História Call me daddy - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jungkook, V
Tags Babyboy, Bottom!jungkook, Daddykink, Taekook, Top!taehyung, Vkook
Exibições 171
Palavras 1.768
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Esporte, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Cross-dresser, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Hellou~ ainda se lembram de mim? sakjdkasjd ;-; sorry pela demora
Espero que gostem ^^ boa leitura...
~capítulo não revisado~

Capítulo 3 - Comprometido


Eu: 

Olha aqui, seu projeto de Alien, eu não vou mandar merda nenhuma de foto pra você!

Eu:

E eu não estou nem aí se você vai mostrar o vídeo pra escola toda. Pode até ser bom pra mim, já pensou?

 

 

Okay, Jungkook, se concentra. Ele não seria capaz de fazer isso, certo? Pelo amor da minha vida, não quero voltar a ser zuado na escola. Gente, eu digitei aquilo no calor do momento. Vocês sabem que não podem me levar a sério, né?

 

 

Número desconhecido:

Ah, baby boy... o quanto ingênuo você é?

Número desconhecido:

Eu até poderia fazer isso, mas não gostaria que olhassem no que é meu

Número desconhecido:

E quanto a sua punição... você vai ver na escola. Ou melhor, vai sentir *moon face*

 

Já estava pronto pra xingar aquele idiota, mas parece que a vida me ama demais e ele supostamente ficou off. Aish, eu tenho que tramar um plano para despista-lo amanhã. Porém, acho que já sei quem pode me ajudar nisso.

Ouço a minha mãe me chamar e saio do quarto, descendo as escadas. Entro na cozinha, avistando a mais velha arrumando algumas frutas no cesto. Fico a observando e vejo uma mudança no seu rosto.

Ela está triste de novo. 

As vezes eu fico pensando o quanto ela sofre com o passado do meu pai. 

Aquele desgraçado morreu sem ao menos pagar as dívidas que devia! Sinceramente, eu não sei mais o que fazer. Jogar basquete não me dá mais dinheiro, será que devo desistir dos treinos?

Saio dos meus pensamentos andando até ela, vendo que a mesma acabara de me notar.

_Desculpe te atrapalhar, filho. Você estava em algum assunto importante?  -Perguntou preocupada.

_Mãe, você sabe que a senhora nunca me atrapalha  -Digo chegando perto dela, dando um abraço, vendo ela sorrir.

_Ah, que orgulho do meu filhotinho!  -Ela apertou as minhas bochechas. Fecho a cara ouvindo ela gargalhar alto. 

Por que caralhos todo mundo gosta de me irritar?! Eu sou sensível, tá?

_Mudando de assunto, por que a senhora me chamou aqui? 

_Ah...Isso  -Ela ficou séria de repente. Pronto, já me caguei.  

_É que eu queria ter certeza do que vou fazer e saber se você está de acordo com isso.  Eu não queria  tomar qualquer decisão precipitada sem saber sobre a sua opinião, filho.

_Do que você está falando, mãe?  -Digo confuso com toda aquela situação. Vejo ela recuar um pouco, mas logo ela retorna a pose de séria. 

_Você vai se casar, Jungkook.  -Falou calma.

...

_EU O QUEEEE?!!  -Gritei assustado, com a boca em formato de um ''O''  

_Se acalme, mocinho!  -Bateu de leve na minha cabeça.  _Eu entenderei se não quiser, mas saiba que isso pagará nossas dívidas e todos os problemas que o seu pai nos causou. Não pense que sou egoísta, pelo contrário, eu só quero o seu bem. Eu não quero que o meu filho tenha que trabalhar 24 horas por dia só para manter as despesas da casa. Sei que estou pedindo muito de você, mas só espero que pense nisso com carinho. Estarei do seu lado para qual quer que seja a sua resposta.  -Ela suspirou

_Eu não sei mãe.... Eu não quero me comprometer a alguém sem nem ao menos curtir a minha vida direito.  -Resmungo com uma careta no rosto.  _Mas se for pela senhora, eu prometo que vou pensar.

 

 


                                                                                     ~~x~~

 

 

 

Hoje o dia está frio. Do jeitinho que eu gosto. O clima está perfeito para ler um livro dentre os lençóis, acompanhado de um delicioso chocolate quente.

