poucas pessoas já que era uma praia pequena da região. Poucas pessoas conhecem, já que a maioria vai para as praias grandes que lotam mais. Aqui é um lugar bem longe e remoto, as poucas casas que tem aqui são de famílias de pescadores. Deixando tudo mais sombrio. 

Eu e as meninas tiramos as roupas e colocamos na bolsa. Arrumamos as cadeiras e o guarda sol. Minha avó põe um óculos e se senta, abrindo uma cerveja. Passamos o protetor solar. Gretel e Luna se deitam em uma toalha para tomar sol.

— Vamos entrar na água? — Pergunta Sam e Luka pra mim e Amie.

— Vamos! — Responde eu e Amie animadas, começando a andar em direção ao mar.

— Vocês não vem? — Diz Sam para Gretel e Luna.

— Não. — Diz Luna. — Temos que nos bronzear. — Termina Gretel.

Sam e Luka dão de ombros.

— Vocês vão ser nossas vítimas. — Diz Sam com uma cara de psicopata. 

— Como assim? ­— Pergunto. Até que Luka vem em minha direção me pegando no colo, mesmo tendo 15 anos ele era bem grande para sua idade. E Sam pega Amie no colo, ela é bem pequena, então todos conseguem pega-la no colo. A gente se esperneia e ri, eles correm e jogam nós na água que estava congelando. Eu particularmente engoli uns 2 litros de água só naquela hora.

Vou até a superfície e limpo meus olhos.

— Seus idiotas! — Digo em meio ao riso jogando água neles, Amie se junta a mim fazendo o mesmo, eles gargalham.

— Quase morri. — Diz Amie.

Ficamos assim por exatamente duas horas jogando água os outros, afogando os outros, mergulhando e dando pulos quando as ondam viam. O mar era calmo então dava pra aproveitar bastante. A brincadeira acabou quando nossa avó nos chamou. Já estava anoitecendo e esfriando. Agimos igual crianças pequenas dizendo "Ahhh, não podemos ficar mais um pouquinho?". Chegamos e eu fui a última a tomar banho, estava segando o cabelo quando minha avó nos chamou até a sala, ficamos na ponta na escada.

— Então crianças, eu vou ir ao bingo que tem aqui. E quero que vocês se comportem e sem brigas, por favor! Quero que Rose fique no comando, obedeçam ela, creio que ela é a mais madura daqui, como deu pra ver. — Diz minha avó, faço uma cara travessa. — Acho que não vou chegar muito tarde, mas não prometo nada, se divirtam. — Ela sorri e sai trancando a porta.

— Ótimo. É agora. — Diz Gretel subindo a escadas em alguns segundos, Luna vai atrás dela.

— Como assim? — Diz Sam, subimos atrás delas.

— Achamos isso. — Diz Gretel colocando uma caixa em cima da cama dela, todos entramos no quarto ficando ao redor dela. Ela abriu avia vária fotos em cima, ela tirou tudo e tirou um tabuleiro escrito Ouija no topo, com letras, números, com sim e não, e a escrito "até breve". Já me arrepiou.

— Esse não é aquele tabuleiro que você conversa com espíritos? — Pergunta Sam.

— Arrã. — Diz Luna com um sorriso no rosto.

— Morro de medo. — Diz Amie.

— Conversar com demônios, isso sim. — Digo.

— CARA! A gente tem que jogar! — Diz Luka animado.

— Era isso que eu e Luna estávamos pensando. — Diz Gretel.

— Vocês trouxeram isso? — Pergunta Amie.

— Não. Eu achei quando deixei cair meu bronzeador debaixo da cama, e aí eu achei. — Diz Luna.

— A gente não pode jogar isso, vai que da merda, eu em. — Digo cruzando os braços.

— Que nada Rose. Vem, vamos ir lá na cozinha. — Diz Luka saindo do quarto e descendo as escadas, todos vão atrás dele, até Amie que "morre de medo" foi. Fiquei sozinha no quarto, até que tive que ir junto.

— Gente isso é perigoso! — Digo novamente. Luna colocou o tabuleiro na mesa e o ponteiro em cima. Todos se sentaram nas cadeiras em volta da mesa, menos eu.

— Amie! — Digo.

— Não posso negar Rose, eu quero muito jogar. — Diz ela. Me senti traída.

— Não precisa jogar Rose se não quiser Rose, apenas não atrapalha. — Diz Gretel.

— Ah vamos Rose para de ser careta e joga, não vai dar nada de errado. — Diz Sam.

— É Rose, não vai dar nada de errado. Vamos! — Diz Luka.

— Isso irmã! Vamos, por favoooooorrrr! — Amie insiste. Reviro os olhos mas acabo sedendo.

— Tá ok! Como se joga isso? — Me sento ao lado de Amie.

 


Notas Finais


PRIMEIRAMENTE desculpe pelos erros ortográficos, o cap ficou muito grande e eu estou com preguiça de revisar e arrumar!

Mas e aí o que acharam? Comentem!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...