História Called (História Original) - Capítulo 3


Escrita por: ~

Exibições 8
Palavras 1.678
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Luta, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Violência
Avisos: Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Miguel

Capítulo 3 - Chegamos!!! :-D


Fanfic / Fanfiction Called (História Original) - Capítulo 3 - Chegamos!!! :-D

Finalmente o avião aterrissou:

_ Chegamos raça, bora lá! (Diz Natasha quase que gritando)

_ Amiga fica completamente calada até chegarmos no nosso lugar. (Pede Paulina)

Mesmo sem entender ela aceitou. Eles saíram do avião, todas elas estavam com a burca, mas com trajes brasileiros, estava muito frio, por isso estavam com blusas de frio. Assim que entraram no aeroporto, um guarda falou com Elias que elas deveriam obedecer as regras islâmicas, então ele entregou um folheto, estava na língua islâmica, mas Elias poderia traduzir, então levou Paulina, Natasha em um canto e traduziu para elas:

_ Primeiro, não perguntem nada agora apenas escutem, e não digam nada até chegarmos em casa. Essas são as regras:

-É absolutamente proibido às mulheres qualquer tipo de trabalho fora de casa, incluindo professoras, médicas, enfermeiras, engenheira de, etc;

-É proibido às mulheres andar nas ruas sem a companhia de um “nmahram” (pai, irmão ou marido);

-É proibido falar com vendedores homens;

-É proibido ser tratada por médicos homens, mesmo que em risco de vida;

-É proibido o estudo em escolas, universidades ou qualquer outra instituição educacional;

-É obrigatório o uso do véu completo (“burca”) que cobre a mulher dos pés à cabeça;

-É permitido chicotear, bater ou agredir verbalmente as mulheres que não usarem as roupas adequadas (“burca”) ou que desobedeçam a uma ordem talibã;

-É permitido chicotear mulheres em público se não estiverem com os calcanhares cobertos;

-É permitido atirar pedras publicamente a mulheres que tenham tido sexo fora do casamento, ou que sejam suspeitas de tal;

-É proibido qualquer tipo de maquilhagem (foram cortados os dedos a muitas mulheres por pintarem as unhas);

-É proibido falar ou apertar as mãos de estranhos;

-É proibido à mulher rir alto (nenhum estranho pode sequer ouvir a voz da mulher);

-É proibido usar saltos altos que possam produzir sons enquanto andam, já que nenhum homem pode ouvir os passos de uma mulher;

-A mulher não pode usar táxi sem a companhia do marido, pai ou irmão;

-É proibida a presença de mulheres em rádios, televisão ou qualquer outro meio de comunicação;

-É proibido andar de bicicleta ou motocicleta, mesmo com seus “maharams”;

-É proibido o uso de roupas que sejam coloridas, ou seja, “que tenham cores sexualmente atraentes”;

-Os transportes públicos são divididos em dois tipos, para homens e mulheres, pois os dois não podem viajar no mesmo;

-É proibida a participação de mulheres em festividades;

-É proibido o uso de calças compridas mesmo debaixo do véu;

-As mulheres estão proibidas de lavar roupas nos rios ou locais públicos;

-As mulheres não se podem deixar fotografar ou filmar;

-Todos os lugares com a palavra “mulher” devem substitui-la, por exemplo: O Jardim da Mulher deve passar a chamar Jardim da Primavera;

-Fotografias de mulheres não podem ser impressas em jornais, livros ou revistas ou penduradas em casas e lojas;

-As mulheres são proibidas de aparecer nas varandas das suas casas;

-O testemunho de uma mulher vale metade do testemunho masculino;

-Todas as janelas devem ser pintadas de modo a que as mulheres não sejam vistas dentro de casa por quem estiver fora;

-É proibido às mulheres cantar;

-Os alfaiates são proibidos de costurar roupas para mulheres;

-É completamente proibido assistir a filmes, televisão, ou vídeo;

-As mulheres são proibidas de usar as casas de banho públicas (apesar da maioria não ter casa de banho em casa).