Não vejo a hora de chegar em casa.

Ando devagar pela calçada, chutando as pedrinhas no caminho. Sou infantil sim, não gostou mete procelsson.

Depois de algum tempo andando, avisto o portão da escola e logo adentro o lugar. Ainda bem que a minha primeira e segunda aula é de basquete. Assim dá tempo de pensar aonde irei me esconder e o Yoongi vai ter que me ajudar nisso. 

Quem imaginaria, né? Eu, Jeon Jungkook, se escondendo de um nerd que quer meu corpo nú. Preciso parar de pensar nessas coisas.

Entro na quadra, avistando o Hoseok e o Yoongi jogando juntos. Jogo minha mochila no chão, indo me juntar a eles. 

_Demorou ein, piranha. A gente vai descansar um pouco, esperar por você é que nem minha vida amorosa, não vale a pena.  -Yoongi falou irônico e eu apenas ignorei. Já estava acostumado.

_Mas eu acabei de chegar, eu quero jogar.  -Falei forçando um biquinho.

_Problema seu meu amor. Agora vem.  -Ele me arrastou junto. 

Continuamos andando, até a gente se sentar nos banquinhos da quadra. 

Hoseok foi embora há 2 minutos atrás, disse que tinha problemas para resolver. Aposto 5 centavos que é treta com a família dele, não duvido nadinha. 

Bom, vamos mudar de assunto e falar sobre o meu plano. O Yoongi vai ter que me ajudar de qualquer jeito, afinal, ele deve um favor pra mim.  E eu não quero que isso tenha falhas.

_Hyung, sabe aquele favorzinho que você me devia?  

_Hm, lá vem merda. Conta logo o que você quer  -Disse com cara de tédio.

_Quero que me ajude a me esconder do Taehyung  -Falei determinado.

_E por que você quer se esconder dele?  -Ele parecia que ia tramar algo, essa cara não me engana.  Será que foi uma boa ideia pedir ajuda dele? 

_Bom....É que ele disse que tinha uns fetiches estranhos e- 

_Tudo bem eu te ajudo  -Disse, me interrompendo de falar alguma coisa. 

_Como assim? Do nada? Sério?

_É, parece ser interessante.  -Falou com um brilho nos olhos de quem vai aprontar.  Ai meu santo GD! Tô sentindo que boa coisa não vem.

_Por que não se esconde no laboratório? Ninguém vai lá  -Voltou a sua pose de ''foda-se''

_Boa ideia, hyung! Como eu não tinha pensando nisso?! Você é o melhor  -Dei um abraço nele, ouvindo-o resmungar

 

 

 


                                                                                    ~~x~~

 

 

 

Na hora do intervalo, eu fui direto para o laboratório que ficava no fim do corredor. Aquele idiota nunca vai me achar.  A algumas horas atrás eu nem sabia que existia esse lugar, quem dirá ele. 

Sorrio sozinho para o nada enquanto entrava na sala. 

O lugar era  bem assustador, não sei se vou conseguir ficar aqui por muito tempo. Que foi? Não posso ter medo mais não? Eu não sou de titânio não, fia.

Olho as prateleiras que continham experimentos e animais em conserva. Enw.

Direciono meu olhar para uma mesinha, que tinham varias cartas juntas. E eu, como o bom curioso, fui olhar. Mas foi só uma espiadinha de nada, tá?

Abri a primeira carta e me surpreendi no que tinham nelas. Eram frases...

''Palavras são tudo que restou para eu me apegar. Tudo misturado, fragmentado.  Não sei mais distinguir pensamentos e sonhos de realidade.''

''Esse ano está muito confuso. Uma hora tudo dá certo, outra hora não. Pessoas vão embora e outras chegam. Muita confusão.''

''Tão estranho carregar uma vida inteira no corpo, e ninguém suspeitar dos traumas, das quedas, dos medos, dos choros.''

Nossa... Nem vou falar que me indentifiquei muito, né.... Bateu até a bad aqui, venham crianças, vamos chorar ali no cantinho.

