História Call me queen - Capítulo 22


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Shadowhunters
Personagens Jimin, Jin, Jungkook, Magnus Bane, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Caçadores, Crossover, Instrumentos Mortais, Jeon, Jikook, Jimin, Jin, Jungkook, Kim, Kim Namjoon, Kim Seokjin, Magnus, Magnus Bane, Malec, Min, Monster, Namjin, Namjoon, Park, Rap, Rap Monster, Saga, Seokjin, Shadowhunters, Suga, Taegi, Taehyung, Taeyoonseok, Vhope, Warlock, Yookook, Yoongi, Yoonseok
Exibições 598
Palavras 2.038
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Festa, Fluffy, Lemon, Mistério, Romance e Novela, Saga, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Cross-dresser, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


#BabyGirlNamjin ganhou por dois votos '-'
Confesso que eu queria que empatasse para eu colocar gêmeos bivitelinos, mas não deu hduhudshudsahusdhdsa


Boa leitura :3

Capítulo 22 - Haru


⋰⋱♔⋰⋱♔⋰⋱♔⋰⋱♔⋰⋱♔⋰⋱♔⋰⋱

E se eu estiver longe de casa?

Oh, irmão, eu vou ouvir você chamar

E se eu perder tudo?

Oh, irmã, eu vou ajudá-la!

Ah, se o céu vier caindo em você

Não há nada neste mundo que eu não faria

⋰⋱♔⋰⋱♔⋰⋱♔⋰⋱♔⋰⋱♔⋰⋱♔⋰⋱

 

Jin abriu os olhos, e tudo o que conseguiu ver, foi Jungkook, o encarando, de forma estranhamente focada. Os olhos negros do feiticeiro estavam vidrados nele, e isso o assustou um pouco.

— O que está fazendo no meu quarto, Kookie? – Jin se sentou na cama. – E cadê o Namjoon?

Jungkook suspirou, sorrindo de canto e fechando os olhos.

— Graças... Você está bem. – Jeon sorriu e abraçou o amigo. – Ele está lá fora... Com a Haru.

Jin franziu o cenho.

— Haru. – Disse, com cara de sono. – Quem é Haru, Jungkook? – Perguntou, bocejando e passando a mão na barriga, como de costume. Arregalou os olhos ao ver que seu abdômen estava liso, como era antes de engravidar. – Kookie... Onde está meu bebê.

Jungkook sorriu de novo.

— Está lá fora... Com o Namjoon.

Jin teve que piscar os olhos umas cinco vezes para poder associar as coisas.

Namjoon, lá fora, Haru, bebê, lá fora, Namjoon.

— Ai meu Deus... – Jin não se importou em se levantar, ainda estando apenas de camisola. Pegou o roupão e se cobriu, todo descabelado, abrindo a porta, e olhando em volta.

Jungkook não precisava mantê-lo quieto, ele não teria que repousar.

Benefícios da magia.

Jin andou um pouco e olhou em volta, nada de Namjoon.

Então, fez o que qualquer princesa mimada faria naquele momento.

Gritou.

— JOONIE! – Gritou de uma forma manhosa. Alguns segundos depois, viu o marido chegando com um grande montinho de lençóis, um pouco apressado, porém, cuidadoso.

Ele mordeu o lábio e apontou para os lençóis.

— É o nosso bebê? – Perguntou, dengoso e emocionado. Namjoon assentiu, sorrindo e andando até ele, entregando a pequena Haru nos braços da “mãe”.

— Ela é linda como você, meu amor. – O rei sussurrou, beijando a testa de Jin e sorrindo para sua rainha, que quase não conseguiu manter a boca no rosto de tão grande que seu sorriso estava. – Obrigado por ter me dado ela... – Falou, vendo Jin a ninar, mexendo-a de um lado para o outro, delicadamente.

— Eu que agradeço. – A rainha beijou a testa de sua pequena princesa e sorriu ao vê-la espirrar e manter os olhinhos fechados. – Agora eu vou ter uma princesinha para mimar.

— E eu vou ter duas. – Namjoon sorriu.

— Bobo. – O Kim mais velho disse, sorrindo para a criança, que dormia pesadamente.

— Sabe... – O rei puxou o mais velho pelo braço devagar, guiando-os até onde seria o quarto da pequena, ao lado do deles. – Eu acho que a partir de agora, vai ser diferente, sabe?

— Diferente como, Joonie? – A rainha perguntou, colocando o bebê dentro do berço.

— Sinto que agora eu vou poder te fazer me amar, assim como eu te amo. – O abraçou, apertando levemente a cintura fina da rainha, que sorriu contra os lábios do outro.

— Ah, é? – Jin perguntou, sentindo o outro Kim selar seus lábios.

— Sim. – Um beijo lento foi iniciado, ambos sentindo o sabor da boca, um do outro, devagar, sem pressa, os olhos fechados e as unhas cravadas no tecido fino das roupas de ambos. A cintura da rainha foi pressionada com certa força, sendo puxado para um daqueles beijos molhados e quentes.