Natasha e Paulina ficaram horrorizadas, porém não questionaram nada, sabiam que na hora certa ele diria como funcionaria a evangelização:

_ Um grande amigo meu, Miguel irá trazer roupas para vocês, enquanto isso fiquem no banheiro feminino. (Diz Elias, de uma forma gentil)

Ele acompanhou elas até o banheiro e elas entraram e ele aguardou a chegada de Miguel que seria em dez minutos. Enquanto isso, dentro do banheiro:

_ Não podemos dizer uma palavra sobre aquilo aqui, tudo bem meninas? (Pergunta Gabriela, gentilmente)

_ Tudo bem! (Diz Paulina e Natasha em coro)

_ Miguel irá trazer roupas adequadas para nós, ele deve estar chegando... (Diz Gabriela)

_ Quem é ele? (Pergunta Natasha, estava bastante curiosa, já que o nome dele era bastante comum no Brasil)

Gabriela se aproximou e cochichou no ouvido de Natasha, não havia ninguém no banheiro, mas preferiu evitar que outra pessoa pudesse a ouvir:

_ Um missionário, está aqui a dois anos. (voltou a posição normal) ele tem 29 anos, é brasileiro, mas como está aqui a tanto tempo fala a língua daqui fluentemente. (Explica Gabriela)

_ Que Ben... Bem incrível! (Diz Natasha, conseguindo concertar a frase, não sabia se podia usar a palavra benção)

_ Você é casada Paulina? (Pergunta Gabriela)

_ Não, eu estou namorando! Faz oito meses. (Responde Paulina sorrindo)

_ Que bom! O que ele achou da viagem? (Pergunta Gabriela)

_ Ele não sabe, ele está em uma viagem na índia, vai ficar três meses lá. (Explica Paulina)

_ Que legal em, vocês dois no mesmo propósito! (Diz Gabriela sorrindo)

_ É maravilhoso! (Diz Paulina sorrindo apaixonada, lembrando do rosto dele)

_ E você mocinha? (Pergunta Gabriela)

_ Solteira e sem vontade de namorar! (Diz Natasha sorrindo)

_ Você é novinha mesmo! Vou ver se ele chegou. (Diz Gabriela)

_ Tá bem! (Diz Paulina)

Ela arrumou a burca e saiu do banheiro, encontrou seu marido pegando uma bolsa com Miguel, ele acabará de chegar, ao ver ela, Elias vai até ela e entrega a bolsa, ela pega e volta para dentro do banheiro:

_Vamos meninas vistam! (Diz Gabriela gentilmente)

Elas então, colocaram as roupas, as roupas de Natasha eram as menores, já que ela tinha apenas 1,56 de altura, suas roupas eram brancas, Paulina tinha 1,70 de altura, suas roupas eram da cor bege e preto, e de Gabriela eram branca e preta.

Quando finalmente estavam prontas, saíram do banheiro, primeiro Gabriela, depois Paulina e por fim, Natasha, quando ela olhou e viu Miguel conversando com Elias, imediatamente se sentiu atraída por ele, ele realmente era lindo, mas ela se negava a se apaixonar:

_ Vamos? (Pergunta Elias a Miguel)

Ele apenas concordou consentindo, as bíblias estavam em uma bolsa, dentro de outra bolsa, conseguiram sair de lá levando elas consigo, foram rapidamente para o carro preto de Miguel. Assim que conseguiram sair de lá, começam a conversar:

_ Então Miguel, lembra como falar o português brasileiro? (Pergunta Elias brincando)

_ Lembro... Eu leio a Bíblia em inglês e em português, e como tem alguns missionários brasileiros na casa eu consigo praticar. (Diz Miguel gentilmente, com o sotaque brasileiro, tinha uma voz de "locutor de rádio")

