História Call Me Daddy version Stockholm - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias 2NE1, Bangtan Boys (BTS), Big Bang, CL (Chaelin Lee), EXO, Jay Park
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, Cl, D.O, G-Dragon, Jay Park, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Kai, Lay, Lee Chaelin "CL", Lu Han, Personagens Originais, Rap Monster, Sehun, Suga, Suho, T.O.P, V, Xiumin
Tags Jikook, Namgi, Namsuga, Sugamon, Sugamonster, Suganam, Vhope
Exibições 33
Palavras 1.030
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Lemon, Luta, Musical (Songfic), Poesias, Romance e Novela, Suspense, Terror e Horror, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 1 - Oh papai, sinta o grito de minha alma.


Fanfic / Fanfiction Call Me Daddy version Stockholm - Capítulo 1 - Oh papai, sinta o grito de minha alma.

"Eu tenho medo desta realidade, ajude-me, me salve.

Tenho medo do que vivo, dos pesadelos que presencio ou até mais presenciarei.

Oh, mamãe eu só quero um abraço seu

(Diga-me, diga-me)

Diga-me que esta tudo bem, diga-me que as dores que sinto são só ficticias.

(Diga-me, diga-me)

Me diga que no amanhecer poderei sorrir e dizer que te amo.

Oh, papai, me abandonastes, você sempre brincava comigo quando eu era seu pequenino

Me salve disto tudo

Acima de tudo eu os amo papai e mamãe"

As manhãs naquela cidade eram calma, aconchegantes e frias. Yoongi não tinha nada a favor de si, então enquanto seus colegas ricos iam aquecidos em seus carros caros, o Min ia a escola à pé, já que seus pais o negavam a opção de ter alguém como motorista particular do garoto de cabelos verdes e de tom de pele bem clarinho como a neve que caia naquela estação do ano.

Entrou em sua escola assim como sempre, semblante frio demonstrando -ou tentando- não sentir nada. Sempre o mesmo trajeto, caminhava atentamente até a sua sala e se sentava na última cadeira e pôs sua maleta em cima de sua mesa.

xxx

Seu dia era igual todos aqueles mizeros dias. Caminhava para sua casa, mas, antes, sempre ia a um parque que tinha lá perto. Se sentou no banco e observou tudo ao seu redor atentamente. Após tudo aquilo se dispôs à ir para casa, era mais um caminho cansativo que o destino daria um fim indefinido. Já algumas quadras bem longe de seu domicilio sentiu que estava sendo seguido, ele tentou correr mas os movimentos rápidos só fizeram com que seu joelho doesse perdendo o equilíbrio de seu corpo, logo indo ao chão com uma dor enorme.

Seu medo aumentou ao ver uma van preta parar perto de si e logo alguns homens descerem de lá.

- Nosso patrão vai amar o valor da recompensa por este riquinho. - pronunciava-se um homen alto fazendo os outros quatro rirem e logo um pano mal-cheiroso foi posto na boca e nariz do menor.

Curto foi o tempo no qual os olhos do branquinho pesaram e seu corpo foi levado a van que deu partida em seguida.

Choi Seung-hyun, mais conhecido como TOP, um homen muito rico por seus assaltos, sequestros e grande importância no mercado negro que dominavam a industria ilegal da Coreia-do-Sul, Chile, Espanha, E.U.A- entre outros paises- juntamente com seu parceiro Kim Namjoon.

Ele estava em seu clube com seus amigos policias, que conversavam com o mesmo em meio a risadas alegres e a bebidas, a nicotina não faltava naquele local.

Logo Choi recebeu a ligação de um de seus capangas, com tal noticia de que o filho de um dos homens mais bilionários daquela região fora capturado. Ele foi até sua casa e desceu para o porão, preparado especialmente para sequestros, ou coisas do tipo.

xxx

YoonGi sentia sua cabeça doer e seus olhos abriram lentamente, logo vendo a silhueta de uma jovem vestida de empregada.

- Aah… que bom que você acordou. - ela sorriu, indo até ele e lhe dando um copo d'água. - Vou chamar meu patrão. - ela saiu daquela sala e logo YoonGi veio a temer que seu patrão fosse um assassino.

Ele estava em cima de uma cadeira com os braços presos em um tipo de bracelete de metal no móvel, seu corpo doia e logo sentiu aquela dor denovo, uma dor que sempre tinha, era terrível. Choi entrou na sala e logo se chocou com a imagem do menor chorando alto e soluçando. Claro, aquilo era típico, afinal, o mais alto já viu coisa pior, o mais chocante disso foi o fato daquele pequeno estar banhado em sangue e mais pálido que o suficiente.

- Aigoo - gritou a empregada. - Ele precisa ser medicado, senhor TOP! - a garota entrava em um total desespero e logo pegava uma seringa. A mesma abriu aqueles braceletes libertando o menor e logo o mesmo se encolhe, tremendo totalmente. Ela o abraçou e tirou sua camisa encharcada de sangue e a pôs no chão.

Choi sentiu pena daquele ser e logo mandou sua empregada chamar um médico.

Algumas horas se passaram, agora YoonGi estava num quarto com uma roupa limpa e coberto por lençóis limpos e quentinhos, com algumas pessoas ao seu redor, observando o menor enquanto um médico o examinava.

- Muito bem meu jovem... Você está com algo um pouco grave, mas uns três meses de tratamento resolverão!- falou o médico.

- Que bom que você acordou meu amor... - falou uma das empregadas, ela também trabalhava na casa do menor, era como uma mãe para si.

YoonGi a abraçou fortemente e começou a chorar com medo de tudo e de todos.

- Desculpe por isso… - ela falou se sentando na cama, mas Choi a olhou como um demônio prestes a atacar sua presa e logo todos se retiraram, restando só aquele homem alto e o pequeno indefeso.

- Acho que você já deve saber o porque de tudo isso, né? - perguntou o mais alto olhando para o esverdeado. - Não faça esta cara de pateta! Isso é um sequestro - falou curto e grosso.

- Me desculpe…. - disse YoonGi, chorando, porém logo TOP observou aquele pequeno indefeso e sorriu malicioso.

A vida tem surpresas, principalmente a de Min YoonGi. Ele não queria voltar para casa, mas também não queria ficar mais um segundo alí.

Choi, obviamente, achou aquele pequeno gatotinho bonito, mas evitou aquele pensamento.

YoonGi conhecia aquele homem, afinal, quem não o temia?! Ele sabia que seus pais não pagariam o resgate e que ele seria morto, teria seus orgãos vendidos ao mercado negro. Não ficou com tanto medo assim daquela figura autoritária, talvez por um fim à sua vida em tudo ajudaria.

Oh mamãe, sinto dores incomuns, deixaram de ser dores normais, são dores na alma

(você as causou papai)

Meu corpo dolorido de tantas marcas que todos julgavam estranhas.

( Porque vocês fazem estas marcas mamãe e papai? )

Meu pulsos ardem quando tento livrar-me da dor que me ocasiona em alguns dias.

(Não é teatrinho mamãe, é So meu Coração implorando mais daquilo que chamamos de amor )

Me ajude, sinto como se o mundo fosse me engolir.

O meu maior medo no momento é te decepcionar e acabar te vendo chorar.

Eu lhe amo! 


Notas Finais


Desculpem-me pelos erros
Boa noite
Qualquer crítica construtiva me cham no kakao
Id : BeccaFranga


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...