— Não vai demorar muito pra que consiga, Joonie. – Jin citou, vendo o outro sorrir e descer as mãos da cintura para a bunda farta do menor.

Ah, deveria agradecer aos hormônios da gravidez? Aquele corpo estava farto, perfeito para ser tomado inteirinho.

— Vamos pro quarto. – A rainha sussurrou no ouvido dele, que assentiu, beijando o pescoço de Jin e deixando uma marca de chupão ali. Já estavam no meio da porta quando um choro manhoso e fino foi ouvido.

Ambos viraram a atenção para a garotinha ali, e um suspiro alto foi dado, por ambos.

— Parece que não vamos para o quarto. – Jin disse, rindo, e Namjoon riu para não chorar.

Já não bastasse os cinco meses só no desejo, sem terem feito nada durante o tempo da gestação quase todo.

— É... Parece que não. – O rei disse, e Jin apenas pegou a pequena no colo e a balançou um pouco, sobre seu dorso.

— Veja pelo lado bom... – Jin disse, e a balançou um pouco, fazendo-a se calar e soltar um barulhinho típico de um bebê. – A fábrica está aberta de novo, já podemos começar a encomendar nosso segundo herdeiro. – Disse, piscando o olho esquerdo, e vendo o marido sorrir de canto.

— Eu vou adorar passar horas encomendando. – Disse, e sorriu mais uma vez, dando um tapa no traseiro do mais velho. – Agora tenho que encontrar o Yoongi. Vejo você à noite. – Beijou o topo da cabeça do menor, e depois, a testa da filha, saindo, logo depois.

⋰⋱♔⋰⋱♔⋰⋱♔⋰⋱♔⋰⋱♔⋰⋱♔⋰⋱

Taehyung soltou um riso anasalado.

— Por um momento, eu quase acreditei nessa sua história, Hobi. – Começou a rir e Hoseok arqueou a sobrancelha.

— Eu não estou brincando, Taehyung. – Disse, com uma voz séria, mas tudo o que Tae conseguiu fazer, foi se levantar, limpar as pernas e rir de novo.

— Ah, claro. – Disse, e então, cruzou os braços. – O que acha de contar essa historinha pro Yoongi? Talvez consiga faze-lo rir também. – Tae disse, visivelmente nervoso. – Eu não posso acreditar nisso, é mentira. Me diz que é mentira, Hobi. Anda!

— Eu não estou mentindo, Taehyung. – Hoseok suspirou. – E meu nome não é Hobi. É Hoseok. – Disse, pausadamente. – Eu não estou morto. Veja... – Ele arregaçou a manga, mostrando o sinal de família. Taehyung sentiu o peito doer por confirmar suas suspeitas de que Hobi escondia algo deles.

Ele só não gostou de descobrir o que era.

— Você é louco. – O mais novo arregalou os olhos. – É um doente. – Deu um passo pra trás.

Hoseok deu um passo à frente, e Taehyung estendeu as duas mãos na frente do rosto.

— Não chegue perto de mim. – Disse, a voz trêmula. – Você se aproveitou de mim e do Yoongi... Você quase matou ele! Me deixou tão preocupado! Seu idiota! – Os olhos do príncipe estavam cheios de lágrimas.

— Eu não fiz por querer...

— Não fez por querer? – Tae riu, irônico. – Tentou matar ele por que é covarde! Achou que se ele morresse eu ficaria com você? Eu o amo, Hobi, e eu não ficaria com outra pessoa se não ele...

— Eu sei disso. – O vampiro desviou o olhar. – E foi por isso que eu parei com aquilo. Mas você ainda é meu irmão e...

— Eu não acredito que fui pra cama com você. – O mais novo praticamente cuspiu as palavras. – Que eu presenciei o meu próprio irmão quase matar Yoongi na minha frente... Você é cruel... – As lágrimas começaram a rolar, e Taehyung simplesmente já não sabia mais controlar. – Por que fez isso?

— Eu... Eu não sei o que deu em mim quando decidi colocar isso pra frente... Me desculpe, Tae... – Hoseok disse, tentando tocar o ombro do irmão, mas apenas recebeu um tapa.

— Não encoste em mim. – O príncipe cobriu a boca e apertou os olhos. – Sai de perto de mim...

— Calma... Fúria não vai te levar a nada... Eu estou arrependido, perdão.

— Sai. – O príncipe quase gritou. – Me deixa sozinho! – Falou, e andou em passos longos para trás.

— Eu não vou te deixar sozinho! Se fizer alguma besteira, eu não me perdoaria por isso...

O vampiro segurou o braço do maior, que apenas tentou se soltar.

— Me larga! – Disse, chorando e puxando o pulso para si.

— Eu não vou te machucar, só me promete que vai se acalmar.

— EU NÃO TENHO QUE TE PROMETER NADA, MERDA! – Tae se soltou, e, como em um raio, começou a correr para longe. Hoseok tentou o acompanhar, mas, ao invés de ir na direção do castelo, Taehyung correu rumo á floresta que ficava ao lado do local com a grande árvore.