Miguel era ruivo, tinha o cabelo liso, e uma longa barba, era musculoso e alto, tinha 1,81 de altura. Ele gostava de treinar não pela estética, mas precisava manter a forma, ele tinha trabalhos duros diariamente. Ele agia de forma versátil, dependia da situação e o local, mas sem jamais negar a Cristo, obviamente ele tinha personalidade própria, gostava de manter a imagem de um homem durão e destemido, no entanto era cuidadoso com as pessoas, e amava ajudar e servir, e sempre defendia seus irmãos na fé. Ele estava dirigindo, ao lado estava Elias e atrás as mulheres:

_ Como andar de bicicleta, a gente não esquece. (Comenta Elias)

_ E o Thiaguinho? (Pergunta Miguel, se referia ao filho de Elias e Gabriela)

_ Ele ficou com a minha sogra. (Diz Elias)

_ É melhor mesmo... E vocês mulheres? Como estão se sentindo? Podem falar agora, estamos dentro do carro, só falem baixo... Vocês conhecem as regras? (Pergunta Miguel)

_ Sim e as odiei! (Diz Natasha, em tom brincalhão)

_ Eu também odeio! Mas estamos aqui lutando para mudar isso... Você parece ser novinha, quantos anos você tem? (Pergunta Miguel)

_ 18... (Diz Natasha, porém foi interrompida)

_ Wow! Como que uma menininha decide vir para cá? (Diz Miguel pasmo)

Ela respirou fundo, e começou um discurso:

_ Vem comigo vamos nessa que eu vou te mostrar o que um louco é capaz de aprontar, depois de mim tudo que era novo ficou velho...Eu vou pelo "Aurélio" então me leve a sério, Fanática, eis aqui minha definição: aquele que ama ou tem dedicação, admiração, entusiasmo, paixão por alguém que fez de sua vida uma missão. Partidário, faccioso, exaltado, que aderiu cegamente ou foi doutrinado. Eu não paro por aqui eu vou bem mais além, considero-me por uma Divindade inspirada, pelo Espírito Santo eu sou iluminada. Informação e conhecimento não me falta, longe do preconceito eu sigo a minha pauta, faço cara de maluca, me chamam de fanática mas eu não me iludo, se é pra falar eu falo não fico mudo, não vou me acomodar nesse absurdo. Sou fácil de lidar mas vamos devagar, o jogo começou e eu jogo pra ganhar. Discípula dedicada até o final, seguidora do Messias incondicional. Camisa de força mano não me prende, sou uma fanática, se é que você me entende... Paga pau de Jesus Cristo, é eu acredito que o evangelho é verdade não é fictício.Põe do meu lado qualquer mano da independente, da fiel, da jovem ou da mancha verde, nenhum deles ama mais o seu próprio time que eu amo a Jesus então vê se não me reprime, sou como aquele mano que tatuou no braço o nome da amada dentro de um laço, ou o colecionador que viaja o mundo inteiro a procura de uma peça pra gastar o seu dinheiro, o terrorista que mata em nome de Alá, ou o psicopata que mata por matar, nenhum deles é mais louco do que eu sou por meu Deus, nem se juntar no mundo todos, todos os ateus Hare Krishina, Rastafare, Umbanda, Dalá Hilama, Devoto que paga promessa de joelho não é mais louco do que eu pelo Deus verdadeiro. Fazer a vontade de Deus é o que me importa, se quiser vir comigo entra e fecha a porta, pega a bíblia e vem comigo na praça da Republica, um louco de verdade prega em praça publica, vão rir da sua cara e te chamar de crente, fanático, doente, inconseqüente, vão te levar para uma tortura, mas a palavra da verdade é loucura se você não aguenta o bak então fica na sua, assumi de uma vez por todas a minha condição, quem me conhece ta ligado como eu era, o que me tornei e o que me espera. Exemplo de fé para minha família quero ser, eles vão se orgulhar de mim você vai ver, meus vão ser exatamente como eu, fanática, louca pela palavra de Deus. (Diz Natasha cheia do Espírito Santo)


Notas Finais


Obrigada por cada um que se manifestou, gratidão a vocês.
Espero ansiosamente pelos seus comentários. Eu realmente espero.
Que o Senhor Jesus abençoe grandemente a todos vocês.
(Discurso de Natasha é um Rap do dj alpiste, fanático)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...