Guardei a carta com cuidado dentro do envelope, indo para a outra. 

Porém, quando eu já estava quase abrindo-a, sinto braços rodearem a minha cintura. Levo um susto na hora, tentando inutilmente me livrar. Droga, tô ferrado.

_Esperou muito, bebê?  -Espera, essa voz grossa, esse timbre.... 

SOCORRO GENTE, TÔ COM O CU TRANCADO AQUI!!! HELP

_T-taehyung? Mas como? Como me achou?  -Falei nervoso tentando novamente me livrar daqueles braços, que por incrível que pareça, eram fortes.

OLOKO, BICHO. 

Mais ainda bem que consegui me livrar, não me perguntem como.

_O Yoongi me contou  -Sorriu de canto.  

AHH! aquele filho da mãe vai ver depois, só me aguarde. Mano, tô puto agora. Ele tramou essa caralha desde o início e eu não percebi. Só tu mesmo ein Jungkook, por que tu é trouxa e trouxa só se fode.

Minha libertação durou pouco, por que logo que eu ia correr, (sim, amiguinhos, tem que fugir mesmo) ele me pegou pelo pulso me prensando na parede. Essa cena me parece famíliar.

_Espero que não tenha se esquecido da sua punição  -Sussurrou rente ao meu ouvido, me trazendo ondas elétricas por todo o meu corpo. 

Boto minhas mãos em seu peitoral tentando empurra-lo, sem sucesso.

_Me deixe ir... -Respondi baixo. _Eu já disse que não sou seu baby e você não é o meu.... Ah, você sabe  -Corei. Droga.

Ouvi ele rir baixinho, enquanto prendia meus braços logo em cima da minha cabeça.

_Vamos lá, Jungkookie. Me peça para puni-lo  -Passou sua boca pelo meu pescoço, dando uma mordidinha artificial, mas o bastante para fazer o meu amiguinho dar indícios de vida.

_N-não! Eu não quero...  -Soltei um suspiro baixo. Merda, mil vezes merda.

_Não é isso que o seu corpo diz  -Disse debochado.

_Tô tentando entender de onde saiu esse Taehyung extremamente pervertido.  -Tomei coragem para dizer.

_Isso também é novo pra mim, essa personalidade.... Mas você é o culpado de tudo isso  -Falou, direcionando as suas mãos para a minha ''quase ereção'' dando um aperto de leve ali. 

Gemi baixinho com o seu toque.

Ah, quer saber? Que se foda o meu orgulho! Eu não tô em condições para opinar mesmo.

_Vá logo com isso  -Falei baixo

_Huh... Agora quer que eu continue, não é?  -Sorriu sínico.  _Só se você pedir com jeitinho.

_Nem fudendo!  -Além de eu me rebaixar, ele ainda ousa em me fazer implorar? Nunca que vou fazer isso!

_Então eu vou embora  -Soltou os meus braços e foi a passos lentos para a porta.  -Se ele acha que vai me deixar com uma puta ereção aqui, ele está muito enganado!

_Espera!  -Ele parou de andar.  _Não pode me deixar aqui assim... -Corei

_Claro que eu posso

_Mas isso não é justo!  -Fiz um biquinho com a boca, cruzando os meus braços.

_Aish, tão infantil.... -Suspirou.  _Eu já disse, peça com jeitinho e eu te dou o que você quer, simples.  Ou vai querer ficar aqui batendo uma? -Gargalhou baixo no final da frase. 

 

.....

 

 

Eu não acredito que vou fazer isso... Puta merda

 

_Por favor... M-me toque  -Agora sim tenho certeza que meu rosto virou um pimentão.

_Tsc, tsc, assim não vale. Você tem que pedir do jeito que o seu dono quer ser chamado, docinho.  -Ele voltou a caminhar, porém dessa vez na minha direção, parando bem em frente ao meu corpo.

 

Okay, coragem!

 

-P-por favor, Daddy.... Me toque!  -É oficial, Jeon Jungkook ''faliceu.''

_Bom garoto, atenderei ao seu pedido  -Selou nossos lábios.  _Porém antes....Eu quero que me chupe


Notas Finais


( ͡° ͜ʖ ͡°)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...