Ele entrou na mata fechada, e, começou a ver aquele monte de folhas desconhecidas. Em alguns passos, ele estava perdido. Mal percebeu quando viu que estava escuro e provavelmente tarde.

— Que... Droga... – Soluçou, se ajoelhando no chão e mordendo o lábio. – Essas coisas só acontecem comigo. – Voltou a se desmanchar, quando sentiu uma mão gelada segurar seu pescoço por trás. – Hoseok eu já disse para não me seg...

Sua fala foi cortada assim que a mão apertou mais sua nuca, e o levantou, usando a força. Aquilo doeu, e só quando teve seu corpo virado e prensado contra o pinheiro que havia ali, que sentiu suas pernas ficarem bambas e todo seu sangue gelar.

Os dentes que quase saíam para fora da boca, pingando saliva, rosnava para ele como um cão rosna para um ladrão. Os olhos avermelhados e aquele monte de pelos castanhos cobrindo todo o corpo do que parecia ser uma mistura de homem e lobo. O olhar era sádico sobre si, estava com medo, e pela primeira vez no dia, desejou que Hoseok tivesse o segurado e não o deixado correr.

— O que um caçador tão frágil faz a essa hora da noite aqui no meio da floresta?

— Eu não sou um caçador frágil... E você.... Fala?

— Eu tenho boca... – O enorme lobo disse, rosnando em seguida e pressionando mais o pescoço do príncipe contra o tronco da árvore. – Pra que acha que ela serve além de comer?

— Pra me enxergar melhor, é que não, é... Ou é? – Taehyung perdia a vida mas não perdia a piada.

Trágico.

— Gosta de brincar com o perigo, não gosta, garoto? – O grandalhão rosnou de forma desagradada, os caninos cada vez mais perto do rosto agora pálido do príncipe de Cerise, o bafo de carne fresca que saía de sua boca e baita contra a face do menor. – Ora, ora... O que temos aqui? – Disse, olhando para o tapa olho de Taehyung. – O que esconde atrás disso, garoto?

— Me solta, seu... – Tae quase urrou de dor quando sentiu as unhas afiadas do lobo serem cravadas em seu ombro e um gemido esganiçado, seguido pelo sangue, que escorreu pela roupa dele.

— Sabe quanto tempo faz que eu não me alimento direito? – O lobo sorriu. – Não faz muito tempo, mas eu adoraria repetir uma refeição... Ainda mais com um filho do anjo...

— ME LARGA! – Tae se debateu, socou o lobo, mas não pareceu surtir efeito.

Ah, droga, shadowhunters são tão fortes! Por que não estava funcionando agora?

— Não se debata tanto... Não vai doer nada... – O lobo se preparava para estraçalha-lo, quando, em um flash, caiu no chão.

Taehyung não entendeu, só viu aqueles dois corpos bolando no chão, um em cima do outro. A pele pálida que praticamente brilhava no escuro e as presas que, também quase saltavam para fora da boca.

Em um emaranhado, Taehyung viu o corpo do lobo se tornar humano, e então, ambos saírem praticamente no tapa. Viu o vampiro se projetando ali em sua frente, e sentiu um aperto na garganta e um nó se formar em sua cabeça, quando viu Hoseok praticamente estilhaçar o corpo do homem.

Parte de seu peito foi rasgado pelo vampiro, que tinha os caninos saltando para fora e urrava. Os olhos brilhavam num tom vibrante, e a boca ensanguentava, gotejando e escorrendo pelo pescoço pálido do mais velho.

Então, o lobo estava morto.

Hoseok ficou parado, observando o corpo sem vida daquele homem no chão, apenas respirando pesado, rápido. A mente de Tae virou uma bagunça, um emaranhado de ideias que sequer conseguiam se juntar e formar algo coerente.

O príncipe só conseguiu chorar e se ajoelhar no chão, abraçando o próprio corpo e assustado com o que acabara de lhe acontecer. Mordia o lábio e tentava se acalmar.

O irmão andou até ele e se ajoelhou na sua frente.

— Calma.... Já passou... – Hoseok o abraçou, sentindo o irmão mais novo o apertar com força contra si, enfiando o rosto no vão de seu pescoço e voltando a chorar, alto.

Os cabelos bagunçados estavam grudando na testa, o som do choro era audível.

— Vai ficar tudo bem, Tae... – Hobi repetiu. – Eu estou aqui, vou te proteger, Okay?

Taehyung assentiu calado, apertando o tecido da roupa do menor contra os dedos.

— Só.... Me leva pra casa... Por... Fa...vor.... – Falava, entre soluços.

— Eu te levaria... Se soubesse onde nós estamos.

 


Notas Finais


COMENTÁRIOOOOSSS :3

Olha só a fic nova da tia saindo do forno:
https://spiritfanfics.com/historia/merman-7116196 (pra quem curte sereias e Taegi <3)

Já podem começar a votar para #BabyGirlNamjin ou #BabyBoyNamjin pro segundo baby

Vai demorar, mas eu já quero prosseguir :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...